sexta, 25 setembro 2020
Inicia-se na próxima segunda-feira, dia 28 de Setembro, a empreitada de Recuperação do Espaço Envolvente às Muralhas da Porta de Santa Catarina, na cidade de Estremoz.
 
Esta obra, cujo auto de consignação foi assinado no dia de ontem, 23 de Setembro, entre o Município de Estremoz e a ECIMOP, SA, representa um investimento de 679.998,38€, acrescido de IVA à taxa legal em vigor, e tem um prazo de execução de 120 dias.
 
A autarquia estremocense, “tendo em conta a realização desta obra”, informa todos os interessados que a partir da próxima segunda-feira, 28 de Setembro, “o estacionamento de viaturas no espaço envolvente à Porta de Santa Catarina estará interdito, até ao final dos trabalhos”. A edilidade sugere “como alternativa”, em especial no que diz respeito ao estacionamento de viaturas pesadas, “a utilização do parque de estacionamento situado na Zona Industrial, junto ao restaurante Manjar de Estremoz”.
 
Segundo nota de imprensa do Município liderado pelo independente Francisco Ramos, “o espaço a intervencionar situa-se na envolvente das muralhas e da Porta de Santa Catarina, classificados como Monumento Nacional. O espaço envolvente está actualmente em piso de terra batida e o projecto de requalificação incide na criação de um espaço verde de recreio e lazer, que pretende enquadrar o monumento e proporcionar uma zona de travessia entre o centro da cidade e as escolas e áreas residenciais periféricas”. Na mesma nota é ainda referido que “o espaço irá ainda receber a implantação do Monumento ao Boneco de Estremoz, da autoria do artista estremocense Armando Alves”.
 
A realização desta operação contribui para os objectivos definidos no PEDU - Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano e está inserida numa candidatura aprovada no âmbito do Alentejo 2020 (sendo o valor total elegível de 790.059,81 €, com o apoio financeiro da União Europeia - FEDER no valor de 671.550,84 €).
Modificado em quinta, 24 setembro 2020 12:26
Já tiveram início os trabalhos de recuperação da Igreja do Convento de Santo António, localizada junto ao Cemitério Municipal, em Estremoz.
 
Os trabalhos que se iniciaram na passada segunda-feira, 21 de Setembro, dia em que foi igualmente celebrada a assinatura do auto de consignação da empreitada, têm incidência na cobertura, no revestimento das paredes exteriores e interiores e na instalação eléctrica.
 
A obra, cujo prazo de execução será de 60 dias, está a cargo da empresa “SeconfralSociedade de Empreitadas de Cofragens e Construções, Lda.
 
A Igreja do Convento de Santo António faz parte do Convento de Santo António dos Capuchos, referenciado na lista de conventos franciscanos portugueses.
 
Esta recuperação, que representa um investimento de 119.204,08 €, acrescido de IVA à taxa legal em vigor, está inserida numa candidatura aprovada no âmbito do Alentejo 2020, sendo o apoio financeiro da União EuropeiaFEDER, no valor de 85.000,00€.
Modificado em quarta, 23 setembro 2020 12:49
No ano de 2020, o fadista estremocense José Gonçalez comemora 30 anos de carreira, ou como o próprio gosta mais de dizer, “30 anos de percurso” no mundo da música.
 
E esses 30 anos completam-se desde a sua participação no programa da RTP, “Selecção de Esperanças”, realizado nos estúdios do Monte da Virgem, na cidade do Porto, e desde a gravação do disco de vinil “Fado Lusitano”, gravado em Outubro de 1990, nos estúdios de Paço de Arcos da EMI - Valentim de Carvalho.
 
De forma a assinalar esses 30 anos de percurso, José Gonçalez apresenta no próximo sábado, dia 26 de setembro, a partir das 22 horas, na Praça de Touros de Estremoz, a sua terra natal, o álbum “30 anos depois”.
 
