quarta, 14 novembro 2018
A campanha de responsabilidade social do Grupo Os Mosqueteiros, que detém em Portugal as insígnias Intermarché, Bricomarché e Roady, conseguiu angariar no ano de 2018, 500 equipamentos de protecção individual de combate a incêndios florestais, que estão agora a ser distribuídos a 100 corporações de bombeiros voluntários a nível nacional.
 
No passado sábado, dia 3 de Novembro, foi a vez dos Bombeiros Voluntários de Arraiolos receberem os seus cinco equipamentos, sendo cada um constituído por bota florestal, luvas, cógula, fato de proteção florestal (calças e dólman), capacete e sweatshirt. 
 
Em parceria com a Liga dos Bombeiros Portugueses, o grupo desenvolveu um livro infantil, “Pafi e o incêndio no parque de merendas”, com o objectivo de sensibilizar e envolver os mais novos para a preservação da floresta e, em simultâneo, angariar fundos para a compra de equipamentos de protecção individual de combate a incêndios florestais. Para Jaime Marta Soares, Presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, “a renovação de equipamentos é fundamental para a segurança dos nossos Bombeiros”.
 
O livro “Pafi e o incêndio no parque de merendas” esteve à venda nas 319 lojas do Grupo Os Mosqueteiros, entre 1 de Junho e 31 de Agosto. A campanha solidária contou este ano com o apoio de Isabel Silva que, enquanto embaixadora, contribuiu para a divulgação do livro.
 
Durante a entrega dos equipamentos Pedro Esperança, dono da loja de Arraiolos, fez questão de sublinhar que “esta é uma iniciativa que nos enche a todos de orgulho. O objectivo do projecto é proporcionar melhores condições de trabalho a quem nos ajuda, a quem arrisca a vida por nós, mas também queremos contribuir para uma mudança de mentalidade e atitude em relação à floresta. Acreditamos que essa mudança deve começar nas novas gerações e, assim, o livro ensina o significado dos 3 P’s: prever, prevenir e proteger e deixa uma mensagem de civismo e respeito para com a natureza que nos rodeia”.
Durante o passado fim de semana, a empresa CATET – Companhia Alentejana de Enchidos Tradicionais, localizada na Zona Industrial de Sousel, e propriedade do empresário estremocense Joaquim Arvana, recebeu a visita dos amigos do alheio.
 
O alerta para este assalto foi dado pelo próprio proprietário, durante a tarde de ontem, domingo, dia 28 de Outubro.
 
Segundo fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR), os assaltantes cortaram os fios das telecomunicações, de forma a que o alarme não fosse accionado. 
 
Depois de terem tentado efectuar um buraco na parede, buraco esse que não conseguiram abrir devido à espessura da parede, os larápios partiram um vidro e entraram nas instalações da CATET – Companhia Alentejana de Enchidos Tradicionais, de onde furtaram mais de 33 mil euros em enchidos, da marca “Montanheira”.
 
A investigação deste assalto está agora a cargo da GNR.

Cinco feridos em resultado de colisão na EN4

Escrito por quarta, 24 outubro 2018 18:54
Na tarde de hoje, quarta-feira, 24 de Outubro, na sequência de uma colisão ocorrida entre uma carrinha de transporte de passageiros e um ligeiro de passageiros, cinco pessoas ficaram feridas, tendo uma sido assistida no local. A colisão teve lugar na Estrada Nacional 4 (EN4), junto às bombas de abastecimento de combustível da localidade de Vimieiro.
 
Sem conseguir precisar a idade ou o sexo das vítimas, fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora, informou que os sinistrados foram evacuados para o Hospital do Espírito Santo, em Évora, sem inspirarem cuidados de maior.
 
A mesma fonte adiantou ainda que o alerta foi dado por volta das 14:10 horas e para o local foram mobilizados 27 operacionais (Bombeiros Voluntários de Montemor-o-Novo e de Arraiolos, INEM e GNR) auxiliados por 10 veículos e por um meio aéreo do INEM. Devido ao facto do helicóptero do INEM ter sido imobilizado em plena EN4, a via esteve cortada durante alguns momentos.
O Prémio Melhor Jovem Agricultor da Europa, entregue na manhã desta quinta-feira, 18 de Outubro, em Bruxelas, foi atribuído ao agricultor eborense Manuel Maria Costa Grave e ao seu projecto de investimento para instalação de amendoal superintensivo, localizado na zona de Portel.
 
