domingo, 21 outubro 2018
No passado domingo, dia 19 de Agosto, o final do dia de funcionamento do supermercado Continente Modelo, em Estremoz, foi deveras atribulado, com desacatos provocados por elementos de etnia cigana, moradores junto da superfície comercial estremocense, e que envolveram agressões ao segurança de serviço e a agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP), para além do arremesso de bens que se encontravam fora das linhas de caixas e da destruição das portas de entrada do supermercado.
 
O que se passou conta-se em breves linhas. Ao que o Ardina do Alentejo conseguiu apurar, cerca das 21:15 horas, vários jovens moradores do Bairro das Quintinhas, terão alegadamente furtado alguns objectos do interior do estabelecimento, numa prática que, segundo os funcionários do Continente Modelo de Estremoz, já se tornou recorrente. O segurança que se encontrava de serviço identificou alguns desses jovens e chamou a PSP, que de pronto se deslocou ao local. Depois de relatada a situação, os elementos da PSP deslocaram-se até ao Bairro das Quintinhas não tendo conseguido no entanto a localização dos presumíveis autores dos furtos.
 
Volvidos escassos minutos, vários familiares dos jovens identificados pelo segurança, irromperam pelo interior do supermercado tendo como único objectivo o de agredirem o segurança, tendo forçado mesmo a passagem para o interior do balcão de atendimento da superfície comercial. Os polícias presentes no local intervieram, mas cada vez eram mais os elementos de etnia cigana presentes no supermercado, num número estimado em cerca de 40, e que começaram a arremessar vários objectos que se encontravam fora das linhas de caixas, como malas de viagem, cadeiras de madeira, vasos de loiça, entre outros.
 
Durante os desacatos, o segurança e um dos polícias presentes no local foram agredidos, não tendo recebido tratamento hospitalar. Um outro agente da autoridade foi atingido por uma cadeira de madeira, que lhe provocou ferimentos no braço esquerdo e nas costas, tendo sido conduzido ao Serviço de Urgência Básica do Centro de Saúde de Estremoz, onde recebeu assistência hospitalar.
 
Ao que o Ardina do Alentejo conseguiu apurar, foram ainda chamados ao local agentes da autoridade que se encontravam de folga, assim como os militares da Guarda Nacional Republicana (GNR), que chegaram após a saída dos elementos de etnia cigana.
 
Segundo relatos de clientes presentes no estabelecimento comercial, antes de abandonarem as instalações, e já depois dos elementos das forças de segurança terem usado gás pimenta para expulsar os prevaricadores da superfície comercial, os agressores despejaram algumas latas de tinta pelo chão, e danificaram várias bicicletas que se encontram à entrada do Modelo, assim como as portas de entrada do supermercado.
 
Contas feitas por alto, os danos ascendem os cinco mil euros. Relatado ao Ardina do Alentejo por vários clientes presentes no momento dos desacatos, no dia seguinte eram vários os elementos envolvidos nos distúrbios que se encontravam às compras no Modelo, num claro “sentimento de impunidade”.
 
Em declarações ao Ardina do Alentejo, o Comissário João Carvalho, Comandante da Esquadra da PSP de Estremoz, referiu que o que se passou no passado domingo, “pelas 21:30 horas, foi um desentendimento entre famílias residentes no Bairro das Quintinhas e a segurança do Modelo, tendo a PSP sido chamada ao local. Verificando que havia alterações da ordem pública, porque não acatavam as decisões do segurança de serviço, a polícia utilizou os meios necessários para por cobro à situação, à alteração da ordem pública que havia, tendo os prevaricadores sido expulsos do local e identificados. Na sequência desse desentendimento foram provocados alguns danos, que já foram avaliados pela entidade comercial”. Salientou ainda que “o processo decorre em fase de inquérito e dentro da normalidade”, não tendo havido “detenções”.
 
Questionado se o Bairro das Quintinhas é um núcleo habitacional que preocupa a PSP de Estremoz, João Carvalho salientou que “tudo preocupa a PSP desde que fuja à normalidade, não é questão de ser aquele grupo populacional. Tudo o que fuja à normalidade e que sejam prevaricadores, a policia tem de actuar e tem de manter a ordem pública que foi o que fez naquele local”.
 
