terça, 11 dezembro 2018

Arronches - Atropelamento na EN246 faz um morto

Escrito por terça, 26 maio 2015 22:33
Um atropelamento ocorrido na tarde de hoje, terça-feira, 26 de Maio, na Estrada Nacional 246 (EN246), entre Arronches e Santa Eulália, provocou a morte a um homem de 34 anos.
 
O alerta para este sinistro foi dado às 14.14 horas. O acidente envolveu uma viatura microcar, veículo cujo condutor não necessita de carta de condução para o conduzir, que embateu num funcionário de uma empresa que, alegadamente, se encontrava na berma a recolher sinais de trânsito de umas obras que estavam a ser concluídas.
 
Na sequência do atropelamento a viatura acabou por se despistar, tendo o ocupante do microcar, um homem de 47 anos, ficado encarcerado.
 
No local, para prestar socorro aos sinistrados, ambos residentes no concelho de Arronches, estiveram elementos das corporações de bombeiros de Arronches e Elvas, auxiliados por vários bombeiros de Nisa e Gavião, que passavam no local, e ainda pela ambulância de Suporte Imediato de Vida (SIV) de Elvas e um veículo de desencarceramento.
 
As vítimas, consideradas feridos graves, foram ambas transportadas para o Hospital Dr. José Maria Grande, em Portalegre. Já em pleno bloco operatório, e vítima de paragem cardiorrespiratória, o homem atropelado acabou por falecer.
Na sequência de uma colisão frontal entre as viaturas que conduziam, ocorrida no concelho de Odemira, uma mulher com 55 anos e um homem de 32, morreram este Domingo, dia 24 de Maio, disse à Lusa fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR).
 
Ainda segundo a mesma fonte, o acidente, cujo alerta foi dado às 19:16 horas, ocorreu na Estrada Municipal 502-2, via que liga São Teotónio à Zambujeira do Mar, no concelho de Odemira, distrito de Beja.
 
Da colisão frontal, ocorrida na freguesia de São Teotónio, resultou a morte dos condutores e únicos ocupantes de um ligeiro de passageiros, um homem de 32 anos, e de um ligeiro de mercadorias, uma mulher de 55.
 
Para as operações de socorro a este sinistro foram accionados 13 operacionais e seis viaturas dos Bombeiros Voluntários de Odemira, da GNR e do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).
 
Sara Tavares, Kumpania Algazarra, Luís Pastor, Celina da Piedade, Quadrilha, Ricardo Ribeiro e o espetáculo “Deixem o Pimba em Paz”, com Manuela Azevedo (vocalista dos Clã) e Bruno Nogueira, são os principais nomes que vão passar pelo palco principal da Feira de São João ’15, localizado no Jardim Público.
 
O popular certame decorre, como é hábito, no Rossio de São Brás, iniciando-se a 19 de Junho, sexta-feira, terminando a 29 de Junho, dia de São Pedro e feriado municipal.
 
As comemorações dos 500 anos do Palácio D. Manuel são o tema de fundo deste ano, marcando transversalmente o programa de iniciativas agendadas, com destaque para a inauguração de uma grande exposição sobre o Palácio, a qual se irá prolongar até final do ano na sala do rés-do-chão daquele edifício histórico. 
 
A Feira de S. João é uma mostra secular das mais importantes realizadas a sul do Tejo, integrando exposições e vendas de produtos de todos os setores de atividade económica. As áreas de divertimento, lazer e animação estarão também presentes, não esquecendo os espaços infanto-juvenil (jardim), da juventude, do desporto, da intervenção social, das associações e das indispensáveis tasquinhas.
 
Feira de S. João acolhe Feira do Livro no Jardim Público
A exemplo do ano anterior, a Feira do Livro de Évora volta a realizar-se em simultâneo com a Feira de São João, no espaço do Jardim Público junto ao coreto. Recorde-se que esta foi uma decisão tomada o ano passado, em sintonia com os livreiros da cidade, que viram com bons olhos a possibilidade de marcar presença no maior certame popular da região, visitado por milhares de pessoas, principalmente no dia 24 (S. João) e dia 29, Dia de S. Pedro, feriado municipal.
 
Tendo como objectivo homenagear o trabalho desenvolvido pelo principal representante do mundo católico, o Santo Padre, a artesã Hortense, proprietária da Fábrica Tapetes Hortense, confecionou um Tapete de Arraiolos, ao qual atribuiu o nome de “Papa Francisco”.
 