O agricultor de Évora, sócio gerente da empresa Gravera, Lda, já tinha conquistado o Prémio Jovem Agricultor do Ano, promovido pela Confederação dos Agricultores de Portugal - CAP.
 
Com mestrado em Engenharia Agronómica, Manuel Grave, de 28 anos, tem feito o seu percurso profissional em empresas de referência ligadas à produção e apoiado a instalação de explorações de frutos secos.
 
O seu projecto envolve a instalação de um amendoal, numa exploração com cerca de 70 hectares, na zona de Portel, com uma densidade de 2.469 árvores por hectare, incluindo um sistema de rega e toda a maquinaria necessária. Serão instaladas as variedades Soleta e Lauranne, ambas com boa aceitação no mercado e ajustadas ao modelo superintensivo.

Despiste de pesado de mercadorias faz ferido grave

Escrito por quinta, 18 outubro 2018 12:22
Na sequência do despiste de um veículo pesado de mercadorias, ocorrido ao quilómetro 164 da Estrada Nacional 4 (EN4), na manhã desta quinta-feira, 18 de Outubro, entre as localidades de Borba e Terrugem, uma pessoa ficou ferida com gravidade.
 
Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora, o alerta para este sinistro foi dado por volta das 09:24 horas, tendo envolvido apenas o pesado de mercadorias, que não transportava qualquer carga no seu interior. 
 
Ainda segundo a mesma fonte do CDOS, o único ocupante do veículo acidentado, um homem com cerca de 30 anos, foi transportado para o Hospital do Espírito Santo, em Évora, em estado considerado grave.
 
Nas operações de socorro, estiveram os Bombeiros Voluntários de Borba e de Elvas, a Guarda Nacional Republicana (GNR), a viatura de Suporte Imediato de Vida (SIV) de Estremoz e a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) de Évora, num total de 19 elementos apoiados por oito viaturas.
Os vereadores da oposição na Câmara Municipal de Évora acusaram a maioria CDU de "falta de transparência" tudo por causa de um contrato com uma associação cultural. O presidente do município eborense garantiu a normalidade do processo.
 
O facto da câmara ter contratado uma associação "que é concorrente" ao Centro Dramático de Évora (CENDREV), "com sede no mesmo espaço", o Teatro Garcia de Resende, e "com alguns dos seus responsáveis, pareceu-me um processo pouco transparente" afirmou à Lusa o vereador do PSD, António Costa da Silva.
 
O caso, discutido na mais recente reunião de câmara por iniciativa de Costa da Silva, foi despoletado pelo deputado municipal Bruno Martins, eleito pelo Bloco de Esquerda, que publicou nas redes sociais detalhes do contrato em causa e uma cópia da constituição da Domínio Afirmativo - Associação Cultural.
 
O deputado municipal bloquista afirmou que "é uma associação que foi criada em Junho, por dois elementos do CENDREV", cuja sede "é no Teatro Garcia de Resende", e que tem "o mesmo objecto de intervenção que a própria companhia e sede no teatro municipal".
 
Bruno Martins garantiu ter visto no Portal da Contratação Pública que a Domínio Afirmativo já recebeu do município "um apoio, através de ajuste directo, para apresentação de uma peça de teatro", no valor de 10 mil euros.
 
A maioria CDU indicou, durante a mais recente reunião pública do executivo municipal,  que "não sabia que esta associação tinha a sua sede no teatro municipal", frisou Bruno Martins, revelando que o BE já enviou "uma cópia do registo da associação" e requereu "todo o processo deste ajuste directo".
 
O presidente da Câmara de Évora, Carlos Pinto de Sá (CDU), contactado pela Lusa, afiançou que a associação "apresentou um projecto" e que este "foi aprovado", num processo "perfeitamente normal", porque "foi tratada de forma idêntica em relação a todos os agentes que apresentaram propostas".
 
"Todos os agentes que se candidataram no ano passado e este ano tiveram apoio", vincou, sustentando que, depois de "anos em que esteve impedida de o fazer", a autarquia passou a financiar projectos culturais ao "definir um valor global que é distribuído por todos".
 
O edil eborense admitiu que a maioria CDU não tinha "conhecimento oficial" de que a sede da Domínio Afirmativo era no Teatro Municipal Garcia de Resende, indicando estar a averiguar a situação.
 
O vereador do PSD salientou ter dúvidas que dirigentes de uma entidade possam criar uma associação concorrente e defendeu que o município "quando contrata uma entidade tem de saber se esta cumpre todos os requisitos legais e obrigatórios".
 
