sábado, 16 fevereiro 2019
Um acidente ocorrido na tarde de ontem, quinta-feira, 21 de Janeiro, numa pedreira de mármore, em Borba, provocou um ferido grave.
 
A vítima é um individuo do sexo masculino, de 47 anos, residente no concelho de Borba, e que sofreu, segundo o Comandante dos Bombeiros Voluntários de Borba, Joaquim Branco, em declarações à Rádio Borba, “queimaduras de 1º e 2º grau, no lado esquerdo face e no pescoço".
 
Ainda de acordo com a mesma fonte, o acidente foi consequência de uma "explosão com pólvora". 
 
A vítima foi transportada para o Hospital do Espírito Santo de Évora.

108 novos médicos realizam internato no Alentejo

Escrito por segunda, 18 janeiro 2016 16:28
A Administração Regional de Saúde do Alentejo (ARS Alentejo) revelou, durante a cerimónia oficial de boas-vindas, que decorreu no Hospital do Espírito Santo (HESE), em Évora, que serão 108 os novos médicos internos que vão realizar o seu internato numa das unidades de saúde do Alentejo.
 
Os novos médicos estão divididos em duas tipologias de internato diferentes: 57 vão iniciar o ano comum (primeiro ano) e 51 vão iniciar o internato em especialidades hospitalares de cuidados de saúde primários e de saúde pública.
 
A sessão oficial de boas-vindas destes novos médicos foi transmitida, por videoconferência, para as três Unidades Locais de Saúde da região: Baixo Alentejo, Litoral Alentejano e Norte Alentejano.
 

Sousel - 18 detidos por furto de azeitona

Escrito por segunda, 18 janeiro 2016 11:58
Foram detidas no passado Sábado, 16 de Janeiro, no concelho de Sousel, dezoito pessoas, 12 homens e seis mulheres, com idades compreendidas entre os 16 e os 46 anos, por furto de azeitona. Segundo fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR), foram ainda apreendidos cerca de 800 quilos do fruto.
 
Depois de presentes a Tribunal, os suspeitos do furto foram restituídos à liberdade, ficando sujeitos a Termo de Identidade e Residência, como medida de coacção.
 
No mesmo dia, a GNR deteve três homens, com idades compreendidas entre os 23 e os 27 anos, na zona de Benávila, no concelho de Avis, por resistência e coacção a militares da GNR, sendo que um deles conduzia um veículo sem habilitação legal.
 

Beja - Acidente faz um morto na Estrada Nacional 260

Escrito por segunda, 18 janeiro 2016 11:33
Na sequência de um acidente ocorrido ao quilómetro 16 da Estrada Nacional 260, estrada que liga Beja a Serpa, um jovem com 22 anos perdeu a vida na manhã desta segunda-feira, dia 18 de Janeiro de 2016.

 
O sinistro ocorreu na sequência de uma ultrapassagem, numa zona de recta, a três quilómetros da localidade de Baleizão.
 
Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro de Beja, o alerta do acidente foi dado Às 09.39 horas.
 
Segundo informações recolhidas no local, a viatura que fazia a manobra de ultrapassagem sofreu um toque, tendo o carro se despistado contra um cedro. O óbito do jovem foi declarado no local.
 
A vítima mortal deste acidente é filho de um militar da Guarda Nacional Republicana (GNR) que foi assassinado na localidade de Serpa, no Natal de 2013.
 
Estiveram presentes nas operações de socorro, vários elementos dos Bombeiros Voluntários de Beja.
 
c/ JN
Em 25 de Dezembro de 2013, um cavalo provoca um acidente que mata 4 pessoas. A VMER - Viatura Médica de Emergência e Reanimação de Évora, que foi chamada ao local, estava indisponível por falta de médicos.
 
A situação repete-se em Abril. Dois homens acabam por morrer.
 
Em Setembro de 2014, a VMER volta a estar inoperacional para uma situação de emergência em que há vítimas mortais.
 
Estes casos ganham maior gravidade quando se descobre que perante a falta de recursos humanos há um médico da VMER afastado do serviço desde 2012, e por tempo indeterminado.
 
À equipa de reportagem da RTP, António Peças assegura que “o então Coordenador da VMER, por e-mail, decidiu suspender-me, por entender que, num e-mail anterior que lhe enviei, eu teria sido ofensivo e calunioso devido ao facto de me debruçar sobre a forma como a escala da VMER do Hospital de Évora era elaborada”.
 
António Peças está há quatro anos fora das escalas da única Viatura Médica de Emergência e Reanimação do Hospital do Espirito Santo, onde também trabalha como médico-cirurgião.
 
Esta suspensão não o impede, no entanto, de estar ao serviço do helicóptero do INEM de Évora.
 
Já me aconteceu inclusivamente na VMER do helicóptero de Évora transportar doentes para o Hospital de Évora. Eu continuo a ser médico de VMER, mas não sou médico da VMER do Hospital de Évora” salientou o médico estremocense António Peças.
 
Depois de e-mails e cartas sem respostas, a situação foi levada para o Tribunal da Comarca de Évora, que condenou o Hospital do Espirito Santo a reintegrar o médico nas escalas do serviço, e a pagar uma indemnização superior 44 mil euros.
 
