quinta, 29 julho 2021

A cidade espanhola de Elche, na província de Alicante, recebeu, entre os dias 16 e 25 de Julho, mais uma edição do Campeonato Mundial de Tiro ao Voo.
 
E com a presença de um atirador do Clube de Caçadores de Estremoz na Selecção Nacional, Portugal foi consagrado Campeão do Mundo de Tiro ao Voo, por equipas.
 
José Marcelino Tavares, atirador do Clube de Caçadores de Estremoz, Daniel Teixeira e Ricardo Colaço, foram os atiradores lusos que fizeram soar o hino nacional por terras de Espanha.
Modificado em quarta, 28 julho 2021 02:07

Iúri Leitão é o novo comandante da 38ª Volta ao Alentejo em Bicicleta/1º Grande Prémio CMTV. Depois do triunfo lhe ter escapado por pouco na etapa inaugural, no dia de ontem, em Sines, o sprinter português não deu hipóteses à concorrência e, aos 22 anos, conquistou a maior vitória da ainda jovem carreira no ciclismo de estrada. Afinal, trata-se de um campeão europeu de scracth (ciclismo de pista) e que aspira estar no topo do sprint. Na “Alentejana” não só venceu a etapa mais longa (e bem quente!) como ainda vestiu a Camisola Amarela Sociedade Ponto Verde.
 
Ciclista persistente e ambicioso não conseguia parar de sorrir no final. "A minha equipa garantiu que conseguisse economizar o máximo de energia e no final fizeram a aproximação perfeita e eu só tive de sprintar. A parte mais fácil foi feita por mim. A vitória é de toda a equipa", salientou o ciclista da Tavfer-Measindot-Mortágua. "Foi uma etapa muito longa, que acabou por se fazer dura pelo calor e pela distância. O terreno do Alentejo é muito plano, são estradas muito longas e acabou por ser uma etapa bastante desgastante".
 
Com 195,5 quilómetros entre Almodôvar e Sines, três metas volantes e uma contagem de montanha de quarta categoria, a segunda etapa era em tudo idêntica à do dia anterior e a expcetativa era um final ao sprint.
 
A longa quilometragem e o calor não terão seduzido muitos a tentar fugir, pelo que os primeiros três que tentaram ficaram na frente e chegaram a ter mais de 11 minutos de vantagem! Lá atrás no pelotão, foi o jogo da paciência. Pedalar, evitar incidentes, com a Euskaltel-Euskadi a ter de assumir as despesas do controlo da etapa porque defendia a liderança de Juan Jose Lobato e, por essa razão, a equipa basca fez o trabalho que lhe era exigido.

 

Dança de camisolas

Leitão partiu para a etapa com a Camisola Verde Crédito Agrícola, dos pontos, mas apenas por "empréstimo". Era Lobato o líder, mas com a amarela vestida, "cedeu" a verde. No final teve mesmo de ceder tudo. O ciclista de Viana do Castelo não só é o novo líder da corrida, como é primeiro na classificação dos pontos. Será agora ele a "emprestar" a camisola verde a um corredor também da Euskaltel-Euskadi.
 
Desta feita, Lobato, o espanhol nem apareceu no sprint e foi o companheiro, Mikel Aristi quem procurou a vitória. Foi segundo na etapa e ocupa a mesma posição na geral e nos pontos.
 
Para completar a mudança em todas as classificações individuais, o holandês Alex Molenaar (Burgos-BH) assumiu a liderança na juventude, depois do quarto lugar na etapa e veste agora a Camisola Branca FGil.pt.
 
Já a Euskaltel-Euskadi continua como a melhor na classificação por equipas.
 
A longa etapa teve Diogo Narciso (Sicasal-Miticar-Torres Vedras), André Santos (Almodôvar-Delta Cafés-Crédito Agrícola) - segundo dia com a equipa alentejana a ter um corredor na fuga - e o japonês Masahiro Ishigami (Nippo-Provence-PTS Conti) a escaparem do pelotão logo nos primeiros quilómetros da corrida.
 
Rapidamente se percebeu que o pelotão ia controlar à distância. O trio foi discutir as metas volantes e o Prémio de Montanha. Narciso venceu duas, Santos uma. Ishigami estava interessado na Camisola Preta ERedes, da montanha e cumpriu a missão. Só a cerca de 30 quilómetros da meta, a fuga foi finalmente anulada por um pelotão de onde sairam ainda alguns elementos na tentativa de surpreender, mas o sprint em bloco compacto era o destino final da etapa.
 

Corrida regressa ao interior alentejano

Ao terceiro dia de competição baixa a quilometragem, mas mantém-se a receita. Os sprinters poderão ter mais uma oportunidade, antes de um sábado potencialmente decisivo, com a dupla etapa (tirada de montanha de manhã e contrarrelógio individual à tarde).
 
