quarta, 20 novembro 2019
O Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte, em Estremoz, recebeu no passado sábado, dia 8 de Junho, a primeira edição do Cultourwine, uma verdadeira viagem pela cultura e pelos vinhos de Estremoz.
 
Integrada nas comemorações do Dia Nacional da Gastronomia Portuguesa, esta iniciativa lançou o desafio de os visitantes conhecerem os vinhos do concelho, representados por 10 adegas, enquanto apreciavam a exposição da 3.ª Bienal Internacional de Arte de Gaia, patente naquele espaço até ao dia 20 de Julho.

 
Segundo números revelados pela organização, foram cerca de 500 os visitantes que aceitaram o desafio, fazendo da primeira edição do Cultourwine um verdadeiro sucesso. 
 
Márcia Oliveira, vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Estremoz, fez à nossa equipa de reportagem um balanço muito positivo do Cultourwine 2019: “Para primeira edição está a correr muitíssimo bem, com muita afluência, e este é, sem dúvida, um evento que tem pernas para andar”. Aproveitando a oportunidade, a autarca agradeceu “a todas as adegas do concelho de Estremoz presentes no evento, e que assim contribuíram para o sucesso da iniciativa”, salientando que “apesar de em 2020 já estar a funcionar no Palácio dos Marques de Praia e Monforte, o Centro Interpretativo do Boneco de Estremoz, nada inviabiliza que o Cultourwine não se realiza neste magnífico espaço”.
 
Em declarações ao Ardina do Alentejo, Jorge Cardoso, responsável máximo pela adega da Herdade dos Outeiros Altos, fez desta primeira edição do Cultorwine um balanço “surpreendente na medida em que esta iniciativa de combinar arte com a arte dos vinhos é uma iniciativa brilhante da autarquia, num espaço lindíssimo e que proporciona este tipo de combinações felizes. Gostaríamos que houvesse uma reedição uma vez que a nossa reação é de surpresa pela beleza do espaço e pela maneira perfeita como a combinação acabou por resultar”.
 
Para José Poeiras, da Porta de Santa Catarina Vinhos, o Cultourwine 2019 “foi uma boa iniciativa, perspectivada com alguma antecedência, o que já de si é bom, e bem publicitada porque tivemos muitos provadores e até mesmo potenciais clientes, que vieram de fora, até do estrangeiro, chegando mesmo a termos aqui provadores australianos. Estas iniciativas são sempre boas para promover os produtos de Estremoz, esperando que haja mais, inclusivé aqui no Palácio dos Marqueses de Praia e Monforte, utilizando quem sabe aquele páteo que se encontra lá em baixo”.
 
Ambos os produtores deixaram a garantia de que em 2020 voltam a marcar presença no evento.
 
 
Modificado em domingo, 09 junho 2019 17:47
O ex-presidente da Câmara Municipal de Estremoz, Luís Mourinha, que perdeu o mandato na sequência de uma condenação em tribunal por prevaricação, desistiu do processo de contratação pelo Município. A informação foi adiantada pelo actual Presidente da autarquia.
 
Francisco Ramos adiantou à Lusa que Luís Mourinha, após saber de um parecer da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA), que "aponta tendencialmente para um impedimento", tomou a iniciativa de informar a câmara do seu "desinteresse pelo processo", não tendo chegado a assinar qualquer contrato.
 
O presidente da câmara, que assumiu o cargo, a 4 de Fevereiro deste ano, após a perda de mandato do antecessor, lembrou ter convidado Luís Mourinha, eleito por um movimento independente, para prestar serviços ao Município, "em regime de avença", na área do desenvolvimento económico, e que o ex-autarca aceitou.
 
Também eleito pelo Movimento Independente por Estremoz (MiETZ), Francisco Ramos, que era vice-presidente da autarquia, justificou a intenção de contratação com o facto de Luís Mourinha ter "um conhecimento do concelho e das suas necessidades, assim como um conjunto de contactos, que são importantes para o Município".
 
Após ter sido levantada a questão da legalidade da contratualização, tendo em conta que o ex-autarca tinha sido condenado e "se essa situação afectava a sua honorabilidade profissional para efeitos de contratação", a autarquia, segundo Francisco Ramos, pediu pareceres jurídicos, que "não são vinculativos".
 
Segundo o autarca, o gabinete jurídico da câmara indicou que "não havia impedimento", enquanto o parecer da CCDR do Alentejo considerou que "poderia haver um impedimento".
 
