terça, 07 abril 2020
Segundo foi anunciado pela Direcção-Geral da Saúde (DGS), no boletim epidemiológico desta segunda-feira, há 12442 casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus em Portugal. Registam-se assim mais 712 casos do que os registados na segunda-feira. Há agora 4442 pessoas que aguardam resultado laboratorial (menos 58 casos que no dia de ontem) e subiu para os 184 o número de casos de pessoas que já recuperaram (mais 44 que aqueles registados no dia de segunda-feira).
 
Dos casos confirmados, há 1180 pessoas internadas em unidades de saúde (mais 81 casos que no dia de ontem), e desses 271 estão em unidades de cuidados intensivos (mais um caso que os registados no dia anterior).
 
O total de casos suspeitos subiu para 99730 e sabe-se também que o total de casos não confirmados é agora de 82846.
 
Neste momento há 25070 casos a serem acompanhados com contactos de vigilância pelas autoridades.
 
Estão já confirmadas no nosso país 345 mortes. Nas últimas 24 horas morreram 34 pessoas, 18 na região Norte, 12 na região Centro e quatro na região de Lisboa e Vale do Tejo. 
 
A região Norte volta a ser a que regista mais casos, com 7052 casos confirmados até ao momento, mais 346 que no dia anterior. Segue-se a região de Lisboa e Vale do Tejo com 3185 casos, mais 115 casos que na segunda-feira. A região Centro regista 1766 casos, mais 245 do que os registados no dia anterior, o Algarve tem agora 234 casos, mais cinco que ontem. A Região Autónoma dos Açores mantém nos 68 o número de casos confirmados de infecção, e a Região Autónoma da Madeira mantém igualmente o número de casos infectados: são 52. No Alentejo sobe para 85 o número de casos infectados, registando-se assim mais um caso do que os registados no dia anterior. 
 
 
Segundo a DGS, mais de metade dos doentes positivos ao novo coronavírus apresentam como sintomas tosse (59%) febre (46%) cefaleia (28%), dores musculares (31%), fraqueza generalizada (24%) e dificuldade respiratória (17%).  
Se considerarmos as faixas etárias, há 179 casos até aos nove anos de idade, 306 casos entre os 10 e 19 anos, 1294 casos entre os 20 e os 29 anos, 1818 casos entre os 30 e 39 anos, 2239 casos entre os 40 e os 49 anos, 2216 casos entre os 50 e os 59 anos, 1614 casos entre os 60 e os 69 anos, 1159 casos entre os 70 e os 79 anos e 1617 casos de pessoas com mais de 80 anos.
 
O número de cadeias de transmissão deixou de ser revelado, mas existem vários casos importados sobretudo de Espanha (159), França (118), Reino Unido (68), Suíça (43), Emirados Árabes Unidos (41), Itália (29), Andorra (24), Brasil (21), EUA (19), Países Baixos (16), Austrália (14), Argentina (12), Bélgica (9), Alemanha (9), Áustria (7), Canadá (5), Israel (3), Guatemala (3), Egipto (3), India (4), Irlanda (2), Jamaica (2), Luxemburgo (2) e Tailândia (2). Os outros casos importados são de Alemanha/Áustria, Alemanha/Irlanda, Cuba, Malta, México, Noruega, Paquistão, República Checa, Ucrânia, Maldivas, Chile, Indonésia, Singapura, Venezuela, Polónia, Qatar, Dinamarca, AzerbaijãoCabo Verde, Marrocos, Suécia e Irão.
 
A pandemia de Covid-19 matou, pelo menos, 73.139 pessoas no mundo inteiro desde que a doença surgiu, em Dezembro na China, segundo um balanço da AFP, efectuado às 19 horas da passada segunda-feira, a partir de dados oficiais.
 
Desde o balanço feito às 19 horas de domingo, 5.005 novas mortes e 66.187 novos casos ocorreram em todo o mundo.
 
De acordo com a agência de notícias francesa, já foram diagnosticados 1.310.930 casos de infecção pelo novo coronavírus, tendo esses mesmos casos de infecção com Covid-19 já diagnosticados em 191 países e territórios desde o início da epidemia.
 
 

 

 

Modificado em terça, 07 abril 2020 13:15
Em comunicado, o Ministério da Administração Interna (MAI) anunciou que, até às 17 horas do dia de hoje, segunda-feira, 6 de Abril, foram detidas pela Guarda Nacional Republicana (GNR) e pela Polícia de Segurança Pública (PSP), 22 pessoas pelo crime de desobediência, nomeadamente violação da quarentena obrigatória.
 
