domingo, 22 maio 2022

O atleta surdolímpico André Soares, que recentemente conquistou uma Medalha de Ouro e uma Medalha de Bronze, na modalidade de Ciclismo, nos Jogos Surdolímpicos, que se realizaram em Caxias do Sul, no Brasil, bem como a equipa sénior de futebol do Sporting Clube Arcoense, que se sagrou Campeã Distrital ao conquistar a Liga da Associação de Futebol de Évora (AF Évora), assim como a equipa júnior de futebol do Clube Futebol de Estremoz, que no passado fim-de-semana conquistou o Campeonato Distrital de Juniores da AF Évora, irão ser recebidos pelo Executivo Municipal da Câmara Municipal de Estremoz.
 
A informação foi avançada pelo Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, José Daniel Sádio, durante a reunião do Executivo Municipal, que se realizou no dia de hoje, 18 de Maio.
 
Durante a sua intervenção, o edil estremocense frisou que “é um dever nosso reconhecer o mérito desportivo de excelência que todos alcançaram”.
 
A cerimónia, que terá lugar no próximo dia 27 de Maio, sexta-feira, pelas 18 horas, irá acontecer no renovado Salão Nobre dos Paços do Concelho.
 
Durante esta reunião de Câmara foram ainda aprovados, por unanimidade, três Votos de Louvor, um ao atleta surdolímpico André Soares, outro ao Clube de Futebol de Estremoz e um outro ao Sporting Clube Arcoense, pela excelência dos resultados obtidos de âmbito desportivo.
 
 
 
Modificado em quarta, 18 maio 2022 17:36

26 anos depois, o Clube Futebol de Estremoz volta a conquistar um título distrital de futebol. Depois da “fornada” de jogadores da época 1995/96, onde se incluíam nomes como Fábio Silva, David Lopes, Hugo Gonçalves, Pedro André, Mauro Pardal, Pedro Ramalho, Telmo Prates, Rui Garcia, entre outros, terem conquistado o Campeonato Distrital de Iniciados da Associação de Futebol de Évora (AFE) dessa já longínqua temporada, os “miúdos” do CF Estremoz voltaram a sagrar-se campeões.
 
Na tarde do passado sábado, 14 de Maio, no Campo João Figueiredo, em Vila Viçosa, e após um empate a duas bolas diante da formação do Calipolense, a equipa de Juniores do CF Estremoz sagrou-se Campeã Distrital da categoria.
 
À partida para a derradeira jornada, a número 22, o Calipolense e o CF Estremoz seguiam na liderança da competição, com o mesmo número de pontos, o que fazia do jogo de encerramento do campeonato, uma autêntica final. A vantagem entre os dois conjuntos sorria aos jovens equipados de vermelho e negro, dada a maior diferença entre golos marcados e sofridos (+30 para o CFE).
 
O Calipolense adiantou-se no marcador por Tiago Ferreira, aos 23 minutos. Pelo meio, dois golos estremocenses, apontados por João Machado, aos 50 minutos, e por Tiago Gualdino, aos 58 minutos. Um auto-golo de Hugo Frade, aos 66 minutos, fechou as contas do encontro.
 
O resultado de 2-2 que se verificou no final da contenda fez com que a equipa de Estremoz se sagrasse Campeã Distrital de Juniores – Época 2021/2022, e consequentemente garantisse o apuramento para o Campeonato Nacional de Juniores.
 
O CF Estremoz terminou a competição sem qualquer derrota (à semelhança do Calipolense), sendo a equipa mais concretizadora, 85 golos marcados, e a melhor defesa da prova, com apenas 19 golos sofridos.
 
Após o apito final, em pleno relvado do Campo João Figueiredo, e juntando adeptos, sócios, simpatizantes, familiares e atletas, a festa foi vermelha e negra.
 
António Pereira, Presidente da Associação de Futebol de Évora, entregou o troféu de campeão ao Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, José Daniel Sádio, que a levantou em conjunto com o capitão dos Juniores do CFE, Tiago Gualdino.
 