Três metas volantes e uma contagem de montanha de quarta categoria vão preencher os 173,1 quilómetros, entre Alcácer do Sal e Mora, da terceira etapa.
 
 
 
Modificado em sexta, 25 junho 2021 11:15

Foi de laranja que se pintou a primeira etapa da 38ª Volta ao Alentejo/1º Grande Prémio CMTV, com a equipa da Euskaltel-Euskadi a confirmar algum do favoritismo. Afinal a formação de equipamento alaranjado tem um dos corredores mais cotados da corrida e Juan Jose Lobato regressou às vitórias ao ser o mais forte na chegada a Beja. O espanhol garantiu além da Camisola Amarela Sociedade Ponto Verde, a Camisola Crédito Agricola da classificação por pontos.


É a segunda vitória da Euskaltel-Euskadi em 2021, naquela que é a segunda vida da equipa, num ano em que recuperou o nome original, sendo uma das ProTeam presentes no Alentejo. Para Lobato, 32 anos, ciclista com curriculo World Tour, foi igualmente o regresso, mas aos triunfos, algo que não acontecia desde 2018. A ambição passa agora por mais vitórias e, porque não, manter a amarela. Lobato vê sábado como o dia decisivo. "É o dia de etapa dupla, com montanha de manhã e contrarrelógio à tarde, que resolverá a Volta. Vim com uma boa equipa, mas vamos ver dia a dia", afirmou. E quanto à vitória em Beja, admitiu que já procurava um triunfo há algum tempo, estando, naturalmente, muito feliz com o resultado.

 

Reguengos de Honra à partida
A Igreja de Santo António, no centro de Reguengos de Monsaraz, assitiu tranquilamente à partida de um pelotão de 122 homens em representação de 18 equipas, que nesta etapa inaugural tinham um longo dia pela frente. Apesar do triunfo espanhol, os portugueses estiveram em destaque. Iúri Leitão acabou como o melhor, ao bater-se no sprint de igual para igual com o vencedor. Leitão foi segundo, comprovando a boa forma nesta época, na estreia pela Tavfer-Measindot-Mortágua.


A Camisola Preta E-Redes ficou com Patrick Videira, dando assim destaque a uma equipa de clube, a Fortunna-Maia. A liderança na montanha desta vez tem esta cor totalmente distinta e destaca o líder dos trepadores. Videira ganhou a única subida do dia numa discussão com Henrique Casimiro (Kelly-SimoldesUDO).


Raúl Ribeiro lidera nas metas volantes, ao vencer duas das três que estavam em disputa - Moura e Mértola -, o que significa que a equipa da casa, Almodôvar-Delta Cafés-Crédito Agrícola, mais uma de clube, também teve o seu momento nesta primeira etapa.

 

Foram 194,5 quilómetros entre Reguengos de Monsaraz e Beja, num dia em que finalmente se sentiu um calor bem mais típico de verão. A etapa também foi bastante típica de uma que tinha todos os ingredientes para terminar ao sprint. A fuga começou com um trio, mas foi um quinteto que andaria mais de 100 quilómetros na frente: além de Ribeiro, Videira e Casimiro, estiveram no grupo César Paredes - um colombiano mas que representa a equipa do Louletano-Loulé Concelho e que foi o mais forte na Meta Volante de Mourão - e o sul-africano Callum Ormiston, da Protouch. Ambos acabariam por ficar para trás na subida do dia a cerca de 50 quilómetros da meta. Contudo, o trio de portugueses não resistiu muito mais até ser apanhado por um pelotão que teve sempre os fugitivos controlados. A maior diferença foi de quatro minutos, mas rondou sempre os 3:30, mais segundo menos segundo. Quando foi decidido que a aventura do quinteto ia terminar, não demorou a acontecer.

 

A etapa mais longa
No pelotão, a Efapel mostrou intensões, porém, foi a espanhola Kern Pharma (mais uma ProTeam) a ser a primeira a assumir a perseguição, que nunca abandonou, com a Caja Rural-Seguros RGA (outra ProTeam de Espanha) a juntar-se mais tarde. Acabaria por ser a Euskaltel-Euskadi a ser mais feliz. Além das duas classificações individuais com Lobato, também é líder colectivamente.

 

A Efapel terá esta quinta-feira Fábio Costa de Camisola Branca FGil.pt, símbolo da juventude. Não havendo bonificações, Lobato lidera com o mesmo tempo que Iúri Leitão e David Gonzalez (Caja Rural-Seguros RGA). A segunda etapa da 38ª Volta ao Alentejo/1º Grande Prémio CMTV será novamente uma que os sprinters vão ter debaixo de mira. São 195,5 quilómetros com início em Almodôvar (partida simbólica às 10:50) e final em Sines, com a chegada prevista para cerca das 16 horas.

