segunda, 22 outubro 2018
A turma C do 4º ano da Escola Básica do Caldeiro, em Estremoz, é uma das 30 finalistas do concurso “Vamos construir um cartaz com o Pafi”, iniciativa promovida pelo Grupo Os Mosqueteiros em parceria com a editora Texto.
 
O concurso “Vamos construir um cartaz com o Pafi” surge no âmbito do projecto de apoio aos bombeiros que o grupo detentor em Portugal das insígnias Intermarché, Bricomarché e Roady, tem vindo a desenvolver desde 2005.
 
Destinado a turmas de 1º ciclo do ensino básico, este desafio tem como objectivo promover a importância da prevenção dos incêndios florestais, através do trabalho em equipa e criatividade, aliado a actividades da área de Expressões.
 
Depois de analisados todos os cartazes enviados a concurso, o júri da primeira fase do concurso, composto pela equipa da Direcção de Comunicação e Informação do Grupo Os Mosqueteiros e pela Direcção Editorial e de Marketing da Texto, elegeu um lote de 30 finalistas, onde está o cartaz da turma C do 4º ano da Escola do Caldeiro.
 
A votação, que está a decorrer até à próxima sexta-feira, dia 15 de Junho, está a ter lugar na página do concurso na Internet, em https://www.passatempo-pafi.pt/votacao/
 
Às três escolas mais votadas será oferecido um tablet, uma visita à escola da autora Lara Xavier e da mascote Pafi, e ainda vales de compras do Grupo Os Mosqueteiros, a descontar no Intermarché, no valor de 750€, 500€ e 250€ para os primeiros, segundos e terceiros classificados. As crianças da turma vencedora receberão ainda um diploma e um crachá alusivo à participação.
 
Para que a escola estremocense seja a vencedora deve aceder à página do concurso, e votar no cartaz nº 24, cartaz identificado como pertença da Escola Básica do Caldeiro. Cada pessoa pode votar uma vez por dia.

MiETZ lança comunicado aos estremocenses

Escrito por quarta, 06 junho 2018 11:56
A sessão extraordinária da Assembleia Municipal de Estremoz, agendada para o passado dia 25 de Maio, que não se chegou a realizar por falta de quórum, continua a dar que falar.
 
Depois do comunicado enviado às redacções por parte da concelhia de Estremoz do Partido Socialista (PS), após a curta publicação da concelhia estremocense do Partido Social Democrata (PSD) na sua página na rede social Facebook, e depois das declarações à Diana FM do Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, Luís Mourinha, chegou a vez do MiETZ - Movimento Independente por Estremoz emitir o comunicado que transcrevemos na íntegra:
 
