quarta, 17 outubro 2018

'Ciência na Cidade' anima Évora

Escrito por quarta, 15 abril 2015 11:36
Através de um conjunto de actividades de cariz científico, pedagógico e de lazer, a iniciativa “Ciência na Cidade” vai animar o Centro Histórico de Évora durante todo o dia 21 de Abril. As actividades terão lugar no Colégio Luís Verney, no Jardim Público, na Praça de Giraldo, na Praça do Sertório, na Praça 1º de Maio, no Templo Romano e nos Paços do Concelho.
 
A sessão de abertura terá lugar pelas 09:30 horas, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, e contará com a presença de Ana Costa Freitas, Reitora da Universidade de Évora, de Carlos Pinto de Sá, Presidente da Câmara Municipal, e de Mourad Bellzegoud, Director da Escola de Ciências e Tecnologias. A arte do grupo “Cantares de Évora” também marcará presença nesta sessão de abertura.
 
“Ciência na Cidade” é organizado pela Escola de Ciências e Tecnologia da Universidade de Évora e pela Câmara Municipal de Évora. O seu principal objectivo é fomentar ligações entre saberes e viveres e aproximar a ciência e a tecnologia às pessoas, bem como contribuir para o desenvolvimento de Évora como uma cidade do conhecimento e do desenvolvimento sustentável para o século XXI.
 
Apresentando a ciência e as tecnologias numa linguagem facilmente apreendida pelas nossas crianças e jovens, esta é uma iniciativa com forte potencial educativo, que permite aos alunos e ao público, menos especialista, perceber os princípios científicos por detrás da tecnologia e de alguns mecanismos aparentemente simples do quotidiano.
 
Com a realização deste tipo de iniciativas, a Universidade de Évora está a abrir-se à cidade, dando a conhecer o que faz de melhor, bem como a descodificar a linguagem científica numa linguagem mais coloquial, propícia à compreensão de todos, constituindo-se, este evento, como uma oportunidade de aprendizagem informal absolutamente única.
 
Com esta iniciativa a cidade eborense está a cumprir a Carta de Princípios das Cidades Educadoras, da qual é subscritora, assumindo a as suas possibilidades educadoras e transformando o espaço público em espaço de aprendizagens.
 
Organizado pelo Município de Borba e pelo Centro de Cultura e Desporto da Freguesia da Matriz, realiza-se no próximo dia 18 de Abril, no Pavilhão de Eventos da cidade alentejana de Borba, um Encontro Ibérico de Coleccionismo.
 
O programa desta actividade será o seguinte:
09:30 horas - Recepção a todos os participantes e entidades
                       - Entrega de placas identificadoras
11:00 horas - Abertura Oficial
13:00 horas - Almoço Convívio (oferta da organização)
15:00 horas - Reabertura do Encontro
18:00 horas - Entrega de diplomas e Colecção de pacotes de açúcar
19:00 horas - Encerramento do Encontro
 
O Encontro Ibérico de Coleccionismo conta com o apoio da Junta de Freguesia de Matriz, Junta de Freguesia de Rio de Moinhos, Junta de Freguesia da Orada, Junta de Freguesia de São Bartolomeu, Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos de Borba, e Crédito Agrícola - Balcão de Borba.
18 pessoas detidas, com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos, e mais de 618 gramas de haxixe apreendido foi o resultado de uma operação de fiscalização que a Guarda Nacional Republicana (GNR) realizou no Freekuency, um festival de música trance que decorreu na paradisíaca Ribeira Grande, a caminho de Cabeço de Vide, no concelho de Fronteira, distrito de Portalegre.
 
Fonte do Comando Territorial de Portalegre da GNR indicou à LUSA que os detidos, 17 por suspeita de tráfico de droga e um por posse ilegal de arma, ficaram sujeitos a termo de identidade e residência e os processos passaram à fase de inquérito. 
 
Foram ainda aprendidas, de acordo com a mesma fonte, três armas brancas. Para além das 618,07 gramas de haxixe foram apreendidas 13,4 gramas de liamba, 0,6 gramas de cocaína, 36,2 gramas de "MDMA", 8,3 gramas de anfetaminas, quatro comprimidos "speed" e 790 micro selos de LSD.
 
A força de segurança elaborou 34 autos de ocorrência por posse e consumo de droga, 17 autos de notícia por tráfico de droga e um auto de notícia por posse ilegal de arma.
 
A fonte da GNR realçou que "o festival decorreu sem incidentes". 
 
Esta operação da GNR começou na sexta-feira, às 17 horas, e terminou no domingo, às 11 horas. 
 