CAMPEONATO DISTRITAL DE JUNIORES DA ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE ÉVORA
ÉPOCA 2021/2022
OS CAMPEÕES
 
Equipa Técnica 
Hélder Aldeagas, Jorge Fonseca, Nuno Coelho e Bernardo Candeias
 
Jogadores
Guilherme Lemos, Luís Vieira, Miguel Rodrigues, Afonso Rosado, Hugo Frade, Bruno Marques, José Catita, Tiago Gonçalves, Dinis Gualdino, Tiago Gualdino, Simão Pereira, César Lopes, Ricardo Cavaco, João Machado, Kwanm Brito, João Serra, Rodrigo, Carlos Coelho e Miguel Lopes.
 
 
 
 
 
 
Modificado em segunda, 16 maio 2022 12:53

O ciclista estremocense André Soares conquistou na manhã do dia de ontem, 8 de Maio, a Medalha de Ouro na prova por pontos, na modalidade de ciclismo, nos Jogos Surdolímpicos, que se disputam em Caxias do Sul, no Brasil.
 
Na prova que se realizou junto ao Santuário de Nossa Senhora do Caravaggio, em Farroupilha, o jovem ciclista português totalizou 63 pontos, assegurando o primeiro lugar da competição ao bater o segundo classificado, o francês Steeve Touboul, com uma vantagem de 19 pontos.
 
Tendo como pano de fundo o Santuário de Nossa Senhora do Caravaggio, André Soares falou aos jornalistas, tendo referido que esta “foi uma corrida muito difícil, com uma boa táctica da nossa parte, com um ataque logo nas primeiras voltas, fazendo metade da corrida isolado na frente e pontuando bem em todas as voltas”.
 
O ciclista salientou sair “super satisfeito” da sua primeira participação nos Jogos Surdolímpicos, acrescentando que “com o ouro é super”.
 
Visivelmente emocionado, André Soares salientou que “nunca esperei, a gente tem sempre que acreditar e a esperança é a ultima a morrer. E fico contente por finalmente conseguir o ouro. É muito importante para mim”.
 
O atleta de 23 anos dedicou a conquista da Medalha de Ouro “ao meu treinador José Marques, ao João Marques, o meu companheiro de equipa, por toda a ajuda, todo o apoio, sempre fundamental, sempre na frente comigo, sempre prestável, sempre integrado no grupo. Foi incrível e não tenho palavras”.
 
E acho que o último agradecimento vai para os meus pais, para casa e para Portugal, claro”, concluiu.
 
Nos Jogos Surdolímpicos que se realizam até ao próximo dia 15 de Maio, em Caxias do Sul, no Brasil, esta foi a quarta competição em que André Soares participou e a segunda medalha que conquistou.
 
No passado dia 2 de Maio, segunda-feira, o jovem ciclista estremocense classificou-se em 10º lugar, na prova de sprint, e alcançou a Medalha de Bronze, dois dias depois, no dia 4 de Maio, quarta-feira, na prova de contra-relógio. No dia 7 de Maio, e na prova de fundo, o atleta português obteve um Diploma Surdolímpico ao classificar-se na quinta posição.
Modificado em segunda, 09 maio 2022 11:14

O estremocense André Soares conquistou o quinto lugar, e consequente diploma surdolímpico, na prova de fundo, na modalidade de ciclismo nos Jogos Surdolímpicos, que se realizam em Caxias do Sul, no Brasil.
 
Na prova decorrida junto ao Santuário do Caravaggio, em Farroupilha, e que terminou com uma chegada ao sprint, o ciclista de 23 anos concluiu o percurso de 107 quilómetros em 2:59:23 horas, a apenas um segundo do vencedor, o francês Steeve Touboula.
 
Aos jornalistas presentes no final dos 107 quilómetros, André Soares referiu que esta prova teve “um percurso muito duro, com umas subidas bem duras e muito atacadas desde início”.
 
O jovem ciclista frisou ter estado bem nos “primeiros 35 quilómetros, sempre na frente” e “sempre atento aos ataques que podiam surgir”.
 
O estremocense acrescentou ter feito “uma boa gestão do esforço no resto da prova” com “uma boa alimentação e hidratação”.
 
Sobre a parte final da competição, o atleta nacional referiu já conhecer “bem esta parte”, e que como “havia uma fuga”, tentou apanhar a mesma, o que conseguiu.
 
André Soares salientou que “no último quilómetro não consegui ter mais pernas para manter a diferença, e cheguei no primeiro grupo”.
 
Numa espécie de balanço final da prova, o ciclista de 23 referiu estar “completamente satisfeito e contente com a minha prestação”, asseverando ainda que “qualquer lugar que faça para mim é muito bom”.
 
