quarta, 08 abril 2020
sábado, 19 setembro 2015 16:51

Estremocense Sérgio Malacão continua a mostrar serviço em Alpiarça

Escrito por
Segundo o Comandante do posto da GNR, "Alpiarça respira segurança" Segundo o Comandante do posto da GNR, "Alpiarça respira segurança" Almeirinense
Depois de ter vivido momentos conturbados, ao ver o seu nome envolvido num caso de posse de armas ilegais, cujos contornos acabaram por revelar que tudo não passou de uma manobra para denegrir a imagem do ex-Comandante do Posto da Guarda Nacional Republicana (GNR) de Coruche, e também por ter respondido em tribunal por três crimes de tortura e dois de ofensa à integridade física, de onde saiu ilibado de qualquer acusação, Sérgio Malacão vive agora momentos de tranquilidade e de realização pessoal e profissional.
 
Desde o passado mês de Outubro de 2014, que o estremocense Sérgio Malacão comanda o Posto da Guarda Nacional Republicana de Alpiarça. Como o próprio referiu em recente entrevista ao jornal “Almeirinense”, que transcrevemos, com a devida vénia, já de seguida e na íntegra, a vila ribatejana de Alpiarça “respira segurança”.
 
Almeirinense - Que balanço faz do período que está à frente do posto?
Sérgio Malacão (SM) - Fruto do trabalho desenvolvido por mim, mas acima de tudo pelo efectivo que compõe o Posto de Alpiarça, o balanço é muito positivo, porque um dos principais indicadores de qualidade de vida é a segurança, factor esse que está a ser conseguido com os resultados operacionais que levaram à diminuição de crimes praticados contra a sociedade, o qual prestigia o Comando da Guarda Nacional Republicana de Santarém.
 
Almeirinense - Quais são as áreas de maior preocupação no concelho?
SM - Na óptica da GNR, todas as áreas são prioritárias mas saliento a actividade agrícola, o comércio local, mas acima de tudo, o bem-estar da população a nível da segurança.
 
Almeirinense - Considera que tem os meios necessários para o desempenho da vossa missão?
SM - Nunca temos os meios necessários, porém, a realidade do Posto da GNR de Alpiarça não escapa à realidade nacional. Resta-nos trabalhar com os meios disponíveis, porque este factor nunca pode servir de desculpa para o cumprimento da nossa missão. O Comando da GNR de Santarém e o Município de Alpiarça, de forma a minimizar este problema têm efectuado algumas pequenas intervenções no posto, de forma a melhorar o serviço ao cidadão.
 
Almeirinense - Área grande e dispersa são um problema?
SM - Em comparação com áreas de outros postos, não vejo que seja um problema em virtude de em tempo real chegarmos rapidamente às ocorrências.
 
Almeirinense - Alpiarça é um concelho seguro?
SM - Alpiarça respira segurança.
 
Almeirinense - Pontualmente têm aparecido alguns casos de detenções por posse de droga. Acredita que é mesmo pontual?
SM - O combate ao tráfico de estupefacientes faz parte da missão da GNR, mas julgo que com as operações realizadas irá deixar de ser um problema, que se estava a instalar nos jovens do nosso concelho.
 
Almeirinense - Que tipo de crimes têm ocorrido mais no concelho?
SM - Com a visibilidade e um patrulhamento direccionado para a proximidade junto do cidadão, a GNR em Alpiarça conseguiu nos últimos seis meses reduzir para níveis excelentes os ilícitos praticados contra as pessoas, nomeadamente, furtos, burlas, etc. Sentimos um pequeno ascendente no crime familiar, ou seja, aquele que é designado por violência doméstica e também o incumprimento de injunções impostas por os tribunais, a título de exemplo, a violação da obrigação de alimentos por parte dos progenitores.
 
Almeirinense - Ao nível de infraestruturas estão bem servidos?
SM - As infraestruturas estão obsoletas, mas são funcionais para o cumprimento da missão.
 
Almeirinense - O que é preciso melhorar?
SM - É necessário um maior envolvimento da sociedade, porque a população é o 12º jogador. É necessário que não tenham medo de denunciar ilícitos porque só assim é que a GNR poderá dar uma resposta cabal e em tempo real. A população cada vez mais tem que acreditar na GNR e ver nos homens e mulheres que compõem o efectivo, que estamos cá para resolver os problemas e não como muitas vezes querem passar a mensagem, ou seja, que a GNR só serve para multar.
 

Deixe um comentário