segunda, 22 outubro 2018
O motorista de uma viatura pesada de mercadorias morreu este sábado, dia 1 de Setembro, quando o veículo que conduzia se despistou na Estrada Nacional 251 (EN251), no concelho de Mora, distrito de Évora, revelaram as autoridades.
 
O Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora disse à Lusa que o acidente, cujo alerta foi dado aos bombeiros às 14:37 horas, aconteceu na estrada que liga Mora à localidade de Couço, no concelho de Coruche.
 
Fonte do Comando Territorial de Évora da Guarda Nacional Republicana (GNR) acrescentou que o despiste aconteceu "aproximadamente ao quilómetro 60" da EN251.
 
O motorista do camião, cuja idade a fonte não soube precisar, "era o único ocupante" da viatura pesada de mercadorias, que transportava tomate.
 
A circulação rodoviária no troço da EN251 onde ocorreu o acidente esteve cortada nos dois sentidos, para os trabalhos de socorro e remoção do veículo, tendo sido mobilizados para o local 30 operacionais, apoiados por nove veículos, dos Bombeiros, da GNR e do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), referiu o CDOS.
 
c/ LUSA
Maria de Fátima Dias, vereadora da oposição na Câmara Municipal de Nisa, eleita pelas listas da CDU - Coligação Democrática Unitária, queixou-se esta terça-feira de ter sido agredida pela Presidente do Município. A socialista Idalina Trindade refuta peremptóriamente a acusação.
 
Em declarações à Lusa, a vereadora da CDU referiu que "a agressão ocorreu no final de uma reunião de câmara", realizada no dia de ontem, 21 de Agosto, no auditório da Biblioteca Municipal de Nisa. A vereadora alegadamente agredida já apresentou queixa no posto de Nisa da Guarda Nacional Republicana (GNR). 
 
O oficial de relações públicas do Comando Territorial de Portalegre da GNR, Major David Pires, contactado pela Lusa, confirmou ter sido apresentada no posto de Nisa, por intermédio de Maria de Fátima Dias, uma queixa contra a Presidente da Câmara Municipal. 
 
Confrontada com a queixa, Idalina Trindade, que lidera com maioria o executivo municipal, manifestou-se "triste" com o episódio, acrescentando ter apresentado uma queixa-crime no Ministério Público (MP) contra a vereadora da CDU. 
 
Contactados os serviços do MP junto do Tribunal da Comarca de Nisa, não foi possível confirmar se efectivamente deu entrada a queixa-crime referida pela autarca. 
 
"Sim, houve um incidente inusitado. Houve uma 'inventona' fabricada por esta senhora e só pode ter um objectivo: como não conseguem atacar a obra, como não conseguem atacar o trabalho, não conseguem atacar o apoio social, não conseguem atacar os bons resultados nas contas, partiram agora para ataques de carácter à presidente da câmara", afirmou Idalina Trindade.
 
A edil socialista acusou ainda a vereadora da CDU de ter "criado um incidente falso, totalmente fabricado por si e completamente despropositado" com o objectivo de "ascender" à presidência do Município. "Houve má-fé e houve um planeamento inusitado para atacar o meu carácter", acrescentou. 
 
Escusando-se a fazer, para já, mais comentários sobre o episódio, a vereadora comunista Maria de Fátima Dias prometeu esclarecimentos para "mais tarde". 
 
Idalina Trindade está a cumprir o segundo mandato consecutivo à frente dos destinos do concelho de Nisa, eleita nas listas socialistas, sendo o executivo municipal composto por três eleitos do PS e dois da CDU.
 
c/ LUSA
Uma violenta colisão rodoviária entre dois veículos ligeiros e um motociclo, ocorrida cerca das 16 horas deste sábado, 18 de Agosto, na Estrada Nacional 251 (EN251), que liga Vimieiro a Pavia, no concelho de Mora, provocou a morte a duas pessoas e ferimentos noutras quatro, sendo que três são feridos ligeiros e um foi considerado ferido em estado grave.
 