Naquele que promete ser um grande espectáculo, estarão em palco 10 músicos, e vários convidados do também apresentador estremocense: Fafá de Belém, André Amaro, José Geadas, Silvino Sardo, Ângelo Freire, Rogério Ferreira, Paulo Paz, Luiz Gomes, entre muitos outros.
 
“30 anos depois”, o 12º registo discográfico de José Gonçalez, cujas letras são todas da sua autoria, tem produção de um dos mais talentosos músicos portugueses da actualidade, Ângelo Freire, e é composto por 12 faixas: 10 fados tradicionais, e duas canções, uma em dueto com a cantora brasileira Fafá de Belém, “Valsa da Primavera”, com a intemporal música de Paul de Seneville, e uma outra, a bonus track, que conta com a participação de Pedro Jóia, um dos mais afamados guitarristas portugueses, “O plural de 1”, em que José Gonçalez para além da letra assina também a música.
 
Para reserva de bilhetes ou obter mais informações sobre este espectáculo, devem todos os interessados contactar a produção através do número 964181161. Os bilhetes estarão igualmente à venda na bilheteira da praça, no próprio dia do concerto.
 
Neste espectáculo, cujo uso de máscara é obrigatório, a lotação máxima da praça será de 50% e serão respeitadas todas as regras decretadas pela Direcção Geral de Saúde (DGS), de forma a que o conforto e a segurança de todos os presentes seja assegurada.
Modificado em terça, 22 setembro 2020 14:25
Terminou no dia de ontem, quarta-feira, 16 de Setembro, com uma marcha lenta nas cidades de Lisboa, Porto e Faro, que chegou a juntar cerca de 200 autocarros, a iniciativa “Volta a Portugal”, promovida pelo Movimento SOS Autocarros e pela ARPAssociação Rodoviária de Transporte Pesado de Passageiros.
 
Esta iniciativa pretendeu alertar para as dificuldades destas empresas, visto que o sector dos autocarros de turismo está praticamente parado desde Março, estando colocado o aviso “Fora de Serviço” nas viaturas há mais de 180 dias. As quebras na facturação estão entre os 80 e os 100% e há empresas perto da falência, estimando-se que no total sejam cerca de dois mil os autocarros parados e 2.500 os postos de trabalho em risco. A pandemia travou a fundo o negócio dos autocarros de turismo.
 
Quem trabalha neste sector acusa o Governo de falta de apoios, referindo que estas empresas não foram contempladas pela ajuda atribuída ao sector do turismo, exigindo por isso medidas concretas de apoio financeiro. Uma das reivindicações exigidas pelo Movimento SOS Autocarros é o fim da limitação da lotação dos autocarros, fixada actualmente nos 2/3 da ocupação. Outra das medidas que defendem como prioridade é o alargamento das moratórias ao pagamento de créditos de aquisição de autocarros de turismo, cujo custo de cada um ascende a 250 mil euros.
 
Os Guias Intérpretes e as Agências de Viagens juntaram-se a este protesto.
 
Para além de ter passado em todas as capitais de distrito do nosso país, o autocarro do Movimento SOS Autocarros estacionou em Estremoz, localidade onde existem duas das maiores empresas do sector, a "Rainha Santa Isabel" e a "Tarsibus".
 
Durante esta paragem em Estremoz, o Ardina do Alentejo esteve à conversa com Mabília Costa, da SOS Autocarros, que nos referiu que esta Volta a Portugal teve como objectivo “sensibilizar a opinião pública, o nosso Governo e as entidades governamentais para a situação que está a viver o sector dos autocarros”, salientando que “o sector dos autocarros já desde antes do dia 13 de Março, que estava com muito pouco trabalho, porque a época do Inverno é muito complicada para nós. E os autocarros de turismo mais ainda porque o nosso forte é a partir de Março, altura em que teríamos o bolo maior do nosso trabalho, até finais de Novembro, mas com esta pandemia acabámos por ser os primeiros a parar e certamente iremos ser os últimos a retomar as nossas actividades porque com as imposições que nos colocaram, principalmente de não podermos trabalhar com a lotação completa, apenas com 2/3 dos nossos autocarros, o que limita muito as agências de viagens na organização dos grupos que possam vir visitar o nosso país”.
 