 

 
Modificado em quinta, 24 junho 2021 11:08

Depois de terminada a sua ligação contratual ao Sporting CP, onde actuou nos últimos três anos, a futebolista estremocense Carolina Mendes já sabe por onde vai passar o seu futuro.
 
Depois da camisola verde e branca, onde conquistou dois títulos nacionais, a experiente internacional portuguesa, de 33 anos, vai vestir de vermelho na temporada 2021/2022.
 
A jogadora que fica na história do futebol feminino nacional como a primeira a marcar um golo pela Selecção Nacional de Futebol Feminino numa Fase Final de um Campeonato da Europa, ruma a Norte, tendo aceite o convite do SC Braga, onde irá encontrar a sua ex-colega de equipa em Alvalade, a guardiã Patrícia Morais.
 
De recordar que o Sporting CP terminou a ligação com nove jogadoras do plantel que perdeu o título de Campeão Nacional para o SL Benfica, após a derrota por 0-3 na última jornada da competição.
 
"É um impacto muito positivo. Tenho várias colegas aqui que já jogaram comigo. Estou ansiosa para começar a época, para também conhecer melhor o clube por dentro. Vai ser um desafio novo na minha carreira", começou por dizer aos meios do clube, a avançada, que conta com passagens por clubes em Espanha, Itália, Rússia, Suécia e Islândia e já soma 97 internacionalizações por Portugal, tendo apontado 19 golos pela equipa das Quinas.
 
"O que me foi dito foram coisas muito positivas. Sabemos todos que o Braga luta por títulos e é isso que eu também procuro. Não vai faltar empenho e dedicação. Tudo o que tiver, vou deixar em campo e espero contribuir, e muito, para as vitórias e conquistas do Sporting de Braga", afirmou Carolina Mendes, citada pelos minhotos.
 
Ardina do Alentejo apresenta-lhe de seguida os dois vídeos de apresentação das duas novas Guerreiras do Minho!

 

Modificado em terça, 08 junho 2021 02:22

Com o apoio da Junta de Freguesia de São Domingos de Ana Loura e da Câmara Municipal de Estremoz, a Associação Desportiva e Cultural de São Domingos realiza na próxima quinta-feira, 10 de Junho, Feriado Nacional de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, mais um Torneio de Malha.
 
A competição, que se inicia pelas 15 horas, decorre no Campo de Futebol de São Domingos.
 
Haverá prémios para as 10 duplas melhor classificadas, sendo que as peças em ouro serão entregues às duas duplas melhor classificadas, havendo produtos regionais diversos para as restantes.
 
A organização, que não se responsabiliza por eventuais acidentes que venham a decorrer durante a prova, informa que no local do Torneio da Malha funcionará um esmerado serviço de bar.
Modificado em terça, 08 junho 2021 00:23

Através da sua página pessoal na rede social Facebook, a futebolista estremocense Carolina Mendes anunciou o fim da sua relação contratual com o Sporting CP, clube que representou nos últimos três anos.
 
Na publicação, efectuada ao final da tarde do dia de hoje, quarta-feira, 2 de Junho, Carolina Mendes afirmou que “depois de estar tanto tempo fora” achou que “faria sentido regressar a Portugal” e cumprir um sonho de menina, “jogar com as cores do clube do meu coração!”.
 
A jogadora natural de Estremoz, acrescentou que “foram três anos a representar o Sporting Clube de Portugal”, e que “gostava que a história deste capítulo tivesse terminado de maneira diferente. Infelizmente não foi possível dar este título aos adeptos que tanto nos apoiaram ao longo desta caminhada”.
 
Carolina Mendes deixou um “obrigada” a todos os adeptos, salientando que “o Sporting Clube de Portugal é mesmo um clube diferente”, sentindo-se “feliz por ter feito parte deste grande clube”.
 
A internacional lusa, de 33 anos, deixou ainda um “obrigada” a todas as colegas com quem partilhou balneário, ao staff e a “todas as pessoas que contribuíram para que o futebol feminino ganhe cada vez mais espaço dentro do Sporting CP”.
 
Sobre o futuro, escreveu apenas que “agora é hora de aceitar outro desafio profissional e desportivo”.
 
O post da jogadora que fica na história do futebol feminino nacional como a primeira a marcar um golo pela Selecção Nacional de Futebol Feminino numa Fase Final de um Campeonato da Europa, termina assim: “Obrigada, de coração cheio”.
 
