quinta, 23 março 2017
O Alentejo está sem médicos reumatologistas no Serviço Nacional de Saúde (SNS) há bastante tempo, sendo apenas um exemplo da falta de especialistas em grandes hospitais.
 
O presidente da Sociedade Portuguesa de Reumatologia confirmou à agência Lusa que não há um único reumatologista nos serviços públicos do Alentejo desde há quatro anos.
 
Para este responsável, o que é verdadeiramente “lastimável” é que haja doentes que são privados de um tratamento adequado de acordo com o estado da arte, quando o progresso médico na área nos últimos anos “tem sido imenso”.
 
Faltam anestesistas, ginecologistas, oncologistas, pneumologistas, radiologistas e reumatologistas, entre outras especialidades, nos hospitais e centros de saúde do Alentejo. Só em Évora faltam médicos de 22 especialidades e o retrato não é melhor no Litoral Alentejano, no Norte Alentejano ou no Baixo Alentejo.
 

Faltam anestesistas, ginecologistas, oncologistas, pneumologistas, radiologistas e reumatologistas, entre outras especialidades, nos hospitais e centros de saúde do Alentejo. Só em Évora faltam médicos de 22 especialidades e o retrato não é melhor no Litoral Alentejano, no Norte Alentejano ou no Baixo Alentejo.

Reconhece-se que o Alentejo não é o único afetado no país, mas é o mais afetado.
 
Alguns dos motivos porque é difícil atrair médicos para o Alentejo e para todo interior do país estão bem identificadas: condições de trabalho nem sempre são atrativas, instalações muitas vezes degradadas, equipamentos obsoletos ou em falta e sobrecarga de trabalho pela falta de profissionais, mas também a distância dos grandes centros.
 
Reconhece-se que a ARS Alentejo tem aberto sistematicamente concursos para médicos de diferentes especialidades, mas quase sempre sem quaisquer resultados práticos. Isto porque os concursos acabam quase sempre vazios. Esta é uma situa-se que se repete sem quaisquer resultados.
 
Mesmo com medidas extra e todas elas já experimentadas, os resultados não aparecem. Continuam a faltar anestesistas, ginecologistas, oncologistas, pneumologistas, radiologistas e reumatologistas, entre outras especialidades, nos hospitais e centros de saúde do Alentejo.
 
Tendo em conta que este é um problema recorrente e que penaliza gravemente a população do Alentejo, os deputados do PSD eleitos pelos círculos eleitorais do Alentejo (Évora, Beja, Portalegre e Setúbal), pretendem que o Governo adote medidas para a resolução destes graves problemas.
 
Desconhecem-se quais as medidas que o Governo está a adotar para fazer face à falta de anestesistas, ginecologistas, oncologistas, pneumologistas, radiologistas e reumatologistas, entre outras especialidades, nos hospitais e centros de saúde do Alentejo.
 
Este é um grave problema que merece ser resolvido urgentemente. É fundamental insistir para que sejam encontradas soluções.
 
* Deputado António Costa da Silva

Mais Populares