Em 2019 perdeu a audição mas nunca deixou de praticar a sua modalidade de eleição, tendo passado a ser atleta de alto rendimento no ano de 2021, como atleta surdo, tendo-se focado por completo na prática do ciclismo. De salientar que o André trabalha numa empresa estremocense ligada ao ramo automóvel e que os seus treinos acontecem depois da sua "jornada de trabalho".
 
Em 2021 conquistou o Campeonato Nacional de Contra-Relógio e de Crono Escalada, e mais recentemente, já em 2022, conquistou o Campeonato Nacional de Pista.
 
Nesta sua primeira participação internacional em representação de Portugal, André Soares, de 23 anos, prometeu “fazer o melhor”, afirmando antes da partida para terras de Vera Cruz, ter “treinado bem” e “desenvolvido bem a condição física”, esperando estar ao seu “melhor nível para representar Portugal e conseguir chegar a um bom resultado”.
 
José Marques, treinador do ciclista estremocense, reconhece que o André “é um jovem com muitas qualidades”, sendo que “a maior é a humildade” e também “a vontade”.
 
No vídeo de apresentação do ciclista estremocense, publicado na página “Paralímpicos”, na rede social Facebook, o “Mister” salientou que “havendo humildade e havendo vontade, os resultados vão aparecer”.
 
Sobre as características desportivas do agora Medalhado de Bronze, José Marques frisou que é um atleta “que se defende bem no contra-relógio, e dentro do pelotão também, conseguindo estar com os melhores nas provas planas e em linha”.
 
Nos Jogos Surdolímpicos que se realizam até ao próximo dia 15 de Maio, em Caxias do Sul, no Brasil, esta foi a terceira competição em que André Soares participou.
 
No passado dia 2 de Maio, segunda-feira, o jovem ciclista estremocense classificou-se em 10º lugar, na prova de sprint, e alcançou a Medalha de Bronze, dois dias depois, no dia 4 de Maio, quarta-feira, na prova de contra-relógio.
 
André Soares vai ainda competir na prova corrida por pontos.
Modificado em domingo, 08 maio 2022 12:43

O estremocense André Soares acaba de conquistar a Medalha de Bronze na prova de contra-relógio, na modalidade de ciclismo, nos Jogos Surdolímpicos, que se realizam em Caxias do Sul, no Brasil.

 

No final da prova, bem junto ao pórtico de chegada, André Soares prestou as primeiras declarações à comunicação social, salientando que teve “uma boa prestação”, tendo-se sentido “bem em todo o contra-relógio” e que “as pernas corresponderam bem na segunda parte do contra-relógio”. Visivelmente satisfeito, o jovem ciclista frisou ter conseguido “uma boa técnica” e estar “super feliz” com a sua prestação para Portugal.

 
André Soares asseverou ainda que “este terceiro lugar sabe a primeiro lugar”, tendo sido ”uma grande vitória” e assegurando estar “muito contente”.
 
Praticamente no final das suas declarações, o jovem estremocense acrescentou que “foi muito difícil” chegar a esta conquista, visto que “foram meses muito difíceis de treino e de trabalho”.
 
Concluiu a sua intervenção dizendo que “este terceiro lugar para mim é muito importante. É uma grande conquista”. 
 
 
 
 
 
Modificado em quinta, 05 maio 2022 01:56

O estremocense André Soares acaba de conquistar a Medalha de Bronze na prova de contra-relógio, na modalidade de ciclismo, nos Jogos Surdolímpicos, que se realizam em Caxias do Sul, no Brasil.

André Soares começou muito novo a praticar ciclismo, tendo passado por várias equipas de formação. 
 
Em 2019 perdeu a audição mas nunca deixou de praticar a sua modalidade de eleição, tendo passado a ser atleta de alto rendimento no ano de 2021, como atleta surdo, tendo-se focado por completo na prática do ciclismo. De salientar que o André trabalha numa empresa estremocense ligada ao ramo automóvel e que os seus treinos acontecem depois da sua "jornada de trabalho".
 
Em 2021 conquistou o Campeonato Nacional de Contra-Relógio e de Crono Escalada, e mais recentemente, já em 2022, conquistou o Campeonato Nacional de Pista.
 