Devido ao incumprimento das normas estabelecidas, foram ainda encerrados 145 estabelecimentos comerciais.
 
Nas últimas 24 horas, foram detidas oito pessoas e encerrados 24 estabelecimentos comerciais.
 
Recorde-se que o Estado de Emergência foi prolongado até ao dia 17 de Abril e está em vigor desde as 00 horas da passada sexta-feira.
 
Estes números juntam-se aos verificados no primeiro período de Estado de Emergência, que vigorou entre os dias 22 de Março e 2 de Abril, onde se registaram 108 detenções por crime de desobediência e foram encerrados 1.708 estabelecimentos comerciais.
 
No âmbito do estado de emergência, a GNR e a PSP têm vindo “a desenvolver uma intensa actividade de sensibilização, vigilância e fiscalização junto da população”.
 
No comunicado, o MAI apela ao “cumprimento rigoroso” das medidas impostas pelo Estado de Emergência para contenção da Covid-19.
Modificado em segunda, 06 abril 2020 20:00
O Papa Francisco marcou ontem, dia 5 de Abril, encontro com os jovens portugueses para 22 de Novembro, dia em que vai entregar a uma delegação nacional os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), cuja próxima edição internacional vai decorrer em Lisboa, no Verão de 2022.
 
O meu pensamento vai para os jovens de todo o mundo que vivem, de maneira inédita, a nível diocesano, a Jornada Mundial da Juventude neste domingo. Estava prevista para hoje [05 de Abril] a passagem da Cruz, dos jovens do Panamá aos de Lisboa. Este gesto tão sugestivo foi adiado para o domingo de Cristo Rei, a 22 de Novembro”, disse o Papa Francisco, no final da Missa a que presidiu na Basílica de São Pedro, no Domingo de Ramos. “Na expectativa desse momento, exorto-vos, jovens, a cultivar e testemunhar a esperança, a generosidade, a solidariedade de que todos temos necessidade neste tempo difícil”, acrescentou.
 
O adiamento, provocado pela epidemia do novo coronavírus, tinha sido adiantado a 5 de Março, pelo coordenador-geral para o sector logístico-operativo da JMJ de 2022, D. Américo Aguiar.
 
A delegação portuguesa, que vai estar com o Papa Francisco num momento de festa, será composta por mais de mil jovens.
 
A Cruz e o ícone de Nossa Senhora, símbolos da JMJ, foram entregues pelo Papa João Paulo II aos jovens, em Abril de 1984, e marcaram o início de uma peregrinação da juventude de todo o mundo. Antes da edição internacional de 2022, a Cruz e o ícone de Nossa Senhora irão passar por todas as dioceses portuguesas e vários países lusófonos.
 
Em entrevista à Agência Ecclesia, D. Américo Aguiar disse que a preparação da JMJ em Portugal está em “hibernação” porque “a urgência e o foco” é o combate à pandemia de Covid-19.
 
A urgência e o foco é a pandemia. E temos de ter consciência disso, todos. A urgência a que somos chamados como povo, como humanidade, como Igreja, como nação, é tratarmos da questão da pandemia. Tudo o resto passou para segundo lugar. Mas não precisamos de desligar, vamos entrar em hibernação”, referiu o Bispo Auxiliar de Lisboa.
 
Na sua mensagem para o Domingo de Ramos, o Papa Francisco convidou os jovens católicos para a Jornada Mundial de Lisboa, evocando a história missionária de Portugal. “Como destino da vossa próxima peregrinação intercontinental, em 2022, escolhi a cidade de Lisboa, capital de Portugal. De lá, nos séculos XV e XVI, inúmeros jovens, incluindo muitos missionários, partiram para terras desconhecidas a fim de partilhar a sua experiência de Jesus com outros povos e nações”, referiu o Sumo Sacerdote.
 
 

 

Modificado em segunda, 06 abril 2020 19:50
Segundo foi anunciado pela Direcção-Geral da Saúde (DGS), no boletim epidemiológico desta segunda-feira, há 11730 casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus em Portugal. Registam-se assim mais 452 casos do que os registados no domingo. Há agora 4500 pessoas que aguardam resultado laboratorial (menos 1018 casos que no dia de ontem) e subiu para os 140 o número de casos de pessoas que já recuperaram (mais 65 que aqueles registados nos últimos dias).
 