Costa da Silva referiu ainda que "neste caso, é preciso saber se esta nova associação tem ou não autorização da câmara" para ter a sua sede no Teatro Municipal Garcia de Resende, "quem são os associados e se a entidade cumpre ou não as regras da concorrência", referiu.
 
Também em declarações à Lusa, a vereadora socialista da oposição, Elsa Teigão, referiu que, depois de ouvir as explicações da maioria CDU em reunião pública, ficou com a convicção de que "os 10 mil euros foram atribuídos a uma associação para uma iniciativa que não se sabe qual foi", o que "configura uma situação grave".
 
Afirmou que "o que é grave neste caso é a falta de transparência e o alegado desconhecimento por parte da gestão da câmara sobre para que serviu aquela verba e em que âmbito é que foi contratada aquela associação".
 
Elsa Teigão estranhou também que o presidente do município e o vereador com o pelouro da cultura "aleguem desconhecimento de que a sede da associação seja num edifício da câmara", concluindo que "há uma falta à verdade ou há uma falta de controlo e conhecimento daquilo que se passa dentro da autarquia".
 
c/ Lusa
Na sequência de uma colisão frontal entre um veículo pesado e um automóvel ligeiro, ocorrido no Itinerário Principal 2 (IP2), na União de Freguesias de Malagueira e Horta das Figueiras, perto de Évora, mais concretamente ao quilómetro 263,5, junto ao cruzamento para Torre de Coelheiros, duas pessoas morreram esta madrugada.
 
O alerta para este acidente ocorreu às 04:53 horas, e as duas vítimas mortais, dois homens, um com 35 anos e outro com 45 anos, são os condutores e únicos ocupantes dos dois veículos.
 
Às 09 horas da manhã, a estrada ainda estava cortada nos dois sentidos, para trabalhos de limpeza e de remoção dos veículos, tendo sido parcialmente reaberta por volta das 09:30 horas.
 
O veículo ligeiro já foi removido mas o pesado continua no local, encostado à berma mas ainda a condicionar a passagem de viaturas. Segundo a GNR, aguarda-se a chegada de uma grua para o remover.
 
As causas deste acidente estão agora a ser investigadas pelo Núcleo de Investigação Criminal de Acidentes de Viação da GNR (NICAV) de Évora.
 
Estiveram no local, 36 operacionais, entre elementos dos Bombeiros Voluntários de Évora, da Polícia de Segurança Pública (PSP), da Guarda Nacional Republicana (GNR), do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e da empresa pública Infraestruturas de Portugal, apoiados por 16 veículos.
 
 
Com a inauguração, na próxima quinta-feira, dia 11 de Outubro, do Tivoli Évora Ecoresort, fica cumprida a promessa efectuada pela Tivoli Hotels & Resorts de que durante o segundo semestre de 2018 a cadeia hoteleira teria o seu primeiro hotel na cidade de Évora. O hotel está localizado a três quilómetros do centro histórico da cidade alentejana e vem juntar-se ao actual portfólio da marca Tivoli, que conta com 13 unidades em Portugal, no Brasil e no Qatar.
 
Rodeado por sobreiros, azinheiras e oliveiras centenárias, o hotel, que anteriormente esteve a operar como Ecorkhotel, Évora - Suites & SPA, fica situado na extensa planície alentejana, a cinco minutos do centro de Évora, cidade classificada pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade, e a uma hora de carro da cidade de Lisboa
 

Refúgio de natureza, esta propriedade apresenta um edifício central, com um design contemporâneo, no qual os hóspedes podem encontrar um lobby bar, com uma lareira rústica que promete aquecer as noites de inverno e um restaurante inspirado no melhor da cozinha portuguesa. No primeiro piso, uma piscina infinita, com vista para a planície alentejana, marca um dos principais espaços de lazer do hotel. 
 
Com uma arquitectura que se integra plenamente na paisagem envolvente, a oferta de alojamento é composta por 56 suites, distribuídas de forma harmoniosa ao longo de uma propriedade com 38 mil m2, conferindo privacidade e tranquilidade aos hóspedes. Todas as suites apresentam uma decoração acolhedora, com elementos naturais de lã e cortiça, e uma área exterior onde é possível relaxar ao som da natureza. Como parte da renovação do hotel, foi construída uma villa exclusiva com nove quartos e uma piscina exterior privada.
 
