quarta, 19 junho 2019
A Escola Secundária Rainha Santa Isabel de Estremoz, através de um grupo de alunos de várias turmas daquele estabelecimento de ensino, concorreu ao Prémio Escolar Ano Europeu do Património CulturalAEPC 2019.
 
O trabalho a concurso apresentado pelos alunos da escola estremocense reflecte um trabalho desenvolvido em parceria com o Museu Municipal de Estremoz – Professor Joaquim Vermelho, trabalho esse que surgiu no âmbito de um projecto de barrística, desenvolvido na Escola Secundária de Estremoz, desde o ano lectivo de 2016/2017, e cujo tema são os Bonecos de Estremoz. Este trabalho foi desenvolvido com alunos das turmas de artes do ensino secundário, com coordenação da professora de Educação Especial, Madalena Rola, em articulação com os docentes do Conselho de Turma e com a Biblioteca Escolar Almeida Garrett, e com sessões dinamizadas pela Técnica do Museu, Isabel Borda de Água.
 
A edição de 2019 do Prémio Escolar AEPC pretende, no seguimento das celebrações do Ano Europeu do Património Cultural de 2018, continuar a dar relevo à divulgação do Património Cultural Europeu nas escolas. Trata-se uma iniciativa do Coordenador Nacional do AEPC 2018, em parceria com o Centro de Investigação para as Tecnologias Interativas (CITI-UNL) e com o Centro de Informação Europeia Jacques Delors (CIEJD), Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE), que conta com a participação do Ministério da Educação, do Ministério da Cultura, da Fundação Calouste Gulbenkian, do Plano Nacional de Leitura (PNL), da Rede de Bibliotecas Escolares e da representação da Comissão Europeia em Portugal.
 
A iniciativa visa promover nas novas gerações, o conhecimento do património cultural europeu nas suas múltiplas dimensões, a compreensão de que o património cultural se encontra em permanente mutação, a co-responsabilização de todos na identificação e superação de riscos que o possam ameaçar, o desenvolvimento de dinâmicas criativas que garantam a sua sustentabilidade e o sua evolução, em permanente diálogo com outras realidades culturais.
 
O prémio inclui duas categorias, o Prémio Escolar AEPC 2019 – 3º Ciclo do Ensino Básico e o Prémio Escolar AEPC 2019 – Ensino Secundário (Cursos Científico-humanísticos e Cursos Profissionais).
 
O prémio propõe aos docentes do 3º Ciclo do Ensino Básico e dos Ensinos Secundário e Profissional que realizem com os seus alunos actividades pedagógicas de pesquisa, selecção e análise de aspectos do Património Cultural Europeu (material ou imaterial) que os levem a produzir duas apresentações em formato digital: uma apresentação de um/a aspecto/vertente do património cultural da sua comunidade local ou do património cultural português; uma apresentação de um/a aspecto/vertente do património cultural europeu.
 
As apresentações deverão destacar as características mais relevantes dos aspectos/vertentes escolhidos e o seu valor enquanto herança cultural. Poderão ainda enunciar medidas ou comportamentos dos cidadãos que possam proteger, valorizar ou desenvolver os domínios focados no trabalho.
 
As apresentações serão avaliadas por um grupo de especialistas nas diferentes áreas.
 
O júri que atribuirá o Prémio Escolar AEPC 2019 – 3º Ciclo do Ensino Básico e o Prémio AEPC 2019 – Ensino Secundário e Profissional será presidido pelo Coordenador Nacional do AEPC e integrará um elemento da DGE, um elemento da DGPC, um elemento da Fundação Calouste Gulbenkian, um elemento do PNL e um elemento da Rede de Bibliotecas Escolares.
 
Haverá ainda lugar à participação do público na apreciação dos trabalhos divulgados na plataforma digital do prémio, que pode consultar aqui, mediante a introdução de menções positivas, os denominados “Likes” do Facebook.
 
Para votar no trabalho apresentado pela Escola Secundária Rainha Santa Isabel de Estremoz, deve aceder a esta página, e colocar o seu “Like”.
 
Os prémios das escolas vencedoras, atribuído ao grupo de alunos, e respectivo professor acompanhante, quer sejam distinguidos pelo júri do prémio quer sejam aqueles que apresentarem o trabalho com maior número de menções positivas da parte do público, será uma viagem a Bruxelas
 
As escolas premiadas serão convidadas a apresentar pessoalmente os seus trabalhos na cerimónia pública de entrega dos prémios, a decorrer na Fundação Calouste Gulbenkian, na próxima sexta-feira, dia 14 de Junho. 
Modificado em quinta, 13 junho 2019 15:09

Já está em fase de resolução o incêndio agrícola que começou a lavrar na Herdade da Defesa, em São Bento de Ana Loura.