Na sequência do infeliz comunicado do PS de Estremoz, difundido na sua página na Internet e nas redes sociais, sobre a não realização de uma sessão extraordinária da Assembleia Municipal, no passado dia 25 de maio, o MiETZ vem pelo presente esclarecer o seguinte:
1. Com a legitimidade que a Lei lhe confere, o Grupo Municipal do Partido Socialista solicitou a marcação de uma sessão extraordinária da Assembleia Municipal de Estremoz, com o ponto único “Análise da situação relativa ao serviço de abastecimento de água, ao serviço de saneamento e ao serviço de recolha de lixo no concelho de Estremoz”, não tendo, contudo, entregue qualquer tipo de documento para apreciação pelos restantes deputados municipais;
2. Também nos termos da Lei, o senhor Presidente da Assembleia Municipal de Estremoz procedeu à marcação da referida sessão e à convocação dos deputados municipais. Aproveitamos para manifestar a nossa total confiança na postura e trabalho desenvolvido pelo senhor Presidente da Assembleia Municipal, Prof. Nuno Rato e na restante Mesa da Assembleia, que muito têm prestigiado e dignificado este órgão deliberativo;
3. O senhor Presidente da Câmara, na sua também legítima convicção, entendeu que sobre o assunto objeto da sessão já tinham sido prestados todos os esclarecimentos que deviam ser dados sobre estas matérias, pelo que comunicou ao senhor Presidente da Assembleia que não estaria presente na sessão e que não se faria representar;
4. O Grupo Municipal do MiETZ, considerando-se esclarecido sobre as questões levantadas pelo Partido Socialista, igualmente fez chegar à Comissão Permanente da Assembleia Municipal uma tomada de posição, manifestando a sua discordância com a realização desta sessão extraordinária, nos termos em que a mesma foi solicitada;
5. Nessa tomada de posição o MiETZ refere que é favorável à realização de sessões extraordinárias, desde que as mesmas tenham como objetivo o debate de questões transversais ao Concelho de Estremoz e/ou a aprovação de assuntos urgentes e inadiáveis, o que não foi o caso;
6. Os deputados municipais do MiETZ faltaram à sessão extraordinária, de forma totalmente legítima, pois o direito de estar presente em reuniões não é um direito que se sobreponha ao direito daqueles que entenderam não comparecer, pois ambos encontram assentos nos princípios constitucionais e éticos do sistema democrático português;
7. Mais, do comunicado distribuído pelo Partido Socialista, subentende-se claramente que a razão de ser da sessão se resumia a uma única questão: a existência de faturas de água por pagar ao Município;
8. Não nos cabe aqui analisar as tipologias e as motivações dos devedores do Município de Estremoz, seja de dívidas relacionadas com o fornecimento de água, seja quaisquer outras, e muito menos aferir acerca da razão de ser das mesmas, pois o MiETZ tem conhecimento que a Câmara Municipal está preocupada com a existência destas situações de incumprimento. Também sabe que têm sido efetuadas as diligências necessárias para que, com a parcimónia que é exigida neste tipo de questões, se consiga chegar a uma solução que sirva os interesses das partes. Temos consciência que estamos a lidar com pessoas e com um bem essencial à vida humana, que é a água, por isso, a Câmara Municipal não pode agir de forma cega, correndo o risco de criar mais problemas do que aqueles que já existem;
9. Infelizmente, a existência de dívidas dos munícipes não é uma situação nova, pois há décadas que se lida com ela, sendo a mesma inerente a todos os municípios portugueses;
10. O MiETZ estranha assim a postura do PS de Estremoz nesta data, pois em finais de 2009, quando a gestão socialista saiu do Município, a dívida de clientes à Câmara Municipal já era superior a 317 mil euros, referente a milhares de devedores, e não consta que, à época, o PS tenha solicitado a realização de qualquer sessão extraordinária para análise da situação. É caso para dizer: “faz o que eu digo, mas não faças o que eu faço!”;
11. Daqui podemos concluir que a marcação desta sessão extraordinária teve, para o Partido Socialista, um de dois propósitos: ou os deputados do PS queriam palco para demagogicamente criticar a gestão da Câmara Municipal, colocando questões para as quais não têm nem nunca tiveram solução no passado, ou pretendiam receber mais uma senha de presença para analisar uma situação cujo debate já se encontra esgotado!
Tendo em conta as questões colocadas pelo PS no seu comunicado, o MiETZ manifesta o seu total repúdio pela tentativa de aproveitamento político de matérias que são sensíveis a todos os munícipes e para as quais, usando das competências que lhe foram inequivocamente conferidas pelos eleitores, tenta diariamente dar resposta, através dos seus autarcas na Câmara Municipal, na Assembleia Municipal e nas Juntas e Assembleias de Freguesia.
Ademais, refira-se que os eleitos do MiETZ não têm medo nem nada a esconder, como interroga o PS no seu comunicado! A única coisa que provavelmente haveria a esconder, no caso em apreço, seria poupar os eleitos do PS ao ridículo, perante a sua arrogância e a forma como pretenderam utilizar este tema, em benefício da “politiquice”.
Concluindo, e porque todos nos revemos nos ideais democráticos que tão abusivamente são proclamados pelos elementos do PS local como sendo um exclusivo seu, só nos resta fazer votos para que os seus protagonistas evoluam na forma e na substância de fazer política, a bem dos próprios e dos Estremocenses.
A 28 de Junho de 1968, em Pavia, no concelho de Mora, foi ordenado sacerdote Fernando Gonçalves Afonso.
 
Com o intuito de assinalar as bodas de ouro dessa ordenação sacerdotal, uma comissão de paroquianos está a organizar uma sentida homenagem a quem dedicou tantos anos da sua vida a servir a Igreja e o Povo de Deus na diocese de Évora, mais concretamente no concelho de Estremoz, onde em 1984, fundou a importante obra sócio caritativa do Centro Social e Paroquial de Santo André.
 
