segunda, 01 junho 2020
quarta, 08 abril 2020 02:46

Bombeiros do distrito de Beja deixam de transportar doentes Covid-19

Escrito por
O aviso de que estas medidas podiam vir a ser tomadas já tinha sido feito pelo Presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Beja O aviso de que estas medidas podiam vir a ser tomadas já tinha sido feito pelo Presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Beja DR
Após reunião realizada na noite de ontem, terça-feira, 7 de Abril, os Comandantes das 15 associações de Bombeiros do Baixo Alentejo decidiram deixar de transportar utentes ou doentes relacionados com a infecção Covid-19.
 
Os Comandantes das corporações do distrito de Beja decidiram ainda garantir apenas o socorro pré-hospitalar nas condições protocoladas com o INEM, declinar a mobilização de meios através da Linha Saúde 24, pelo facto de não reconhecerem qualquer autoridade a esta entidade, exigir apoio à aquisição e/ou fornecimento de EPI em quantidades suficientes ao cumprimento da missão, exigir respeito e consideração pelos bombeiros às várias entidades, exigir o cumprimento das orientações da DGS, de submeter os bombeiros a testes de despistagem e solicitar às diversas entidades toda a informação relativa às listagens locais das moradas dos casos positivos e em isolamento.
 
O aviso de que estas medidas podiam vir a ser tomadas já tinha sido feito pelo Presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Beja. Após a reunião da última noite, o aviso passou a decisão.
 
A TDSRádio e Televisão do Sul teve acesso a um documento saído desta reunião, que a seguir publicamos com a devida vénia, onde são emanados pelos bombeiros do distrito bejense, os seis pontos de que não abdicam para voltem ao funcionamento normal. 
 
1 – Por uma questão de racionalização dos Equipamentos de Protecção Individual (EPI) à sua disposição, garantir apenas o socorro pré-hospitalar nas condições protocoladas com o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), recusando todo e qualquer outro transporte de utentes/doentes relacionados com a infeção Covid-19;
 
2 – Declinamos a mobilização de meios dos Corpos de Bombeiros pela Saúde 24, pelo facto de não reconhecermos qualquer autoridade desta entidade para o efeito, até porque tal procedimento contraria o protocolado no Sistema Integrado de Emergência Médica;
 
3 – Exigir às entidades competentes, nomeadamente o INEM, Administração Regional de Saúde (ARS), Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC) e Câmaras Municipais, o apoio à aquisição e/ou fornecimento de EPI em quantidades suficientes ao cumprimento da nossa missão;
 
4 – Exigir a todas as entidades o respeito e a consideração pelos bombeiros, enquanto parceiro decisivo nesta crise, não bloqueando o fluxo de informação relacionada com potenciais contágios;
 
5 – Exigir o cumprimento das orientações da Direcção Geral da Saúde (DGS), de submeter periódica e prioritariamente os bombeiros a testes de despistagem, enquanto entidade com missão na chamada linha de frente;
 
6 – Solicitar aos presidentes das Câmaras Municipais, ao Comando Distrital e Comando Nacional da ANEPC, que dirigem as Comissões de Protecção Civil ao nível respectivo, que exijam das autoridades de saúde, toda a informação pertinente ao nosso serviço, no que se refere às listagens locais das moradas dos casos positivos e em isolamento.
 
c/ TDS – Rádio e Televisão do Sul
Modificado em quarta, 08 abril 2020 12:58

Deixe um comentário