quinta, 28 janeiro 2021
quinta, 12 novembro 2020 20:23

A lista de concelhos com risco elevado de transmissão da Covid-19 foi actualizada com 15 concelhos alentejanos

Escrito por
A actualização da lista retira sete municípios em que estas medidas de restrição deixam de estar em vigor A actualização da lista retira sete municípios em que estas medidas de restrição deixam de estar em vigor DR
Reavaliada a cada 15 dias pelo Governo, a lista de concelhos com risco elevado de transmissão da Covid-19 é definida de acordo com o critério geral do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) de "mais de 240 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias", e considerando a proximidade com um outro concelho nessa situação e a excepção para surtos localizados em municípios de baixa densidade.
 
No final do Conselho de Ministros que teve lugar no dia de hoje, quinta-feira, 12 de Novembro, o Primeiro-Ministro António Costa referiu que a lista de concelhos com risco elevado de transmissão da Covid-19, sujeitos a medidas mais restritivas como o recolher obrigatório, vai aumentar para 191.
 
A actualização da lista, até então com 121 concelhos, retira sete municípios em que estas medidas de restrição deixam de estar em vigor, a partir das 00 horas de sexta-feira: Batalha, Mesão Frio, Moimenta da Beira, Pinhel, São João da Pesqueira, Tabuaço e Tondela.
 
Passando agora para 191 municípios, a lista inclui 15 novos concelhos alentejanos: Aljustrel, Arronches, Campo Maior, Crato, Cuba, Elvas, Évora, Ferreira do Alentejo, Grândola, Monforte, Mora, Ponte de Sor, Portalegre, Reguengos de Monsaraz e Sousel.
 
Para além dos concelhos alentejanos, há ainda 62 novos concelhos nacionais na lista de concelhos com risco elevado de transmissão da Covid-19 e sujeitos a medidas mais restritivas a partir das 00 horas de segunda-feira: Abrantes, Águeda, Albergaria-a-Velha, Albufeira, Alcanena, Almeida, Almeirim, Alvaiázere, Anadia, Ansião, Arcos de Valdevez, Arganil, Boticas, Cantanhede, Carrazeda de Ansiães, Castro Daire, Celorico da Beira, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Coruche, Estarreja, Faro, Figueira de Castelo Rodrigo, Freixo de Espada à Cinta, Ílhavo, Lagos, Lamego, Mangualde, Manteigas, Mealhada, Mêda, Mira, Miranda do Corvo, Miranda do Douro, Mirandela, Montalegre, Montemor-o-Velho, Murtosa, Nelas, Oliveira do Bairro, Ourém, Pampilhosa da Serra, Penalva do Castelo, Penamacor, Penela, Portimão, Proença-a-Nova, Resende, Salvaterra de Magos, São Pedro do Sul, Sátão, Seia, Tábua, Tavira, Torre de Moncorvo, Vagos, Vieira do Minho, Vila do Bispo, Vila Nova de Foz Côa, Vila Nova de Paiva, Vila Real de Santo António e Viseu.
 
António Costa lembrou ainda que alguns concelhos se mantêm na lista por estarem perto de concelhos de maior risco - e não por atingirem números elevados de casos de Covid-19.
 
"Não devemos transformar a excepção na regra e a adesão voluntária é que deve assegurar o cumprimento destas medidas", acentuou, referindo que é normal a fadiga face às medidas e relembrando o cansaço dos profissionais de saúde na linha da frente.
 
"O mínimo que devemos aos profissionais de saúde é fazermos um esforço adicional. A regra é simples: temos de ficar em casa, as excepções que existem são excepções, não podem ser regra", disse.
 
Relativamente às medidas aplicadas aos concelhos identificados com risco elevado, António Costa defendeu a diferenciação das medidas, através do "escalonamento" destes territórios.
 
Essa diferenciação, acrescentou, vai ser proposta pela Ministra da Saúde, de forma a que as medidas específicas de cada ‘escalão’ entrem em vigor em 24 de Novembro.
 
c/ SAPO 24
Modificado em segunda, 04 janeiro 2021 22:59

Deixe um comentário