O programa da homenagem, que se realiza no próximo dia 1 de Julho, Domingo, é o seguinte:
18:00 horas - Igreja de São Francisco – Estremoz - Celebração Eucarística presidida pelo Arcebispo de Évora, Dom José Francisco Alves;
19:30 horas – Restaurante Manjar de Estremoz - Jantar em honra e de homenagem ao Cónego Fernando Afonso.
 
As inscrições para a participação no jantar de homenagem terminam a 15 de Junho, podendo as mesmas ser feitas na Igreja de Santa Maria, no Banco de Roupas do Centro Social e Paroquial de Santo André, localizado na Igreja de São Francisco ou via telefone para os números 268334523 ou 961828222.
 
O Cónego Fernando Gonçalves Afonso nasceu a 24 de Janeiro de 1942, em Aldeia do Bispo, concelho do Sabugal.

Ao abrigo da Lei de Imprensa n.º2/99, de 13 de Janeiro, o Ardina do Alentejo recebeu de José Daniel Pena Sádio, Presidente da Concelhia do PS Estremoz, o Direito de Resposta ao artigo “Luís Mourinha explica qual a razão para ter faltado a Assembleia Municipal”, publicado a 29 de Maio de 2018, esclarecimento que aqui reproduzimos, na íntegra:

Ao abrigo do direito de resposta, solicitamos a V.Exa a divulgação do seguinte esclarecimento relativamente às declarações do Sr. Presidente da CME, Luís Mourinha, sobre o boicote à Assembleia Municipal do dia 25 de maio último:
1. Não compete ao Presidente da Câmara Municipal decidir sobre a marcação das sessões de Assembleia Municipal, sobre a pertinência dos assuntos a ser discutidos ou sobre os modos de funcionamento deste órgão e muito menos lhe compete evocar que não se justifica a marcação de uma reunião de Assembleia Municipal. Assim, atuando desta forma, é o próprio Presidente Luís Mourinha, que “anda a brincar à Política”, quando publicamente desautoriza o Sr. Presidente da Assembleia Municipal, Nuno Rato, que nos termos da lei tinha convocado a respetiva Assembleia.
2. Importa também esclarecer que há cerca dois meses, foram solicitados documentos, relativos à questão da água, ao Sr. Presidente da Câmara, os quais ainda não foram facultados aos deputados municipais.
3. O Sr. Presidente da Câmara Municipal falta à verdade, quando afirma que o PS deixou por cobrar “mais de 317 mil euros na câmara de dívidas de clientes da água e outros serviços”. Segundo o documento de prestação de contas de 2009, aprovado pelo MiETZ, estavam por cobrar em 31 de dezembro desse ano, em vendas de bens e serviços, cerca de 88 mil euros.
4. No que se refere aos motivos apresentados pelo Sr. Presidente, sobre o mais de meio milhão de euros de dívida de água, facilmente se percebe que a questão não tem exclusivamente a ver com empresas que faliram e muito menos com pessoas que se divorciaram. Ao não aplicar o regulamento, o executivo MiETZ, permite que continuem a existir consumidores com dívidas de milhares de euros, muitos deles há vários anos.
5. A atitude política do Sr. Presidente da Câmara, de negação da prestação contas aos eleitos municipais, é reveladora de uma total falta de respeito para com os eleitos da Assembleia Municipal e para com todos os estremocenses.
6. A subserviência do Sr. Presidente da Assembleia Municipal ao Sr. Presidente da Câmara é reveladora de quem não consegue distinguir entre o cargo que ocupa e a posição de militante do MiETZ.
7. Temos o direito de ser esclarecidos, exigimos respostas! Não nos vão calar!
 
O Presidente da Comissão Política Concelhia do PS Estremoz
José Daniel Pena Sádio
Conforme o Edital nº 11, publicado a 14 de Maio, esteve marcada para a passada sexta-feira, dia 25 de Maio, uma Assembleia Municipal Extraordinária para discussão da questão do Abastecimento Público de Água, Saneamento Básico e Serviço de Recolha de Lixo.
 
Esta reunião, solicitada pelo Grupo Municipal do Partido Socialista (PS), acabou por não se realizar por falta de quórum, devido à falta dos deputados do MiETZ - Movimento Independente por Estremoz, do MIPA - Mais Independência para Arcos e do MUPE - Movimento Unidos por Estremoz, para além da ausência do executivo camarário e da Mesa da Assembleia Municipal.
 
