quarta, 26 junho 2019
sexta, 17 maio 2019 15:34

Parabéns, querida Rádio

Escrito por
Um dia alguém sonhou ter uma rádio. Há 35 anos atrás, o Padre Júlio Esteves não se ficou pelos sonhos e conseguiu. Juntou amigos e foram em frente, criando condições para que a palavra do Senhor não fosse escutada apenas dentro da Igreja de Santa Maria. Esta era a primeira ambição da Rádio Despertar, uma rádio que veio também para despertar muitos estremocenses para o "bichinho" da rádio.
 
Não vou aqui escrever nomes, pois posso deixar alguém de fora. No entanto, posso dizer que a Rádio Despertar, com certeza à semelhança de muitas outras rádios locais, tem sido uma escola de rádio e de comunicação para muita gente. Ao longo de todos estes anos, temos ouvido grandes vozes e grandes comunicadores nesta nossa rádio. Gente que depois a vida profissional levou para outros caminhos, mas que poderiam perfeitamente fazer carreira neste meio de comunicação. Vimos também, alguns "darem o salto" para outras paragens, munidos de uma bagagem angariada nesta rádio, que é pequena em tamanho, mas enorme na sua importância para a cidade e para a região. Ainda hoje, não sei se temos os melhores, mas sei que temos gente muito apaixonada por aquilo que faz.
 
O seu saudoso fundador disse muitas vezes, em discurso de aniversário, que não imaginava Estremoz sem a sua rádio. Sei que muitos dos que moram no Concelho não a ouvem e preferem muitas vezes falar sem conhecer, ou seja, sem ouvir. No entanto, até a esses o silêncio da rádio iria incomodar, pois há sempre um dia em que precisam de ouvir ou de divulgar alguma coisa. A Rádio Despertar é mesmo a Voz de Estremoz e eu poderia aqui provar isso facilmente, trazendo exemplos, mas não o vou fazer pois assim seria "juiz em causa própria" e este texto não tem a intenção de servir para isso.
 
Importante é, nesta altura, enaltecer estes 35 anos da Rádio Despertar. Frisar o facto de esta rádio emitir, há muitos anos, 24 horas por dia e ter uma programação variada e música para todos os gostos. Nesta rádio, tocam todos os estilos de música e toda a gente tem voz. Temos protocolos com várias instituições de Estremoz que lhes permite passar a sua mensagem. Aqui, sendo uma rádio plural e independente, todos podem ter voz. Temos uma linha e princípios católicos dos quais nos orgulhamos, mas sabemos que os ouvintes merecem ser informados e entretidos. É para isso que serve uma rádio.
 

Sei que não agradamos a todos, mas que nos respeitam. Reconheço que não fazemos tudo bem, porque isso não é possível, mas acreditem que o tentamos fazer, com os meios que temos à disposição. Sabemos da nossa importância, porque é isso que nos é mostrado pelos ouvintes. Sabemos que fazemos companhia a muita gente que está sozinha e que faz de nós a sua companhia. Está a missão da rádio local. Não podemos, nem queremos, concorrer com as rádios nacionais.

Ao fazermos 35 anos, sentimos que ainda andámos muito pouco. A História já é bonita, mas ainda é muito curta e temos muita vontade de a prolongar. Porque acreditamos que é possível sempre fazer mais e melhor, apesar das dificuldades, estamos certos de que vamos continuar a escrever esta história. Seguimos uma linha que nos orgulha e que nos foi deixada por quem entendia bastante do assunto. Queremos também sempre honrar a sua memória. Não olhamos para o lado e a nossa preocupação é olhar para a frente, pois só assim é possível cumprir a nossa missão. 
 
Sei que não agradamos a todos, mas que nos respeitam. Reconheço que não fazemos tudo bem, porque isso não é possível, mas acreditem que o tentamos fazer, com os meios que temos à disposição. Sabemos da nossa importância, porque é isso que nos é mostrado pelos ouvintes. Sabemos que fazemos companhia a muita gente que está sozinha e que faz de nós a sua companhia. Está a missão da rádio local. Não podemos, nem queremos, concorrer com as rádios nacionais. Aqui, é preciso entendermos o nosso papel e apostarmos em ser uma alternativa, em vez de fazermos isto ou aquilo porque os outros também o fazem. É aqui que se cria a identidade de uma rádio. É isto que tentamos fazer.
 
35 anos, é uma bonita idade. Parabéns, minha querida Rádio Despertar. Devo-te muito e sou diferente por estar aqui.
 
* Jornalista José Lameiras
 
 
 
 
 
Modificado em sexta, 17 maio 2019 16:01

Deixe um comentário