quarta, 14 novembro 2018

Burlões detidos em Estremoz

Escrito por quarta, 14 novembro 2018 00:06
Um casal de burlões foi detido, em Estremoz, por elementos da esquadra estremocense da Polícia de Segurança Pública (PSP).
 
A detenção, que aconteceu na passada sexta-feira, 9 de Novembro, ocorreu cerca das 13 horas, junto ao Centro de Saúde da cidade branca do Alentejo.
 
Segundo o que o Ardina do Alentejo conseguiu apurar, o casal de etnia cigana, residente em Portalegre, burlou um individuo em Évora. A burla, que envolveu a compra e venda de um automóvel da marca Mercedes, aconteceu na presença de mais elementos de etnia cigana, familiares do casal posteriormente detido.
 
Depois de ter transferido a viatura automóvel para o nome dos “novos” proprietários, alegadamente sem ter recebido qualquer compensação financeira, o vendedor, um homem residente na zona de Lisboa, viu-se, de um momento para o outro, sozinho, sem dinheiro, sem viatura e sem conseguir avistar, quer os compradores, quer os familiares e companheiros dos burlões.
 
Fonte da PSP adiantou-nos que a esquadra de Estremoz foi informada do sucedido pela sua congénere de Évora, tendo interceptado o casal em pleno IP2, junto ao Centro de Saúde de Estremoz, conduzindo um veículo da marca Mercedes.
 
Depois de algemados, os burlões foram conduzidos à esquadra de Estremoz da PSP, onde foram devidamente identificados. O casal foi notificado para se apresentar no Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Évora, na passada segunda-feira, desconhecendo-se até ao momento quais as medidas de coação aplicadas.
 
A mesma fonte da PSP revelou ao nosso portal de informação que os indivíduos detidos e identificados têm antecedentes criminais, relacionados com vários processos por burlas, ocorridos em vários pontos do país.
No próximo fim de semana, dias 27 e 28 de Outubro, realizam-se no quartel sede da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Estremoz, as Cerimónias Públicas de Encerramento das Comemorações dos 85 Anos da associação humanitária estremocense.
 
As cerimónias comemorativas irão contar com a presença do Secretário de Estado da Protecção Civil, José Artur Neves, de altas individualidades da Protecção Civil e da Liga dos Bombeiros Portugueses, para além da presença de diversas autoridades civis e militares, não só da cidade de Estremoz mas também do distrito de Évora.
 
Ardina do Alentejo apresenta-lhe de seguida o programa destes dois dias festivos para a corporação estremocense.
 
Dia 27 DE OUTUBRO
Salão Nobre “Major Francisco Rafael Grave”
15 horas – Recepção aos convidados;
15:15 horas – Entrega de condecorações a bombeiros e dirigentes;
16:15 horas – Intervenções alusivas ao acto das condecorações;
 
Igreja de São Francisco
17:30 horas – Missa de Acção de Graças, seguida de Benção de Viaturas, no adro da igreja.
 
DIA 28 DE OUTUBRO
08:30 horas – Hastear das Bandeiras no Quartel Sede da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Estremoz;
09:00 Horas – Romagem ao cemitério com deposição de Coroa de Flores no talhão dos bombeiros;
10:15 Horas – Recepção ao Secretário de Estado da Protecção Civil, com formatura, junto ao quartel;
10:30 Horas – No Salão Nobre “Major Francisco Rafael Grave”, Sessão Solene de Encerramento das Comemorações dos 85 anos da associação, com entrega de condecorações atribuídas pela LBP – Liga dos Bombeiros Portugueses, e intervenções alusivas ao acto.
No passado dia 19 de Setembro, e tal como noticiado aqui, um conjunto de deputados do Partido Social Democrata (PSD) com assento na Assembleia da República, questionaram o Governo, através do Ministério da Administração Interna (MAI), sobre os “Problemas com a insegurança no Bairro das Quintinhas em Estremoz”.
 
Liderados por António Costa da Silva, deputado eleito pelo Círculo Eleitoral do Distrito de Évora, os deputados laranja deram a conhecer ao Ministério dirigido por Eduardo Cabrita, “o clima de insegurança naquela zona” habitacional do concelho de Estremoz e as “inúmeras e recorrentes queixas efectuadas pelos moradores, mas também pelas pessoas que por ali circulam”.
 