Dos casos confirmados, há 1099 pessoas internadas em unidades de saúde (mais 15 casos que no dia de ontem), e desses 270 estão em unidades de cuidados intensivos (mais três casos que os registados no dia anterior).
 
O total de casos suspeitos subiu para 91794 e sabe-se também que o total de casos não confirmados é agora de 75564.
 
Neste momento há 23470 casos a serem acompanhados com contactos de vigilância pelas autoridades.
 
Estão já confirmadas no nosso país 311 mortes. Nas últimas 24 horas morreram 16 pessoas, 10 na região Norte, quatro na região Centro e duas na região de Lisboa e Vale do Tejo.
 
A região Norte volta a ser a que regista mais casos, com 6706 casos confirmados até ao momento, mais 170 que no dia anterior. Segue-se a região de Lisboa e Vale do Tejo com 3070 casos, mais 166 casos que no domingo. A região Centro regista 1521 casos, mais 79 do que os registados no dia anterior, o Algarve tem agora 229 casos, mais 28 que ontem. A Região Autónoma dos Açores vê subir para os 68 o número de casos confirmados de infecção (mais um que os registados no domingo), e a Região Autónoma da Madeira mantém nos 52 o número de casos infectados. No Alentejo sobe para 84 o número de casos infectados, registando-se assim mais dois casos do que os registados no dia anterior. 
 
 
Segundo a DGS, mais de metade dos doentes positivos ao novo coronavírus apresentam como sintomas tosse (60%) febre (46%) cefaleia (28%), dores musculares (32%), fraqueza generalizada (24%) e dificuldade respiratória (17%).  
 
Se considerarmos as faixas etárias, há 174 casos até aos nove anos de idade, 285 casos entre os 10 e 19 anos, 1215 casos entre os 20 e os 29 anos, 1731 casos entre os 30 e 39 anos, 2129 casos entre os 40 e os 49 anos, 2100 casos entre os 50 e os 59 anos, 1535 casos entre os 60 e os 69 anos, 1102 casos entre os 70 e os 79 anos e 1459 casos de pessoas com mais de 80 anos.
 
O número de cadeias de transmissão deixou de ser revelado, mas existem vários casos importados sobretudo de Espanha (157), França (115), Reino Unido (63), Suíça (41), Emirados Árabes Unidos (41), Itália (29), Andorra (23), Brasil (20), EUA (19), Países Baixos (16), Austrália (14), Argentina (11), Bélgica (9), Alemanha (9), Áustria (6), Canadá (5), Israel (3), Egipto (3), India (3), Irlanda (2), Jamaica (2), Luxemburgo (2) e Tailândia (2). Os outros casos importados são de Alemanha/Áustria, Alemanha/Irlanda, Cuba, Malta, México, Noruega, Paquistão, República Checa, Ucrânia, Maldivas, Chile, Indonésia, Singapura, Venezuela, Polónia, Qatar, Dinamarca, Cabo Verde, Marrocos, Suécia e Irão.
 
A pandemia de Covid-19 matou, pelo menos, 68.125 pessoas no mundo inteiro desde que a doença surgiu, em Dezembro na China, segundo um balanço da AFP, efectuado às 20 horas do passado domingo, a partir de dados oficiais.
 
De acordo com a agência de notícias francesa, já foram diagnosticados 1.244.740 casos de infecção pelo novo coronavírus, tendo esses mesmos casos de infecção com Covid-19 já diagnosticados em 191 países e territórios desde o início da epidemia.
 
 

 

Modificado em segunda, 06 abril 2020 12:47
Em comunicado, o Ministério da Administração Interna (MAI) anunciou que, até às 17 horas do passado domingo, 5 de Abril, foram detidas pela Guarda Nacional Republicana (GNR) e pela Polícia de Segurança Pública (PSP), 14 pessoas pelo crime de desobediência, nomeadamente violação da quarentena obrigatória.
 
Devido ao incumprimento das normas estabelecidas, foram ainda encerrados 121 estabelecimentos comerciais.
 
Recorde-se que o Estado de Emergência foi prolongado até ao dia 17 de Abril e está em vigor desde as 00 horas da passada sexta-feira.
 
Estes números juntam-se aos verificados no primeiro período de Estado de Emergência, que vigorou entre os dias 22 de Março e 2 de Abril, onde se registaram 108 detenções por crime de desobediência e foram encerrados 1.708 estabelecimentos comerciais.
 