De recordar que o Sporting revelou esta quarta-feira que terminou também a ligação com outras oito jogadoras do plantel que perdeu o título de Campeão Nacional para o SL Benfica, após a derrota por 0-3 na última jornada da competição.
Modificado em segunda, 07 junho 2021 18:40

O estremocense Carlos Silva é o novo seleccionador de hóquei em patins da Associação de Patinagem do Alentejo e Algarve (APAA).
 
Carlos António Fonseca da Silva, de 63 anos, já orientou todos os escalões de formação do clube da sua terra, assim como a equipa principal.  Actualmente a residir no Algarve, é um dos treinadores da formação do Roller Lagos. Carlos Silva já foi também o responsável técnico pela equipa sénior do Grupo Desportivo Diana de Évora e passou pela formação do Grupo Desportivo de Sesimbra.
 
A APAA acredita que “a experiência e a comprovada dedicação à modalidade demonstrada ao longo dos anos pelo novo seleccionador, será uma mais valia para as nossas selecções, assim como para o desenvolvimento do hóquei em patins na região”.
 
O técnico Carlos Silva já está em funções, integrando também o novo Comité de Hóquei em Patins da APAA, onde consta outro estremocense, o antigo hoquista e treinador do CF Estremoz, José Lameiras. Carlos Ramos, João Catrapona, Manuel Silva e José Costa são os outros elementos que compõem o novo Comité de Hóquei em Patins da APAA.
Modificado em quinta, 15 abril 2021 09:27
O Município de Odemira recebeu, pelo 3º ano consecutivo, o galardão de “Município Amigo do Desporto”, uma distinção pública de boas práticas na intervenção dos municípios na área do desporto e actividade física.
 
A atribuição do galardão foi formalizada no dia de ontem, quinta-feira, 25 de Fevereiro, no Pavilhão Desportivo Municipal, com a entrega da bandeira e diploma ao Presidente da Câmara Municipal de Odemira, José Alberto Guerreiro, e ao vereador responsável pelo pelouro do Desporto, Pedro Ramos, pela mão do responsável pelo programa “Município Amigo do Desporto”, Pedro Mortágua Soares.
 
José Alberto Guerreiro considerou este como “um prémio de reconhecimento não só para o Município, mas também para todo o associativismo desportivo local”.
 
O prémio decorre do programa “Município Amigo do Desporto”, promovido pela plataforma Cidade Social, que se assume como uma rede de partilha que privilegia a monitorização, reconhecimento e divulgação de boas práticas no âmbito municipal do desenvolvimento desportivo em Portugal.
 
Segundo a edilidade alentejana, “este galardão vem reconhecer o trabalho desenvolvido pelo Município de Odemira na promoção e dinamização da prática desportiva no concelho, que se reflecte na diversidade e investimentos nas instalações desportivas indoor e outdoor, no apoio aos clubes locais através dos Prémios de Actividade Desportiva, nos projectos desenvolvidos ao nível da promoção do desporto na infância (Infância Activa), do Programa de Desporto Escolar e Desporto Sénior (Viver Activo), bem como nos eventos regionais e nacionais em várias modalidades organizados ou apoiados pelo Município”.
Modificado em sexta, 26 fevereiro 2021 16:10
Na tarde desta sexta-feira, dia 19 de Fevereiro, a selecção A portuguesa de futebol feminino joga na Finlândia uma cartada decisiva na caminhada para o Europeu. Em caso de vitória, as lusas voltam a fazer história, assegurando de imediato, a uma jornada do fim da fase de qualificação, um lugar na fase final do Europeu, que se disputará em Inglaterra, e que foi adiado para 2022 devido à pandemia Covid-19.
 
Nos últimos dias, no Canal 11, canal televisivo da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), este jogo tem tido destaque constante nos diversos programas do canal. E o destaque tem sido dado às protagonistas, às jogadoras da Selecção Nacional.
 
O programa “11 na Hora” da passada terça-feira destacou a estremocense Carolina Mendes.
 
Uma peça com cerca de cinco minutos onde o passado desportivo da jogadora do Sporting CP foi passado em revista, desde o hóquei em patins no clube estremocense CDA Externato de São Filipe, passando pelo início da prática do futebol, com 16 anos, no Eléctrico da Ponte de Sôr, pelo golo histórico marcado diante da Escócia, no Europeu de 2017, que se disputou na Holanda, e que coloca a filha do Professor João Mendes e da D. Teresa Mendes, na história do futebol português, até à actualidade, e ao objectivo máximo de uma avançada: marcar golos.
 
Ardina do Alentejo apresenta-lhe de seguida a reportagem assinada por Margarida Neves de Sousa e com imagem de Lourenço Graça.
 

Modificado em sexta, 19 fevereiro 2021 16:05