De acordo com o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora, o ferido grave foi transportado por um meio aéreo do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) para uma unidade hospitalar em Lisboa e os três feridos ligeiros encaminhados para o Hospital do Espírito Santo, de Évora.
 
Fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR) disse por sua vez que as duas vítimas mortais são do sexo masculino, desconhecendo-se as idades, uma vez que "os corpos encontram-se carbonizados".
 
As operações de socorro deste acidente mobilizaram 39 bombeiros, auxiliados por 16 veículos, um meio aéreo do INEM e militares da GNR.
 
Tal como o Ardina do Alentejo já tinha noticiado na sua página de Facebook, desta colisão resultou um incêndio agrícola, que deflagrou numa das bermas da estrada, e que foi considerado em resolução pelas 17:45 horas, segundo a página de Internet da Autoridade Nacional de Protecção Civil. No combate às chamas estiveram presentes 57 operacionais, auxiliados por 15 viaturas e três meios aéreos.
 
No local estiveram ainda presentes o Presidente da Câmara Municipal de Mora, Luís de Matos, bem como a 2ª Comandante Operacional Distrital.
 
 
Uma colisão entre dois veículos ligeiros de passageiros, ocorrida na madrugada de hoje, dia 12 de Agosto, na Estrada Nacional 120-1, em São Torpes, no concelho de Sines, provocou um morto e cinco feridos ligeiros, informou o CDOS de Setúbal.
 
Ainda segundo a mesma fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Setúbal, o alerta para este acidente foi dado pelas 05:54, tendo o óbito sido registado no local do acidente.
 
Os feridos ligeiros foram transportados para o Hospital do Litoral Alentejano.
 
Ao que o Ardina do Alentejo conseguiu apurar, a vítima mortal deste acidente chama-se Carlos Manuel Servolo, tinha 33 anos de idade e era Bombeiro de 3ª Classe na corporação dos Bombeiros Voluntários de Barcarena, no concelho de Oeiras
 
No local do sinistro estiveram 33 operacionais, dos Bombeiros Voluntários de Sines e dos Bombeiros Voluntários de Santiago do Cacém, apoiados por 14 veículos e pela VMER do Hospital do Litoral Alentejano, para além de militares da Guarda Nacional Republicana (GNR) e elementos da Infraestruturas de Portugal.
 
c/ LUSA
Através do Núcleo de Investigação Criminal de Estremoz, o Comando Territorial de Évora da Guarda Nacional Republicana (GNR) desmantelou na passada segunda-feira, dia 8 de Agosto, uma estufa de cannabis, na localidade do Vimieiro, no concelho de Arraiolos.
 
Este desmantelamento surge no âmbito de uma investigação por tráfico de estupefacientes que decorria há cerca de um mês e meio. Os militares da GNR realizaram uma busca domiciliária, tendo identificado um homem de 23 anos, e apreendido 101 doses de cannabis e diverso material relacionado com a produção de estupefacientes, tais como sistemas de iluminação, ventilação, rega e aquecimento.
D. Francisco Senra Coelho foi nomeado Arcebispo de Évora pelo Papa Francisco, nesta terça-feira, dia 26 de Junho de 2018.
 
A entrada solene de D. Francisco Senra Coelho, de 57 anos, na Arquidiocese de Évora está agendada para o domingo, 2 de Setembro, pelas 17 horas, na Catedral de Évora. Até esse momento, D. José Alves assume funções de administrador apostólico.
 
Francisco José Villas-Boas Senra de Faria Coelho nasceu a 12 de Março de 1961, em Maputo, Moçambique, sendo os pais naturais de Adães, concelho de Barcelos, na Arquidiocese de Braga. O novo Arcebispo de Évora frequentou o Liceu Nacional de Barcelos e o Liceu Sá de Miranda, em Braga, enquanto estava já no Seminário Conciliar da cidade minhota.
 