Garantiu que “podem as pessoas de Estremoz estarem descansadas que a policia local quando surgem pequenos focos de instabilidade ou incivilidades, como foi o caso, a policia tem poderes para controlar esses casos, tal como o que aconteceu com a identificação das pessoas, que hão-de responder pelos actos que cometeram”.
 
Para o Comandante da Esquadra da PSP de Estremoz, o facto do quartel da GNR ser “paredes-meias” com o Bairro das Quintinhas e com a superfície comercial Continente Modelo e ser a PSP a ter de actuar quando ocorrem situações de desacatos é um não assunto. “A área geográfica está bem definida. A nossa área geográfica de policiamento está demarcada. O Modelo é da competência da policia, é a primeira força de segurança, a que tem prioridade e competência para actuar”.   
Através de edital publicado no site da Câmara Municipal de Estremoz, a autarquia liderada por Luís Filipe Mourinha informa que no próximo dia 17 de Agosto, pelas  09:30 horas, realizar-se-á no Salão Nobre dos Paços do concelho, uma sessão extraordinária do executivo da Câmara Municipal estremocense cujo único ponto da ordem de trabalhos diz respeito ao Concurso Público para a Empreitada de "Reabilitação e Requalificação das Portas dos Currais e Muralhas Adjacentes".
 
Nessa reunião da próxima sexta-feira será levado a votação a adjudicação do respectivo procedimento concursal, bem como a aprovação da minuta do Contrato n.º 35/2018.
 
Com esta reunião, e acreditando que por força da maioria do MiETZMovimento Independente por Estremoz no executivo camarário estremocense, este ponto único da ordem de trabalhos será aprovado, é dado um passo de extrema importância no que concerne à reabilitação e requalificação das Portas dos Currais e Muralhas adjacentes, um dos principais acessos à cidade branca do Alentejo.
   
De recordar que, em Julho de 2016, o Município de Estremoz desenvolveu  ao Programa Operacional Regional do Alentejo 2020 uma candidatura tendo em vista a Reabilitação e Requalificação das Portas dos Currais e Muralhas Adjacentes.
 
Após vários impasses burocráticos, a candidatura elaborada no âmbito do Aviso ALT20-14-2016-11 – Património Natural e Cultural do Alentejo 2020, foi finalmente aprovada pelo Programa Operacional Regional do Alentejo, em Junho de 2017.
 
Esta obra, que representa um investimento total de 846.622,70€, será comparticipada a 75% pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).
 
As Portas dos Currais, que integram o conjunto monumental das muralhas seiscentistas de Estremoz, classificado como Monumento Nacional desde 1925, são o principal acesso sul à cidade e encontram-se em avançado estado de degradação, devido a infiltrações existentes na sua cúpula, sendo urgente a sua recuperação, não só para valorização do património como também para segurança de pessoas e bens.
 
A intervenção prevê a recuperação das Portas dos Currais, da Casa de Armas e parte da muralha adjacente, até ao Baluarte do Páteo dos Solares, de um dos lados, e ao Baluarte de São José, do outro lado.

Freguesia de Glória vai estar em festa

Escrito por sábado, 11 agosto 2018 11:28
Nos dias 17, 18 e 19 de Agosto, todos os caminhos vão dar à freguesia estremocense de Glória, por ocasião das Festas em honra de Nossa Senhora de Glória.
 
Organizadas pela Associação Glória Jovem e pela Comissão Fabriqueira da Paróquia de Glória, as Festas em honra de Nossa Senhora de Glória prometem três dias de muita diversão e convívio.
 
Ardina do Alentejo apresenta-lhe de seguida o programa das festas de 2017 na freguesia de Glória.
 