A obra, que se encontra em exposição no espaço da Fábrica em Arraiolos, é uma réplica de um desenho persa dos finais do século XVIII confeccionada, maioritariamente, em tons azul celeste e pérola, simbolizando a elegância, o céu e a simplicidade de espírito, atos e pensamentos.
 
O tapete, que tem 4,20 metros de comprimento e 1,20 metros de largura, e segundo a artesã, demorou cerca de quatro meses a confeccionar e apresenta-se fiel ao desenho original persa, a cultura que inspirou a criação dos Tapetes de Arraiolos, um dos bens identitário do concelho e da região Alentejo.
 
O Tapete “Papa Francisco” vai ser entregue pela artesã Hortense ao Santo Padre, na Audiência-Geral de amanhã, quarta-feira, 20 de Maio, a realizar-se na Praça de São Pedro, no Vaticano.
 

Um ferido ligeiro foi o resultado de um aparatoso acidente ocorrido ontem, domingo, 17 de Maio, na Estrada Nacional 4 (EN4), ao quilómetro 155, junto ao cruzamento para a 
Nora.
 
Segundo fonte do CDOS de Évora, o alerta foi dado às 20.13 horas. Ainda segundo a mesma fonte, este acidente resultou da colisão entre um veículo ligeiro e um pesado de mercadorias.
 
Estiveram no local a prestar assistência ao sinistro, elementos dos Bombeiros Voluntários de Borba e da Guarda Nacional Republicana (GNR), para além da SIV de Estremoz, num total de 17 homens e 7 veículos.
 
O brutal despiste de um Opel Corsa, ao final da noite do passado sábado, 16 de Maio, ao quilómetro 160 da Estrada Nacional 4 (EN4), junto ao Cevalor, em Borba, tirou a vida a um jovem de 15 anos, e provocou ferimentos nos outros quatro ocupantes da viatura, todos com idades compreendidas entre os 15 e os 19 anos.
 
A vítima mortal do despiste, Nelson Barros, era guarda-redes do Sport Clube Borbense e tinha-se sagrado recentemente Campeão Distrital de Iniciados.
 
Em homenagem ao jovem falecido, foi respeitado em todos os jogos de ontem da Associação de Futebol de Évora um minuto de silêncio. 
 
Dos quatro feridos deste acidente, um deles ainda inspira cuidados e permanece internado. Os outros três foram considerados feridos ligeiros. 
 
No socorro a este sinistro, cujo alerta foi dado às 23.08 horas, para além de elementos da Guarda Nacional Republicana (GNR), estiveram 20 operacionais dos Bombeiros Voluntários de Borba, auxiliados por 10 viaturas, e pela Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) e a SIV de Estremoz do INEM.
 
As causas deste acidente estão a ser investigadas pelo Núcleo de Investigação de Acidentes de Viação (NIAV) da GNR. 
 
Segundo informou o Sport Clube Borbense, o corpo de Nelson Barros chegará à cidade de Borba, pelas 16 horas, onde será velado na Igreja Matriz. As cerimónias fúnebres decorrerão às 18 horas, sendo o corpo transportado para o Cemitério de Borba.
 
c/ Pedro Galego (CM)
Na sequência de uma colisão de três veículos ligeiros, ocorrida na tarde deste Domingo, 3 de Maio, no Itinerário Principal 2 (IP2), perto de Portalegre, uma mulher morreu e outras seis pessoas ficaram feridas.
 
O acidente ocorreu pelas 15.32 horas, no IP2, na saída de Portalegre no sentido da localidade de Fortios, na zona da Penha. Um dos cinco feridos ligeiros era uma criança.
 
No local do sinistro estiveram os Bombeiros Voluntários de Portalegre, uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) e militares da Guarda Nacional Republicana (GNR), num total de nove viaturas e 21 elementos.
 
Uma ambulância dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Sor foi um dos veículos envolvidos no acidente.
 
Todas as vítimas foram levadas para o Hospital Dr. José Maria Grande, em Portalegre.
 
O trânsito esteve cortado durante quase três horas, tendo apenas sido reposta a circulação cerca das 18.30 horas.
Numa cerimónia que contou com a presença de António Ceia da Silva, Presidente da Turismo do Alentejo e Ribatejo, ERT, a Câmara Municipal de Borba inaugurou, no passado Sábado, dia 25 de Abril, o Posto de Turismo de Borba e Lagar Museu.
 
O Posto de Turismo fornecerá aos visitantes todo o tipo de informação do concelho, desde alojamento, gastronomia, património natural e histórico a visitar, actividades de lazer, com mostra de produtos regionais e artesanato do concelho. O Lagar Museu integra um conjunto de maquinaria que outrora serviu para a produção de azeite, conjugadas com fotografias de uma actividade com grande tradição no concelho e na região.
 
