terça, 21 janeiro 2020
Vai decorrer em Estremoz, no Teatro Bernardim Ribeiro, nos dias 3 e 4 de Abril, o 3º Congresso AMAlentejo.
 
Tendo como objectivo a definição do alinhamento estratégico do evento, a Comissão Organizadora, composta pela Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, pelo Núcleo Empresarial da Região de Évora, pela Casa do Alentejo, pelo Instituto Politécnico de Beja, pela Universidade de Évora, pelas Comunidades Intermunicipais do Alentejo Central e do Litoral e pela Comissão Dinamizadora de AMAlentejo, reuniu na semana passada, em Évora, tendo definido os temas da iniciativa.
 
A ronda de conversações e de trabalho estabilizou o alinhamento temático do congresso, que abordará os seguintes temas: “Cultura e Identidade no Alentejo”, “Promoção do Desenvolvimento”, e “Ambiente e Sustentabilidade e Governação Territorial (Regionalização, Descentralização e Ordenamento do Território)”.
 
A próxima reunião da comissão organizadora ficou agendada para o dia 11 de Fevereiro, no município anfitrião do congresso, Estremoz.
Modificado em segunda, 20 janeiro 2020 14:23

Teve lugar ontem, dia 15 de Janeiro, no Salão Nobre do Ritz Four Seasons Hotel, em Lisboa, a entrega dos troféus e diplomas aos vencedores do Prémio Nacional de Agricultura 2019, iniciativa que promove, incentiva e premeia os casos de sucesso da Agricultura e Agro-indústria, Florestas e Pecuária.

A organização deste prémio, que apresenta este ano a 8.ª edição, acredita que o desenvolvimento dos sectores da Agricultura e Agro-indústria, Florestas e Pecuária, é determinante enquanto motor de crescimento da economia portuguesa.
 
Com esta distinção pretende-se premiar projectos e iniciativas que se distingam como casos portugueses de sucesso, enquadrados nas categorias Jovens Agricultores / Novas Empresas, Empresários em Nome Individual, Empresas e Associações / Cooperativas. Pretende-se igualmente reconhecer e distinguir produtos, grandes empresas e personalidades pelo seu importante contributo para os sectores da Agricultura, Agroindústria, Florestas e Pecuária.
 
O ADS - Agrupamento de Defesa Sanitária de Estremoz foi um dos distinguidos, na categoria Associações/Cooperativas.
 
A cerimónia de entrega de prémios contou com a presença da Ministra da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Maria do Céu Albuquerque, do Director-Geral Editorial do Grupo Cofina, Octávio Ribeiro e de Pedro Barreto, administrador do BPI.
 
O Prémio Nacional de Agricultura 2019 foi uma iniciativa promovida pelo BPI e pela Cofina (Correio da Manhã e Jornal de Negócios), que contou com o patrocínio do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural e o apoio da PWC.
Modificado em quinta, 16 janeiro 2020 16:33
Foi assinado no dia de hoje, 9 de Janeiro, um protocolo de colaboração entre o Município de Estremoz e a Universidade de Évora, através da Escola de Ciências Sociais: Este protocolo visa a elaboração da Carta Arqueológica do Concelho de Estremoz, a qual irá potenciar o conhecimento sobre o património arqueológico existente no seu território.
 
Este protocolo de colaboração foi assinado na presença de Francisco Ramos, Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, de Ana Costa Freitas, Reitora da Universidade de Évora, e de Márcia Oliveira, vereadora da Cultura da autarquia estremocense.
 
No âmbito do protocolo de colaboração, o Município de Estremoz responsabiliza-se por todas as despesas relacionadas com as actividades de trabalho de campo de investigação, produção de conteúdos e divulgação, enquanto que a Universidade de Évora fará o levantamento dos testemunhos arqueológicos da totalidade do território geográfico do concelho de Estremoz.
 
A equipa de trabalho será constituída pela arqueóloga Rita Laranjo, do Museu Municipal de Estremoz, e por técnicos da Escola de Ciências Sociais da Universidade de Évora, coordenados pelo professor André Carneiro, docente do Departamento de História.
Modificado em quinta, 09 janeiro 2020 18:07
Nascido na aldeia de São Lourenço de Mamporcão, no concelho de Estremoz, o Lourenço é um bebé com 16 meses de idade e que precisa da ajuda de todos.
 
O Lourenço é portador de Encefalopatia Epilética, com regressão do desenvolvimento psicomotor, microcefalia, espasmos infantis e ausência de autonomia alimentar, alimentando-se através de uma sonda.
 