Sexta-feira – 17 de Agosto
17:00 horas – Abertura do recinto das festas
18:00 horas – Garraiada ao uso da região com gado da Herdade Monte do Outeiro
22:00 horas – Baile abrilhantado pelo músico Pedro Pé Leve
 
Sábado – 18 de Agosto
18:00 horas – Actuação dos grupos de dança Flashdance, Tanzer e Juvendance
20:00 horas – Peregrinação pela freguesia, acompanhando a figura de Nossa Senhora de Glória
21:00 horas – Actuação do Grupo de Cantares "Os Manaças"
22:30 horas – Baile abrilhantado pelo músico Claudio Rosário
 
Domingo – 19 de Agosto
10:00 horas – Passeio de Motos e Motorizadas - Organização AVCE (ver cartaz próprio) - contactos: 965820175 / 919478209
18:00 horas – Eucaristia em honra de toda a população da freguesia
20:00 horas – Actuação do Grupo de Cavaquinhos de Estremoz
22:30 horas – Baile abrilhantado pelo músico Paulo Lopes
 
Como já vem sendo tradição, no recinto das festas funcionará um esmerado serviço de bar, onde não faltará o saboroso frango assado, a fresca cerveja, e o bom vinho da região.
Numa organização conjunta entre a Câmara Municipal de Estremoz e a Paróquia de Santo André, vão decorrer de 31 de Agosto a 2 de Setembro, no Rossio Marquês de Pombal, em Estremoz, a edição de 2018 das grandiosas Festas da Exaltação da Santa Cruz.
 
As também denominadas Festas da Cidade trazem novidades para este ano, como é o caso dos espectáculos de fogo de artifício, que vão acontecer todos os dias. 
 
Ardina do Alentejo apresenta-lhe de seguida o programa das festividades que em 2018 apresentam como “prato forte” as actuações de Leandro, Romana e Victor Rodrigues, no palco principal.
 
31 de AGOSTO
18 horas - Santa Missa, na Igreja de São Francisco;
21 horas - Procissão com as imagens venerandas de Nossa Senhora das Dores e do Senhor dos Passos, da Igreja dos Congregados para a Igreja de São Francisco;
21 horas - Corrida de Toiros (ver programa próprio);
22 horas - Abertura do Arraial. Divertimentos, carrosséis, rifas, bares, quermesses e outros;
23 horas - Um espectáculo extraordinário: LEANDRO e a sua banda;
00:30 horas - Música de Baile com Paulo Lopes;
01 hora - Espectáculo de Fogo de Artifício;
01:15 horas - Continuação de música de baile.
 
1 de SETEMBRO
09:30 horas - Desfile com a Banda da Sociedade Filarmónica Luzitana;
11:30 horas - Desfile da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Estremoz;
12 horas - Animação da cidade com morteiros e foguetes;
15 horas - Encontro de Grupos de Cavaquinhos, no Teatro Bernardim Ribeiro;
17 horas - Recepção da Banda da Filarmónica Luzitana à Banda de Cabrela;
18 horas - Santa Missa, na Igreja de São Francisco;
21 horas - Actuação da Banda da Sociedade Filarmónica Luzitana e da Banda de Cabrela, no Coreto Municipal;
22 horas - Actuação do Grupo de Dança Traquinas & All Star (palco lateral);
22 horas - Abertura do Arraial. Fogo de Artifício;
23 horas - Uma voz que nos encanta: ROMANA;
00:30 horas - Música de Baile com Miguel Bravo;
01:30 horas - Sensacional espectáculo de Fogo de Artifício;
01:45 horas - Continuação de música de baile.
 
2 de SETEMBRO
09:30 horas - Saudação à população e visitantes com desfile pelas ruas da cidade, pela Banda da Sociedade Filarmónica Artística Estremocense;
09:30 horas - Animação da cidade com morteiros e foguetes;
11 horas - Baptismos na Igreja de São Francisco;
11:15 horas - Concentração dos Pendões das Freguesias no Pelourinho seguindo para a Igreja de São Francisco, acompanhados pela Banda da Sociedade Filarmónica Artística Estremocense;
12 horas - Na Igreja de São Francisco, celebração da Eucaristia da Festa;
18 horas - Santa Missa, na Igreja de São Francisco;
21 horas - Concerto da Banda da Sociedade Filarmónica Artística Estremocense, no Coreto Municipal;
22 horas - Actuação do Grupo de Dança Ginarte (palco lateral);
22 horas - Abertura do Arraial. Salva de morteiros;
23 horas - Um nome sensação, que incendeia o público: VICTOR RODRIGUES e a sua Banda;
00:30 horas - Música de Baile com Paulo Lopes;
01 hora - Espectáculo de Fogo de Artifício;
01:15 horas - Continuação de música de baile.
A direcção nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP) emitiu um comunicado sobre a assistência prestada aos seis jovens feridos, dois dos quais com gravidade, no incêndio que deflagrou no passado sábado, na zona da Sotileira, na União de Freguesias de São Bento do Cortiço e Santo Estêvão, no concelho de Estremoz.
 