Os nove deputados escreveram ao Governo salientando que “as ocorrências são inúmeras” enumerando algumas como ”roubos, agressões diversas, vandalismo, apedrejamento das pessoas e tiroteios”. Acrescentaram ainda que “a intranquilidade dos estremocenses não melhorou com a construção, em 2014, do Quartel da GNR nas imediações” e que “a eficácia das forças de segurança, nomeadamente da PSP, tem sido muito reduzida”. 
 
O texto, assinado por mais oito deputados social-democratas  (Carlos PeixotoMargarida ManoBerta CabralFátima RamosJosé SilvanoÁlvaro BatistaAntónio Ventura e Ana Oliveira), termina com duas perguntas: Quais as diligências que estão a ser tomadas com o objetivo de resolver este grave problema? e Qual o prazo definido pelo Ministério da Administração Interna para implementar as referidas diligências?
 
Depois de, “e ao abrigo das normas constitucionais e regimentais”, terem sido cumpridos os 30 dias que o Ministro Eduardo Cabrita tinha disponíveis para responder às questões formuladas pelos deputados laranja, eis que surge... um adiamento da resposta.
 
Em ofício enviado ao Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, para que este informe o Presidente da Assembleia da República, e devido à “complexidade da informação solicitada”, o Ministro da Administração Interna comunicou não ser “possível responder no prazo de 30 dias". Cumprindo o regimento da Assembleia da República, o Ministério da Administração Interna refere que “a informação será remetida no prazo de 30 dias”.
 
Contactado pelo Ardina do Alentejo para se pronunciar sobre este adiamento da resposta à pergunta formulada pelos deputados do PSD, António Costa da Silva referiu que “o Ministro respondeu, dentro do prazo, que não tinha tempo para responder”. “Em termos práticos está a pedir tempo, mas a situação estranha é que tendo em conta todo este processo, os anos que já decorrem, as perguntas que já foram colocadas pela Câmara Municipal de Estremoz ao longo dos anos e a falta de resposta deste Governo, desde há três anos para cá, até porque este assunto estava a ser tratado com o Ministro Miguel Macedo, e estava a avançar bem, o que é certo é que esta questão não tem avançado nada e o Ministro não tem uma resposta para dar, o que é uma coisa muito estranha” salientou.
 
Para o deputado eleito pelo circulo eleitoral do distrito de Évora, e usando uma expressão do léxico futebolístico, “este é claramente um chutar para canto”. “O Governo não tem uma resposta a dar para um problema concreto, sabe que ele existe, até porque já foi mais que informado, ainda mais agora que está a ser pressionado pela Assembleia da República” salientou. Asseverou ainda saber que “o Ministro está em tentativas de reunião com a Câmara” desconhecendo no entanto se a mesma já terá sido eventualmente marcada. Costa da Silva recordou a recente audiência tida há dias com o executivo do Município de Estremoz, na Assembleia da República, adiantando ter conhecimento de que “a Câmara de Estremoz será recebida igualmente pelo Partido Socialista” e esperando que “com esta pressão comece a haver soluções para um problema que se agrava, que nos últimos tempos tem sido cada vez pior, e a situação de risco está eminente”.
 
António Costa da Silva assegurou que esta é uma questão que não vai deixar “cair em saco roto”, adiantando que “se a resposta do Governo for muito vaga, se voltar a chutar para canto ou se não apresentar nenhuma solução, nós vamos avançar com uma iniciativa legislativa sobre o assunto”. “É garantido, tendo me comprometido a fazer isso na reunião que tivemos com a Câmara Municipal” concluiu.
Unidade Nacional de Trânsito (UNT) da Guarda Nacional Republicana (GNR), através do Destacamento de Acção Conjunto de Lisboa e contando com o apoio do Posto de Sousel da mesma força de segurança, deteve hoje, domingo, dia 21 de Outubro, em Casa Branca, no concelho de Sousel, um individuo por suspeita de tráfico de estupefacientes e por condução perigosa.
 
Ao que o Ardina do Alentejo conseguiu apurar, esta detenção ocorreu depois do homem, com 27 anos, ter desobedecido à ordem de paragem da UNT, na Estrada Nacional 4 (EN4), em Estremoz, num dos acessos à cidade branca do Alentejo. Os militares da GNR tentaram parar o individuo ao verificarem que a matrícula do motociclo em que circulava se encontrava dobrada.
 
O suspeito desobedeceu à ordem e colocou-se em fuga a alta velocidade, tendo após 20 quilómetros de perseguição, já na localidade de Casa Branca, embatido com uma viatura da GNR que se encontrava imobilizada, acabando por ser detido. Em consequência do embate, o homem sofreu ferimentos ligeiros.
 
