quinta, 22 novembro 2018

O interior está cada vez mais desprotegido – Até no comboio intercidades temos graves problemas!

Escrito por  Publicado em António Costa da Silva quinta, 02 agosto 2018 01:52
Têm sido várias as denúncias apresentadas ao Grupo Parlamentar do PSD (GP PSD) sobre trocas de comboios Intercidades por comboios regionais e atrasos significativos, nomeadamente no trajeto Lisboa - Évora.
 
Recentemente surge denunciado na imprensa nacional que a “CP está a trocar os comboios Intercidades por comboios regionais em várias linhas de norte a sul do país. Mas as viagens custam o mesmo preço, embora as carruagens que fazem habitualmente o serviço regional sejam menos confortáveis e mais lentas e tenham menos serviços”.
 
Surge também a informação de que “a empresa justifica a decisão com as avarias e o excesso de imobilizações do material circulante e admite devolver a diferença no bilhete. A comissão de trabalhadores da CP culpa as cativações do Governo, que impedem a empresa de investir. A ACOP – Associação de Consumidores de Portugal considera que os passageiros estão a ser enganados e reclama redução de preços sempre que houver troca de comboios".
 
"É no serviço Intercidades entre Lisboa e Évora que tem havido maiores problemas. Entre 22 de maio e 1 de julho, foram realizadas nada menos de 31 viagens em que as carruagens Corail, puxadas por uma locomotiva elétrica e que servem para as ligações Intercidades, foram trocadas pelas unidades UTE 2240, que fazem as ligações regionais um pouco por todo o país. São milhares de passageiros afetados”.
 
Também segundo a imprensa “a situação, no entanto, não deverá ficar resolvida tão cedo. A EMEF, a empresa que faz a manutenção e reparação de comboios, tem falta de pessoal e de peças para responder à altura. E o novo material circulante da empresa só deverá chegar, no melhor dos cenários, a partir de 2021”.
 
Esta é uma situação claramente preocupante que merece uma solução urgente. O serviço de transporte ferroviários de passageiros Évora - Lisboa não pode ficar prejudicada. As populações não têm culpa da ineficácia da empresa e do Governo.
 
Este é um grave problema que prejudica fortemente o nosso distrito. Esta grande limitação é um verdadeiro desprezo pelos territórios mais frágeis.
 
Não podemos aceitar!
 
* Deputado António Costa da Silva

Deixe um comentário