No âmbito do estado de emergência, a GNR e a PSP têm vindo “a desenvolver uma intensa actividade de sensibilização, vigilância e fiscalização junto da população”.
 
No comunicado, o MAI apela ao “cumprimento rigoroso” das medidas impostas pelo Estado de Emergência para contenção da Covid-19.
Modificado em segunda, 06 abril 2020 09:47
Segundo foi anunciado pela Direcção-Geral da Saúde (DGS), no boletim epidemiológico deste domingo, há 11278 casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus em Portugal. Registam-se assim mais 754 casos do que os registados no sábado. Há agora 5518 pessoas que aguardam resultado laboratorial (menos 558 casos que no dia de ontem) e mantém-se nos 75 o número de casos de pessoas que já recuperaram.
 
Dos casos confirmados, há 1084 pessoas internadas em unidades de saúde (mais nove casos que no dia de ontem), e desses 267 estão em unidades de cuidados intensivos (mais 16 casos que os registados no dia anterior).
 
O total de casos suspeitos subiu para 86370 e sabe-se também que o total de casos não confirmados é agora de 70130.
 
Neste momento há 23209 casos a serem acompanhados com contactos de vigilância pelas autoridades.
 
Estão já confirmadas no nosso país 295 mortes. Nas últimas 24 horas morreram 29 pessoas, 17 na região Norte, seis na região Centro, quatro na região de Lisboa e Vale do Tejo e duas na região do Algarve.
 
A região Norte volta a ser a que regista mais casos, com 6530 casos confirmados até ao momento, mais 250 que no dia anterior. Segue-se a região de Lisboa e Vale do Tejo com 2904 casos, mais 391 casos que no sábado. A região Centro regista 1442 casos, mais 70 do que os registados no dia anterior, o Algarve tem agora 201 casos, mais 19 que ontem. A Região Autónoma dos Açores vê subir para os 67 o número de casos confirmados de infecção (mais quatro que os registados no sábado), e a Região Autónoma da Madeira vê subir para os 52 o número de casos infectados, mais um do que aqueles regitados no dia de ontem. No Alentejo sobe para 82 o número de casos infectados, registando-se assim mais 19 casos do que os registados no dia anterior. 
 
 
Segundo a DGS, mais de metade dos doentes positivos ao novo coronavírus apresentam como sintomas tosse (60%) febre (46%) cefaleia (29%), dores musculares (32%), fraqueza generalizada (25%) e dificuldade respiratória (17%).  
 
Se considerarmos as faixas etárias, há 162 casos até aos nove anos de idade, 276 casos entre os 10 e 19 anos, 1179 casos entre os 20 e os 29 anos, 1671 casos entre os 30 e 39 anos, 2058 casos entre os 40 e os 49 anos, 2033 casos entre os 50 e os 59 anos, 1491 casos entre os 60 e os 69 anos, 1059 casos entre os 70 e os 79 anos e 1349 casos de pessoas com mais de 80 anos.
 
O número de cadeias de transmissão deixou de ser revelado, mas existem vários casos importados sobretudo de Espanha (157), França (115), Reino Unido (63), Suíça (41), Emirados Árabes Unidos (41), Itália (29), Andorra (23), Brasil (20), EUA (19), Países Baixos (16), Austrália (14), Argentina (11), Bélgica (9), Alemanha (9), Áustria (6), Canadá (5), Israel (3), Egipto (3), India (3), Irlanda (2), Jamaica (2), Luxemburgo (2) e Tailândia (2). Os outros casos importados são de Alemanha/Áustria, Alemanha/Irlanda, Cuba, Malta, México, Noruega, Paquistão, República Checa, Ucrânia, Maldivas, Chile, Indonésia, Singapura, Venezuela, Polónia, Qatar, Dinamarca, Cabo Verde, Marrocos, Suécia e Irão.
 
A pandemia de Covid-19 matou, pelo menos, 59.456 pessoas no mundo inteiro desde que a doença surgiu, em Dezembro na China, segundo um balanço da AFP, efectuado às 19 horas da passada sexta-feira, a partir de dados oficiais.
 
De acordo com a agência de notícias francesa, já foram diagnosticados 1.122.320 casos de infecção pelo novo coronavírus, tendo esses mesmos casos de infecção com Covid-19 já diagnosticados em 190 países e territórios desde o início da epidemia.
 
