quinta, 28 janeiro 2021
segunda, 23 novembro 2020 23:56

165 anos depois, Freguesia de Veiros recupera brasão da vila

Escrito por
Ainda segundo Domingos Cunha, “a coroa esteve esquecida e desprezada, numa arrecadação durante 165 anos" Ainda segundo Domingos Cunha, “a coroa esteve esquecida e desprezada, numa arrecadação durante 165 anos" DR
Foi através da página oficial da Junta de Freguesia de Veiros na rede social Facebook, que Domingos Cunha, Presidente da freguesia do concelho de Estremoz, informou “com muito orgulho e satisfação” que a Junta de Freguesia por si liderada “procedeu à recuperação do brasão” da vila, numa decisão “que estava tomada desde o início deste mandato”.
 
Segundo o edil veirense, a parte que faltava no brasão, a coroa, foi retirada “segundo consta em 1855”, porque Veiros perdeu o estatuto de concelho “e alguém achou por bem mutilar o brasão para nos recordar a ‘humilhação’ ou a perda de importância”.
 
Ainda segundo Domingos Cunha, “a coroa esteve esquecida e desprezada, numa arrecadação durante 165 anos, como uma pedra qualquer sem valor, até agora, que foi limpa, recuperada e reposta no seu devido lugar”.
 
Passam precisamente neste mês de Novembro, 510 anos desde a atribuição por D. Manuel I, em 2 de Novembro de 1510, do “Foral Novo” a esta vila do concelho de Estremoz. No post na rede social Facebook, o Presidente Domingos Cunha salienta querer que “este facto se torne um símbolo do orgulho de ser veirense, de orgulho nos nossos antepassados, nas nossas raízes, na nossa história, que não pode ser esquecida nem apagada”.
 
O autarca de Veiros acrescenta que “a recuperação do brasão estava já programada” para este ano, bem como “o melhoramento do local onde se encontra este monumento”, a Praça do Marquês da Praia e de Monforte e o edifício dos Paços do Concelho, recuperação essa que “em virtude dos constrangimentos conhecidos será feita posteriormente”.
 
Domingos Cunha salienta ainda que “estavam também programados vários eventos para as comemorações dos 510 anos do Foral”, eventos esses que “infelizmente” tiveram de ser adiados. No final da sua mensagem, o autarca afirma-se esperançado que “durante o ano próximo” possa ser celebrada esta data com “um evento condigno”.
Modificado em terça, 24 novembro 2020 00:05

Deixe um comentário