sexta, 04 dezembro 2020
quinta, 22 outubro 2020 10:27

Casa Azimute, um dos alojamentos de referência de Estremoz, encerra definitivamente

Escrito por
A Casa Azimute, integrada numa propriedade de 28 hectares, já foi vendida A Casa Azimute, integrada numa propriedade de 28 hectares, já foi vendida DR
Razões pessoais, lateralmente relacionadas com a pandemia de Covid-19, levam ao encerramento da Casa Azimute, uma unidade de turismo em espaço rural, localizada no concelho de Estremoz, e que é uma das referências de alojamento no Alentejo.
 
Uma das mais influentes revistas mundiais de arquitectura e design, a Wallpaper, concedeu a este projecto, inaugurado em 2017, honras de destaque, tendo igualmente sido capa da edição de 2018 do guia "Boa Cama Boa Mesa". Ao longo dos anos, muito por culpa da ousadia da arquitectura e excelência dos serviços, coleccionou comentários de excelência nas principais plataformas de reserva e muitos artigos, em Portugal e além-fronteiras.
 
Justificando a escolha do alojamento para uma das capas da edição anual do guia, o "Boa Cama Boa Mesa" escreveu sobre a Casa Azimute, em Abril de 2018: “Ainda há espaços, espalhados pelo Portugal profundo, capazes de surpreender. Locais mágicos, onde todos os detalhes foram pensados com imaginação e onde isolamento não significa passado, mas antes moderno e cosmopolita.” Foi assim que, muito perto de Estremoz, de um monte típico alentejano em ruínas, nasceu a Casa Azimute, com apenas quatro quartos e duas suítes, resultado do sonho de dois belgas, Andy Didden e Danny Puype, que “trocaram a confusão pela paz e pelo espaço do Alentejo, mas não se resignaram a reconstruir apenas mais um monte rural. Partindo da premissa de que qualquer vista da propriedade daria uma espécie de cartão postal, construíram um edifício de raiz, impactante, pela simplicidade e pelas linhas modernas escolhidas, com estratégicas janelas e varandas, que enaltecem a paisagem”. Destacam-se ainda os apontamentos de cor que realçam a construção e envolvem a natureza, de uma forma única e delicada. Ainda no mesmo artigo pode ler-se: “Cada quarto tem uma varanda quase privada, com uma enorme cama escondida de olhares indiscretos, perfeita para noites de calor e retemperadoras tardes ao som da natureza. Diz-se, na promoção da casa de campo, que aqui há ‘tempo a perder de vista’ e, dificilmente outra frase seria capaz de descrever tão bem este conceito”.
 
No próximo Domingo, dia 25 de Outubro, e pouco mais de três anos depois de ter sido inaugurada, a Casa Azimute vai fechar definitivamente. A informação foi avançada por Danny Puype, que revela razões pessoais para a decisão: “A história da nossa casa é uma história de sucesso, do primeiro ao último dia, mesmo em tempo de Covid-19. Gostamos muito da calma do Alentejo, mas a diferença é enorme e mais (e principalmente) fazem-nos muita falta os amigos e a família, que vivem em Antuérpia. Por isso, depois muito pensar, decidimos voltar”. Danny Puype revelou ainda que a Casa Azimute, integrada numa propriedade de 28 hectares, já foi vendida.
 
Para memória futura, recorde-se a descrição da edição de 2020 do guia "Boa Cama Boa Mesa" sobre a Casa Azimute: “A criação de espaços privados para as refeições, de uma cave de vinhos do Alentejo, a substituição de novas peças de mobiliário na sala comum e a produção de uma linha de peças de design em barro com a chancela desta pequena unidade, para venda na loja são algumas das novidades para 2020. Tudo é feito em nome do conforto dos hóspedes desta casa em ligação com a natureza. Refresque-se na piscina exterior, percorra os trilhos, já predefinidos pela Casa Azimute, a pé ou de bicicleta, e reserve uma massagem para o final”.
Modificado em quinta, 22 outubro 2020 12:05

Deixe um comentário