sábado, 25 setembro 2021
segunda, 19 julho 2021 19:06

Reguengos de Monsaraz - Associação de Profissionais da GNR defende reforço de meios efectivos

Escrito por
O posto da GNR de Reguengos de Monsaraz tem um efectivo de 16 militares O posto da GNR de Reguengos de Monsaraz tem um efectivo de 16 militares DR

Tal como o Ardina do Alentejo noticiou aqui, uma série de desacatos ocorridos na noite da passada sexta-feira, dia 16 de Julho, junto à esplanada de um café em Reguengos de Monsaraz, originaram num atropelamento, do qual resultaram três feridos ligeiros, sendo que um deles, de 23 anos de idade, necessitou de tratamento hospitalar.

 

A actuação dos dois militares da Guarda Nacional Republicana (GNR) envolvidos nos confrontos tem sido muito criticada.
 
Em resposta, Carlos Camboias, da Associação de Profissionais da Guarda (APG), recorda os meios que estes militares deveriam ter ao seu dispor: “Podiam ter utilizado material e equipamento que algumas policias europeias já utilizam como a Taser, uma arma que funciona por descarga eléctrica e que neste momento está a ser muito utilizada na Europa, e as próprias Bodycams, equipamento muito utilizado pelas policias na Europa”.
 
O posto da GNR de Reguengos de Monsaraz tem um efectivo de 16 militares, mas está subdividido em vários postos territoriais. A falta de efectivos e a distância entre postos, complica sempre em caso de emergência.
 
Em declarações prestadas à TVI, o dirigente da APG, associação que representa o maior número de militares da Guarda, refere que “o maior problema nestas situações é a grande escassez humana com que os distritos do Interior se debatem”.
 
O reforço dos postos tem vindo a diminuir. Dos cursos de formação saem cada vez menos militares. A agravar a situação, o aumento constante de novas valências para a GNR.
 
Só para se ter uma ideia, há uns anos atrás, frequentavam os cursos de formação de agentes cerca de mil e neste momento estão a sair da escola de Portalegre cerca de 200, o que é relativamente pouco para o território nacional” salientou Carlos Camboias.
 
Nos últimos dados da APG, revelados em Maio de 2019, em alguns turnos do Destacamento de Évora da GNR chega a haver apenas um só militar para patrulhar uma área de mais de dois mil quilómetros quadrados e uma população de 24 705 habitantes.
 
c/ TVI
Modificado em segunda, 19 julho 2021 19:40

Deixe um comentário