sexta, 21 setembro 2018

Não podemos ficar a ver os comboios a passar na linha ferroviária de Mercadorias Sines - Caia

Escrito por  Publicado em António Costa da Silva %PM, %25 %783 %2018 %18:%Jun.
Há cerca de dois anos atrás apresentei na Assembleia da República um Projeto de Resolução com o objetivo de defender a paragem do comboio de mercadorias da linha Sines - Caia em três zonas do distrito de Évora. Defendi que deveria parar em Vendas Novas, Évora e na Zona dos Mármores.
 
Estas paragens do comboio de mercadorias (com a criação de estações adequadas para o efeito) deverão ter como grande objetivo estimular o desenvolvimento da economia da região. Não faz sentido nenhum passarem diariamente dezenas de comboios de mercadorias no distrito de Évora, sem que alguns deles possam parar e servir diretamente a região. De outra forma, para além de ficarmos apenas a ver os comboios a passar, esta linha passa ser um verdadeiro obstáculo na região.
 
Deverão estar questionar o óbvio: Mas não estão previstas nos documentos técnicos e oficiais essas paragens na região? Não, e é aí que reside o problema. Foi precisamente isso que detetei quando analisei os documentos oficiais, disponíveis, há cerca de 2 anos atrás. De facto, parece-me totalmente absurda esta questão, mas é assim!
 

Há dias atrás, o PCP apresentou na Assembleia da República um projeto de resolução materializando precisamente a defesa destas posições. Mais vale tarde do que nunca!

Curiosamente, há um ano atrás (um ano depois de ter apresentado a iniciativa) foi chumbado o projeto de resolução proposto pelo PSD, com os votos contra do PS, PCP e BE. Naturalmente fiquei muito desagrado com o sucedido. Apesar de múltiplos e esfarrapados argumentos, nunca percebi verdadeiramente tal oposição. Se calhar até percebi, mas o melhor é não entrar por aí!
 
Passado algum tempo, comecei a ouvir algumas vozes regionais mais despertas para o problema e a defender a posição por mim apresentada na Assembleia da República. Entretanto, começaram a surgir autarcas (alguns independentes, alguns do PS e até da CDU) muito preocupados com o problema e a defender a posição inicialmente apresentada pelo PSD. Começaram também a surgir argumentos do tipo “provavelmente já é tarde”. Posteriormente, numa iniciativa desenvolvida pela CDU, no Alandroal, surgiram a defender precisamente a mesma ideia, como se tivessem “descoberto a pólvora”. Apesar disto tudo, ainda bem que despertaram para o problema! Como tenho dito sempre, em primeiro lugar estão as pessoas.
 
Por iniciativa do PSD, foram apresentadas várias recomendações ao Governo, em diversas Assembleias Municipais do distrito de Évora, defendendo o que inicialmente tínhamos proposto na Assembleia da República. Os deputados municipais, das diferentes composições partidárias, aderiram na globalidade a esta problemática. As diferentes recomendações lá foram sendo aprovadas, por unanimidade.
 
Há dias atrás, o PCP apresentou na Assembleia da República um projeto de resolução materializando precisamente a defesa destas posições. Mais vale tarde do que nunca!
 
No meu caso em concreto, através do Grupo Parlamentar, apresentei um novo projeto de resolução defendendo novamente a paragem do comboio de mercadorias em 3 zonas do distrito de Évora.
 
Espero que seja desta. Melhor ainda, desejo que o Governo também venha a despertar para este problema. De outra forma, a linha de mercadorias Sines-Caia até pode ser estratégica para o País, mas poderá ser altamente penalizadora para região Alentejo.
 
* Deputado António Costa da Silva

Deixe um comentário