Segundo dados da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), este incêndio, que se iniciou pelas 18:11 horas, chegou a ser combatido por 54 operacionais, auxiliados por 15 viaturas e um meio aéreo (helicóptero).

Modificado em quarta, 12 junho 2019 22:27

Camião despista-se em plena autoestrada

quarta, 12 junho 2019 16:16
Um veículo pesado de mercadorias despistou-se na tarde desta quarta-feira, 12 de Junho, ao quilómetro 76 da autoestrada A6, segundo informações que o Ardina do Alentejo recolheu junto do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora.
 
O alerta para este acidente, ocorrido em território da União de Freguesias de Estremoz – Santa Maria e Santo André, foi dado pelas 14:26 horas.
 
Fonte dos Bombeiros Voluntários de Estremoz revelou à nossa equipa de reportagem que a vítima, considerada pelas equipas de emergência como ferido ligeiro, foi assistida no local, tendo recusado transporte para uma unidade hospitalar.
 
A viatura pesada de mercadorias tombou tombou para o separador central da autoestrada, tendo condicionado o trânsito no local.
 
Foram mobilizados para este acidente cinco operacionais, dos Bombeiros Voluntários de Estremoz e da Guarda Nacional Republicana (GNR), apoiados por duas viaturas.
Modificado em quarta, 12 junho 2019 16:28
A turma C do 3º ano da Escola Básica 1 de Arcos, no concelho de Estremoz, ficou classificada em 3º lugar no concurso “Vamos poupar água com o Pafi”, iniciativa promovida pelo Grupo Os Mosqueteiros em parceria com a editora Texto. A escola do concelho de Estremoz, que alcançou 1017 votos, irá receber um tablet, um diploma e crachás de participação, e ainda um vale de compras do Grupo Os Mosqueteiros, a descontar no Intermarché, no valor de 250€.
 
A turma F do 4º ano da Escola Básica do Paço, em Sobrado (Valongo) foi a grande vencedora, com 1706 votos, tendo direito a receber um tablet, um diploma e crachás de participação, um vale de compras do Grupo Os Mosqueteiros, a descontar no Intermarché, no valor de 750€, para além de uma festa com a presença do Pafi, bem como uma experiência surpresa.
 
A turma C do 4º ano da Escola Ciência Viva, de Vila Nova da Barquinha, alcançou o segundo lugar do concurso, com 1697 votos, e irá receber igualmente um tablet, um diploma e crachás de participação, e ainda um vale de compras do Grupo Os Mosqueteiros, a descontar no Intermarché, no valor de 500€.
 
O concurso “Vamos poupar água com o Pafi” surge no âmbito do projecto de apoio aos bombeiros que o grupo detentor em Portugal das insígnias Intermarché, Bricomarché e Roady, tem vindo a desenvolver desde 2005.
 
Destinado a turmas de 1º ciclo do ensino básico, este desafio pretendeu ajudar os alunos a descobrirem formas de poupar água através do trabalho em equipa e valorizando a criatividade e as actividades da área de Expressões. 
 
Depois de analisados todos os cartazes enviados a concurso, o júri da primeira fase do concurso, composto pela equipa da Direcção de Comunicação e Informação do Grupo Os Mosqueteiros e pela Direcção Editorial e de Marketing da Texto, elegeu um lote de 33 finalistas, de entre os quais o cartaz da turma C do 3º ano da Escola Básica 1 de Arcos.
Modificado em quarta, 12 junho 2019 01:29
O Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte, em Estremoz, recebeu no passado sábado, dia 8 de Junho, a primeira edição do Cultourwine, uma verdadeira viagem pela cultura e pelos vinhos de Estremoz.
 
Integrada nas comemorações do Dia Nacional da Gastronomia Portuguesa, esta iniciativa lançou o desafio de os visitantes conhecerem os vinhos do concelho, representados por 10 adegas, enquanto apreciavam a exposição da 3.ª Bienal Internacional de Arte de Gaia, patente naquele espaço até ao dia 20 de Julho.