O Lourenço precisa urgentemente de uma terapia especifica, com o nome de método CME - Cuevas Medek Exercisesé. Esta terapia, intensiva, indispensável para a sua evolução, tem um custo bastante elevado e não tem qualquer comparticipação por parte do Sistema Nacional de Saúde.
 
Ao que o Ardina do Alentejo conseguiu apurar, os  tratamentos que os pais do Lourenço acreditam poder vir “a melhorar a vida do nosso príncipe”, serão realizados no Centro de Desenvolvimento Infantil ESTIMULOPRAXIS, em Lisboa, durante oito semanas, nos dias úteis e com sessões duas vezes por dia, e têm um custo de quatro mil euros.
 
O apelo é feito na primeira pessoa e pelos pais do pequeno Lourenço: “Para apoiarmos o Lourenço, necessitamos de todos vocês para podermos proporcionar os tratamentos que tanto necessita para o seu desenvolvimento”. 
 
São duas as formas de ajudar o pequeno Lourenço. 
 
Uma delas é angariando tampinhas, quer sejam de plástico ou de metal, que podem ser entregues na Papelaria Entre Números e Letras, nos Casais de Santa MariaBairro de Mendeiros, em Estremoz.
 
A outra é contribuindo monetariamente, fazendo o seu donativo para o NIB PT50 0036 0278 9910 0020 35575.
 
Na rede social Facebook, já foi criada uma página, a “Lourenço, O Lutador”, onde serão publicadas todas as informações, não só da evolução da campanha de ajuda a este bebé de 16 meses, mas também a evolução do próprio Lourenço, logo assim que comecem os tratamentos. 
Modificado em quinta, 09 janeiro 2020 13:07
O Pavilhão A do Parque de Feiras e Exposições Eng. André de Brito Tavares, em Estremoz, vai receber entre os dias 30 de Janeiro e 1 de Fevereiro, mais uma edição da feira “Saldos de Stocks”, na sua versão de Inverno.
 
A feira “Saldos de Stocks” é uma oportunidade única para a aquisição de produtos a preços reduzidos, num certame que integra um leque diversificado de comerciantes locais.
 
Esta organização do Município de Estremoz e do comércio local participante, tem como objetivo principal o de estimular o desenvolvimento económico do concelho, mas também fazer escoar stocks existentes nas lojas do concelho.
 
Para mais informações e inscrições, que estão a decorrer até ao dia 17 de Janeiro, consulte o site da autarquia estremocense em www.cm-estremoz.pt.
Modificado em terça, 07 janeiro 2020 23:47
Realiza-se no próximo sábado, dia 14 de Dezembro, a segunda e última recolha de sangue do ano de 2019 do Grupo Benévolo de Dadores de Sangue do Centro Social e Paroquial de Santo André de Estremoz.
 
Entre as 9 e as 13 horas, nas instalações da antiga Casa Inglesa, com entrada na Avenida Condessa da Cuba, em Estremoz, espera-se a presença de todos aqueles que queiram doar um pouco de si, para benefício daqueles que mais precisam.
 
Se tiver 18 anos ou 50 quilos de peso, já pode contribuir com a dádiva e a partir das duas doações, o dador tem direito à isenção da taxa moderadora.
 
Hoje pelos outros, amanhã por nós!
No âmbito do Programa Alentejo 2020, foi aprovada a candidatura para a Recuperação da Igreja do Convento de Santo António, localizada junto ao Cemitério Municipal, em Estremoz.
 
A Igreja do Convento de Santo António faz parte do Convento de Santo António dos Capuchos, aparecendo o mesmo referenciado na lista de conventos franciscanos portugueses.
 
Segundo a autarquia estremocense, “as obras de recuperação terão incidência na cobertura, no revestimento das paredes exteriores e interiores e na instalação eléctrica”.
 
A candidatura tem um custo elegível de 100 mil euros, sendo o apoio financeiro da União Europeia - FEDER, de 85 mil euros. 
Modificado em quarta, 11 dezembro 2019 17:16
Da Dinâmica Global aos Processos Geológicos” é o título do primeiro volume de uma trilogia escrita por Rui Dias, Professor do Departamento de Geociências da Escola de Ciências e Tecnologia da Universidade de Évora e Director do Centro Ciência Viva de Estremoz, que apresenta uma linguagem que tem os professores e os alunos dos primeiros anos da universidade como público-alvo.
 
A apresentação deste primeiro volume está agendada para o próximo sábado, 14 de Dezembro, pelas 15:30 horas, no Auditório José Mariano Gago, no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa.
 