Este individuo, cujo motociclo em que seguia viagem, para além de possuir matrícula falsa, tinha sido furtado no Montijo, no passado dia 18 de Outubro, tinha na sua posse mais de um quilograma de liamba e não possuía habilitação legal para conduzir. Ao que foi avançado pela GNR, "o furto do motociclo aconteceu durante a realização de um negócio efectuado através de uma plataforma electrónica online, em que o suspeito desapareceu com o motociclo, alegando que o queria experimentar".
 
Desta acção foram ainda apreendidos cerca de 630 euros em numerário e três telemóveis.
 
O homem, que irá pernoitar na cela do Posto de Estremoz da GNR, será presente amanhã, 22 de Outubro, ao juiz do Tribunal Judicial de Fronteira, para primeiro interrogatório e eventual aplicação de medidas de coação.
No final da semana passada, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) realizou uma operação de fiscalização num estabelecimento de diversão nocturna, em Estremoz, onde se praticava o alterne e a prostituição.
 
Segundo nota publicada no site do SEF, a operação decorreu no âmbito de uma investigação levada a cabo pela força de segurança, por “indícios da prática de crimes de auxílio à imigração Ilegal e lenocínio”.
 
Ainda segundo a mesma nota, da operação, na qual participaram 15 inspectores da força policial, resultou a “apreensão de vasta prova” que confirmou os indícios da prática de crimes de auxílio à imigração ilegal e lenocínio.
 
No total, foram identificadas nove mulheres, quatro nacionais e cinco de nacionalidade estrangeira, com idades entre os 25 e os 40 anos. As cidadãs em causa foram inquiridas como testemunhas.
 
Os proprietários do estabelecimento, cuja identificação não foi revelada, suspeitos dos crimes referidos, foram notificados para comparência em Tribunal para interrogatório.
No próximo dia 11 de Novembro, irão decorrer junto ao Monumento aos Combatentes, em Estremoz, as Cerimónias do Centenário do Armistício da I Grande Guerra, que pôs fim à I Grande Guerra, do 93.º aniversário do Núcleo de Estremoz da Liga dos Combatentes e de Homenagem ao Major Velez Correia.
 
Do programa deste dia destacamos as seguintes actividades:
08 horas – Hastear da Bandeira Nacional e da Bandeira da Liga, na sede do Núcleo;
14:30 horas – Recepção aos convidados junto à sede do Núcleo;
14:45 horas – Chegada ao local da alta entidade que preside à cerimónia;
15 horas – Reinauguração do Museu do Combatente;
15:30 horas – Deposição de flores na base do Monumento aos Combatentes;
16 horas – Sessão Solene na Igreja dos Congregados;
17 horas – São Martinho de Honra no Restaurante “Manjar de Estremoz”.
 
A Direcção do Núcleo de Estremoz da Liga dos Combatentes convida toda a massa associativa, e a população em geral, a tomar parte nas Cerimónias do Centenário do Armistício da I Grande Guerra, do 93.º aniversário do Núcleo de Estremoz da Liga dos Combatentes e de Homenagem ao Major Velez Correia.
No próximo dia 20 de Outubro, sábado, o Convento das Maltezas, em Estremoz, irá receber uma Jornada sobre a I Guerra Mundial.
 
Esta iniciativa propõe um olhar para os anos da Guerra, analisando algumas das principais dinâmicas de uma conjuntura central na História do século XX.
 
A jornada inicia-se pelas 09:30 horas, com a já habitual e tradicional recepção e acolhimento. Pelas 10 horas está prevista a sessão de abertura da jornada e pelas 10:30 horas, terá lugar a primeira intervenção, por Alice Samara, que irá falar sobre “De Gravilo Princip ao Armistício: Um Olhar sobre a I Guerra Mundial”. Depois do debate sobre a primeira intervenção e da pausa para café, seguem-se duas novas comunicações. Pelas 11:30 horas, falará Isabel Pestana Marques, com uma prelecção intitulada “Entre a Vida e a Morte nas Trincheiras”, e pelas 12 horas usará da palavra Francisco Vaz, com a intervenção “A Grande Guerra em Moçambique – O testemunho do Tenente Frederico Marinho Falcão (1916-1918)”.
 
