quarta, 18 outubro 2017

Armazém assaltado nas Quintinhas

Escrito por segunda, 09 outubro 2017 02:02
Um armazém, situado na zona habitacional das Quintinhas, junto ao Lar da Liga dos Combatentes, na zona norte da cidade de Estremoz, foi assaltado, ao que tudo indica, durante a noite de sábado para domingo.
 
Segundo fonte próxima do proprietário do armazém, “o furto aconteceu depois das 21 horas de sábado”, dia 7 de Outubro, altura em que o dono do imóvel saiu do armazém. O proprietário apenas deu pelo acontecido cerca das 19 horas de domingo, 8 de Outubro.
 
Para acederem ao interior do armazém, os larápios destelharam o telhado e partiram uma parede lateral. Apesar de não ser de estranhar que o “modus operandi” dos amigos do alheio tenha sido ruidoso e demorado, nenhum dos moradores contíguos ao armazém assume ter ouvido algum barulho estranho.
 
Os ladrões furtaram do interior do armazém vários materiais, desde loiças antigas a ferramentas e máquinas de construção, passando por balanças de mercearia, mobiliário antigo e diversos materiais de construção. Apesar de ainda não estar totalmente contabilizado o valor dos bens furtados, e sem estar também calculado o valor dos prejuízos resultantes do “modus operandi” dos ladrões, o valor do furto ascende aos cinco mil euros, segundo conseguimos apurar.
 
Não são conhecidos até ao momento os autores deste roubo. Ainda segundo a mesma fonte próxima do proprietário do armazém furtado, foi encontrada junto às barracas que servem de habitação à comunidade de etnia cigana, que vive paredes-meia com o imóvel assaltado, “cadeiras furtadas do interior do armazém”.
 
Chamada ao local pelo proprietário do armazém furtado, a Polícia de Segurança Pública de Estremoz tomou conta da ocorrência.
O Grupo Os Mosqueteiros, que detém em Portugal as insígnias Intermarché, Bricomarché e Roady, entregaram 1000 equipamentos de proteção individual de combate a incêndios florestais a corporações de bombeiros de norte a sul do país. Dos 1000 equipamentos, 500 foram doados diretamente pelo Grupo e os restantes 500 fruto do valor angariado através da venda do livro “Bombeiro dos Pés à Cabeça”.
 
No passado dia 2 de outubro foram entregues aos Bombeiros Voluntários de Estremoz, cinco equipamentos, sendo cada um constituído por bota florestal, luvas, cógula, fato de proteção florestal (Calças e Dólman), capacete e sweatshirt.
 
A entrega foi efetuada por cinco colaboradores do Intermarché de Estremoz, que para além de representarem a loja estremocense enquanto os rostos mais diretos no contato com os clientes, representam todos os consumidores daquela superfície comercial que adquiriram o livro e contribuíram para o sucesso desta iniciativa.
 
O livro infantil “Bombeiro dos Pés à Cabeça” resultou de uma parceria entre a Liga dos Bombeiros Portugueses e o Grupo Os Mosqueteiros, tendo estado à venda nas 313 lojas do Grupo durante cerca de um mês. O projeto teve como objetivo sensibilizar e envolver os mais novos na preservação da floresta, prevenção dos incêndios e em simultâneo ajudar a angariar fundos para a compra de equipamentos de proteção individual de combate a incêndios florestais para os bombeiros portugueses. A campanha solidária contou ainda com o apoio de Manuel Luís Goucha e Isabel Silva que, enquanto embaixadores, contribuíram para a divulgação do livro.
 
Pedro Esperança, gerente do Intermarché de Estremoz, fez questão de sublinhar que “esta é uma iniciativa que nos enche a todos de orgulho. Num ano em que o país foi particularmente massacrado pelos incêndios florestais, com a venda do livro infantil “Bombeiro dos pés à cabeça” conseguimos alertar as crianças para a necessidade de preservar a floresta e simultaneamente angariar os fundos necessários para melhorar a segurança dos bombeiros portugueses, e em particular dos Bombeiros Voluntários de Estremoz”.
 