A PSP garante que o operador do Centro Operacional Sul (COSUL) 112 reagiu “com diligência” perante o perigo que lhe foi reportado. Este comunicado surge na sequência de uma notícia do jornal online Observador, que refere que, quando as chamas chegaram próximo da casa onde estavam os jovens, um deles ligou para o 112, pedindo ajuda. Uma familiar de um dos feridos, Ana Marques, citada pelo referido jornal online, disse que a resposta do operador foi que não sabia onde era o Monte do Cerradinho, o local onde eles se encontravam, “e que, sendo assim, não podiam enviar ninguém”.
 
A mesma fonte adiantou ainda que o operador, antes de desligar, desejou-lhes “boa sorte”. E os jovens fugiram do local, separando-se, em três grupos de duas pessoas. Segundo conseguiu apurar o Ardina do Alentejo, um casal foi retirado das imediações do local onde lavravam as chamas por um agente da PSP, que os levou na sua própria viatura até ao Serviço de Urgência Básica (SUB) do Centro de Saúde de Estremoz (CSE). Um outro casal caminhou ao longo da linha do caminho-de-ferro até chegarem aos Casais de Santa Maria, um bairro na periferia da cidade de Estremoz, onde foram socorridos por António Miguéns, que os transportou até ao SUB do CSE. Os outros dois jovens, dois rapazes, deram entrada igualmente no SUB do CSE depois de ali terem sido levados por um ex-GNR.
 
Na nota, a PSP reporta algo diferente: às 18:44 horas, foi recebida uma chamada no COSUL 112, feita por um jovem que relatava um incêndio que já teria atingido a casa onde se encontrava com os amigos. O operador, “apercebendo-se da gravidade da situação e o risco que os jovens corriam, procurou determinar a sua localização e do incêndio, para efeito de reencaminhamento da ocorrência para as entidades competentes, sendo que já anteriormente tinham sido accionados meios para um incêndio, na mesma zona”.
 
Depois, “manteve a ligação com o jovem durante cerca de oito minutos”, procurou obter mais informação, “enquanto diligenciava pela localização” do grupo. Mas, no decurso da chamada, apercebeu-se da “chegada de um veículo particular que terá prestado socorro aos jovens”, levando-os para uma unidade de saúde. “Perante a existência do socorro no local e a retirada dos jovens da zona perigosa, o operador efectivamente desejou boa sorte, principalmente por ter indicação" de que eles se encontravam feridos.
 
Posteriormente, cerca das 18:56 horas, “foi recebida uma chamada de um familiar dos jovens, o qual informou o local exacto onde estariam inicialmente e de onde tinham saído em fuga ao incêndio, informação adicional que foi remetida às entidades competentes”, acrescenta a nota da PSP. “Refira-se que a georreferenciação de chamadas móveis, apenas é possível em relação à antena accionada pelo equipamento móvel, o que pode compreender uma área muito extensa, importando, para o accionamento eficaz dos meios de socorro, ter referências que possibilitem o seu adequado direccionamento pelas entidades competentes”.
 
Perante os dados disponíveis, a PSP considera que operador do COSUL 112 “procedeu com diligência, procurando manter a ligação telefónica com o jovem, por forma a obter dados de localização para a remessa de dados e accionamento dos meios de socorro, só terminando a chamada quando foi garantido o transporte dos jovens para fora da zona de risco”.
 