A operação envolveu 113 militares da GNR, tendo sido fiscalizados 98 veículos e cerca de 320 pessoas.
Com o objectivo chamar a atenção de toda a comunidade para a importância da adopção de estilos de vida saudáveis, é já dentro de poucas horas que se inicia, em simultâneo, em Évora e Mérida (Espanha), a terceira edição do “Desafio Pela Saúde”, uma iniciativa da Câmara Municipal de Évora, em parceria com a Unidade de Cuidados na Comunidade do Centro de Saúde de Évora, a Administração Regional de Saúde do Alentejo, o Hospital do Espírito Santo de Évora, a Universidade de Évora, o Instituto Português do Desporto e Juventude, e a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares - DGESTE, integrado no âmbito do Dia Mundial da Saúde.
 
A edição deste ano, que decorrerá ao longo de 72 horas, tem início previsto para as 12 horas de hoje, sexta-feira, 10 de Abril, terminando ao meio-dia de Domingo, decorrendo em vários espaços indoor e outdoor da cidade, com especial enfoque na Praça do Giraldo, Arena d´Évora e Piscinas Municipais.
 
Uma vez mais, este evento envolve Évora e a sua congénere espanhola de Mérida, com a particularidade de proporcionar diversas actividades ao longo destes dias, constituindo também um desafio pela saúde para toda a população e instituições envolvidas. 
 
O tema desta terceira edição é a “Dieta Mediterrânica”, classificada como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), pretendendo-se informar e sensibilizar para a importância de uma alimentação equilibrada, integrada num estilo de vida saudável.
 
No ano passado, as actividades do “Desafio pela Saúde” contaram com a participação de mais de sete mil pessoas, tendo a maior adesão sido registada na prática desportiva e nas acções ligadas à saúde, como rastreios e palestras.
 
Pagamento em géneros
Do vasto programa de actividades previstas para estas 72 horas “non stop” de actividade física, destaque para o Ritmus Urban Trail (Sábado, das 11 horas às 12.30 horas), para o Challenge (conjunto de provas de Sexta a Domingo), para o Passeio BTT (Domingo, das 10 às 12 horas) e para a Caminhada (Domingo, das 10.30 horas às 12 horas). 
 
O pagamento das inscrições nestas actividades é efectuado com géneros alimentares, que irão reverter a favor de uma instituição de solidariedade social.
 
Para o efeito, todo os interessados em participar nestas quatro iniciativas do “Desafio Pela Saúde” deverão fazer a respectiva inscrição na plataforma web criada para o efeito, disponibilizada aqui. O “pagamento”, ou seja a entrega de um bem não perecível, é feito no local da partida. Durante o fim-de-semana também será possível adquirir o menu “Dieta Mediterrânica”, por apenas dois euros. Neste caso também deverá ser feita a inscrição na plataforma oficial do evento.
 
 
Paralelamente, no interior das instituições envolvidas na organização irão ser ministradas várias aulas-desafio em contexto laboral, com o intuito de corrigir posturas e outros maus-hábitos no dia-a-dia do trabalhador.
 
A vertente da saúde não poderia ser descurada, com uma especial incidência junto dos mais novos, destacando-se do vasto programa o rastreio de obesidade infantil ou o rastreio de aptidão para a prática da actividade física, na Ludoteca (Parque infantil) e na Praça de Giraldo, respectivamente.
 
Toda a programação do “Desafio Pela Saúde” poderá ser consultado aqui.
 
É já este fim-de-semana que a Praça 1º de Maio, em Évora, volta a viajar no tempo através da realização da sexta edição da Feira Medieval, uma organização da Velha Lamparina – União de Artes e Ofícios e Recriações Históricas, que conta com o apoio da Câmara Municipal eborense.
 
A exemplo do que tem acontecido em anos anteriores, a população vai poder assistir a demonstrações de falcoaria, espectáculos de música e dança alusivos à época, degustação de iguarias e espectáculos de fogo nocturno. 
 
Durante os quatro dias de feira a animação está também garantida através da actuação de malabaristas, de luta de espadas, de momentos teatrais com cobradores de impostos, escaramuças na taberna ou lutas entre soldados e ladrões.
 
A Velha Lamparina é uma instituição, sem fins lucrativos, que representa um movimento de artesãos portugueses na área do artesanato genuíno português, vocacionados para recriações históricas desde os primeiros povos da península até ao século XX.
 
