domingo, 26 maio 2019
terça, 12 março 2019 15:39

Bactéria multirresistente encerra cuidados intensivos do Hospital de Évora

Escrito por
A meio da tarde desta quarta-feira, a UCI ainda estava a funcionar A meio da tarde desta quarta-feira, a UCI ainda estava a funcionar DR
Segundo foi revelado hoje, terça-feira, 12 de Março, por várias fontes hospitalares, foi detectada na Unidade de Cuidados Intensivos (UCI) do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE), uma bactéria multirresistente que obrigou ao encerramento temporário da unidade.
 
O secretário regional do Alentejo do Sindicato Independente dos Médicos (SIM), Armindo Ribeiro, adiantou à LUSA tratar-se de “uma bactéria transmissível" e, por esse motivo, será necessário encerrar a UCI de Évora "para limpeza e desinfecção". 
 
Fonte do Conselho de Administração do HESE confirmou a existência da bactéria na UCI, adiantando que a unidade vai ser encerrada durante 24 horas, para ser feita "a esterilização, de acordo com os protocolos".
 
A mesma fonte da administração hospitalar referiu que a meio da tarde desta terça-feira, a UCI ainda estava a funcionar, por ser necessário esperar pela alta de todos os doentes internados nesta unidade.
 
É uma situação de rotina e não põe em causa os  utentes, nem os profissionais", notou a fonte, assinalando que o Hospital de Évora tem "protocolos de segurança que permitem evitar o risco e controlar estas situações".
 
Nas declarações à Lusa, o secretário regional do Alentejo do SIM considerou que "a grande falta de profissionais" nos hospitais faz com que "a prestação de cuidados de saúde tenha vindo a degradar-se e que os controlos microbiológicos dos doentes sejam cada vez mais difíceis".
 
A diminuição do rácio médico/doente e enfermeiro/doente faz com que haja uma dificuldade acrescida para a prestação de cuidados de saúde, motivo pelo qual poderão aparecer, não só nesta unidade, como em outras, este tipo de situações", acrescentou.
 
c/ LUSA
Modificado em quarta, 13 março 2019 14:21

Deixe um comentário