sexta, 17 agosto 2018

Mas há alguém que não queira que o canábis seja usado para fins medicinais?

Escrito por  Publicado em António Costa da Silva %PM, %16 %706 %2018 %15:%Jan.
Não tenho quaisquer preconceitos em relação ao uso de canábis para fins terapêuticos. Na minha perspectiva, parece não fazer sentido a existência de objeções quando está em causa o bem-estar e o conforto dos pacientes.
 
Tudo o que seja desenvolvido para criar melhores condições aos doentes, nomeadamente para que não tenham dor, melhor qualidade de vida e para melhorem a sua situação de saúde, e sempre que cientificamente se comprove a sua utilidade e eficiência, não me parece fazer sentido estar contra.
 

Uma coisa é certa, não faz sentido a regulação do uso terapêutico de canábis como pretexto para legitimar ou favorecer o seu uso recreativo. São matérias muito distintas, que merecem ser analisadas de forma separada.

Aliás, não é nenhuma novidade o uso de opiáceos pelos profissionais da saúde com o objetivo de acalmar a dor (de outra forma insuportável) e melhorar o bem-estar dos pacientes. O uso da morfina é o exemplo dos exemplos. Alguém questiona o uso da morfina com utilização terapêutica?
 
Uma coisa é certa, não faz sentido a regulação do uso terapêutico de canábis como pretexto para legitimar ou favorecer o seu uso recreativo. São matérias muito distintas, que merecem ser analisadas de forma separada.
 
Quando esta matéria entrou na Assembleia da República através das propostas do BE e do PAN, pergunto-me se a lei não permite já a utilização de canábis para fins terapêuticos?
 
Questiono mesmo se esta é uma matéria da que cabe à Assembleia da República? Na minha perspetiva deverá ser o Infarmed a autorizar, ou não, a comercialização de todo o tipo de fármacos.
 
Na minha perspetiva esta não é uma matéria política, é pura e simplesmente matéria claramente médico científica. Na minha opinião, tanto o BE como o PAN, procuraram encontrar uma estratégia para discutir este assunto, mas de uma forma claramente enviesada.
 
* Deputado António Costa da Silva

Deixe um comentário

Mais Populares