Em 1980 ingressou no Seminário Maior de Évora, onde concluiu o curso superior de Teologia, sendo posteriormente ordenado a 29 de Junho de 1986, pelo então Arcebispo de Évora, D. Maurílio de Gouveia.
 
Quando foi nomeado Bispo Auxiliar de Braga, em Abril de 2014, Francisco José Senra Coelho era pároco de Nossa Senhora de Fátima e de São Manços, em Évora, e de Nossa Senhora da Consolação, em Arraiolos, além de ser o vigário forâneo da Vigaria de Évora e o moderador da Zona Pastoral Centro/Sul da Arquidiocese de Évora.
 
Era também, na altura, assistente religioso dos estúdios da Rádio Renascença e da Rádio Sim, em Évora, assistente diocesano do Movimento da Mensagem de Fátima, da Associação dos Missionários de Cristo Sacerdote, do Movimento dos Cursos de Cristandade e membro do Conselho Presbiteral e do Cabido da Basílica Metropolitana de Évora, na qualidade de cónego capitular, assumindo as funções de tesoureiro-mor.
 
Entre 1986 e 1988 foi vigário paroquial das paróquias de Nossa Senhora da Saúde e Nossa Senhora de Fátima, em Évora, redactor religioso e cultural da Rádio Renascença – Voz do Alentejo, e assistente diocesano das Obras Missionárias Pontifícias, além de capelão do Estabelecimento Prisional de Évora. De 1990 a 2000 Francisco José Senra Coelho foi director e editor do boletim "Igreja Eborense, Vida e Cultura da Arquidiocese de Évora".
 
A nível académico, o sacerdote que agora regressa à sua casa, no Alentejo, é doutorado em História pela Universidade Internacional de Phoenix, tendo como tema da tese a vida do Arcebispo de Évora, D. Augusto Eduardo Nunes, no contexto da Primeira República em Portugal. Actualmente lecciona a disciplina de História da Igreja no Instituto Superior de Teologia de Évora e é membro da sociedade científica da Universidade Católica Portuguesa e do Conselho Científico do Centro de Estudos de História Religiosa da mesma universidade.
 
O novo arcebispo de Évora tem como lema episcopal “Illum oportet crescere me autem minui” (Para que Ele cresça e eu diminua) (Jo 3, 30).
 
c/ Rosário Silva - RR
Teve lugar ontem, dia 25 de Junho, no Salão Nobre dos Paços do concelho de Borba, a Cerimónia de Assinatura do contrato de Adjudicação da obra de construção da nova Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Rio de Moinhos, obra que se prevê pronta daqui a dois anos.
 
Na cerimónia, que contou com a presença do Presidente do Conselho de Administração da EPAL - Águas de Portugal, José Sardinha, o Presidente da Câmara Municipal de Borba, António Anselmo referiu ser este “um dia muito importante para o concelho de Borba e para a freguesia de Rio de Moinhos”.
 

 
A ETAR de Rio de Moinhos é uma velha aspiração da freguesia e do concelho, com mais de 30 anos, e representa um investimento inicial de 1.114.368,32€. Prevista para uma população de 3.500 habitantes, esta obra vai fazer o tratamento das águas residuais provenientes de Rio de Moinhos, Barro Branco e Talisca, através de “lagunagem”, isto é, a construção de duas linhas de lagoas independentes.
 
Está também previsto um investimento de mais um milhão de euros para a construção de duas estações elevatórias e condutas entre cada sector, nomeadamente no Barro Branco no recinto da antiga ETAR de Rio de Moinhos.
 
A obra, que arranca ainda este ano, foi adjudicada ao Consórcio “Espina e Delfin”, tendo a apresentação de toda a intervenção e trabalhos a realizar a cargo do Administrador da EPAL, Barnabé Pisco, natural de São Tiago de Rio de Moinhos. 
 