"Ardina do Alentejo" apresenta-lhe, na íntegra, o programa da Feira Medieval de Évora:
 
Quinta-feira e Sexta-feira - 9 e 10 de Abril
10h00 - abertura do mercado
10h30 - cortejo – todos os animadores presentes
11h00 - peça de teatro alusivo aos 500 anos do palácio de D. Manuel
11h30 - demonstração de falcoaria
12h00 - música e danças 
12h30 - degustação de iguarias
13h30 - malabaristas 
14h00 - luta de espadas 
15h00 - demonstração de falcoaria
16h00 - teatro de rua   
17h00 - malabaristas
18h00 - música e danças
19h00 - escaramuças na taberna 
20h00 - degustação de iguarias medievais
21h00 - teatro de rua
22h00 - espetáculo com fogo
 
Sábado - 11 de Abril
10h00 - abertura do mercado
10h30 - cortejo
11h00 - peça de teatro alusivo aos 500 anos do palácio de D. Manuel
11h30 - rixas de soldados 
12h00 - música e danças
12h30 - degustação de iguarias
13h30 - malabaristas
14h00 - luta de espadas
15h00 - demonstração de falcoaria
16h00 - teatro de rua 
17h00 - malabaristas
18h00 - música e danças
19h00 - escaramuças na taberna  
20h00 - o doutor e o leproso
21h00 - pagar para bater
22h00 - espetáculo com fogo
 
Domingo - 12 de Abril
10h00 - abertura do mercado
10h30 - música e danças
11h00 - demonstração de falcoaria
12h00 - malabaristas
12h30 - degustação de iguarias
14h00 - teatro de rua
15h00 - demonstração de falcoaria
16h00 - malabaristas
17h00 - música e danças
18h00 - demonstração de armas
 

Tendo como objectivos principais a promoção da gastronomia tradicional alentejana e a dinamização da economia local, cinco restaurantes de Montemor-o-Novo vão passar a incluir nas suas ementas pratos confeccionados com alimentos produzidos no concelho.

Segundo a presidente do município, Hortênsia Menino, "o projecto pretende promover os produtos alimentares produzidos em Montemor-o-Novo", mas também "a nossa gastronomia, o concelho e a economia local”.
 
O "Menu Km0", cujo lançamento aconteceu no passado Sábado, no Mercado Municipal de Montemor-o-Novo, é promovido pelo município local, pela Rede de Cidadania, pelo Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais Mediterrânicas (ICAAM) e pelos restaurantes do concelho.
 
A iniciativa, segundo a autarca, surgiu, em 2013, no âmbito da Agenda 21 Local, tendo sido "testada" nas últimas duas edições do Festival de Sopas de Montemor-o-Novo e na cantina escolar gerida pelo município.
 
Hortênsia Menino referiu à LUSA que, numa primeira fase, o "Menu Km0" vai estar disponível, na maioria dos casos apenas aos fins-de-semana, em cinco restaurantes do concelho.
 
A adesão ao projecto implica o cumprimento de "um conjunto de regras" na escolha dos produtos para elaboração dos pratos, nomeadamente "os ingredientes principais devem ser obrigatoriamente produzidos no concelho", disse.
 
A presidente da Câmara de Montemor-o-Novo assinalou ainda que os promotores querem "alargar" o conceito de "Km0" a mais restaurantes, mas também às superfícies comerciais e às cantinas escolares do concelho.
 
"Na cantina escolar gerida pela câmara, já utilizamos só carne produzida no concelho", adiantou a autarca alentejana, explicando que "não é possível aplicar" o conceito noutros pratos servidos na cantina "por causa das quantidades necessárias".
 
Na manhã do passado Sábado, o mercado municipal recebeu o arranque oficial do projecto, tendo vários produtores do concelho marcado presença.
 
Restaurantes aderentes ao Menu Km0
Quinta da Nora - Montemor-o-Novo
Menu Km0 - Sábados
 
A Ferrenha - Santiago do Escoural
Menu Km0 - Sábados e Domingos
 
Páteo dos Petiscos - Montemor-o-Novo
Menu Km0 - Todos os dias
 
O Escondidinho - Montemor-o-Novo
Menu Km0 - Sábados
 
Europa 4 - Montemor-o-Novo
Menu Km0 - Sábados e Domingos
 
c/ LUSA
A empresa brasileira Embraer, que controla a portuguesa OGMA e que tem já duas fábricas de componentes de aviação em Évora, manifestou ao Governo português a sua vontade de reforçar o investimento em Portugal, para poder produzir em Évora os seus novos jactos E2, mas para tal pretende ver aprovada a sua candidatura aos fundos comunitários através do programa Portugal 2020.
 