No dia de ontem, segunda-feira, duas jovens de 20 e 25 anos continuavam internadas em hospitais de Lisboa numa situação clínica "grave", divulgou a administração de saúde. E outro estava internado em Coimbra com queimaduras de segundo grau em cerca de 30% da superfície corporal, mas em estado estável, noticiou a Lusa.
 
c/ Público
Um incêndio de grandes dimensões deflagrou este sábado, dia 4 de Agosto, na zona da Sotileira, na União de Freguesias de São Bento do Cortiço e Santo Estevão, no concelho de Estremoz.
 
O incêndio rural, que deflagrou cerca das 18:30 horas, no Monte da Chapada, consumiu uma vasta área de pasto, que não está ainda contabilizada. Vários fardos de palha, bem como diversas oliveiras e azinheiras foram igualmente dizimadas pelas chamas.
 
O incêndio, que foi dado como controlado às 20:55 horas, teve como causa principal, segundo o Comandante dos Bombeiros Voluntários de Estremoz, Carlos Machado, “um raio que caiu em cima de duas linhas eléctricas, que provocou uma faísca e que em conjunto com as condições climatéricas adversas, o muito calor e o muito vento que fazia sentir na altura, propagou de uma forma muito rápida este incêndio”.
 
Este incêndio provocou seis feridos civis, dois em estado grave, e ainda indisposição numa bombeira da corporação vizinha de Borba, que foi transportada ao Serviço de Urgência Básica do Centro de Saúde de Estremoz.
 
Segundo conseguimos apurar no local, os feridos civis, que sofreram várias queimaduras, tentavam fugir do local, mais concretamente do Monte do Cerradinho, nas suas próprias viaturas, tendo sido atingidos pelo incêndio. Todos os feridos não são habitantes do concelho de Estremoz, encontrando-se nesta região do país a passar férias. Ao que o Ardina do Alentejo conseguiu apurar, alguns dos feridos civis têm familiares na região.
 
Os dois feridos graves, duas raparigas, uma com 24 anos de idade e outra com 20 anos, foram transportados por helicópteros do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) para unidades hospitalares da região de Lisboa. A rapariga de 20 anos foi evacuada do Heliporto Municipal de Estremoz para  o Hospital de São José, enquanto que a rapariga de 24 anos foi transportada de ambulância do Centro de Saúde de Estremoz para o Hospital do Espírito Santo de Évora, tendo sido posteriormente evacuada pelo helicóptero do INEM para o Hospital de Santa Maria. Ao que conseguimos apurar, ambas têm queimaduras extensas mas não correm risco de vida.
 
Os restantes quatro feridos, todos do sexo masculino e com idades compreendidas entre os 20 e os 25 anos, foram transportados de ambulância para o Hospital do Espírito Santo de Évora. Segundo fonte do INEM, dois dos feridos vão ser submetidos a cirurgias plásticas, e um ferido já teve ordem de transferência, aquele que foi por momentos dado como ferido grave, para uma unidade de queimados. Uma quarta vítima deste incêndio já teve alta hospitalar.
 
Estiveram no local 86 operacionais, apoiados por 29 veículos, dos bombeiros, sapadores florestais, GNR, Serviço Municipal de Protecção Civil e juntas de freguesia do concelho.
 
Reportagem fotográfica de Ivo Moreira para conferir em https://www.facebook.com/pg/ArdinadoAlentejo/photos/?tab=album&album_id=1648878258572757.

Antiga Casa da Câmara volta à hasta pública

Escrito por sábado, 04 agosto 2018 00:53
Dois anos depois, a Antiga Casa da Câmara volta à hasta pública.
 
Em reunião do executivo da Câmara Municipal de Estremoz, realizada no Salão Nobre do edifício dos Paços do Concelho, na passada quarta-feira, dia 01 de Agosto, foi deliberado por maioria, com os votos favoráveis do vice-presidente da autarquia, Francisco Ramos, e das vereadoras Márcia Oliveira e Sílvia Dias, a abstenção da vereadora socialista Sónia Ferro, e com os votos contra dos vereadores socialistas José Daniel Sádio e Nuno Madruga, proceder à venda, por hasta pública, do prédio da Antiga Casa da Câmara, sito na Rua do Arco de Santarém, em Estremoz.
 