 

 

Modificado em domingo, 05 abril 2020 13:06
Segundo foi anunciado pela Direcção-Geral da Saúde (DGS), no boletim epidemiológico deste sábado, há 10524 casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus em Portugal. Registam-se assim mais 638 casos do que os registados na sexta-feira. Há agora 5518 pessoas que aguardam resultado laboratorial (mais 126 casos que no dia de ontem) e subiu para os 75 o número de casos de pessoas que já recuperaram (mais sete que as registadas no dia anterior).
 
Dos casos confirmados, há 1075 pessoas internadas em unidades de saúde (mais 17 casos que no dia de ontem), e desses 251 estão em unidades de cuidados intensivos (mais seis casos que os registados no dia anterior).
 
O total de casos suspeitos subiu para 81087 e sabe-se também que o total de casos não confirmados é agora de 65045.
 
Neste momento há 22858 casos a serem acompanhados com contactos de vigilância pelas autoridades.
 
Estão já confirmadas no nosso país 266 mortes. Nas últimas 24 horas morreram 21 pessoas, 11 na região Norte, cinco na região Centro, três na região de Lisboa e Vale do Tejo e duas na região do Algarve. 

 

A região Norte volta a ser a que regista mais casos, com 6280 casos confirmados até ao momento, mais 381 que no dia anterior. Segue-se a região de Lisboa e Vale do Tejo com 2513 casos, mais 166 casos que na sexta-feira. A região Centro regista 1372 casos, mais 86 do que os registados no dia anterior, o Algarve tem agora 182 casos, mais três que ontem. A Região Autónoma dos Açores mantém o número de casos confirmados de infecção nos 63, e a Região Autónoma da Madeira vê subir para os 51 o número de casos infectados, mais um do que aqueles regitados no dia de ontem. No Alentejo sobe para 63 o número de casos infectados, registando-se assim mais um caso do que os registados no dia anterior. 
 
 
Segundo a DGS, mais de metade dos doentes positivos ao novo coronavírus apresentam como sintomas tosse (60%) febre (47%) cefaleia (28%), dores musculares (32%), fraqueza generalizada (25%) e dificuldade respiratória (18%).  
 
Se considerarmos as faixas etárias, há 150 casos até aos nove anos de idade, 252 casos entre os 10 e 19 anos, 1082 casos entre os 20 e os 29 anos, 1567 casos entre os 30 e 39 anos, 1928 casos entre os 40 e os 49 anos, 1908 casos entre os 50 e os 59 anos, 1396 casos entre os 60 e os 69 anos, 999 casos entre os 70 e os 79 anos e 1242 casos de pessoas com mais de 80 anos.
   
 
 
O número de cadeias de transmissão deixou de ser revelado, mas existem vários casos importados sobretudo de Espanha (142), Itália (29), França (100), Suíça (33), Reino Unido (52), Brasil (13), Países Baixos (13), Andorra (18), Austrália (14), Irlanda (2), Jamaica (2), Israel (3), Áustria (4), Argentina (9), Bélgica (8), Canadá (5), Egipto (2), Tailândia (2), EUA (11), Emirados Árabes Unidos (39), Cabo Verde (4), India (3) e Alemanha (7). Os outros casos importados são de Cuba, Luxemburgo, Malta, Noruega, Paquistão, República Checa, Ucrânia, MaldivasChile, Indonésia, Venezuela, Polónia, Qatar, Dinamarca, Suécia, e Irão.
 
A pandemia de Covid-19 matou, pelo menos, 57.474 pessoas no mundo inteiro desde que a doença surgiu, em Dezembro na China, segundo um balanço da AFP, efectuado às 19 horas da passada sexta-feira, a partir de dados oficiais.
 
De acordo com a agência de notícias francesa, já foram diagnosticados 1.082.470 casos de infecção pelo novo coronavírus, tendo esses mesmos casos de infecção com Covid-19 já diagnosticados em 188 países e territórios desde o início da epidemia.
 
 

 

Modificado em sábado, 04 abril 2020 16:27
Nos primeiros 15 dias do Estado de Emergência devido à pandemia do Covid-19, foram efectuadas 108 detenções e mais de mil entradas foram recusadas no país através das fronteiras com Espanha, revelou esta sexta-feira, dia 3 de Abril, o Ministro da Administração Interna.
 
Em conferência de imprensa realizada após a quinta reunião da estrutura de monitorização do Estado de Emergência, realizada no Ministério da Administração Interna, Eduardo Cabrita destacou 29 detenções por violação do dever de confinamento obrigatório, 10 por violação da cerca sanitária de Ovar e 16 por várias tentativas em manter abertos estabelecimentos comerciais que deviam estar encerrados.
 
