sábado, 27 fevereiro 2021
domingo, 10 janeiro 2021 17:43

Novo confinamento geral deverá entrar em vigor na próxima quinta-feira

Escrito por
A maioria do comércio vai fechar e os restaurantes deverão funcionar em regime de take-away A maioria do comércio vai fechar e os restaurantes deverão funcionar em regime de take-away DR
É urgente travar os números alarmantes de casos de Covid-19 em Portugal.
 
Por essa razão, o Governo deverá decretar confinamento geral esta quinta-feira, dia 10 de Janeiro. O Presidente da República admite que o aligeirar de medidas sanitárias no Natal falhou e não resta outra alternativa.
 
No debate das Presidenciais 2021, com a candidata Ana Gomes, Marcelo Rebelo de Sousa referiu que “falei num pacto de confiança com os portugueses e o pacto de confiança não funcionou. É um facto e eu assumo essa responsabilidade, sem problema nenhum, por mim, pelo Governo, e por todos os que intervieram. Agora temos é de olhar para o futuro e em relação ao futuro eu penso que não há alternativa ao confinamento geral”.
 
A decisão só será tomada depois da reunião de terça-feira, com os especialistas de saúde, no Infarmed, onde Presidente da República, Governo e candidatos presidenciais vão saber em pormenor a situação epidemiológica do país.
 
Quarta-feira a Assembleia da República aprova a autorização para que Marcelo Rebelo de Sousa assine um novo Estado de Emergência. Nesse mesmo dia há Conselho de Ministros onde serão decretadas as medidas concretas do novo confinamento.
 
É um confinamento muito próximo daquele que existiu durante os meses de Março e Abril, garantindo, em principio, que não fecharemos nada que não tivesse sido fechado. A verdade é que cada um de nós deve tomar medidas desde já. Não é necessário ficarmos à espera que saia um novo decreto, quando sabemos que face a estes números é nossa obrigação protegermo-nos” disse a Ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, em conferência de imprensa.
 
A maioria do comércio vai fechar. Os restaurantes deverão funcionar em regime de take-away. Farmácias e supermercados estarão abertos, com a garantia de que não irão faltar bens essenciais.
 
Mas haverá algumas diferenças neste confinamento, desde já porque no dia 24 de Janeiro prevê-se liberdade de circulação para votar nas Presidenciais.
 
Por decidir está ainda se o ensino será presencial. Igualmente durante o debate para as Presidenciais, com Ana Gomes, na RTP, Marcelo Rebelo de Sousa salientou que “o grupo de menor risco é o das escolas”. O Presidente da República afirmou ainda que “essa matéria ainda vai ser ponderada. Não está decidida”.
 
O Primeiro-Ministro António Costa já disse que a intenção é manter as escolas abertas. O Governo considera que os alunos estão em segurança sanitária nas aulas e desta forma não prejudicam as aprendizagens.
 
Falta saber, ao certo, quanto tempo irá durar o novo confinamento. 
 
c/ Maria Viegas - TVI
Modificado em domingo, 10 janeiro 2021 17:50

Deixe um comentário