sábado, 14 dezembro 2019
quarta, 22 maio 2019 00:54

Ambulância da CVP de Safara e Sobral da Adiça não estava certificada

Escrito por
Na ambulância, que se deslocava para um serviço de urgência, seguiam três socorristas, dois dos quais acabariam por falecer Na ambulância, que se deslocava para um serviço de urgência, seguiam três socorristas, dois dos quais acabariam por falecer DR
A ambulância da Delegação da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) de Safara e Sobral da Adiça, envolvida no passado dia 7 de Maio, pelas 22 horas, num acidente grave na Estrada Nacional 258 (EN258), entre Safara e Santo Aleixo da Restauração, não estava certificada pelo Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e foi usada em substituição de uma outra viatura certificada que se encontrava em reparação.
 
Na ambulância, que se deslocava para um serviço de urgência, seguiam três socorristas, dois dos quais acabariam por falecer, o condutor, de 52 anos, e um ocupante, com 49 anos. O terceiro tripulante da ambulância, um homem de 42 anos, ficou ferido com gravidade, estando ainda internado no Hospital de Beja.
 
O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) refere que “não existe registo da certificação” da ambulância para poder fazer o serviço de emergência pré-hospitalar accionado pelo organismo e durante o qual ocorreu o acidente.
 
A CVP informou que a sua Delegação de Safara e Sobral da Adiça, no dia do acidente, tinha uma ambulância de socorro Tipo B e quatro ambulâncias para transporte de doentes não urgentes certificadas pelo INEM e uma outra ambulância de socorro Tipo B, a que sofreu o acidente, que estava “em procedimento de pedido de inspecção ao INEM”. 
 
A Delegação da CVP de Safara e Sobral da Adiça, “sem nunca colocar em causa a assistência médica às vítimas”, optou “pela priorização do socorro, utilizando uma ambulância” – não certificada – “adequada para o efeito, com condições técnicas e equipamento necessário” em “substituição” da ambulância de socorro certificada pelo INEM.
Modificado em quarta, 22 maio 2019 01:07

Deixe um comentário