A praça para venda do imóvel, ao qual apenas será permitida a utilização para fins turísticos, realizar-se-á no Salão Nobre da Câmara Municipal de Estremoz, no dia 22 de Agosto, iniciando-se pelas 10 horas e 30 minutos, podendo intervir os interessados ou os seus representantes, devidamente identificados e, no caso de pessoas colectivas, habilitados com poderes bastantes para arrematar.
 
O valor base de licitação do imóvel, composto por rés-do-chão, 1.º e 2.º andares, com 423,00 m2 de superfície coberta e logradouro com a área de 556,00 m2, é de 150 mil euros.
 
O edifício, também conhecido como Casa do Alcaide-Mor, foi classificado como Monumento Nacional a 20 de Junho de 1924.
 
A autarquia estremocense informa que “o imóvel pode ser observado pelos interessados, no respectivo local, sendo necessário o pré-agendamento da visita, presencialmente no Sector de Fiscalização ou através do número de telefone 268339200”.
 
De recordar que há dois anos atrás, mais concretamente a 14 de Abril de 2016, a antiga Casa da Câmara já tinha sido alvo de hasta pública, tendo na altura sido provisoriamente adjudicada a John Ryan, residente no Monte das Oliveiras, na freguesia da Glória, em representação da empresa americana Iris Holding Group, com sede em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América, e com sucursal na Praça Luís de Camões, em Estremoz. Na altura, o valor de venda ficou fixado em 279 mil euros, tendo sido o valor base de licitação de 50 mil euros. A venda acabou por não se concretizar, uma vez que o arrematante pagou o sinal de 27.900 euros com um cheque sem provisão. 
A Produção de Figurado em Barro de Estremoz, da qual resultam as figuras de barro vulgarmente conhecidas por “Bonecos de Estremoz”, vai fazer parte integrante da mais recente emissão de selos lançada pelos CTT – Correios de Portugal e pela Direcção de Filatelia.
 
Esta nova emissão, a lançar durante o mês de Agosto, é dedicada ao Património UNESCO, e nela estão incluídos, para além dos Bonecos de Estremoz, o Fabrico de Chocalhos e a Louça de Bisalhães.
 
De forma a assinalar o lançamento desta emissão de selos, o primeiro selo será vendido na Estação de Correios de Estremoz, pelo preço de 0,86 €.
 
A Produção de Figurado em Barro de Estremoz foi inscrito, a 7 de Dezembro de 2017, na Lista Representativa de Património Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO, no decurso da 12.ª Reunião do Comité Intergovernamental da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura para Salvaguarda do Património Cultural Imaterial, que decorreu na ilha de Jeju, na Coreia do Sul.
O Salão Nobre da Câmara Municipal de Estremoz recebeu no dia de ontem, terça-feira, 10 de Julho, a cerimónia de assinatura dos acordos de delegação de competências entre a autarquia estremocense e as Juntas de Freguesia do concelho.
 
Os acordos agora assinados dizem respeito à delegação de competências na área da gestão e conservação de arruamentos urbanos, conservação e limpeza de bermas e valetas das estradas e caminhos municipais, gestão e conservação dos edifícios escolares e conservação de espaços verdes.
 
Foram igualmente assinados os contratos interadministrativos de delegação de competências de gestão e conservação de equipamentos municipais e de gestão de lixos grossos, na área das freguesias que quiseram assumir estas competências.
 
No total, estes acordos e contratos representam um investimento nas nove freguesias do concelho por parte do Município liderado por Luís Filipe Mourinha, que ascende a cerca de 240 mil euros anuais.
 
Em nota de imprensa enviada às redacções, o Município de Estremoz garante que irá “continuar a apostar na celebração de delegação de competências nas freguesias, pois estas estão mais próximas das carências das pessoas e que melhor conhecem o território, pelo que estão mais aptas a solucionar os problemas com que se debatem”.
 
A edilidade estremocense assegura que “através desta descentralização de competências e de mais recursos para as freguesias garante-se a realização de pequenas obras e acções que vão ao encontro das necessidades efectivas das populações e que são mais facilmente detectáveis pelas juntas de freguesia, contribuindo assim para a concretização dos objectivos que estão inerentes à política municipal de proximidade aos cidadãos e de mais prioridade às pessoas”.