Nesta sua primeira participação internacional em representação de Portugal, André Soares, de 23 anos, prometeu “fazer o melhor”, afirmando antes da partida para terras de Vera Cruz, ter “treinado bem” e “desenvolvido bem a condição física”, esperando estar ao seu “melhor nível para representar Portugal e conseguir chegar a um bom resultado”.
 
E o bom resultado chegou.
 
José Marques, treinador do ciclista estremocense, reconhece que o André “é um jovem com muitas qualidades”, sendo que “a maior é a humildade” e também “a vontade”.
 
No vídeo de apresentação do ciclista estremocense, publicado na página “Paralímpicos”, na rede social Facebook, o “Mister” salientou que “havendo humildade e havendo vontade, os resultados vão aparecer”.
 
Sobre as características desportivas do agora Medalhado de Bronze, José Marques frisou que é um atleta “que se defende bem no contra-relógio, e dentro do pelotão também, conseguindo estar com os melhores nas provas planas e em linha”.
 
Nos Jogos Surdolímpicos que se realizam até ao próximo dia 15 de Maio, em Caxias do Sul, no Brasil, esta foi a segunda competição em que André Soares participou.
 
No passado dia 2 de Maio, segunda-feira, o jovem ciclista estremocense classificou-se em 10º lugar, na prova de sprint.
 
André Soares vai ainda competir na prova de fundo e na corrida por pontos.
 
 
 
 
Modificado em domingo, 08 maio 2022 01:46

 
Após dois anos de interrupção, devido à pandemia de Covid-19, o Ultra Trail de São Mamede está de regresso, e logo com um recorde. São já mais de 1380 os atletas que estão inscritos para a 9ª edição de uma das mais duras e emblemáticas provas que se realizam no Alentejo.
 
Organizado pelo Atletismo Clube de Portalegre (ACP), este evento desportivo está repartido por três dias, de 6 a 8 de Maio, com o Ultra Trail de São Mamede (110 km), onde estão praticamente inscritos 500 atletas, a iniciar-se pelas 22 horas de sexta-feira, e a Maratona de São Mamede (43 km), tem início marcado para as 09 horas de sábado. No domingo, a Meia-Maratona de São Mamede (22 km) começa às 09 horas da manhã, e meia-hora mais tarde partem os mais de 200 atletas inscritos para o Trail Curto / Caminhada de São Mamede (12 km).
 
As inscrições para esta competição, que vai percorrer várias vilas e aldeias dos concelhos de Portalegre, Castelo de Vide, Marvão, e ainda pela Sierra Fria de Valência de Alcántara, em Espanha, decorrem até ao final do mês de Abril.
 
De recordar que o Ultra Trail de São Mamede faz parte do Circuito Nacional de Trail Ultra Endurance.
 
 
 
Modificado em segunda, 11 abril 2022 18:06

 

Cerca de um milhar de participantes, entre ginastas e equipas técnicas, marcaram presença no Pavilhão Municipal de Estremoz, no passado sábado, dia 26 de Março, na fase regional do “Gym for Life”, iniciativa que resultou de uma parceria entre a Associação de Ginástica de Lisboa (AGL), a Secção de Dança do Clube Futebol de Estremoz e o Município de Estremoz.

 
Para além dos participantes, foram muitos aqueles que marcaram presença na cidade branca do Alentejo, no apoio aos seus ginastas e aos seus clubes, e que deram a Estremoz mais cor e mais vida.
 
José Daniel Sádio, Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, era um homem visivelmente satisfeito no final do “Gym for Life”, altura em que o Ardina do Alentejo falou com o edil estremocense.
 
Ardina do Alentejo – Que balanço faz do “Gym for Life”, um evento realizado em Estremoz e que juntou a ginástica à dança no Pavilhão Municipal?
José Daniel Sádio – Faço um balanço totalmente positivo.
Foi um evento de grande dimensão, que trouxe ao Pavilhão Municipal de Estremoz, a excelência da ginástica e da dança, com cerca de um milhar de participantes, entre ginastas e equipas técnicas, para além das largas centenas de pessoas que vieram a Estremoz, que para além de poderem assistir ao brilhantismo dos atletas da zona sul e da excelência da prática, no caso de clubes filiados na Associação de Ginástica de Lisboa, onde também estão inseridos os clubes de Estremoz, com várias menções ouro, o que é notável, puderam visitar Estremoz e conhecer Estremoz.
A ideia foi, através de um grande evento desportivo, podermos mostrar aquilo que nós somos e aquilo que nós temos: simpatia e saber receber, e um potencial tremendo ao nível do turismo, da restauração, dos museus, do património… Foi mostrar Estremoz a todas aquelas pessoas que vieram até nós, e por isso, o balanço é muito positivo, muito mesmo.
 