Ao que o Ardina do Alentejo conseguiu apurar o Presidente da Câmara Municipal de Estremoz e os restantes eleitos pelo MiETZ - Movimento Independente por Estremoz faltaram à sessão extraordinária da Assembleia Municipal em protesto contra o PS.
 
Em declarações à Diana FM, Luís Mourinha, presidente do município estremocense e o principal rosto do MiETZ, afirmou que o tema não justifica uma sessão extraordinária da assembleia municipal.
 
Não faz sentido marcar uma assembleia extraordinária para discutir este assunto, que, aliás, já tinha sido discutido anteriormente em duas assembleias municipais. Portanto, não andamos aqui a brincar à política”, argumenta.
 
O autarca criticou o PS por alegadamente não ter apresentado um documento sobre o tema, considerando que “um partido responsável, que quer marcar uma assembleia, apresenta um documento para que as outras forças políticas o possam discutir”.
 
Por isso mesmo explica que os eleitos pelo MiETZ, com a sua posição, quiseram manifestar “o direito à indignação contra o PS”.
 
Luís Mourinha acusa o PS de ter deixado “mais de 317 mil euros na câmara” de dívidas de clientes da água e outros serviços, sublinhando que, na altura, “não fez nenhuma assembleia extraordinária para tentar resolver” o problema.
 
O autarca confirmou à rádio eborense que a dívida da água é de cerca de 500 mil euros e que se chegou a este montante porque “há empresas que vão à falência e pessoas por divórcio ou outros motivos não conseguem pagar”.
 
Há também uma questão que não nos podemos esquecer que foi a ‘troika’ que aqui passou e as dificuldades que as famílias tiveram”, acrescenta.
 
O Presidente da Câmara Municipal de Estremoz realça ainda que não tem problemas em debater qualquer assunto, inclusive a dimensão da dívida da água, mas recusou discutir a questão dos devedores, porque “é um relacionamento comercial entre o Município e as pessoas”.
 
c/ DIANA FM
Conforme o Edital nº 11, publicado a 14 de Maio, esteve marcada para a passada sexta-feira, dia 25 de Maio, uma Assembleia Municipal Extraordinária para discussão da questão do Abastecimento Público de Água, Saneamento Básico e Serviço de Recolha de Lixo.
 
Esta reunião, solicitada pelo Grupo Municipal do Partido Socialista (PS), acabou por não se realizar por falta de quórum, devido à falta dos deputados do MiETZ - Movimento Independente por Estremoz, do MIPA - Mais Independência para Arcos e do MUPE - Movimento Unidos por Estremoz, para além da ausência do executivo camarário e da Mesa da Assembleia Municipal.
 
Através de um comunicado enviado às redacções, o PS de Estremoz assegura que “a Assembleia Municipal de Estremoz foi palco de um episódio que deve envergonhar todos os estremocenses”.
 
Na missiva, os socialistas estremocenses questionam o executivo liderado por Luís Mourinha: “De que têm medo? O que têm a esconder?”, afirmando que “há muita coisa para esclarecer acerca do assunto” visto que “meio milhão de euros de faturas por cobrar não se acumulam num mês, num ano, num mandato…”.
 
No mesmo comunicado é ainda visado Nuno Rato, Presidente da Assembleia Municipal de Estremoz, que segundo os socialistas estremocenses “faltou à sessão que ele próprio convocou, contrariando a lei e o juramento que fez na tomada de posse”, questionando ainda “não deverá ele próprio tirar as consequências da sua atitude?”.
 
Criticando fortemente o sucedido no passado dia 25 de Maio, o PS de Estremoz chega mesmo a afirmar: "Tenham vergonha! Demitam-se!".
 
Segundo os socialistas de Estremoz, "a recusa deliberada em participarem numa Sessão da Assembleia Municipal, revela a essência do comportamento daqueles que apregoam que não se justifica celebrar o 25 de Abril".
 
Também a concelhia de Estremoz do Partido Social Democrata (PSD), através de uma curta mensagem publicada na sua página oficial na rede social Facebook, também já reagiu a esta polémica, salientando que “o Presidente da Assembleia Municipal prestou um péssimo serviço à democracia em Estremoz”, acrescentando ainda que “o MiETZ não pode fugir ao diálogo e debate de ideias”.
 