No dia 26 de Abril, foi também inaugurado o Parque Infantil de Barro Branco, localizado no Loteamento de Nossa Senhora da Vitória, um novo espaço de lazer e diversão para os mais novos moradores da aldeia.
 
A abertura dos dois espaços integrou as comemorações dos 41 anos do 25 de Abril no concelho borbense.
Resulta de um investimento de 15 milhões de euros e situa-se às portas da cidade muralhada, a escassos dois minutos do centro que é Património Mundial da Humanidade. Inaugurado no Sábado, dia 25 de Abril, o Vila Galé Évora, é o 26º hotel do grupo e o segundo que abre portas no Alentejo. A inauguração contou com a presença de Adolfo Mesquita Nunes, Secretário de Estado do Turismo, António Ceia da Silva, Presidente da ERT Alentejo e Ribatejo, e Carlos Pinto de Sá, Presidente da autarquia eborense.
 
O Vila Galé Évora vem reforçar a presença do grupo no Alentejo, onde já detém uma unidade em Beja, o Vila Galé Clube de Campo. Esta foi uma obra que foi concluída no tempo “recorde” de um ano, como sublinhou, na inauguração, o presidente do Grupo, Jorge Rebelo de Almeida, frisando que “demorou mais tempo a aprovar o projecto” do que a realizar a obra. Esta situação levou o responsável a tecer algumas críticas aos processos burocráticos que continuam a entravar novos investimentos. “Temos mais um projecto para Beja que anda enrolado”, disse.
 
Mas apesar dos problemas e das burocracias, Jorge Rebelo de Almeida mantém que “na Vila Galé temos um prazer imenso em fazer coisas” e desafia mesmo: “se as pessoas soubessem o prazer que dá fazer coisas, gerar empregos, de certeza que fariam muito mais”. Até porque “Portugal é um país maravilhoso para se investir” e “o país precisa de continuar a apostar no turismo”, como precisa também de “apostar na formação” porque “a hotelaria em Portugal evoluiu muito nos últimos anos”, estando agora “num patamar muito elevado” em termos qualitativos.

 
Paro o administrador do grupo, a abertura em Évora vem reforçar a presença do grupo no mercado nacional: “É uma das cidades alentejanas com mais procura e que regista as melhores taxas de ocupação, sendo ainda património mundial. É um produto completamente diferente daquilo que já temos no Alentejo, com o Clube de Campo, que é um hotel rural, de aposta no Turismo de Natureza e no Enoturismo. O Vila Galé Évora é um hotel para visitar a cidade, muito virado para o turismo cultural”.
 
Rebelo de Almeida revelou ainda que, neste primeiro mês de Maio em que o hotel vai trabalhar, a unidade está com 40% de ocupação, sendo que no fim-de-semana do feriado de 1 de Maio, o hotel “está cheio”.
 
Num dia em que se comemoravam 41 anos sobre a revolução de Abril, o Secretário de Estado do Turismo falou de liberdade para salientar que “liberdade é aquilo que os empresários mais precisam” para realizarem os seus investimentos e com eles corresponderem aos desejos do mercado.
 
Adolfo Mesquita Nunes deixaria um agradecimento aos empresários por, mesmo em tempos difíceis, não terem deixado de apostar no nosso país, um agradecimento “reforçado por apostarem em Portugal como um todo”. E também deixaria um pedido de desculpas pelo facto de o Governo nem sempre conseguir dar "resposta atempada ao que os empresários querem”.
 
Já o Presidente da ERT do Alentejo e Ribatejo, António Ceia da Silva, sublinhou que a chegada do grupo Vila Galé a Évora, com aquela que é a sua segunda unidade em terras alentejanas “não é uma situação de concorrência” mas sim “uma mais-valia para a região” porque cada vez que o grupo hoteleiro se promover no exterior “vai levar o Alentejo na mala”.
 
Por seu turno, o Presidente da Câmara Municipal de Évora sublinhou que o Vila Galé Évora é “um investimento que pode contribuir para o desenvolvimento da região”. Carlos Pinto de Sá acrescentou que “o Grupo Vila Galé valoriza Évora e Évora valoriza o Grupo”.
 
Com muitos aportamentos de arte equestre e cante alentejano, e tendo o cinza-prata como cor dominante, o Vila Galé Évora conta com 185 quartos, dois restaurantes, dois bares, quatro salas de eventos, piscinas (exterior e interior) ginásio e SPA.