 
 
 
Duas pessoas morreram e outras três ficaram feridas na sequência de uma violenta colisão entre dois automóveis ligeiros ocorrida este domingo, dia 10 de Junho, na Estrada Nacional 18, a cerca de oito quilómetros de Beja.
 
Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Beja indicou que os três feridos graves foram transportados para o Hospital José Joaquim Fernandes, em Beja. Os corpos das vítimas mortais, um homem, com idade compreendida entre os 25 e os 30 anos, e uma mulher, foram transportados para a unidade hospitalar bejense. Em ambos os casos, as vítimas seguiam no chamado lugar do "pendura". Ainda segundo a mesma fonte, o acidente, cujo alerta foi dado às 21:33 horas, ocorreu perto de Penedo Gordo, tendo a estrada que liga Beja a Aljustrel sido cortada no local, nos dois sentidos.
 
Ao que conseguimos apurar, um dos veículos terá entrado em despiste, acabando por colidir na viatura que seguia em sentido contrário. 
 
Nas operações de socorro a este sinistro estiveram os Bombeiros Voluntários de Beja e de Odemira, com quatro ambulâncias e uma viatura de desencarceramento, o INEM – Instituto Nacional de Emergência Médica, com a VMER – Viatura Médica de Emergência e Reanimação de Beja e um helicóptero, e ainda a GNRGuarda Nacional Republicana, num total de 33 elementos.
 
O Núcleo de Investigação de Acidentes de Viação da GNR vai agora procurar perceber as causas do violento acidente. 
A antiga Fortaleza de Juromenha, no concelho de Alandroal, vai ser integrada na segunda fase do programa Revive.
 
A garantia foi dada ontem, terça-feira, dia 5 de Junho, pelo Ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, no Parlamento, após uma pergunta da deputada do CDS-PP, Vânia Dias da Silva.
 
O imóvel “não só não foi incluído no programa Revive, como nada aconteceu e, agora, ruiu uma torre. O que é que vai fazer e o que é que está pensado para a Fortaleza de Juromenha”, afirmou a parlamentar centrista.
 
Na resposta, o Ministro revelou que foi realizada uma reunião sobre o tema, em Dezembro do ano passado, com a Secretária de Estado do Turismo, a Câmara Municipal de Alandroal e a CCDRA - Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo.
 
Está preparado o dossier para o conjunto ser incluído na segunda fase do programa Revive”, anunciou.
 
Para tal suceder, é necessário regularizar com a Direcção-Geral do Tesouro e Finanças a cedência à Câmara Municipal de Alandroal, actualizar o plano de salvaguarda já elaborado e fazer uma estimativa da recuperação das muralhas para se incluir na reprogramação do 2020”, acrescentou.
 
Luís Filipe Castro Mendes notou que o que ruiu recentemente “não foi bem uma torre”, mas sim “uma estrutura de contenção” da torre, que “foi feita há relativamente poucos anos”.
 
Tudo isso será atendido quando os fundos forem programados ainda neste ciclo de 2017-2020”, frisou.
 
Quem não gostou da resposta do Ministro da Cultura foi o deputado do PSD, eleito pelo círculo eleitoral de Évora, António Costa da Silva.
 
Foi chocante a forma como falou da Fortaleza de Juromenha. De facto, para um Ministro da Cultura é completamente inadmissível ou demonstra falta de conhecimento. Fiquei chocado com a forma como falou da ruína de uma das torres do castelo medieval”, disse.
 
Costa da Silva considerou que “há medidas urgentes que têm que ser tomadas” e sublinhou que o Ministro “não anunciou nenhuma”.
 
Se a solução é deixar andar, chego à conclusão que o senhor Ministro também é Centeno, porque estamos perante uma ruína de uma torre e corremos o risco daquela fortaleza ruir toda”, criticou.
 
O programa Revive permite que imóveis do Estado sejam concessionados a investidores privados.
 
c/ Diana FM