O Presidente Executivo da Embraer, Frederico Fleury Curado, revelou ao Diário Económico, que "já desenvolvemos os protótipos dos novos E-Jets, a série E2, em Évora e estamos a discutir com o Governo português, no âmbito do Portugal 2020, que se faça em Évora a fabricação dos aviões".
 
O gestor da empresa brasileira nota que a obtenção de fundos comunitários para apoiar o investimento em Évora é "um dos pontos importantes para a decisão". Já na construção das suas actuais instalações na cidade alentejana, a Embraer contou com financiamento do anterior quadro de apoios da União Europeia.
 
Segundo frisou em entrevista ao "Diário Económico", Frederico Curado espera que o processo de avaliação da candidatura da Embraer seja célere. "Não podemos esperar até 2020. Nos próximos 12 meses gostaríamos de ter uma decisão, porque precisamos de definir onde vamos fixar a produção dos componentes", referiu o mesmo responsável.
 
Em Dezembro de 2014, o presidente da Embraer já tinha admitido o interesse em Portugal como base para o projecto dos jactos E2 . "Daqui a um ano vamos ter de decidir onde fabricar alguns componentes e Évora surge como uma das opções", afirmou Frederico Curado. 
 
Em Évora, onde investiu 180 milhões de euros, a Embraer já produz vários componentes do cargueiro militar KC390. Parte deste avião é também fabricada nas instalações de Alverca da OGMA, que a Embraer controla a 75%.
 
O presidente da empresa brasileira assegura que o compromisso da Embraer com Portugal é de "longo prazo". "Achamos que as fábricas de Évora e a OGMA são um ponto impotante do nosso tecido industrial. A nossa presença em Portugal é de longo prazo, não foi apenas uma questão de oportunidade", realçou Frederico Curado.
 
c/ Expresso
 
O despiste de um veículo ligeiro, ocorrido no concelho de Marvão, provocou esta segunda-feira, a morte a uma mulher com 70 anos. O sinistro provocou ainda ferimentos ligeiros na neta da vítima mortal, com 10 anos, e no marido da idosa, também com cerca de 70 anos, disse à agência LUSA fonte dos bombeiros.
 
O acidente ocorreu às 14:44 horas, na Estrada Nacional (EN) 246-1, junto à Portagem, na fronteira entre o concelho de Marvão, no Alto Alentejo, e Espanha, precisou a fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Portalegre
 
O corpo da mulher, com cerca de 70 anos, e residente em Santo António das Areias, foi transportado para o Hospital Dr. José Maria Grande, em Portalegre. Os dois feridos sem gravidade, uma criança de 10 anos e um homem também com cerca de 70 anos, depois de assistidos no local pelos bombeiros, seguiram para a mesma unidade de saúde. 
 
As operações de socorro envolveram seis veículos e 15 operacionais dos bombeiros voluntários de Marvão, Castelo de Vide e Portalegre.
 
c/ TVI e LUSA
 
Num investimento que vai rondar os 1,2 milhões de euros, a Câmara Municipal de Monforte, vai avançar com a construção de um novo lar de idosos, disse à agência Lusa o presidente do município alentejano.
 
Gonçalo Lagem referiu que o novo equipamento social vai ser construído na freguesia de Santo Aleixo e permitir a criação de 20 postos de trabalho directos.
 
O autarca, eleito nas listas da CDU, explicou que "o financiamento e a execução da obra são da câmara e quando abrir portas vai ser celebrado um protocolo de cedência para que a gestão seja feita pela paróquia".
 
O lar de idosos vai ter capacidade para 35 camas e, segundo o presidente da câmara municipal, é "há muito esperado" pela população da vila de Santo Aleixo.
 
Sublinhou que "esta é uma das obras mais ambicionadas pela população. É uma obra sonhada há mais de 20 anos".
 
Uma vez que se trata de um projecto financiado pelo programa comunitário "Portugal 2020" e integrado no plano de desenvolvimento da Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo (CIMAA), o município, segundo Gonçalo Lagem, "está à espera" de arrancar com as obras.
 
"Estamos à espera da operacionalidade do ´Portugal 2020`", disse.
 
Uma vez que há "vários idosos" da vila institucionalizados em lares situados noutras localidades próximas de Santo Aleixo, Gonçalo Lagem adiantou que quer avançar "o quanto antes" com o projecto.
 
"A ideia é trazer esses idosos para a sua terra natal, que é isso que eles mais anseiam", disse.
 
A construção do lar constitui, por isso, uma "prioridade" para o município, referiu o autarca, indicando que a freguesia de Santo Aleixo é a que tem apresentado nas últimas décadas "sinais de maior envelhecimento".
 
c/ LUSA