Para o Ministro, estes sãos os três tipos de detenções mais graves.
 
A reunião da estrutura de monitorização de hoje serviu para fazer um balanço da aplicação da primeira quinzena do Estado de Emergência e abordar os novos comportamentos determinando para o novo período.
Modificado em sexta, 03 abril 2020 18:17
Segundo foi anunciado pela Direcção-Geral da Saúde (DGS), no boletim epidemiológico desta sexta-feira, há 9886 casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus em Portugal. Registam-se assim mais 852 casos do que os registados na quinta-feira. Há agora 5392 pessoas que aguardam resultado laboratorial (mais 434 casos que no dia de ontem) e mantém-se nos 68 o número de casos de pessoas que já recuperaram.
 
Dos casos confirmados, há 1058 pessoas internadas em unidades de saúde (mais 16 casos que no dia de ontem), e desses 245 estão em unidades de cuidados intensivos (mais 5 casos que os registados no dia anterior).
 
O total de casos suspeitos subiu para 74377 e sabe-se também que o total de casos não confirmados é agora de 59099.
 
Neste momento há 22556 casos a serem acompanhados com contactos de vigilância pelas autoridades.
 
Estão já confirmadas no nosso país 246 mortes. Nas últimas 24 horas morreram 37 pessoas, 23 na região Norte, seis na região Centro, sete na região de Lisboa e Vale do Tejo e um na região do Alentejo. 
 
A região Norte volta a ser a que regista mais casos, com 5899 casos confirmados até ao momento, mais 561 que no dia anterior. Segue-se a região de Lisboa e Vale do Tejo com 2347 casos, mais 140 casos que na quinta-feira. A região Centro regista 1286 casos, mais 125 do que os registados no dia anterior, o Algarve tem agora 179 casos, mais 15 que ontem. A Região Autónoma dos Açores vê subir o número de casos confirmados de infecção para 63, mais seis que aqueles reportados na quinta-feira, e a Região Autónoma da Madeira vê subir para os 50 o número de casos infectados, mais dois do que aqueles regitados no dia de ontem. No Alentejo sobe para 62 o número de casos infectados, registando-se assim mais três casos do que os registados no dia anterior. 
 
 
Segundo a DGS, mais de metade dos doentes positivos ao novo coronavírus apresentam como sintomas tosse (60%) febre (48%) cefaleia (29%), dores musculares (33%), fraqueza generalizada (25%) e dificuldade respiratória (18%).  
 
Se considerarmos as faixas etárias, há 133 casos até aos nove anos de idade, 236 casos entre os 10 e 19 anos, 1005 casos entre os 20 e os 29 anos, 1473 casos entre os 30 e 39 anos, 1827 casos entre os 40 e os 49 anos, 1786 casos entre os 50 e os 59 anos, 1325 casos entre os 60 e os 69 anos, 945 casos entre os 70 e os 79 anos e 1156casos de pessoas com mais de 80 anos.
 
  
 
 
O número de cadeias de transmissão deixou de ser revelado, mas existem vários casos importados sobretudo de Espanha (142), Itália (29), França (100), Suíça (33), Reino Unido (52), Brasil (13), Países Baixos (13), Andorra (18), Austrália (14), Irlanda (2), Jamaica (2), Israel (3), Áustria (4), Argentina (9), Bélgica (8), Canadá (5), Egipto (2), Tailândia (2), EUA (11), Emirados Árabes Unidos (39), Cabo Verde (4), India (3) e Alemanha (7). Os outros casos importados são de Cuba, Luxemburgo, Malta, Noruega, Paquistão, República Checa, Ucrânia, MaldivasChile, Indonésia, Venezuela, Polónia, Qatar, Dinamarca, Suécia, e Irão.
 
A pandemia de Covid-19 matou, pelo menos, 51.718 pessoas no mundo inteiro desde que a doença surgiu, em Dezembro na China, segundo um balanço da AFP, efectuado às 19 horas da passada quinta-feira, a partir de dados oficiais.
 
De acordo com a agência de notícias francesa, já foram diagnosticados mais de um milhão de casos de infecção pelo novo coronavírus, concretamente 1.000.036 casos, tendo esses mesmos casos de infecção com Covid-19 já diagnosticados em 188 países e territórios desde o início da epidemia.
 
 
Modificado em sexta, 03 abril 2020 13:34