Ardina do Alentejo – São este tipo de eventos que colocam Estremoz no mapa?
JDS – Sim. A estratégia que nós temos definida em termos de visibilidade e de atractividade de Estremoz faz com que tenhamos de agarrar em projectos desta dimensão, seja na ginástica, na dança, na cultura, na arte, nas mais variadas vertentes e áreas, porque esta é a prova que Estremoz sabe fazer.
Mas é importante destacar algumas questões que contribuíram para o sucesso deste evento: a generosidade e confiança da Associação de Ginástica de Lisboa, e também, de uma forma muito especial, o Clube Futebol de Estremoz e a sua Secção de Dança e Ginástica, pelo desafio que nos lançaram. E posso dizer que, em tempo recorde, com o empenho total do Desporto da Câmara Municipal, e muito importante, de toda a Câmara Municipal, dos vários sectores, da Logística à Comunicação, de todo o pessoal operacional, que conseguiram transformar o nosso pavilhão num espaço lindíssimo e capacitado para estes eventos, e permitiram que se consumasse este evento, que é uma linha de eventos que temos de manter e começar a cultivar no nosso concelho: grandes eventos, grandes mobilizações, porque nós somos capazes, nós somos tão bons como os outros.
Não posso também deixar de agradecer o empenho e apoio prestado a este evento pela Delegação de Estremoz da Cruz Vermelha Portuguesa, pela Esquadra de Estremoz da Polícia de Segurança Pública e pela Associação Cultural e Desportiva Rota d’Ossa.
 
Também no final do “Gym for Life” estivemos à conversa com Andreia Galapito, responsável pela Secção de Dança e Ginástica do Clube Futebol de Estremoz.
 
Ardina do Alentejo – Que balanço faz desta fase regional do “Gym for Life” que decorreu em Estremoz?
Andreia Galapito (AG) – Faço um balanço super positivo. Estou muito orgulhosa de termos conseguido trazer até Estremoz esta iniciativa, um sonho antigo que eu já tinha. Entre ginastas, treinadores e acompanhantes, foram muitas as centenas de pessoas que nos visitaram, e que estiveram em Estremoz. 
E não posso estar mais orgulhosa das minhas ginastas, assim como de todos os voluntários que nos ajudaram ao sucesso deste “Gym for Life”, para além da ajuda que tivemos dos nossos patrocinadores.
Não posso também esquecer a confiança que a Associação Ginástica de Lisboa (AGL) depositou em nós, e a forma como a Câmara Municipal de Estremoz acreditou em nós e na nossa capacidade de podermos trazer até à nossa cidade uma organização com esta dimensão. O apoio do Município e de toda a estrutura da autarquia foi fundamental. 
 
Ardina do Alentejo – Cansada mas muito satisfeita…
AG – Cansada, mas muitíssimo satisfeita. Foram muitos dias e muitas horas a trabalhar para que o “Gym for Life” fosse um sucesso e para que tudo corresse bem. Deu muito trabalho, mas valeu muito a pena. Mas sem trabalho e dedicação, nada se faz!
 
Feito o balanço final, no “Gym for Life” Regional realizado em Estremoz, foram entregues pelas 45 classes participantes em representação de 21 clubes, 9 Menções Ouro, 29 Menções Prata e 7 Menções Bronze.
 
Ardina do Alentejo apresenta-lhe de seguida as classes participantes em representação dos 21 clubes presentes na fase regional do "Gym for Life" e as respectivas menções conquistadas.
 