Lamentando “o clima de crispação que continua naquele órgão” o PSD afirma que “temas como o abastecimento de água e a recolha de lixo são assuntos sérios e de interesse para todos” e que “os estremocenses merecem mais respeito por parte daqueles que democraticamente foram eleitos”.
 
Em relação ao facto da deputada municipal do PSD, Cândida Lóios, eleita pelo MUPE, não ter marcado presença na referida Assembleia Municipal, os sociais-democratas estremocenses revelam que o mesmo aconteceu “por motivos profissionais”.
 
Contactado pelo Ardina do Alentejo, Nuno Rato, Presidente da Assembleia Municipal de Estremoz, disse nada ter "a comentar sobre este assunto e que futuramente tomará todas as acções legais, dentro da sua competência, sobre estas matérias".
Por iniciativa da Associação Glória Jovem, que continua a trabalhar para ir ao encontro de reavivar as tradições e os costumes junto da população jovem, mantendo o elo de ligação entre as várias gerações, a freguesia estremocense de Glória vai viver, no próximo dia 09 de Junho, Sábado, um dia recheado de animação e de actividades.
 
A alegria e boa disposição tem início logo pelas 09 horas da manhã, com a realização de um Peddy Paper, cuja partida acontece junto ao polidesportivo.
 
Já no período da tarde, pelas 15.30 horas, no Salão da Junta de Freguesia, terá lugar um desfile de moda, seguido da actuação do grupo Zumba Glória, actuação essa que se encontra agendada para as 16.30 horas.
 
Às 17 horas acontece um Passeio de Veículos Clássicos, sendo que para obter mais informações ou efectuar as suas inscrições devem os interessados contactar os números 965821175 ou 919478209 ou então o e-mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
 
Quando os relógios marcarem 19 horas, de forma a comemorar os Santos Populares, o largo da Junta de Freguesia da Glória irá receber uma Sardinhada.
 
Para além das saborosas sardinhas, a noite será animada pelo popular organista António Véstias.
 
Esta organização da Associação Glória Jovem, conta com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz, da Junta de Freguesia da Glória, do portal de informação Ardina do Alentejo, do jornal Brados do Alentejo, da Boutique Orquídea e da AVCE – Associação dos Veículos Clássicos de Estremoz.
Para fazer as delícias de miúdos e graúdos, o maior espectáculo do mundo, está de regresso a Estremoz.
 
Fundado em 2013, o Circo Nery apresenta na cidade branca do Alentejo, no terreno junto às Portas de Santa Catarina, quatro espectáculos durante o próximo fim-de-semana, sexta-feira, dia 25 de Maio, às 21.30 horas, Sábado, dia 26, às 16 e às 21.30 horas, e Domingo, dia 27, às 16 horas.
 
O Circo Nery traz até Estremoz um espectáculo inesquecível, onde não vão faltar trapezistas, malabaristas, palhaços, a Mulher Lazer, o Duo Orion, e a grande atracção do Circo Nery, Jedy, o tigre branco, para além de muitas outras surpresas...
 
O Ardina do Alentejo proporciona-lhe a possibilidade de ir ao maior espectáculo do mundo. Para tal basta participar no nosso passatempo, cujas informações estão disponíveis no Facebook do Ardina do Alentejo, em https://www.facebook.com/ArdinadoAlentejo/
É já no próximo fim de semana, dias 19 de Março (sábado) e 20 de Março (domingo), que decorrerá o “Festival da Rainha - V Feira Medieval”, onde a história se irá reviver, no Castelo de Estremoz.
 
Os objectivos do "Festival da Rainha" são a promoção turística e o desenvolvimento económico do concelho de Estremoz, através da evocação dos valores subjacentes à sua História e Património, recorrendo para tal a uma recriação histórica do período medieval, em concreto no que diz respeito às temáticas relacionadas com a figura da Rainha Santa Isabel (séculos XIII/XIV).
 
O evento tem entrada gratuita e o programa é lhe apresentado de seguida pelo Ardina do Alentejo.
 
Esta iniciativa é uma organização do Município de Estremoz e da Escola Secundária Rainha Santa Isabel de Estremoz (Curso Técnico de Turismo e Curso Técnico de Turismo Ambiental e Rural).