quarta, 20 junho 2018

Sismo com epicentro em Estremoz

Escrito por %AM, %10 %052 %2018 %01:%maio
Um sismo de magnitude 2.6 na escala de Richter foi registado nas estações da Rede Sísmica do Continente, na noite de ontem, quarta-feira, dia 09 de Maio, pelas 23:27 horas.
 
Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, o sismo teve epicentro a 16 quilómetros de profundidade, tendo sido localizado a pouco mais de seis quilómetros a sudoeste de Évora Monte e a 18 quilómetros da cidade de Estremoz.
 
Este sismo, de acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA, não causou danos pessoais ou materiais e foi sentido com intensidade máxima III (escala de Mercalli modificada) na região de Arraiolos.
 
Os sismos são classificados segundo a sua magnitude como micro (menos de 2,0), muito pequeno (2,0-2,9), pequeno (3,0-3,9), ligeiro (4,0-4,9), moderado (5,0-5,9), forte (6,0-6,9), grande (7,0-7,9), importante (8,0-8,9), excecional (9,0-9,9) e extremo (superior a 10).
 
De forma a ajudar a caracterizar melhor os sismos, e se por acaso sentiu este ocorrido na noite de ontem, colabore com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, acedendo ao site deste organismo e preenchendo o formulário disponível.
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, esteve na passada sexta-feira, dia 4 de Maio, na Igreja do Salvador, em Évora, na apresentação do novo percurso do "Caminho de Santiago", Via Portugal Nascente.
 
Com origem no Algarve, mais concretamente em Tavira, este percurso passa pelo concelho de Estremoz, nomeadamente por Évora Monte, Estremoz e São Bento do Cortiço, seguindo posteriormente por Santo Amaro, no concelho de Sousel, até Trancoso, no distrito da Guarda.
 
Na sexta-feira, após a cerimónia de apresentação, que ocorreu na Igreja do Salvador de Évora, e da bênção dos peregrinos, que teve lugar na Sé de Évora, numa cerimónia presidida pelo Arcebispo de Évora, D. José Francisco Alves, um grupo de peregrinos iniciou o Caminho de Santiago transportando uma réplica do bordão de Santa Isabel, peça em madeira realizada pelo artesão estremocense de adopção Perfeito Neves. até Trancoso, ao longo das 19 etapas deste caminho (390 km).
 
O bordão, que ao longo das 19 etapas que compõem os 390 quilómetros da Via Portugal Nascente do Caminho de Santiago, passará de mão em mão por representantes do local em que se encontra, prevendo-se que seja entregue em Trancoso, a 20 de Maio.
 
MARCELO REBELO DE SOUSA CAMINHOU COMO PEREGRINO
 
Também o Presidente da República quis caminhar como peregrino, tendo percorrido vários quilómetros, desde a Catedral de Évora até à periferia da cidade eborense, transportando a réplica do bordão de Santa Isabel.
 
Durante a peregrinação, e em declarações aos jornalistas, Marcelo Rebelo de Sousa considerou que este troço do Caminho de Santiago, que liga Évora a Trancoso, e que pode ser percorrido pelos peregrinos desde a passada sexta-feira, “valer a pena fazê-lo”. “São caminhos que recuperam a história, o passado, a tradição, a cultura e ao mesmo tempo projectam o conhecimento de Portugal interior, um daqueles ‘portugais’ de que se fala menos. Ainda por cima um caminho que põe em ligação o cristianismo, com o islamismo e com o judaísmo. Isto é Portugal no que tem de melhor, de ponte entre religiões, culturas e civilizações. Algumas vezes na vida não estivemos à altura desse desafio, muitas  vezes tivemos”, concluiu o Presidente da República.
A proposta apresentada pela ACRMOZ - Associação Cultural e Recreativa de Marinheiros de Estremoz ao Agrupamento de Escolas de Estremoz era deveras simples, mas repleta de simbolismo: a realização de um concurso, em que as escolas do Ensino Básico do concelho participantes teriam de elaborar uma quadra sobre os Marinheiros da cidade branca do Alentejo, sendo que a quadra vencedora fará parte da estrutura do monumento ao Marinheiro de Estremoz.
 
Nesta iniciativa, que contou com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz, participaram seis escolas pertencentes ao agrupamento estremocense. 
 