Francisco Ramos reiterou que, em sua opinião, "não há qualquer irregularidade neste processo", o qual caiu por iniciativa de Luís Mourinha.
 
Luís Mourinha foi informado no início de Fevereiro de 2019 da notificação do Tribunal Judicial de Estremoz, que confirmou a pena, após o Tribunal Constitucional (TC) ter negado provimento, em Dezembro de 2018, ao recurso que apresentou da sentença judicial em que foi condenado pelo crime de prevaricação.
 
A condenação, incluindo a pena acessória de perda de mandato, está relacionada com uma queixa-crime apresentada em 2010 contra o então autarca, devido ao alegado corte de um subsídio à Liga dos Amigos do Castelo de Évora Monte (LACE), no concelho de Estremoz.
 
Luís Mourinha, que foi eleito presidente da Câmara de Estremoz, pelo MiETZ, nas autárquicas de 2009, 2013 e 2017, estava a cumprir o terceiro mandato, situação que já não lhe permitia concorrer à presidência da autarquia nas próximas eleições autárquicas.
 
Antes, Luís Mourinha já tinha sido presidente do município durante 12 anos, eleito como independente nas listas da CDU - Coligação Democrática Unitária.
 
Depois de não se recandidatar nas autárquicas de 2005, optou por concorrer, em 2009, pelo movimento independente.
 
c/ LUSA
Modificado em sexta, 07 junho 2019 20:27
A Guarda Nacional Republicana (GNR) deteve um casal por suspeitas de tráfico de droga, no concelho de Estremoz, tendo apreendido cerca de quatro mil doses de haxixe e de cocaína, divulgou a força de segurança.
 
A Guarda informou, em comunicado, que o homem e a mulher, de 38 e 44 anos respectivamente, foram detidos, esta semana, por militares do Destacamento de Trânsito e do Núcleo de Investigação Criminal de Estremoz da GNR.
 
Segundo a força de segurança, durante uma fiscalização rodoviária, os militares sentiram "um forte odor a droga" que provinha do interior do veículo em que seguia o casal e acabaram por "detectar diverso produto estupefaciente".
 
Posteriormente, e conforme adiantou a GNR, os militares realizaram uma busca domiciliária, durante a qual foram apreendidas 3.979 doses de haxixe e 10 de cocaína, além de duas balanças de precisão, um veículo e um telemóvel.
 
Os detidos já foram presentes a primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Estremoz, tendo o juiz aplicado ao homem a medida de coação de apresentações diárias no posto policial da área de residência e à mulher apresentações bissemanais.
Modificado em sexta, 07 junho 2019 19:42
Em reunião do Executivo da Câmara Municipal de Estremoz, realizada esta quarta-feira, dia 5 de Junho, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, foi aprovado por unanimidade a realização de um protocolo com a Universidade de Évora, para a concretização da Carta Arqueológica do Concelho de Estremoz.
 
Com este protocolo pretende-se a criação de um instrumento eficaz de gestão do território que permita salvaguardar, estudar, valorizar e proteger um traço fundamental da memória e identidade do concelho de Estremoz.  
 
Este projecto será um instrumento determinante para o desenvolvimento sustentável de Estremoz, para a definição das políticas de ordenamento do território e definição do potencial turístico arqueológico do concelho.
 
O trabalho será realizado por intermédio do Museu Municipal de Estremoz, contando com o contributo científico de reconhecida qualidade da Universidade de Évora, nomeadamente do departamento de História. Os trabalhos terão a duração prevista de dois anos, podendo ser alargado no tempo em caso de necessidade.
Modificado em quinta, 06 junho 2019 19:57
Num prémio atribuído pelos consumidores, e pelo quarto ano consecutivo, o Oculista das Portas de Santo António foi distinguido com o Prémio Cinco Estrelas Regiões. O Oculista das Portas de Santo António, com sede em Estremoz, foi vencedor na categoria “Serviços Ópticos”, nos dois distritos onde possui lojas, Évora e Portalegre.
 
O Prémio Cinco Estrelas Regiões é um sistema de avaliação que mede o grau de satisfação que os produtos ou serviços conferem aos seus utilizadores, tendo como critérios de avaliação as cinco principais variáveis que influenciam a nossa decisão de compra, nomeadamente satisfação pela experimentação, relação preço-qualidade, intenção de compra, confiança na marca e inovação.
 