 
Segundo números revelados pela organização, foram cerca de 500 os visitantes que aceitaram o desafio, fazendo da primeira edição do Cultourwine um verdadeiro sucesso. 
 
Márcia Oliveira, vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Estremoz, fez à nossa equipa de reportagem um balanço muito positivo do Cultourwine 2019: “Para primeira edição está a correr muitíssimo bem, com muita afluência, e este é, sem dúvida, um evento que tem pernas para andar”. Aproveitando a oportunidade, a autarca agradeceu “a todas as adegas do concelho de Estremoz presentes no evento, e que assim contribuíram para o sucesso da iniciativa”, salientando que “apesar de em 2020 já estar a funcionar no Palácio dos Marques de Praia e Monforte, o Centro Interpretativo do Boneco de Estremoz, nada inviabiliza que o Cultourwine não se realiza neste magnífico espaço”.
 
Em declarações ao Ardina do Alentejo, Jorge Cardoso, responsável máximo pela adega da Herdade dos Outeiros Altos, fez desta primeira edição do Cultorwine um balanço “surpreendente na medida em que esta iniciativa de combinar arte com a arte dos vinhos é uma iniciativa brilhante da autarquia, num espaço lindíssimo e que proporciona este tipo de combinações felizes. Gostaríamos que houvesse uma reedição uma vez que a nossa reação é de surpresa pela beleza do espaço e pela maneira perfeita como a combinação acabou por resultar”.
 
Para José Poeiras, da Porta de Santa Catarina Vinhos, o Cultourwine 2019 “foi uma boa iniciativa, perspectivada com alguma antecedência, o que já de si é bom, e bem publicitada porque tivemos muitos provadores e até mesmo potenciais clientes, que vieram de fora, até do estrangeiro, chegando mesmo a termos aqui provadores australianos. Estas iniciativas são sempre boas para promover os produtos de Estremoz, esperando que haja mais, inclusivé aqui no Palácio dos Marqueses de Praia e Monforte, utilizando quem sabe aquele páteo que se encontra lá em baixo”.
 
Ambos os produtores deixaram a garantia de que em 2020 voltam a marcar presença no evento.
 
 
Modificado em domingo, 09 junho 2019 17:47
O ex-presidente da Câmara Municipal de Estremoz, Luís Mourinha, que perdeu o mandato na sequência de uma condenação em tribunal por prevaricação, desistiu do processo de contratação pelo Município. A informação foi adiantada pelo actual Presidente da autarquia.
 
Francisco Ramos adiantou à Lusa que Luís Mourinha, após saber de um parecer da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA), que "aponta tendencialmente para um impedimento", tomou a iniciativa de informar a câmara do seu "desinteresse pelo processo", não tendo chegado a assinar qualquer contrato.
 
O presidente da câmara, que assumiu o cargo, a 4 de Fevereiro deste ano, após a perda de mandato do antecessor, lembrou ter convidado Luís Mourinha, eleito por um movimento independente, para prestar serviços ao Município, "em regime de avença", na área do desenvolvimento económico, e que o ex-autarca aceitou.
 
Também eleito pelo Movimento Independente por Estremoz (MiETZ), Francisco Ramos, que era vice-presidente da autarquia, justificou a intenção de contratação com o facto de Luís Mourinha ter "um conhecimento do concelho e das suas necessidades, assim como um conjunto de contactos, que são importantes para o Município".
 
Após ter sido levantada a questão da legalidade da contratualização, tendo em conta que o ex-autarca tinha sido condenado e "se essa situação afectava a sua honorabilidade profissional para efeitos de contratação", a autarquia, segundo Francisco Ramos, pediu pareceres jurídicos, que "não são vinculativos".
 
Segundo o autarca, o gabinete jurídico da câmara indicou que "não havia impedimento", enquanto o parecer da CCDR do Alentejo considerou que "poderia haver um impedimento".
 
Francisco Ramos reiterou que, em sua opinião, "não há qualquer irregularidade neste processo", o qual caiu por iniciativa de Luís Mourinha.
 
Luís Mourinha foi informado no início de Fevereiro de 2019 da notificação do Tribunal Judicial de Estremoz, que confirmou a pena, após o Tribunal Constitucional (TC) ter negado provimento, em Dezembro de 2018, ao recurso que apresentou da sentença judicial em que foi condenado pelo crime de prevaricação.
 
A condenação, incluindo a pena acessória de perda de mandato, está relacionada com uma queixa-crime apresentada em 2010 contra o então autarca, devido ao alegado corte de um subsídio à Liga dos Amigos do Castelo de Évora Monte (LACE), no concelho de Estremoz.
 
