segunda, 28 novembro 2022
quarta, 24 agosto 2022 23:33

RTP marcou presença na Herdade das Servas para falar sobre Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo

Escrito por
Com o PSVA, a Comissão Vitivinícola da Região Alentejo fornece uma importante ferramenta de trabalho aos produtores Com o PSVA, a Comissão Vitivinícola da Região Alentejo fornece uma importante ferramenta de trabalho aos produtores DR

Numa peça assinada pelo jornalista Paulo Nobre, com imagem e edição de José Carrilho, e que foi transmitida no programa “Portugal em Directo”, a RTP visitou a Herdade das Servas, uma das muitas empresas do concelho de Estremoz ligada à área vitivinícola. Esta peça de reportagem da televisão estatal teve como tema principal o Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo.
 
Numa agricultura marcada cada vez com maior frequência por fenómenos extremos, foi criado o Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo (PSVA).
 
Para João Barroso, um dos responsáveis pelo PSVA, “este programa olha para o passado, para no presente, tentar preparar o futuro”.
 
Com este programa, a Comissão Vitivinícola da Região Alentejo fornece uma importante ferramenta de trabalho aos produtores.
 
Ao microfone da RTP, João Barroso refere que o PSVA “traz educação, traz consciência, traz metodologia, traz sensibilização e traz técnica. Um conjunto de ferramentas que permite que o produtor, se aderir, se seguir, se perceber a mais-valia que todas estas sugestões acarretam, claramente poderá trazer uma posição mais confortável, ou pelo menos, de menor risco em relação ao período que atravessamos, com esta seca tão grande e com estas sucessivas ondas de calor extremo”.
 
O PSVA conta com 550 membros. 11 produtores estão já certificados.
 
Segundo Renato Neves, “na Herdade das Servas, muitas destas práticas, que o PSVA hoje contempla, já eram tomadas há vários anos. No entanto, há outras medidas que o programa contempla que nos vêm ajudar e não estamos a falar só de sustentabilidade ambiental. O PSVA contempla muito mais que isso, sustentabilidade económica, sustentabilidade social”. Nas suas declarações à RTP, o enólogo da empresa estremocense acrescentou ainda que “muitas dessas práticas já estavam adoptadas, já estavam implementadas na Herdade das Servas, outras não, mas estamos a percorrer esse caminho, como todos os outros produtores do Alentejo”.
 
Sem recurso a químicos, monitorizando e seguindo a natureza, estes são passos no sentido de uma mudança de paradigma de uma agricultura alentejana já fortemente marcada pelas alterações climáticas.
 

Modificado em quinta, 25 agosto 2022 09:25

Deixe um comentário

PUB