Mabília Costa afirmou  ainda que “até agora as soluções que o Governo deu não se encaixam, não chegam para o futuro do nosso trabalho para podermos retomar a actividade”.
 
Em relação às reivindicações das empresas do sector, a responsável disse que pretendem “que seja de imediato concedida lotação máxima nos autocarros, para que possamos trabalhar com segurança”, para além de quererem que seja prolongada “a moratória até Março, o que já foi decidido, mas que não é o suficiente, pois vai entrar a época de Inverno e nós vamos continuar parados”.
 
António Batista, das empresas estremocenses “Rainha Santa Isabel” e “Tarsibus”, também falou com o Ardina do Alentejo, tendo começado por dizer que “estamos solidários com os nossos colegas porque os problemas deles são os nossos”.
 
De uma forma bem vincada, António Batista referiu que “é seguro viajar nos autocarros, ponto. Temos todas as capacidades desde o álcool-gel ao distanciamento, aos filtros de ozono, havendo mesmo muitas empresas a fazer um grande investimento nessa matéria”, mas queremos essencialmente “que a lotação permitida seja alterada, mantendo o distanciamento em segurança tal como acontece nos aviões, porque assim é impossível, economicamente está-nos a sufocar”.
 
Outro dos problemas referido pelo responsável da empresa estremocense é o facto do Governo “não estar a enquadrar as empresas de transportes no sector do turismo, mas sim no sector dos transportes, ou seja, qualquer verba que seja disponibilizada pelo Governo não nos está a chegar e isso para nós é muito grave”.
 
António Batista salientou que a empresa está parada desde Março, “e na data em que parámos tínhamos 25 motoristas. Se agora estivéssemos a trabalhar a cem por cento teríamos de ter mais. Actualmente temos 23 viaturas paradas, pois temos aqui em Estremoz duas garagens completamente cheias de autocarros, e temos mais em Lisboa e em Évora”.
 
No final da nossa entrevista, António Batista disse que “o público tem de saber da nossa situação” porque “lógicamente que a situação da pandemia é má para toda a gente e nós temos de nos habituar a esta nova realidade, mas temos de fazer ouvir a nossa voz, porque apesar do nosso sector representar muita gente, não tem tido a atenção que outros setores têm tido, também na área do turismo e é isso que nós também queremos que as pessoas saibam”.
Modificado em terça, 22 setembro 2020 14:53
Através de nota de imprensa enviada à nossa redacção, e sob o lema "Faça uma adoção responsável! Ajude a defender a saúde pública e a saúde animal", a Câmara Municipal de Estremoz informa que tem para adoptar os seguintes 11 animais:
 
1 – Nome: Pequenina
Raça: Indefinida
Género/Porte: Fêmea porte pequeno
Idade: + - 3 anos
Referência: 244
 
2- Nome: Bravia
Raça: Indefinida
Género/Porte: Fêmea porte pequeno
Idade: + - 18 meses
Referência: 243
 
3 – Nome: Petra
Raça: X Labrador
Género/Porte: Fêmea porte médio/grande
Idade: + -  4 anos
Referência: 158
 
4 – Nome: Black
Raça: X Cocker
Género/Porte: Macho porte pequeno
Idade: + - 4 anos
Referência: 241
 
5 – Nome: Boby
Raça: Indefinida
Género/Porte: Macho porte pequeno
Idade: + - 1 ano
Referência: 240
 
6 – Nome: Boris
Raça: X Podengo
Género/Porte: Macho porte pequeno
Idade: + - 2 anos
Referência: 239
 
