domingo, 25 agosto 2019
domingo, 03 março 2019 12:11

Vai votar? Leve só o cartão de cidadão...

Escrito por
Ainda assim, antes de votar, o eleitor deve confirmar o local de voto e saber previamente a que mesa se deve dirigir Ainda assim, antes de votar, o eleitor deve confirmar o local de voto e saber previamente a que mesa se deve dirigir DR
Da próxima vez que for votar, o que acontecerá já no próximo dia 26 de Maio, por ocasião das eleições europeias, não vai precisar de número de eleitor.
 
Tudo isto porque as regras para votar nas eleições em Portugal vão mudar este ano e uma das principais alterações é que o número de eleitor vai deixar de existir. Para votar a partir de agora, basta ter somente o cartão de cidadão, pois é o número deste documento que vai ser tido em conta nas mesas de voto, onde as distribuições de eleitores passará a ser feita por ordem alfabética.
 
Todas estas alterações foram noticiadas este sábado, 2 de Março, pelo jornal Expresso, citando informação prestada pela Secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna. “Até agora, para alguém saber o seu número de eleitor tinha de apresentar o número de cartão de cidadão e o nome. Era um passo desnecessário que agora eliminámos”, explicou Isabel Oneto.
 
Ainda assim, antes de votar, o eleitor deve confirmar o local de voto e saber previamente a que mesa se deve dirigir, informação que pode continuar a obter junto das autarquias ou através do sítio www.recenseamento.mai.gov.pt.
 
Mas há ainda outras três novidades. Uma das mudanças importantes é que vai ser possível votar antecipadamente, e sem justificações, precisamente uma semana antes, ou seja, no domingo anterior ao acto eleitoral. Assim, basta enviar o seu pedido por carta ou através do site oficial, sem ter de explicar porque é que quer votar antes.
 
Outra novidade, e esta vai acontecer apenas nos 14 concelhos do distrito de Évora, é que nas eleições europeias vai ter lugar um teste ao voto eletrónico, sendo disponibilizadas 50 mesas de voto eletrónico. Após o teste, será realizado um relatório com os resultados para ser apresentado no Parlamento, que decidirá o rumo a seguir no futuro, se o voto eletrónico é expandido ou não.
 
Outra alteração prende-se com os cidadãos com deficiência visual, que vão passar a contar com uma matriz em Braille nas mesas de voto, que é colocada por cima do boletim, permitindo que estes cidadãos votem de forma autónoma.
Modificado em domingo, 03 março 2019 12:49

Deixe um comentário