António Peças salienta que “logicamente seria completamente impossível eu conseguir cobrir todas essas horas de inoperacionalidade, mas garantidamente ter-me-ia sido possível cobrir algumas delas”.
 
O hospital já fez saber à RTP que vai cumprir a sentença, mas irá também recorrer da decisão do tribunal.
 
c/ Patrícia Cadete (RTP) 
Vítima de um acidente de trabalho ocorrido nas obras de requalificação do IP2, no concelho de Beja, um homem, de 61 anos, natural do distrito do Porto, morreu, hoje, quinta-feira, dia 7 de Janeiro de 2016.
 
Depois de socorrido no local, o trabalhador ainda foi transportado para o Hospital José Joaquim Fernandes, em Beja, unidade hospitalar onde foi decretado o óbito.
 
O acidente aconteceu cerca das 13 horas, no IP2, no cruzamento do nó da freguesia de Trindade.
 
O homem, trabalhador de uma empresa de construção civil, foi atropelado por um veículo pesado, que estava a operar naquela zona.
 
Por se tratar de um acidente de trabalho, uma equipa de inspectores da ACT - Autoridade das Condições do Trabalho deslocou-se ao local para recolher elementos para desenvolver as averiguações necessárias, elaborar um inquérito e averiguar as circunstâncias do acidente.
 
Nas operações de socorro estiveram envolvidas uma ambulância e três operacionais dos bombeiros voluntários de Beja, a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) de Beja e a GNR - Guarda Nacional Republicana.
 
c/ Rádio Voz da Planície
 
A oficina de restauro da Câmara Municipal de Évora, terminou recentemente uma intervenção de conservação e restauro numa peça de cerâmica islâmica pertencente ao Museu Arqueológico Provincial de Badajoz. De seguida, procedeu-se à sua devolução e a peça encontra-se já exposta no referido museu, com indicação do restauro feito na oficina municipal de Évora.
 
A peça, uma taça de cerâmica de cor verde com decoração estampilhada, foi emprestada por aquele museu espanhol à Câmara Municipal de Évora, para a exposição “Yábura - uma cidade do Al-Andalus”, a qual esteve patente no Convento dos Remédios, entre Abril e Novembro do ano passado. E como o estado de conservação da peça requeria cuidados, ao recebê-la, a autarquia desde logo se ofereceu para proceder ao seu restauro antes de a devolver. Este compromisso, da parte da Câmara Municipal de Évora, surgiu como forma de agradecimento por toda a colaboração prestada pelo Museu Arqueológico Provincial de Badajoz que, além da peça em questão, emprestou outros itens da época islâmica à exposição “Yábura”.
 
A peça intervencionada pela oficina de restauro da Câmara Municipal de Évora, devido às muitas lacunas que tem e ao grande número de fragmentos por que é composta, apresentava uma colagem muito instável. E a intervenção técnica da oficina de restauro tornou estável a colagem da peça, assegurando a sua preservação e permitindo que fique exposta ao público.
 
A exposição da Câmara Municipal de Évora, “Yábura - uma cidade do Al-Andalus”, contou ainda com a cedência de peças do Campo Arqueológico de Mértola e foi apoiada pelo CIDEHEUS, pelo Laboratório Hércules da Universidade de Évora, pela Secretaria de Estado da Cultura / Direcção Regional de Cultura do Alentejo; pelo Museu de Évora e pela Câmara Municipal de Montemor-o-Novo e patrocinada pelo Turismo do Alentejo E.R.T.
 
Mais de três mil pessoas visitaram a exposição e apreciaram os vestígios materiais da ocupação islâmica da cidade, dos quais se destacavam artefactos únicos no país. O trabalho da autarquia de inventariação, tratamento e estudo de materiais arqueológicos provenientes de várias escavações realizadas no Centro Histórico de Évora, realizado ao longo de vários anos e em 2015 concluído esteve na origem da exposição.
 
c/ Município de Évora
 

Arronchense pesca peixe com quase dois metros

Escrito por terça, 29 dezembro 2015 16:14
O dia 26 de dezembro de 2015 ficará para sempre na memória de Paulo Arguelles. Nesse dia, o arronchense pescou na Barragem de Alcántara, em Espanha, bem no interior da Península Ibérica, um siluro com 1, 88 metros de comprimento e mais de 60 quilos.
 
O siluro, é um peixe-gato gigante que chega a atingir os três metros e a pesar mais de 100 quilos, e que está a invadir os rios portugueses, colocando em risco as espécies nativas. Segundo o especialista em peixes da Associação de Conservação da Natureza – Quercus, Paulo Lucas, “o siluro é um predador de topo, que come absolutamente tudo o que lhe aparece à frente”.
 
Segundo os especialistas, nos últimos “três, quatro anos” foram avistados siluros em pelo menos cinco rios: Tejo, Pônsul, Ocreza, Guadiana e Zêzere. Além de ameaçar a biodiversidade dos rios, o peixe-gato pode ser perigoso para os humanos. “Nas praias fluviais, os banhistas deviam ser alertados para ter especial cuidado”, avisa Paulo Lucas.
 
O siluro é originário do norte da Europa, e a forma como chegou a Portugal é ainda desconhecida, mas muitos acreditam ter sido através de transvases das barragens. 
 
Sobre este peixe há apenas uma garantia: entrou em Espanha com a ajuda de um pescador alemão.
 
c/ Arronches em Notícias e SOL