Para ser considerado Cinco Estrelas, um produto ou serviço terá de obter um grau de satisfação global muito elevado e provar aos consumidores e/ou aos profissionais que são realmente muito bons, tendo assim de obter uma classificação mínima de 7 em 10, numa escala de 1 em 10. No caso do Oculista Portas de Santo António a classificação global obtida foi de 8,4.
 
O Prémio Cinco Estrelas Regiões vem desta forma ajudar os consumidores e os profissionais a identificarem o que de melhor existe no nosso país, ao nível dos produtos e serviços, região a região.
 
O galardão foi entregue no passado dia 17 de Maio, em Viseu.
Modificado em quarta, 05 junho 2019 19:16
A turma C do 3º ano da Escola Básica 1 de Arcos, no concelho de Estremoz, é uma das 33 finalistas do concurso “Vamos poupar água com o Pafi”, iniciativa promovida pelo Grupo Os Mosqueteiros em parceria com a editora Texto.
 
O concurso “Vamos poupar água com o Pafi ” surge no âmbito do projecto de apoio aos bombeiros que o grupo detentor em Portugal das insígnias Intermarché, Bricomarché e Roady, tem vindo a desenvolver desde 2005.
 
Destinado a turmas de 1º ciclo do ensino básico, este desafio quer ajudar os alunos a descobrirem formas de poupar água através do trabalho em equipa e valorizando a criatividade e as actividades da área de Expressões. 
 
Depois de analisados todos os cartazes enviados a concurso, o júri da primeira fase do concurso, composto pela equipa da Direcção de Comunicação e Informação do Grupo Os Mosqueteiros e pela Direcção Editorial e de Marketing da Texto, elegeu um lote de 33 finalistas, onde está o cartaz da turma C do 3º ano da Escola Básica 1 de Arcos.
 
A votação, que está a decorrer até amanhã, dia 06 de Junho, está a ter lugar na página do concurso na Internet, em https://www.passatempo-pafi.pt/votacao/
 
Às três escolas mais votadas será oferecido um tablet, um diploma e crachás de participação, e ainda vales de compras do Grupo Os Mosqueteiros, a descontar no Intermarché, no valor de 750€, 500€ e 250€ para os primeiros, segundos e terceiros classificados. As crianças da turma vencedora receberão uma festa com a presença do Pafi, bem como uma experiência surpresa.
 
Para que a escola do concelho de Estremoz seja a vencedora deve aceder à página do concurso, e votar no cartaz nº 20, cartaz identificado como pertença da Escola Básica 1 de Arcos. Cada pessoa pode votar uma vez por dia.
Modificado em quarta, 12 junho 2019 01:08
De forma a assinalar condignamente o Dia Nacional da Gastronomia Portuguesa, o Município de Estremoz leva a efeito, entre os dias 8 e 10 de Junho, uma série de iniciativas na cidade branca do Alentejo.
 
Nos dias 8 e 9 de Junho, sábado e domingo, no Museu Municipal de Estremoz, irá estar patente a exposição "Tesouros da Gastronomia".
 
Tal como já noticiámos aqui, no dia 8 de Junho, sábado, no Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte, terá lugar a I edição do "Cultourwine", uma viagem pela cultura e com degustação de vinhos de Estremoz.
 
Sendo Estremoz e o seu concelho reconhecido nacionalmente como um dos maiores expoentes da gastronomia alentejana, o Município de Estremoz lançou o desafio à restauração do concelho para que, entre os dias 8 e 10 de Junho, escolhessem um prato que os representasse na iniciativa "Gastronomia Alentejana".
 
29 restaurantes aceitaram o desafio. Ardina do Alentejo apresenta-lhe de seguida os restaurantes participantes, bem como os pratos que irão apresentar.
 