Depois de reunido, o júri deliberou que a quadra vencedora seria a dos alunos da turma C do 4º ano da Escola Básica do Caldeiro. Os alunos da Professora Joana Magarreiro e Silva escreveram a seguinte quadra:
 
MARINHEIRO DE ESTREMOZ
ENCHES PORTUGAL DE GLÓRIA
DEFENDENDO A TUA PÁTRIA
DÁS VALOR À NOSSA HISTÓRIA
 
Este concurso foi também ele apoiado pelo gabinete do Almirante-Chefe do Estado Maior da Armada e Autoridade Marítima Nacional, que ofereceu camisolas alusivas à Marinha a todos os alunos e à professora da turma vencedora. Ao que o Ardina do Alentejo conseguiu apurar, e como prémio pela vitória no concurso, no próximo dia 11 de Maio está prevista, assim haja disponibilidade por parte da Marinha portuguesa, uma viagem dos alunos da turma C do 4º ano da Escola do Caldeiro à Base Naval da Marinha, localizada no Alfeite, em Lisboa, bem como a visita à D. Fernando II e Glória, uma fragata à vela da Marinha Portuguesa, que navegou entre 1845 e 1878 e que actualmente é um navio museu.  
 
Este concurso de quadras promovido pela ACRMOZ é mais uma iniciativa tendo como objectivo final a instalação em Estremoz, do Monumento ao Marinheiro. A implantação do referido monumento começou a tomar forma em 2017, durante o convívio desse ano, realizado em Évora Monte, quando a ACRMOZ manifestou essa sua pretensão ao Estado Maior da Armada e à Câmara Municipal de Estremoz, entidades que de pronto apadrinharam a ideia.
 
Entretanto, a Marinha já enviou para Estremoz, a hélice de um navio, com  dois metros de diâmetro e mais de 800 quilos de peso. Francisco Cuco, membro da Direcção da ACRMOZ adiantou-nos que “brevemente vamos começar a estudar a sua implantação, bem como o local, assim como a sua estrutura, da qual fará parte a quadra dos alunos da Escola do Caldeiro”.
 
Aproveitando a oportunidade concedida pelo Ardina do Alentejo, a Associação de Marinheiros de Estremoz agradeceu “a todas as entidades envolvidas no concurso da quadra, assim como aos professores e alunos de todas as escolas que participaram, o esforço desenvolvido para se atingir o objectivo”. “A todos o nosso muito obrigado” concluiu.
Um ferido grave e três feridos ligeiros é o resultado de um aparatoso acidente ocorrido hoje, terça-feira, dia 1 de Maio, no Itinerário Principal 2 (IP2), ao quilómetro 224.5, à saída de Estremoz, junto à antiga Casa dos Cantoneiros, logo a seguir ao Restaurante A Nora, segundo informações obtidas pelo Ardina do Alentejo junto de fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR).
 
O alerta para este sinistro, que envolveu um veículo ligeiro de passageiros que entrou em despiste, foi dado pelas 19 horas, segundo foi revelado ao Ardina do Alentejo por fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora.
 
Segundo ainda conseguimos apurar, circulavam no veículo ligeiro de passageiros cinco ocupantes, todos de nacionalidade brasileira, que se encontravam em Portugal a passar um curto período de férias.
 
Segundo fonte dos bombeiros, todos os feridos foram transportados para o Hospital do Espírito Santo de Évora.
 
Estiveram envolvidos nas operações de socorro os Bombeiros Voluntários de Estremoz, a viatura Suporte Imediato de Vida (SIV) de Estremoz, e a patrulha de trânsito da GNR, num total de seis veículos e 14 operacionais.

D. Duarte Pio de Bragança inaugura FIAPE 2018

Escrito por %PM, %19 %697 %2018 %16:%Abr.
D. Duarte Pio de Bragança presidirá à cerimónia de inauguração da 32ª edição da FIAPE – Feira Internacional Agropecuária de Estremoz.
 
O convite endereçado ao Chefe da Casa Real Portuguesa surgiu como forma de agradecimento pelo facto de D. Duarte Pio ter feito parte da Comissão de Honra da Candidatura dos Bonecos de Estremoz a Património Cultural Imaterial da Humanidade
 
Aquele que é considerado por muitos como o maior evento agropecuário a Sul do Tejo, e que alberga em 2018 a 36ª edição da Feira de Artesanato de Estremoz, realiza-se na cidade branca do Alentejo, no Parque de Feiras e Exposições estremocense, entre os dias 27 de Abril, sexta-feira, e 1 de Maio, terça-feira, feriado.
Pelo oitavo ano consecutivo, a empresa estremocense Lapão Automóveis, concessionária da marca alemã Opel, situada na Zona industrial, em Estremoz, vê reconhecida a qualidade e excelência dos serviços que presta aos seus clientes, ao ganhar o prémio “Top 3 – Melhor Oficina Opel em Portugal”. 
 
A empresa estremocense, dirigida por Manuel Lapão, é a única oficina Opel em Portugal, reconhecida com este galardão nos oito anos de existência da distinção.
 