7 – Nome: Luna
Raça: Indefinida
Género/Porte: Fêmea porte médio
Idade: + - 3 anos
Referência: 238
 
8 – Nome: Estrela
Raça: Indefinida
Género/Porte: Fêmea porte pequeno
Idade: + - 3 anos
Referência: 237
 
9 – Nome: Zoya
Raça: Indefinida X Labrador
Género/Porte: Fémea porte médio
Idade: +  - 2 anos
Referência: 569
 
10 – Nome: Castanha
Raça: Labrador X indefinido
Género/Porte: Fêmea porte médio/grande
Idade: + - 1 ano
Referência: 236
 
11 – Nome: Rodésia
Raça: Leão da Rodésia X indefinido
Género/Porte: Fêmea porte médio/grande
Idade: + - 1 ano
Referência: 235
 
Segundo a informação disponibilizada pela autarquia estremocense, "os animais para adopção serão entregues no Canil Municipal de Estremoz, com chip e vacinados contra a raiva e desparasitados".
 
Ainda de acordo com a mesma nota, "se o adoptante pretender os animais serão esterilizados, numa clínica da cidade, com os custos suportados pelo Município. O pós-operatório ou possíveis complicações deste, assim como outra prestação de serviços opcionais, não serão suportados pelo Município, mas pelo adoptante".
 
Para mais informações, devem os interessados contactar o Veterinário Municipal José Parreira, através do número 965086906 ou o Engenheiro Ambiental Rui Franco, através do número 939192213.
Modificado em quinta, 17 setembro 2020 18:46
A produtora Maria & Mayer irá filmar, em Estremoz, a série “Pecado”.
 
Esta série, que contará com as presenças de Lourenço Ortigão e Daniela Melchior como principais protagonistas da trama, irá ser emitida pela TVI.
 
Na próxima segunda-feira, 14 de Setembro, entre as 15 e as 19:30 horas, na Casa de Estremoz, no Rossio Marquês de Pombal, irá realizar-se um casting para figurantes.
 
A produtora está à procura de homens e mulheres, de todas as idades, para que possam participar nas filmagens de “Pecado”, que irão acontecer na cidade de Estremoz, no início do mês de Outubro.
 
A história pretende reflectir sobre o voto de celibato dos padres e lançar um debate público sobre o tema. O guião desta minissérie — que ainda não tem confirmado um número específico de episódios, nem data de estreia — foi escrito por Maria João Costa, autora de "Ouro Verde", novela premiada internacionalmente com um Emmy, em 2018.
 
Em entrevista ao Selfie, a guionista revelou: “Acho que o público vai gostar, porque se trata de uma história que está muito concentrada em poucas personagens: seis personagens principais, seis segredos. E, à medida que a história avança, percebemos que tudo se interliga”.
 
Maria João Costa falou também acerca da escolha de abordar o tema do celibato dos padres. “É uma história actual, que pretende lançar a discussão sobre a obrigatoriedade do voto de celibato dos padres. Por que a Igreja lhes exige isso, quando o celibato nem sequer é um dogma de fé da Igreja? Existe muita hipocrisia à volta desse tema, por causa dessa proibição. São quantas as histórias de padres que, afinal, se relacionam com mulheres? Padres com filhos não reconhecidos? Padres envolvidos em todo o tipo de escândalo de natureza sexual?… Não seria melhor aceitar que padres são pessoas de carne e osso, como nós, com direito a vida pessoal? Em que é que ter uma família pode prejudicar a sua atividade como padres?
 
“Pecado” conta com um financiamento de 400 mil euros do ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual. O elenco inclui ainda Diogo Infante, Dalila Carmo e Pedro Lamares.
Modificado em sexta, 11 setembro 2020 15:17
Promovido pela CIMACComunidade Intermunicipal do Alentejo Central, em parceria com o Município de Estremoz e a Academia Sénior de Estremoz, decorre a partir do dia 15 de Setembro, no concelho de Estremoz, e prolongando-se até ao mês de Dezembro, o projecto de inclusão social pela cultura, da Malvada Associação Artística, na vertente de fotografia, Oficinas de Mentoria Fotográfica.
 