ESTREMOZ
- Alentejo à Mesa (Rua Brito Capelo, 268 338 400 ou 917 580 110)
Plumas de porco Ibérico com migas de espargos e chips de batata
- Pousada Rainha Santa Isabel (Largo D. Dinis, 268 332 075)
Bacalhau confitado em azeite com migas de grão de bico
- Adega do Isaías (Rua do Almeida, n.º 21, 268 322 318)
Borrego assado no forno com batatas assadas
- Águias d’Ouro (Rossio Marquês de Pombal, n.º 27 e 29, 268 324 201)
Borrego em molho de espargos com esmigalhado de batata
- Alecrim (Rossio Marquês de Pombal, n.º 31, 268 324 189)
Rabo de boi estufado com puré de batata
- A Bela Palha (Avenida 9 de Abril, n.º 31, 268 332 015)
Pézinhos de coentrada com pão frito
- O Alentejano (Rossio Marquês de Pombal, n.º 14/15, 268 337 300 ou 967 286 311)
Guisadinho de javali
- A Ribatejana (Largo General Graça, n.º 41, 268 323 656)
Entrecosto frito ou grelhado com migas de coentros
- O Cantinho (Rua do Marmelo, n.º 2, 268 323 424)
Borrego assado no forno
- Venda Azul (Rua Victor Cordon, n.º 39, 268 333 095 ou 961 941 394 - 961 579 982)
Bacalhau à casa
- Espaço Equestre (Zona Industrial – 7100-147 Estremoz, 268 323 189 ou 962 300 775 - 917 734 802)
Migas à alentejana
- Flor da Coutada (Monte da Vinha - Estrada do Redondo, 916 003 144)
Favas com mouro
- Gadanha Mercearia (Largo Dragões de Olivença, n.º 84-A, 268 333 262, 965 171 521 - 969 929 540)
Bochechas de porco preto estufadas lentamente com esmagada de batata e puré de maçã
- Herdade das Servas (Herdade das Servas, Apartado 286, 7100-909 Estremoz, 268 098 080)
Bochechas de porco preto alentejano com esmagada de batata
- Kimbo (Rua 31 de Janeiro, n.º 20 ou 268 323 664)
Bacalhau Torricado
- Manjar de Estremoz (Zona Industrial, Lt. 34, 268 322 280, 961 036 415 - 965 206 198)
Carne frita do alguidar com migas de coentros
- O Jardim (Rossio Marquês de Pombal, n.º 52, 962 925 412)
Migas de batata com entrecosto e enchidos
- O Julião (Largo General Graça, n.º 52, 964 715 257 - 964 622 512)
Bochechas de porco preto estufadas com vinho tinto e migas
- O Serrote (Rua 1.º de Maio, n.º 71, 268 334 316)
Sopa de poejos com bacalhau
- Solar do Leão (Estrada do Caldeiro (cave), 268 334 138)
Lagartos de porco preto grelhados com esparregado
- Taberna do Chico (Rua Capitão Mouzinho de Albuquerque, n.º 5, 7100-519 Estremoz, 268 322 574 - 965 864 403)
Bochecha de porco preto cozinhada a baixa temperatura com espuma de batata
- Tasca O Carlos (Rua Victor Cordon, nº14, 268 322 315 ou 926 466 788)
Sopa de tomate
- Take Away Avenida (Av. Tomás Alcaide, n.º 56, 967 906 290)
Lagartos de porco preto com migas de batata
- Zona Verde (Largo Dragões de Olivença, n.º 86, 268 33 2008, 966 151 374)
Caldeirada de borrego
 
ARCOS
- Monte da Rosada (Largo da Rosada, n.º 36, 268 891 770)
Bacalhau com espinafres gratinado no forno
- O Fresquinho (Quinta das Pedras, Lt. 14, 268 840 317, 963 552 534)
Migas de tomate com carne do alguidar
- O Viajante (Maria Ruiva – Estrada Nacional 4, 268 841 363)
Cação com Ameijoas
 
ÉVORA MONTE
- O Emigrante (Praça dos Aviadores, n.º 37, 268 950 119)
Sopa de cação
 
GLÓRIA
- Cozinha dos Ganhões (Monte Barrinhos, 268 333 564)
Bochechas assadas no forno de lenha com vinho tinto
Modificado em quarta, 05 junho 2019 12:17
Através do Comando Distrital de Évora, a Polícia de Segurança Pública (PSP) pretende instalar na cidade de Estremoz, um sistema de videovigilância, apesar de esta intenção ter recebido um parecer desfavorável por parte da Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPD).
 
Na fundamentação anexada ao pedido de parecer, a força de segurança explica que o objectivo da instalação do sistema de videovigilância é o de prevenir crimes contra as pessoas e contra o património.
 
No entanto, a CNPD contrapõe que “a criminalidade diminuiu significativamente no último ano na cidade de Estremoz, em especial no que diz respeito aos crimes contra as pessoas e contra o património”, pelo que, considera, “os concretos fundamentos da utilização da videovigilância ficam reduzidos a bem pouco”.
 
