quinta, 02 julho 2020
quarta, 13 maio 2020 17:53

Progenitor da pequena Valentina poderá cumprir prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Évora

Escrito por
Tanto Sandro Bernardo, como a madrasta da criança, estiveram desde domingo nas celas da Polícia Judiciária (PJ) de Leiria Tanto Sandro Bernardo, como a madrasta da criança, estiveram desde domingo nas celas da Polícia Judiciária (PJ) de Leiria DR
Sandro Bernardo, o progenitor da pequena Valentina, a menina de nove anos que foi assassinada em Atouguia da Baleia, no concelho de Peniche, poderá cumprir a medida de coação de prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Évora.
 
A informação está a ser avançada pela TVI24.
 
Tanto Sandro Bernardo, como a madrasta da criança, estiveram desde domingo nas celas da Polícia Judiciária (PJ) de Leiria.
 
Márcia Bernardo, de 38 anos, já foi colocada no estabelecimento prisional feminino de Tires, mas no caso do progenitor da menor, a situação está mais complicada devido ao facto de terem sido feitas várias ameaças ao principal suspeito do homicídio de Valentina, por parte de vários reclusos.
 
Na sequência desse risco, Sandro Bernardo, de 32 anos, será levado para uma prisão de alta segurança, pelo que deverá cumprir o período de prisão preventiva no estabelecimento prisional eborense ou nos calabouços da PJ, em Lisboa, onde está, por exemplo, o hacker Rui Pinto.
 
Inicialmente estava previsto que o progenitor da pequena Valentina fosse colocado a cumprir a medida de coação no Estabelecimento Prisional de Lisboa (EPL).
 
A decisão será conhecida nas próximas horas.
 
Sandro Bernardo está indiciado do crime de autoria de homicídio qualificado, de co-autoria de profanação de cadáver e ainda de violência doméstica sobre Valentina, que na altura da morte vivia com ele e com a madrasta. Já Márcia Bernardo está indiciada da autoria do crime de homicídio qualificado por omissão e dolo eventual, bem como da co-autoria de profanação de cadáver.
Modificado em quarta, 13 maio 2020 18:37

Deixe um comentário