Após o debate das intervenções da manhã, segue-se o almoço, e já no período da tarde continuam os trabalhos da Jornada sobre a I Guerra Mundial. Pelas 14:30 horas, terá lugar a primeira intervenção da tarde, por Ana Paula Pires, subordinada ao tema “A República e a Organização da Economia de Guerra (1914-1919)”. Os trabalhos prosseguem pelas 15 horas, com a comunicação de Natividade Monteiro, sobre “O Outro Lado da Guerra – A Participação Pública das Mulheres Portuguesas na I Guerra Mundial”, e às 15:30 horas, terá lugar a prelecção de Paulo Simões, sobre “Arte, Propaganda e Memória: Imagens e Iconografia da I Grande Guerra”.
 
Após o debate sobre as três intervenções da tarde, e mais uma pausa para café, terá lugar um painel de comentários, com a presença de elementos do Regimento de Cavalaria nº 3 de Estremoz, do Núcleo de Estremoz da Liga dos Combatentes, da Delegação de Estremoz da Cruz Vermelha Portuguesa e do CIDADE – Cidadãos pela Defesa do Património de Estremoz.
 
A sessão de encerramento desta Jornada sobre a I Guerra Mundial está agendada para as 17:45 horas.
 
Esta é uma iniciativa levada a cabo pelo CIDADE – Cidadãos pela Defesa do Património de Estremoz, pela Cruz Vermelha Portuguesa - Delegação de Estremoz, pelo Exército Português, pela Liga dos Combatentes - Núcleo de Estremoz e pela Casa da Cultura de Estremoz, e que conta com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz, do Centro Ciência Viva de Estremoz e da APH – Associação de Professores de História.
 
 
Na sequência de um violento acidente de viação ocorrido perto de Évora Monte, na noite de ontem, sexta-feira, dia 5 de Outubro, uma jovem estremocense, de apenas 22 anos, perdeu a vida.
 
Segundo o que conseguimos apurar junto de fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora, o óbito da jovem foi declarado no local pela equipa médica da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) de Évora.
 
Informações recolhidas pelo Ardina do Alentejo podem garantir que o veículo sinistrado, conduzido pela jovem, única ocupante do veículo ligeiro de mercadorias, embateu com violência contra uma árvore.
 
Ainda segundo a mesma fonte, o acidente ocorreu por volta das 20:26 horas, na Estrada Nacional 18 (EN 18), perto de Évora Monte, tendo sido mobilizados para o local do sinistro 11 operacionais, auxiliados por quatro veículos dos Bombeiros Voluntários de Estremoz. Estiveram igualmente presentes nas operações de socorro, elementos da Guarda Nacional Republicana (GNR) e a VMER de Évora.
Será na próxima segunda-feira, dia 1 de Outubro, pelas 15 horas, no auditório da Escola Básica Sebastião da Gama, em Estremoz, que decorrerá a cerimónia de entrega do prémio referente ao terceiro lugar obtido pela turma C do 4º ano da Escola Básica do Caldeiro, no passatempo “Vamos construir um cartaz”. Esta cerimónia contará com a presença de Pedro Esperança, gerente do Intermarché de Estremoz, de Lara Xavier, autora do livro infantil “Pafi e o incêndio no parque das merendas”, e do Pafi, personagem principal do livro, e que é também a nova mascote do Grupo Os Mosqueteiros.
 
O passatempo, de âmbito nacional, e promovido pelo Grupo Os Mosqueteiros, teve por base o livro “Pafi e o incêndio no parque das merendas” e a promoção do respeito pela floresta, explicando o significado dos 3 P’s: prever, prevenir e proteger, junto dos mais novos.
 
O desafio, direccionado a alunos do 1.º ciclo do ensino básico de escolas de norte a sul do país, centrou-se na construção de um cartaz apelativo e criativo. A ideia do projecto era exactamente sensibilizar o público infantil para a prevenção dos incêndios florestais através da construção, em equipa, de um suporte original. A iniciativa enquadra-se no projecto de apoio aos bombeiros que o Grupo Os Mosqueteiros tem vindo a desenvolver desde 2005.
 
Os alunos que terminaram o passado ano lectivo no 4º ano, turma C da Escola Básica do Caldeiro veem o seu trabalho premiado com um tablet, um vale de compras no valor de 250 euros, que pode ser utilizado na loja do Intermarché de Estemoz, a visita de Lara Xavier, autora do livro que motivou o passatempo, e ainda da personagem principal Pafi, que é também a nova mascote do Grupo Os Mosqueteiros.