Anteriormente a CNPD tinha de emitir autorizações para a instalação de sistemas de videovigilância, mas desde o dia 25 de Maio de 2018, com a aplicação do Regulamento Geral de Protecção de Dados (RGPD), que a referida comissão deixou de emitir autorizações para o tratamento de dados pessoais, incluindo de videovigilância, cabendo actualmente essa autorização ao Ministro da Administração Interna, sempre precedida de um parecer da CNPD.
 
Apesar de o pedido ter recebido um parecer desfavorável, o Comando Distrital de Évora pode avançar com a instalação do sistema de videovigilância, desde que o Ministério da Administração Interna (MAI), que tutela a PSP, dê para tal a autorização necessária.
 
Observando ambos os documentos, quer o parecer da CNPD, quer o pedido de parecer da PSP, é fácil de constatar que são antagónicas as apreciações das duas entidades em relação ao sistema de videovigilância a instalar em Estremoz.
 
Segundo o pedido de parecer, a PSP considera ser “notório” que “a confiança do cidadão nestes sistemas e na sua actualização tem vindo a crescer de forma significativa, existindo uma efectiva disponibilidade das pessoas para abdicar, na medida do necessário e em termos proporcionais, da sua privacidade em função da colocação de sistemas de videovigilância em espaços públicos, tendo consciência do potencial destes em matéria do aumento da sua segurança”. A CNPD, por sua vez, discorda, refutando que seja notório. “Na realidade, esta convicção carece de demonstração. Tanto mais que o número de participações e denúncias que os cidadãos apresentam à CNPD tem vindo a aumentar, revelando uma crescente consciência da importância da salvaguarda da sua privacidade, em especial no contexto dos espaços públicos”, expõe a CNPD, acrescentando ainda que “a alegada disponibilidade dos cidadãos para abdicar da privacidade não pode servir de fundamento para qualquer ponderação da proporcionalidade quanto à utilização do sistema de videovigilância descrito”.
 
No parecer da CNPD são ainda analisadas as características técnicas do equipamento. O sistema em questão teria um total de nove câmaras, que seriam colocadas “nas entradas históricas da cidade, na zona industrial e no centro da cidade, na principal praça pública”. Até aqui, a entidade nada aponta, mas o zelo pela privacidade dos cidadãos volta a vir à tona com uma das funcionalidades previstas para o sistema de videovigilância: a busca inteligente Intellex Smart Search, que permite “procurar imagens a partir de alertas pré-definidos”, lê-se. Em relação a esta funcionalidade, a CNPD tem algumas reservas. "Na realidade, o impacto da sua utilização na privacidade dos cidadãos pode ser significativo, sobretudo porque a sua utilização no contexto de videovigilância em espaços públicos (de acesso e circulação livres) para prevenção da criminalidade e segurança de pessoas e bens não se afigura justificada, em abstrato, desde logo no plano de adequação. [...] Na verdade, o sistema de busca inteligente aqui indicado é mais adequado para vigilância de espaços cuja utilização seja proibida ou seja proibida em determinado período do dia [...] ou no contexto da investigação criminal – função que não está a cargo da PSP”, escreve a CNPD.
 
c/ Jornal I
Modificado em terça, 04 junho 2019 16:34

Três feridos graves em desastre no IP2

domingo, 02 junho 2019 14:58
Três feridos graves é o resultado de um aparatoso despiste, ocorrido na manhã deste domingo, dia 2 de Junho, no Itinerário Principal 2 (IP2), junto ao cruzamento que liga as localidades de Veiros e Santo Amaro.
 
Segundo informações obtidas pelo Ardina do Alentejo junto do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora, os três feridos graves, três homens com idades compreendidas entre os 30 e os 40 anos, de nacionalidade romena, foram transportados para o Hospital Dr. José Maria Grande, em Portalegre.
 
Ainda segundo a mesma fonte, o alerta para o sinistro foi dado pelas 11:07 horas.
 
Estiveram no local a prestar auxílio às vítimas, 29 elementos dos Bombeiros Voluntários de Estremoz, Sousel e Monforte, da Guarda Nacional Republicana (GNR), e do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), auxiliados por 10 veículos.
 
O helicóptero do INEM chegou a aterrar em pleno IP2 mas não houve necessidade da sua utilização no transporte dos feridos.
 
As causas para este despiste são até ao momento desconhecidas, estando o mesmo a ser investigado pelo NICAV - Núcleo de Investigação Criminal de Acidentes de Viação da GNR.
 
 
Fotos de Ivo Moreira e Carlos Galarito
 
Modificado em domingo, 02 junho 2019 15:25