Clube Futebol de Estremoz – Mini-Traquinas – Prata
Clube Futebol de Estremoz – Traquinas – Prata
Clube Futebol de Estremoz – All Star – Prata
Clube Atlético de Queluz – Miúdas – Prata
Associação Desportiva Parque das Nações – Akaris – Ouro 
Clube Atlético de Queluz – Ponchitas – Bronze
Clube Atlético de Queluz – LX Skippers II – Bronze
Sociedade Musical Sportiva Alvidense – Alvide Acro Gym – Prata
Sport Lisboa e Benfica – Mixstica – Ouro
Clube Atlético de Queluz – Velutti – Prata
Hóquei Clube da Lourinhã – Acrogym Enigmas – Prata
Clube Atlético de Queluz – Mitos – Prata
Clube Atlético de Alvalade – Acroteam Representação – Prata
Clube Atlético de Queluz – MixUp – Prata
Colégio Valsassina – Classe Especial – Bronze
Associação QE – Uma Nova Linguagem, IPSS – Projecto Gym é QE – Ouro
Sociedade Euterpe Alhandrense – Euterpe Team – Prata
Sporting Clube de Portugal – Acrobática Iniciação – Prata
Clube Desportivo da Escola Secundária da Ramada – Representação - Ouro
Clube Desportivo e Recreativo “Os Vinhais” – Geckoes - Prata
Sport Lisboa e Benfica – Silhuetas – Prata
Sporting Clube de Portugal – Acrobática Desenvolvimento – Prata
Centro Desportivo Cultural e Recreativo Moinhos da Funcheira – Acrodance - Prata
Ginásio Clube Português – Atitudes – Ouro
Clube Desportivo da Escola Secundária Miguel Torga – Wolves – Prata
Clube Desportivo da Escola Secundária Miguel Torga – Linces – Ouro
Ginásio Clube Português – Mimanu – Ouro
Colégio Integrado Monte Maior – Shadows – Prata
Clube Desportivo da Escola Secundária Miguel Torga – Kangurus – Prata
Espaço da Semente Clube Desportivo – Spaceteam – Prata
Espaço da Semente Clube Desportivo – Nexteam – Prata
Colégio Integrado Monte Maior – Fénix – Prata
Clube Desportivo da Escola Secundária Miguel Torga – Eagles & Kites – Bronze
Futebol Clube de Alverca – Sanuzah – Ouro
Clube Desportivo da Escola Secundária Miguel Torga – Coyotes – Bronze
Espaço da Semente Clube Desportivo – Sementinhas – Prata
Clube Desportivo da Escola Secundária Miguel Torga – Gralhas – Prata
Sport Algés e Dafundo – AcroTop – Prata
Clube Desportivo da Escola Secundária Miguel Torga – Panthers – Bronze
Sport Algés e Dafundo – Seglas – Prata
Clube Desportivo da Escola Secundária Miguel Torga – Quokkas - Prata
Sport Algés e Dafundo – Gymnalgés – Prata
Clube Desportivo da Escola Secundária Miguel Torga – Chitas – Prata
GimnoAnima – Associação Desportiva de Sintra – Ginástica de Grupo II – Bronze
Clube Desportivo da Escola Secundária Miguel Torga – Fox – Ouro
 
Modificado em segunda, 28 março 2022 12:56

O eborense Óscar Tojo, que já desempenhou funções de Coordenador Técnico do Lusitano de Évora e da Associação de Futebol de Évora (AFE), vai integrar a equipa técnica da Selecção Nacional de Sub-21.
 
De recordar que Óscar Tojo fazia parte integrante da equipa técnica liderada pelo bejense Pedro Caixinha, como Preparador Físico, tendo desempenhado essas funções no México, em clubes como o Cruz Azul e o Santos Laguna, onde se sagrou Campeão Nacional, e na Arábia Saudita, no Al-Shabab. Em Portugal, e igualmente com Pedro Caixinha, o agora Fisiologista da Selecção Nacional de Sub-21 trabalhou na União de Leiria e no Nacional da Madeira, tendo sido também adjunto de Toni Resende, no Lusitano de Évora, e de Miguel Ângelo, no Juventude Sport Clube.
 
Segundo a informação que é avançada pela página de Facebook, “O assunto é futebol”, o técnico eborense, de 42 anos, já está em Lagos, onde a Selecção de Sub-21, sob a orientação de Rui Jorge, está a preparar os dois próximos jogos de qualificação para o Europeu 2023, com a Islândia e a Grécia, que se realizam respectivamente no dia 25 de Março, sexta-feira, pelas 20:15 horas, em Portimão, e no dia 29 de Março, terca-feira, em Trípoli, pelas 17 horas.
Modificado em quarta, 23 março 2022 15:09

PUB