quinta, 01 outubro 2020
quarta, 29 julho 2020 00:48

Fadista estremocense Matilde Cid está nomeada para os Play - Prémios da Música Portuguesa

Escrito por
Cerimónia de entrega dos galardões decorre hoje, 29 de Julho, a partir das 21 horas, no Coliseu dos Recreios, em Lisboa Cerimónia de entrega dos galardões decorre hoje, 29 de Julho, a partir das 21 horas, no Coliseu dos Recreios, em Lisboa DR
A fadista estremocense Matilde Cid está nomeada para o prémio “Melhor Álbum de Fado”, com o seu álbum de estreia “Puro”, na edição de 2020 dos PlayPrémios da Música Portuguesa, cuja cerimónia de entrega dos galardões decorre hoje, 29 de Julho, a partir das 21 horas, no Coliseu dos Recreios, em Lisboa.
 
A festa da música portuguesa terá transmissão em directo no canal 1 da Rádio e Televisão de Portugal (RTP), cuja apresentação estará a cargo, à semelhança do que aconteceu na primeira edição, da dupla de apresentadoras Filomena Cautela e Inês Lopes Gonçalves. A Antena 1 também terá uma emissão especial, conduzida por Ana Sofia Carvalheda e Noémia Gonçalves, onde está garantida a promessa de contarem todos os detalhes dos Play.
 
O “Puro” de Matilde Cid, tem como “adversários” na categoria de “Melhor Álbum de Fado”, o álbum “Aqui Está-se Sossegado”, da dupla Mário Laginha e Camané, o registo “Roubados”, de Aldina Duarte, e o disco “Um Fado Ao Contrário”, de Pedro Moutinho.
 
Matilde Cid nasceu em Estremoz e cresceu no seio de uma família ligada à música. Os serões familiares eram passados a tocar viola, piano e a cantar. O pai era fã de Jazz, Blues e Bossa-Nova, e a mãe, de Fado. E foi assim, através da mãe, que o fado se veio a tornar a sua música de eleição. De forma natural começou a cantar, primeiro nos cafés de Estremoz, e mais tarde em Évora, em simultâneo com a vida universitária. Mais tarde veio para Lisboa, onde encontrou a verdadeira essência do fado, no ambiente boémio das casas de fado da capital.
 
Maria João Quadros convidou-a a integrar o elenco residente da “Casa da Mariquinhas”, em Alcântara, mas também cantou nas conhecidas “Mesa de Frades”, “Senhor Vinho”, “Associação do Fado Casto”, entre outras. Em Novembro de 2014, João Braga convidou-a para participar no seu concerto, no São Luiz Teatro Municipal, onde a apresentou como uma das novíssimas vozes do fado, a não perder de vista nos tempos mais próximos. Participou, em 2014, 2015 e 2016, no festival de fado “Caixa Alfama” e “Caixa Ribeira”. Em 2016, teve o seu primeiro concerto a solo, no Centro Cultural de Belém, e outro no festival “Caixa Alfama”.
 
A 17 de Maio de 2019, Matilde apresentou-se no Museu de Lisboa – Santo António, integrado no programa “Fados Para Santo António”. Matilde editou o seu primeiro disco no estúdio Tejo Music Lab, de Diogo Clemente, produzido pelo mesmo e tendo o Museu do Fado como editora. A fadista apresentou alguns dos novos temas, no Museu da Marioneta, a 18 de Setembro 2019! Dona de uma voz carismática e melodiosa, Matilde Cid apresenta espectáculos cativantes, envolvendo o público numa atmosfera de elegante intimidade e forte presença, ao mesmo tempo que o tem conquistado pela sua genuína simpatia.
 
Mas não é só Matilde Cid que representa o Alentejo na segunda edição dos Play – Prémios da Música Portuguesa.
 
António Zambujo, e o seu “Catavento da Sé”, está nomeado na categoria “Melhor Videoclipe”. Disputam o troféu com o alentejano de Beja, os brilhantes The Gift e o tema “Verão”, a eterna Lena D’Água, com a música “Grande Festa”, e o quarteto Branko, Sango, Cosima e ProfJam, com o soberbo “Hear From You”.
 
Com o objectivo de premiar a melhor música produzida e consumida em Portugal, promovendo e incentivando o processo criativo e a sua consequente mediatização, os Play – Prémios da Música Portuguesa são um evento promovido pela Audiogest e pela GDA, através da Passmusica, entidades que representam em Portugal, respectivamente, os direitos conexos das editoras discográficas multinacionais, nacionais e independentes (Audiogest), e de artistas, intérpretes e executantes nacionais e internacionais (GDA).
Modificado em quarta, 29 julho 2020 11:56

Deixe um comentário