Luís Mourinha, que foi eleito presidente da Câmara de Estremoz, pelo MiETZ, nas autárquicas de 2009, 2013 e 2017, estava a cumprir o terceiro mandato, situação que já não lhe permitia concorrer à presidência da autarquia nas próximas eleições autárquicas.
 
Antes, Luís Mourinha já tinha sido presidente do município durante 12 anos, eleito como independente nas listas da CDU - Coligação Democrática Unitária.
 
Depois de não se recandidatar nas autárquicas de 2005, optou por concorrer, em 2009, pelo movimento independente.
 
c/ LUSA
Modificado em sexta, 07 junho 2019 20:27
A Guarda Nacional Republicana (GNR) deteve um casal por suspeitas de tráfico de droga, no concelho de Estremoz, tendo apreendido cerca de quatro mil doses de haxixe e de cocaína, divulgou a força de segurança.
 
A Guarda informou, em comunicado, que o homem e a mulher, de 38 e 44 anos respectivamente, foram detidos, esta semana, por militares do Destacamento de Trânsito e do Núcleo de Investigação Criminal de Estremoz da GNR.
 
Segundo a força de segurança, durante uma fiscalização rodoviária, os militares sentiram "um forte odor a droga" que provinha do interior do veículo em que seguia o casal e acabaram por "detectar diverso produto estupefaciente".
 
Posteriormente, e conforme adiantou a GNR, os militares realizaram uma busca domiciliária, durante a qual foram apreendidas 3.979 doses de haxixe e 10 de cocaína, além de duas balanças de precisão, um veículo e um telemóvel.
 
Os detidos já foram presentes a primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Estremoz, tendo o juiz aplicado ao homem a medida de coação de apresentações diárias no posto policial da área de residência e à mulher apresentações bissemanais.
Modificado em sexta, 07 junho 2019 19:42
Em reunião do Executivo da Câmara Municipal de Estremoz, realizada esta quarta-feira, dia 5 de Junho, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, foi aprovado por unanimidade a realização de um protocolo com a Universidade de Évora, para a concretização da Carta Arqueológica do Concelho de Estremoz.
 
Com este protocolo pretende-se a criação de um instrumento eficaz de gestão do território que permita salvaguardar, estudar, valorizar e proteger um traço fundamental da memória e identidade do concelho de Estremoz.  
 
Este projecto será um instrumento determinante para o desenvolvimento sustentável de Estremoz, para a definição das políticas de ordenamento do território e definição do potencial turístico arqueológico do concelho.
 
O trabalho será realizado por intermédio do Museu Municipal de Estremoz, contando com o contributo científico de reconhecida qualidade da Universidade de Évora, nomeadamente do departamento de História. Os trabalhos terão a duração prevista de dois anos, podendo ser alargado no tempo em caso de necessidade.
Modificado em quinta, 06 junho 2019 19:57
Num prémio atribuído pelos consumidores, e pelo quarto ano consecutivo, o Oculista das Portas de Santo António foi distinguido com o Prémio Cinco Estrelas Regiões. O Oculista das Portas de Santo António, com sede em Estremoz, foi vencedor na categoria “Serviços Ópticos”, nos dois distritos onde possui lojas, Évora e Portalegre.
 
O Prémio Cinco Estrelas Regiões é um sistema de avaliação que mede o grau de satisfação que os produtos ou serviços conferem aos seus utilizadores, tendo como critérios de avaliação as cinco principais variáveis que influenciam a nossa decisão de compra, nomeadamente satisfação pela experimentação, relação preço-qualidade, intenção de compra, confiança na marca e inovação.
 
Para ser considerado Cinco Estrelas, um produto ou serviço terá de obter um grau de satisfação global muito elevado e provar aos consumidores e/ou aos profissionais que são realmente muito bons, tendo assim de obter uma classificação mínima de 7 em 10, numa escala de 1 em 10. No caso do Oculista Portas de Santo António a classificação global obtida foi de 8,4.
 
O Prémio Cinco Estrelas Regiões vem desta forma ajudar os consumidores e os profissionais a identificarem o que de melhor existe no nosso país, ao nível dos produtos e serviços, região a região.
 
O galardão foi entregue no passado dia 17 de Maio, em Viseu.
Modificado em quarta, 05 junho 2019 19:16