quarta, 16 outubro 2019
quinta, 26 maio 2016 00:47

O Campeonato do Senhor Rui

Escrito por
O futebol é um fenómeno fantástico. Mesmo com tudo aquilo que traz de mau, ou menos bom, é preciso saber tirar a parte positiva e as lições que este fenómeno nos dá. No caso do campeonato principal desta época em Portugal, há uma lição que podemos transportar para outras áreas da nossa vida: As contas fazem-se no fim.
 
A Educação e o Respeito pelos outros são valores incontornáveis. São valores que devemos sempre preservar. Todos nós temos adversários ao longo da nossa vida e não podemos viver sem eles. No caso particular do desporto, seja no futebol ou não, são os adversários que valorizam as nossas vitórias. São eles que nos ajudam a sermos melhores e mais competentes. É fundamental respeitar e entender quem luta connosco por este ou aquele objectivo.
 
No Benfica, Rui Vitória não poderia ter tido pior começo. Exibições sofríveis da equipa na pré-temporada trouxeram as primeiras desconfianças dos adeptos e dos comentadores. Depois, a derrota com o Sporting na Supertaça, ainda por cima treinado por Jorge Jesus e com uma exibição muito pobre, fizeram com que grande parte dos adeptos temesse por uma época desastrosa. Na segunda jornada do campeonato, o Benfica perde com o Arouca. Quase tudo correu mal até ao jogo em casa com o Sporting. Nesse jogo, apesar do Benfica ter perdido por 3-0, e já com o resultado feito, foram os adeptos a puxar pelos jogadores numa demostranção clara que o futebol não se joga só dentro do campo. Quando se esperava uma séria reprovação pela exibição e resultado, das bancadas veio um coro dizendo "Eu amo o Benfica". 
 
Começa aqui a conquista do campeonato. Depois desse jogo, o Benfica apenas empatou na Madeira e perdeu em casa com o Porto, apesar de ter feito uma das melhores exibições na Liga. Em Alvalade, frente ao eterno rival que até tinha tudo para dar um passo de gigante rumo ao título tão desejado, o Benfica marcou e soube sofrer. Depois desse jogo, as duas equipas ganharam todos os que se seguiram. É notável.
 

O Senhor Rui, acreditou sempre que seria possível. O Senhor Rui fugiu muitas vezes de polémicas, nunca deixando que a sua imagem se desgastasse e deixando que outros assumissem esse papel.

Não acredito muito na sorte quando se fala de futebol, acho sim que há trabalho e competência. Rui Vitória, neste Benfica, nunca se desviou do seu objectivo. Foi já um pouco tarde que a equipa começou a acertar, mas foi bem a tempo. Foi a tempo de fazer uma segunda volta fantástica no campeonato e uma campanha bastante positiva na Europa. Mudavam os jogadores, mas não as ambições. Em cada jogo, era possível perceber a união que havia no grupo e a unanimidade em torno do treinador. Para isso, digo eu, terá também contribuído Jorge Jesus. Desclassificando o seu colega, Jesus fez com que o grupo de trabalho tivesse ainda mais motivação e vontade de conquistar o título.
 
O Senhor Rui, nunca chamou a si os feitos, entregando todo o mérito aos jogadores e aos adeptos. O Senhor Rui percebeu, com humildade, que teria de aproveitar o melhor do seu antecessor. O Senhor Rui, acreditou sempre que seria possível. O Senhor Rui fugiu muitas vezes de polémicas, nunca deixando que a sua imagem se desgastasse e deixando que outros assumissem esse papel. O Senhor Rui reconheceu, e provou, que é uma boa estrutura que faz os campeões e não apenas os treinadores. O Senhor Rui mereceu, e muito, este campeonato.
 
* Jornalista José Lameiras
Modificado em quinta, 26 maio 2016 01:04

Deixe um comentário