terça, 21 novembro 2017

Esquerda chumba projecto do PSD que pedia paragem de comboio de mercadorias na Zona dos Mármores

Escrito por  Publicado em Região segunda, 26 junho 2017 03:31
O projecto de resolução deu entrada há quase um ano na Assembleia da República O projecto de resolução deu entrada há quase um ano na Assembleia da República DR
O Parlamento chumbou na passada sexta-feira, dia 23 de Junho, o projecto de resolução do Partido Social Democrata (PSD) que recomendava ao Governo que fossem adoptadas medidas que assegurassem a paragem de comboios de mercadorias no Alentejo, nomeadamente em Évora, Vendas Novas e na Zona dos Mármores (Estremoz, Borba e Vila Viçosa).
 
O projecto de resolução, que deu entrada há quase um ano na Assembleia da República, foi apresentado por 15 deputados sociais-democratas, entre os quais o eleito pelo círculo eleitoral de Évora, António Costa da Silva, foi chumbado com os votos contra do PS, PCP, BE e PEV. A proposta acolheu os votos favoráveis de PSD, CDS-PP e PAN.
 
Neste projeto de resolução, o PSD assegurava que a adopção das medidas que contemplassem a paragem de comboios de mercadorias no Alentejo, garantia “a todos os potenciais beneficiários, sobretudo às empresas, o uso pleno desta importante infraestrutura”.
 
O deputado do PSD, António Costa da Silva, um dos autores do projecto, defendeu como “fundamental para que o território ganhe competitividade internacional, a paragem dos comboios de mercadorias na região do Alentejo, em especial na zona dos mármores (Borba/Vila Viçosa/Estremoz)”.
 
O líder parlamentar do PCP, João Oliveira, eleito pelo círculo eleitoral de Évora, afirmou “que o desprezo com que o anterior Governo PSD/CDS-PP tratou o Alentejo se traduzia agora na forma pouco cuidada como estas propostas apareciam”. Salientou ainda que “servia de pouco que os comboios de mercadorias parassem nas estações se estas não tiverem capacidade para assegurar esse transporte”, tendo lembrado que “em Estremoz, Borba e Vila Viçosa não há estações de comboio há mais de 20 anos”.
 
O deputado do PS, Luís Moreira Testa, eleito pelo círculo eleitoral de Portalegre, afirmou que “quem não conhecia o território tinha facilidade em apoiar este projeto de resolução”, recordando que houve “um abandono sistemático da ferrovia durante décadas, no Alentejo” e que a actual realidade é “incompatível com este projecto de resolução”. Salientou ainda que “se se fizessem as paragens propostas, a poupança de tempo no trajecto Sines-Caia ficaria completamente aniquilada”.
 
Para encerrar o debate, António Costa Silva, lembrou que “o projecto de resolução foi apresentado há cerca de um ano e entretanto nenhum partido apresentou outras propostas”. Afirmou ainda que “ou se dava esta oportunidade à região do Alentejo ou a oportunidade perdia-se”. Concluiu referindo-se ao facto de se terem encerrado 800 km de ferrovia, na sequência do memorando de entendimento assinado pelo PS com a troika bem como a transformação de vários canais ferroviários em ecopistas.

Deixe um comentário

Mais Populares