As oficinas envolvem a população excluída por envelhecimento e isolamento e tem como foco o espaço e o lugar praticado e vivido, como forma de recuperar e produzir memória, através da construção de um olhar sobre e a partir do património humano do Alentejo Central. Explora o conceito de topofilia, o elo efectivo entre a pessoa e o lugar ou meio ambiente.
 
Este projecto, cujas inscrições são gratuitas, é aberto a toda a comunidade que goste de fotografia e imagem. Para participar nas Oficinas de Mentoria Fotográfica, que terá durante os meses de Setembro a Dezembro várias sessões marcadas, das 10 às 12:30 horas, devem os interessados inscrever-se através do email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou presencialmente no Posto de Turismo de Estremoz, no Rossio Marquês de Pombal.
 
Esta iniciativa tem a direcção artística e a criação de Ana Luena e José Miguel Soares.
Modificado em sexta, 11 setembro 2020 14:20
Segundo informação adiantada pela Rádio Despertar – Voz de Estremoz, os testes efectuados aos funcionários e utentes do lar da Santa Casa da Misericórdia de Veiros deram todos negativos para Covid-19.
 
Mantêm-se assim na freguesia veirense os dois casos de infectados com o novo coronavírus já conhecidos. Ao longo do dia de hoje serão feitos entre 10 a 12 testes a contactos do casal infectado. Apesar de nenhum desses contactos apresentar sintomas, as autoridades de saúde decidiram, como medida preventiva, realizar esses mesmos testes.
 
E tal como vem referido no boletim de ontem da Direcção Geral da Saúde (DGS), há mesmo um terceiro caso de Covid-19 no concelho de Estremoz. Segundo a informação adiantada pela emissora estremocense, trata-se de um homem, que reside com a família na zona da Serra D'Ossa, e que viajou desde Moçambique. Devido ao facto de ter efectuado essa mesma viagem ao país do continente africano, o homem teve de realizar o teste, por indicações da autoridade de saúde, tendo o mesmo dado positivo. Ao que conseguimos apurar, este homem, bem como a sua família, estão de quarentena e isolados na sua habitação.
Modificado em terça, 08 setembro 2020 14:47
A já habitual publicação com que o Comando de Évora da Guarda Nacional Republicana (GNR) deseja um “Bom Dia” a todos os seguidores da sua página na rede social Facebook, destacou no dia de ontem, segunda-feira, 7 de Setembro, um agradecimento publicado na mesma rede social por uma condutora que foi auxiliada por dois militares do Posto de Trânsito de Estremoz desta força de segurança.
 
Tudo aconteceu no passado dia 3 de Setembro, quinta-feira, quando os militares Joaquim Camões e Luís Canhoto ajudaram uma condutora, na área de serviço de Vendas Novas, no sentido Este – Oeste, a trocar o pneu da sua viatura, que se encontrava com um furo.
 
Na publicação do Comando de Évora da GNR na rede social Facebook, a imagem que ilustra esta acção de auxílio, que segundo conseguimos apurar acontece sistematicamente, foi acompanhada pela frase “Com empenho e determinação, os militares da Guarda Nacional Republicana estão sempre disponíveis para ajudar”.
 
Já na passada sexta-feira, a condutora auxiliada, de seu nome Sara Pestana, tinha colocado na sua página pessoal na mesma rede social, a imagem com a mensagem: “Obrigada a estes dois agentes da GNR que ontem gentilmente se ofereceram para mudarem o pneu do meu carro que tinha um furo. Se alguém os conhecer é favor de identificar. São de Estremoz”. Esta publicação termina com o hashtag #porummundomaisbonito.
Modificado em terça, 08 setembro 2020 12:24