Na oferta de lazer do Tivoli Évora Ecoresort destaca-se a área de SPA, com um design contemporâneo que transmite paz e tranquilidade, um verdadeiro refúgio que apela aos sentidos, composto por salas de tratamento, uma piscina interior, sauna, banho turco e ainda um ginásio, totalmente equipado. Tirando partido da paisagem inspiradora e relaxante, o hotel vai apostar no desenvolvimento de vários programas personalizados de bem-estar, integrando tratamentos, alimentação saudável, exercício e actividades em harmonia com a natureza.
 
O restaurante principal proporciona uma viagem pela cozinha portuguesa contemporânea, tendo como base produtos locais e da época, muitos deles de produção biológica na horta do próprio hotel, garantindo a qualidade e a frescura. O lobby bar oferece várias opções de bebidas e petiscos, para aproveitar um serão de inverno à lareira ou para refrescar as tardes de verão. No primeiro piso do edifício central, o bar da piscina infinita acompanha os dias quentes com as escolhas certas, dos sumos naturais pela manhã até aos cocktails mais criativos ao pôr do sol.
 
O Tivoli Évora Ecoresort disponibiliza um programa especial que permite a utilização em exclusivo do hotel, incluindo a ocupação de todas as suites e das várias áreas públicas - o plano perfeito para a organização de um casamento com vista para a bucólica planície alentejana, uma inesquecível celebração de aniversário ou uma reunião de quadros executivos de uma empresa.
 

Esta unidade apresenta um projecto de arquitetura inovador na área ambiental, com uma construção que visa a máxima eficiência energética. O edifício central é todo ele revestido a cortiça, um material característico da região alentejana e que permite um isolamento acústico e térmico naturalmente eficiente, numa zona do país onde se verificam grandes amplitudes térmicas. O hotel utiliza também a geotermia para aquecimento do edifício principal e painéis solares para o aquecimento das águas correntes e das piscinas. Este programa de referência na área ambiental levou o Responsible Tourism Institute a atribuir ao hotel o prémio Biosphere, que reconhece projectos turísticos sustentáveis a nível mundial.
 
A riqueza cultural da cidade de Évora e toda a envolvente natural do Alentejo proporcionam experiências únicas no destino. Desde circuitos históricos para descobrir os segredos da cidade de Évora, a circuitos de natureza para explorar a região, são várias as opções. Para os amantes de gastronomia, o Alentejo oferece uma cozinha tradicional rica e diversificada, acompanhada por uma selecção de vinhos locais únicos. São vários os produtores de vinho na região que disponibilizam provas e visitas às respectivas quintas. Para além do vinho, também a cultura do azeite marca esta região, que proporciona provas e visitas dedicadas ao precioso néctar. Para os mais aventureiros existem ainda programas de Skydiving e para os mais românticos programas para ver as estrelas na reserva Dark Sky do Alqueva ou fazer um passeio de balão ao nascer do sol.
 
"Estamos muito felizes por inaugurar o nosso primeiro hotel Tivoli no Alentejo e a décima primeira unidade da marca em Portugal. Este ecoresort é um complemento perfeito para a expansão do nosso portfólio e representa a chegada a uma região onde o turismo tem crescido de forma sustentada”, afirmou Marco Amaral, Vice-Presidente de Operações e Desenvolvimento para a Europa e América do Sul da Minor Hotels, empresa-mãe da marca Tivoli.
 
Em 2018, a Tivoli Hotels & Resorts celebra 85 anos. Actualmente com 13 hotéis e resorts em Portugal, no Brasil e no Qatar, a marca tem previsto o lançamento de novos hotéis no Qatar e no Brasil ainda durante este ano de 2018. 

Avis vai receber Sessão de Prevenção Rodoviária

Escrito por segunda, 08 outubro 2018 22:30
Com o apoio do Município de Avis, do Agrupamento de Escolas de Avis e da Associação de Pais e Encarregados de Educação das Escolas do Concelho de Avis (APEEECA), a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Avis e a Guarda Nacional Republicana (GNR), voltam a promover, no próximo Sábado, dia 13 de Outubro, entre as 10 e as 12:30 horas, no Parque de Feiras e Exposições de Avis, uma Sessão de Prevenção Rodoviária.
 
A iniciativa, que visa a sensibilização para a sinistralidade rodoviária, tem como público-alvo as crianças e jovens das escolas do concelho de Avis, estando no entanto aberta à comunidade em geral.
 
Esta acção de formação e educação vai contar com uma pista de prevenção rodoviária onde os mais novos podem ficar a conhecer as regras de trânsito fazendo a sua aprendizagem com a ajuda de kart’s a pedais.
 
Esta é uma óptima oportunidade para relembrar as regras para uma condução segura e para motivar a aprendizagem desta temática junto dos seus filhos.