sexta, 19 outubro 2018

Estremoz tem um grave problema chamado Bairro das Quintinhas!

Escrito por  Publicado em António Costa da Silva quarta, 19 setembro 2018 01:32
Há poucos dias atrás tive a oportunidade de visitar o Bairro das Quintinhas (como é mais conhecido em Estremoz). Este bairro é habitado por uma comunidade de etnia cigana, o qual tem cerca de uma centena de construções ilegais (barracas) e que servem de alojamento para cerca de 300 pessoas.
 
Mais recentemente tem vindo a agravar-se o clima de insegurança naquela zona. São inúmeras e recorrentes as queixas efectuadas pelos moradores, mas também pelas pessoas que por ali circulam, nomeadamente os consumidores das grandes superfícies próximas.
 
Os atos de vandalismo, de furtos e de ameaça permanente, têm vindo a agravar-se de uma forma bastante significativa. Estes crimes, para além de afetarem principalmente os residentes, mas também um Lar de Idosos pertencente à Liga dos Combatentes, já se estendem a várias partes da cidade de Estremoz.
 
As ocorrências são inúmeras: roubos, agressões diversas, vandalismo, apedrejamento das pessoas, tiroteios, etc, etc. A intranquilidade dos estremocenses não melhorou com a construção, em 2014, do Quartel da GNR nas imediações.
 
A eficácia das forças de segurança, nomeadamente da PSP, tem sido muito reduzida.
 

Vive-se um clima insustentável em Estremoz. A população vai manifestando a sua ira por nada ser feito. A comunidade local, inclusive parte da comunidade cigana que nasceu ou reside em Estremoz há muitos anos, é contra, e é altamente crítica, em relação a toda esta criminalidade crescente.

Ainda recentemente ocorreu um tiroteio naquela zona, sem que houvesse qualquer intervenção policial. As marcas deixadas pelas balas das armas nas casas das pessoas são uma evidência do filme de terror a que aqueles moradores estão permanentemente sujeitos.
 
Esta situação é manifestamente desagradável! Vive-se um clima insustentável em Estremoz. A população vai manifestando a sua ira por nada ser feito. A comunidade local, inclusive parte da comunidade cigana que nasceu ou reside em Estremoz há muitos anos, é contra, e é altamente crítica, em relação a toda esta criminalidade crescente. Na realidade, não pode pagar o justo pelo pecador!
 
De facto, esta situação deverá ser encarada de frente pelo Governo. O Governo tem sido informado do que se passa, mas não tem tomado nenhuma atitude, ou ação, para inverter toda esta grave situação.
 
Espera-se que o Ministério da Administração Interna aja no sentido de garantir a plena segurança de todos os estremocenses e de todos os que passam naquela zona.
 
Espera-se que o Ministério da Justiça, através do Ministério Público de Estremoz, garanta o cumprimento da Lei.
 
Espera-se que o Ministério de Saúde aja no sentido de resolver os graves problemas de sanidade públicos que ali se vão avolumando.
 
Espera-se que o Ministério do Trabalho e da Segurança Social aja no sentido de resolver os verdadeiros problemas sociais que por ali existem.
 
Uma coisa é certa, em democracia é obrigatório cumprir as regras existentes, e isso não é o que se está a passar em Estremoz.
 
A população espera pacientemente por soluções e é isso que tem que ser encontrado. Soluções.
 
* Deputado António Costa da Silva

Deixe um comentário