sábado, 27 fevereiro 2021
quarta, 20 janeiro 2021 23:35

De porta a porta, brigada recolhe votos de idosos em lares e de eleitores em confinamento

Escrito por
As eleições presidenciais estão marcadas para 24 de Janeiro As eleições presidenciais estão marcadas para 24 de Janeiro DR
Desde a passada terça-feira, 19 de Janeiro, que, devidamente equipados a rigor e cumprindo regras sanitárias apertadas, a brigada de voto ao domicílio do concelho de Estremoz está a recolher os votos dos idosos residentes em lares e de pessoas que estão em confinamento obrigatório por estarem infectadas com o coronavírus SARS-CoV-2, e que se inscreveram para votar antecipadamente nas eleições presidenciais.
 
No concelho de Estremoz foram registados 66 pedidos de voto ao domicílio.
 
A nível nacional, foram 12.906 pessoas, as pessoas que puderam votar sem sair à rua, segundo dados do Ministério da Administração Interna (MAI). Mas há relatos de brigadas de voto ao domicílio que não encontraram, em casa, os eleitores em confinamento.
 
O presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), Manuel Machado, disse que "foram extraídas certidões de moradores que se inscreveram para votar, que estão confinados obrigatoriamente, mas não estão em casa".
 
O trabalho de recolher o boletim destes eleitores foi feito, porta a porta, por equipas montadas pelas autarquias, devidamente equipadas e com regras sanitárias estritas.
 
A inscrição para o voto antecipado, sobretudo dos doentes com Covid-19, motivou várias reclamações à Comissão Nacional de Eleições (CNE), de eleitores que se queixavam de informações incompletas sobre os prazos.
 
Só podiam fazer o pedido para o voto antecipado em confinamento os eleitores a quem tivesse sido decretado confinamento pelas autoridades de saúde pública até quinta-feira, 14 de Janeiro, dez dias antes das presidenciais.
 
É o que estipula a lei aprovada em Outubro, no Parlamento, que regula o direito de voto antecipado para os eleitores que estejam em confinamento obrigatório, devido à pandemia da doença Covid-19, em actos eleitorais e referendários em 2021.
 
O que quer dizer que quem foi confinado a partir de sexta-feira, seja por estar doente, seja por isolamento profilático (devido a um contacto com uma pessoa infectada), já não pôde pedir para votar antecipadamente.
 
As eleições presidenciais estão marcadas para 24 de Janeiro e esta será a décima vez que os portugueses são chamados a escolher o Presidente da República, em democracia.
 

VOTO ANTECIPADO EM ESTREMOZ… NEM TODOS OS INSCRITOS FORAM VOTAR!

No passado domingo, dia 17 de Janeiro, realizou-se o voto antecipado por mobilidade para as Presidenciais 2021.

 

No concelho de Estremoz foram 275 os eleitores que se inscreveram para exercerem o seu direito cívico uma semana antes das eleições, mas nem todos foram votar, visto que apenas compareceram na Casa de Estremoz, local onde estava instalada a mesa de voto, 246 eleitores.
 
O voto antecipado a nível nacional contou com 246.880 eleitores inscritos, um número recorde desde que a modalidade foi introduzida, em 2019, para as eleições europeias.
 
Depois da experiência de 2019, quer nas europeias, quer nas legislativas, o voto antecipado em mobilidade foi alargado das capitais de distrito para as sedes dos 308 concelhos, com o objectivo de evitar grandes concentrações de pessoas devido à epidemia de Covid-19 que assola o nosso país.
Modificado em quinta, 21 janeiro 2021 00:27

Deixe um comentário