Esta é uma distinção que já se começa a tornar um hábito, como referiu aos jornalistas, Manuel Lapão, sócio-gerente da empresa estremocense. “É um hábito. Quando nós ganhamos um prémio oito anos consecutivos, tantos quantos a existência do prémio, pode considerar-se que é um hábito. Mas é um hábito que dá trabalho. Tem sido um trabalho sério e arrojado que nos tem levado a estas vitórias todas, e com a predisposição de continuarmos o mesmo trabalho”.
 
Manuel Lapão disse ainda estar “pronto para ganhar o nono prémio” apesar de “ainda não sabermos se ele vai existir ou não. É provável que haja algumas alterações ao nível da rede, mas se ele existir cá estaremos. E se não existir continuaremos a trabalhar da mesma forma, porque com ou sem prémio a qualidade vai-se manter, e essa é uma exigência minha e de toda a equipa, nós continuarmos sempre um trabalho sério, arrojado, de grande responsabilidade, tendo em vista a satisfação do cliente e só assim é que poderemos manter a empresa de pé”.  
 
O prémio visa distinguir as três melhores oficinas da rede de reparadores autorizados da Opel em Portugal e premiar o serviço por estas prestado. Para atribuição do prémio, e ao longo do ano, são verificados diversos stands da marca e efectuados diversos inquéritos aos clientes.
 
Durante a cerimónia de entrega do galardão a esta empresa estremocense, Frederico Noronha, responsável das Operações Pós-Venda da Opel Portugal, referiu em declarações aos jornalistas que “ao fim de oito anos, não se pode dizer que este prémio seja obra do acaso. A Lapão Automóveis e a Opel em Estremoz são um exemplo de competência técnica e dedicação à marca e isso tem resultados. Os clientes reconhecem o trabalho que é aqui feito e não há dúvida que, com o passar dos anos, sinto a equipa cada vez mais motivada e com mais vontade de viver a marca”.
 
Sobre a zona geográfica em que está inserida a Lapão Automóveis, Frederico Noronha salientou que esse “é um desafio maior. Temos que reconhecer que numa zona rural como esta onde a Lapão Automóveis está inserida, existem dificuldades acrescidas mas esta é a prova de que com trabalho, com vontade, e com um negócio bem estruturado, é possível uma empresa numa localidade do interior também ter sucesso, sobreviver e ser dos melhores que nós temos em Portugal, a nível da rede Opel”.
 
Questionado sobre qual o segredo do sucesso desta empresa estremocense, o responsável Opel foi peremptório: “O segredo é trabalho. Como as pessoas costumam dizer “Quanto mais trabalho, mais sorte tenho” e acho que neste caso é isso mesmo, trabalho e dedicação. O que nós vemos aqui e que até parece ser um acaso, não é. É um trabalho, é uma equipa motivada, é competência técnica, são técnicos formados, é uma aposta na qualidade das peças originais Opel e é o reconhecimento dos clientes sobre tudo o que é feito ao nível do trabalho com a marca”.
 
Frederico Noronha confirmou a realização de uma nona edição do prémio “em moldes diferentes, com critérios de avaliação diferentes, será igualmente um Top-3, mas aquilo que será definido não será difícil para que a Lapão Automóveis consiga ganhar e para que no próximo ano estejamos aqui todos reunidos a comemorar e a colocar mais uma placa na parede a dizer que foram Top 3 – Melhor Oficina Opel em Portugal em 2018".
Realizaram-se no passado dia 23 de Março, as eleições para os corpos sociais da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Estremoz.
 
Os novos órgãos dirigentes da associação humanitária estremocense, para o triénio 2018/2021, são os seguintes:
 
DIRECÇÃO
Presidente - Carlos Alberto Barradas Ferreira
Vice-Presidente - Paulo João Carrapiço Borda de Agua
1º Secretário - Ricardo Jorge Remígio Catarino
2º Secretário - Joaquim Inácio Pinto Noruegas
Tesoureiro - António José Salsinha Ninitas
Vogal - Carlos Jacinto Bolas Machado
Vogal - Mário Baptista Zacarias
Suplentes - Luís António Carpinteiro Alexandre, João António Borralho Picão, João Manuel Sadio Capitão, Pedro Miguel C. V. Batista Zacarias, João António Mira Ramalho e Joaquim Manuel Ramos
 
MESA DA ASSEMBLEIA GERAL
Presidente - José Francisco Capitão Pardal
Vice-Presidente - Orlando Almeida Ferreira e Silva
Secretário - João Carlos Madeira Costa
Secretário - Manuel Maria Pereira Gato
Secretário - José Luís Lima Amaro
 