Apresentado pelos Professores Galopim de Carvalho e João Duarte, o primeiro destes volumes discute com algum detalhe o funcionamento do nosso planeta, com o objectivo de que o leitor adquira os fundamentos básicos para compreender a Geologia de Portugal. O autor refere que teve necessidade de escrever esta trilogia por considerar não existir nenhum livro de geologia recente “que aborde os processos geológicos que ocorrem no nosso planeta de uma forma dinâmica e em linguagem detalhada mas acessível”.
 
Esta falta é, na opinião deste especialista em Geologia Estrutural e Tectónica que tem desenvolvido estudos de campo regulares em Portugal, Marrocos e Timor Leste, um aspecto “particularmente importante” pois os avanços da ciência na última década (em especial nos métodos geofísicos que permitem ter uma ideia do que vai ocorrendo no interior do nosso planeta) “têm mostrado que muito do que julgávamos conhecer tem que ser revisto”. Este é um dos motivos que explica porque a teoria Tectónica de Placastem vindo a ser reformulada, em especial a nível da convecção interna da Terra e da existência de um processo cíclico da formação/fragmentação de Supercontinentes”.
 
A descoberta da possível existência de um ciclo dos Supercontinentes e as suas implicações, “incluindo na evolução da vida na Terra é talvez a descoberta mais excitante em Geologia das últimas décadas” realça Rui Dias neste livro que resulta da cooperação entre a Escola de Ciências e Tecnologia da Universidade de Évora, do Centro Ciência Viva de Estremoz e do Instituto de Ciências da Terra, uma das unidades de investigação da universidade eborense.
 
O livro está profusamente ilustrado, contendo 245 imagens originais, preparadas pelo autor, e que vão poder ser descarregadas da página da internet a partir do dia 14 de Dezembro (está também a ser preparada a versão em espanhol) e utilizadas livremente, “nomeadamente pelos professores para preparação das suas aulas” acrescenta o autor. Uma vez que não existem praticamente imagens em português que ilustrem a generalidade dos processos geológicos, “é de prever que as imagens venham a ser utilizadas de uma forma regular por todos os professores” sublinha ainda Rui Dias que se encontra a dinamizar oito acções de formação, envolvendo cerca de 240 professores, por todo o país.
 
O segundo volume desta trilogia irá olhar para diversos mapas geológicos de Portugal, reais mas adaptados de modo a torná-los mais úteis do ponto de vista pedagógico. Será então possível começar a perceber melhor as grandes unidades geológicas que constituem o nosso país, bem como as suas principais características.
 
Já o terceiro, e último volume irá procurar seguir a evolução de uma parte da superfície da Terra durante 600 milhões de anos. Este foi o tempo necessário para que a região a que actualmente chamamos Portugal se tenha transformado no que hoje conhecemos.
 
Um dos aspectos centrais da investigação de Rui Dias assenta na compreensão da evolução da Península Ibérica durante o Paleozóico e a sua correlação com as regiões envolventes. Tendo publicado mais de cinco dezenas de artigos em revistas científicas da especialidade, apresentou já mais de 200 comunicações em congressos nacionais e internacionais. Desde sempre, Rui Dias tem procurado formas inovadoras de difundir a cultura científica e tecnológica, onde frequentemente a Arte e o Desporto aparecem como formas de divulgar a Ciência.
Modificado em terça, 10 dezembro 2019 03:12
Desde o passado dia 7 de Dezembro, dia em que se assinalaram dois anos desde a Inscrição da Produção de Figurado em Barro de Estremoz na Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade, que os corredores do 1.º piso do edifício da Câmara Municipal de Estremoz foram “invadidos” pelos trabalhos dos formandos do Curso de Técnicas de Produção de Bonecos de Estremoz.
 
Esta formação sobre Técnicas de Produção de Bonecos de Estremoz contou com 16 formandos, que durante o curso aprenderam o modo de produção único de que resulta a modelação dos Bonecos de Estremoz.
 
As peças que vão estar em exposição nos Paços do Concelho, exposição essa que pode ser visitada de segunda a sexta-feira, durante o horário de expediente da autarquia estremocense, são o resultado da aprendizagem absorvida durante a formação, mas também são aquilo que se espera que seja o “pontapé de saída” para o surgimento de novos artesãos na arte que é Património da Humanidade da UNESCO.
 
Esta formação, que decorreu entre 20 de Setembro e 6 de Dezembro, foi uma parceria entre o CEARTE - Centro de Formação Profissional para o Artesanato e Património e o Município de Estremoz, tendo como principal objectivo dar formação de qualidade a quem pretendeu adquirir conhecimentos sobre a modelação de Bonecos de Estremoz, Património Cultural Imaterial da Humanidade.
Modificado em segunda, 09 dezembro 2019 02:38