CONSELHO FISCAL
Presidente - José Manuel Sousa Ramalho
Vice-Presidente - José António Ferreira
Secretário Relator - João Manuel Vidigal Pingarilho
Vogal - José António Carvalho da Silva
Vogal - Francisco José Serrano Cuco
Suplentes - Teodósio José Glórias Caeiro e João Paulo Monteiro Ferreira Silva
 
Os elementos eleitos vão tomar posse no próximo dia 21 de Abril, pelas 15 horas. O acto de tomada de posse antecede a sessão solene de abertura das comemorações do 85º aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Estremoz.
Envolvendo os concelhos de Estremoz, Borba, Vila Viçosa, Alandroal e Redondo, vai realizar-se, nos próximos dias 6, 7 e 8 de Abril, de sexta-feira a domingo, um exercício de protecção civil a nível distrital.
 
Este exercício terá como cenário principal um incêndio de grandes proporções na Serra d'Ossa.
 
O centro de apoio às operações estará instalado no Parque de Feiras e Exposições Eng. André de Brito Tavares, em Estremoz, e durante estes três dias está prevista a movimentação de meios das diferentes entidades de protecção civil, que participarão no exercício simulando situações reais.
 
O exercício destina-se a testar os Planos Municipais de Emergência de Protecção Civil dos municípios envolvidos, assim como a operacionalidade das entidades que integram as respectivas Comissões Municipais de Protecção Civil, e demais forças intervenientes no terreno.
 
Dados os meios operacionais envolvidos das várias entidades, nomeadamente ao nível de viaturas de emergência e combate ao incêndio, e à sua circulação no acesso à Serra D'Ossa, os municípios envolvidos neste exercício solicitam a colaboração e atenção da população para a circulação das viaturas e a compreensão para os transtornos que este exercício poderá causar.
O Intermarché de Estremoz doou 500 euros à Delegação de Estremoz da Cruz Vermelha Portuguesa. Esta doação insere-se na parceria que o Grupo Os Mosqueteiros, detentor em Portugal das insígnias Intermarché, Bricomarché e Roady, e a Cruz Vermelha Portuguesa estabeleceram, em Dezembro do ano passado, para a realização da Maior Ceia Solidária. O evento decorreu em 61 localidades portuguesas, de norte a sul do país e proporcionou um donativo de 33.500 euros à Instituição.
 
Do valor total, a sede nacional da Cruz Vermelha Portuguesa recebe 3.000 euros e as 61 delegações recebem 30.500 euros. Esta doação do Grupo Os Mosqueteiros deve-se ao reconhecimento e dedicação que a Cruz Vermelha e as respectivas Delegações colocaram em prol da organização desta grande e generosa iniciativa. “Graças à boa-vontade dos voluntários da Cruz Vermelha foi possível concretizar este projecto! Em nome do Grupo Os Mosqueteiros, e do Intermarché em particular, gostaria de agradecer o empenho de todos os que permitiram organizar, no terreno, este número recorde de refeições e assim contribuir para que, os mais de 7 mil beneficiários e suas famílias, pudessem usufruir de um momento de convívio no Natal”, refere João Magalhães, Administrador do Grupo Os Mosqueteiros.
 
Para Pedro Esperança, gerente do Intermarché de Estremoz, “esta doação não é mais do que o reconhecimento do esforço dos voluntários da delegação de Estremoz da Cruz Vermelha Portuguesa, em prol de uma iniciativa que marcou, de forma indelével, o Natal de 2017 das famílias que marcaram presença na nossa Ceia Solidária”. O aderente da loja estremocense salientou ainda que “esta tem sido uma parceria que tem dado frutos, e acredito que, com o empenho de todos, com a boa vontade de todos, e com o sentimento de que a união e a partilha mútua faz a força, ainda vai dar muitos mais frutos”.
 
A ideia da Maior Ceia Solidária surgiu devido ao modelo de gestão diferenciador do Intermarché. O facto de as lojas serem detidas por empresários independentes que vivem nas localidades onde as lojas estão implantadas, permite-lhe conhecerem bem os seus clientes e as instituições locais e assim desenvolverem uma relação de proximidade directa quer com os seus clientes quer com as instituições da região.
 
Recorde-se que esta foi a maior ceia solidária alguma vez realizada em território nacional. Ao todo, no mesmo dia, foram servidas refeições a mais de 7 mil beneficiários da Cruz Vermelha Portuguesa.
 
A ceia solidária de Natal aconteceu em simultâneo de norte a sul do país, no passado dia 16 de Dezembro. Para além da maior ceia solidária de Natal organizada pela Cruz Vermelha Portuguesa, no mesmo dia o Intermarché forneceu mais 24 ceias solidárias, perfazendo um total de 83 ceias que chegaram a mais de 10 mil pessoas carenciadas. 

Mais Populares