A relação do Grupo Os Mosqueteiros com os Bombeiros não é recente. No passado foram entregues viaturas de combate a incêndios florestais e desde 2014 que o Grupo tem sido um parceiro da Liga dos Bombeiros Portugueses na renovação dos equipamentos tendo conseguido oferecer até ao momento, incluindo os angariados na campanha deste ano, 2.255 equipamentos de proteção individual de combate a incêndios florestais. Para além da campanha anual de angariação de fundos importa referir que as lojas do Grupo Os Mosqueteiros têm uma política ativa de apoio à comunidade local, apoiando durante todo o ano, as corporações das regiões onde as lojas estão implantadas.
Faleceu, na tarde desta quarta-feira, dia 27 de Setembro, o Director da Rádio Despertar - Voz de Estremoz, o Padre Júlio Esteves.
 
O corpo do Padre Júlio Esteves estará em câmara ardente na Igreja de Santa Maria em Estremoz. Quinta-feira, às 11 horas, será celebrada Missa de Corpo Presente, presidida por Dom José Francisco Alves, Arcebispo de Évora.
 
O cortejo fúnebre seguirá depois para a Aldeia do Bispo, concelho do Sabugal, de onde era natural.
 
Aos colaboradores da Rádio Despertar e à família enlutada, o Ardina do Alentejo apresenta as mais sinceras e profundas condolências.
A luta desencadeada pela Associação de Pais do Agrupamento de Escolas de Estremoz e as reivindicações dos pais e alunos da Escola Básica 2,3 Sebastião da Gama surtiram efeito.
 
Já passava das 20 horas quando a Associação de Pais do Agrupamento de Escolas de Estremoz (APAEE) recebeu um despacho assinado pela Directora Geral dos Estabelecimentos Escolares, datado de 22 de Setembro, referindo que o 5º ano da Escola Básica 2,3 Sebastião da Gama deverá regressar a ter quatro turmas.
 
Para que esta situação seja definitiva, falta apenas a aprovação do Conselho Pedagógico do Agrupamento, que segundo a convicção de Luís Eustáquio, Presidente da Direcção da APAEE, “não irão inverter a situação que foi corrigida pelo Ministério da Educação”. 
 
Na página oficial da APAEE na rede social Facebook, e na publicação que trouxe a boa nova, Luís Eustáquio chama a atenção à direcção do Agrupamento para a forma “como irá fazer o enquadramento dos alunos com necessidades educativas especiais”.
 
O Presidente da Direcção da APAEE termina esta publicação agradecendo “a solidariedade de professores, auxiliares e autarquia”.
 
Eram 07:30 horas desta segunda-feira, 25 de Setembro, e por iniciativa dos encarregados de educação e da respectiva associação, que a escola foi encerrada com um cadeado, como forma de protesto pela ilegalidade que, segundo os pais, aconteceu na elaboração das turmas do 5º ano.
 
Segundo conseguimos apurar, em Julho, antes do início do ano lectivo, foram aprovadas quatro turmas do 5º ano, mas escassos dias antes do arranque das aulas, essas quatro turmas foram reduzidas para apenas três, o que originou a que existissem turmas com um elevado número de alunos.
 
Os protestos recaiam essencialmente na turma do 5º A, que para além de ter três crianças com necessidades educativas especiais e outras três crianças que não falam português, o que a obriga a ficar sob protecção de uma alínea do Ministério da Educação, era composta por 29 alunos, o que fazia desta turma uma turma ilegal.
 
Depois de chamada a Polícia de Segurança Pública (PSP) e os Bombeiros Voluntários de Estremoz, que arrombaram o cadeado por volta das 09:30 horas, a normalidade voltou à escola, tendo o dia de aulas prosseguido com normalidade.
Distinguida pelo tratamento especial que tem com a natureza e com as práticas de cultivo ecológico, a Herdade dos Outeiros Altos, localizada em Estremoz, foi escolhida, a nível europeu, como a vencedora do prémio "Goldener Korken 2017”.
 
Esta é a primeira vez que Portugal vence o prémio "Goldener Korken 2017”.
 
A distinção foi entregue aos produtores pela Weinloge, uma sociedade de apreciadores de vinho de todo o mundo, parceiros da Quercus, participantes do projecto Parceria Europeia para a Protecção da Biodiversidade na Viticultura, financiado ao abrigo do programa europeu Erasmus+, estando presente no acto, que decorreu no passado dia 15 de Setembro, sexta-feira, o Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, Luís Mourinha, e o Presidente da Comissão Vitivinícola do Alentejo, Francisco Mateus.
 
Foi neste contexto que a Quercus tomou conhecimento das práticas ecológicas desta herdade, gerida em contexto familiar, mas com vinhos biológicos de grande qualidade, hoje reconhecida internacionalmente.
 
A adega da Herdade dos Outeiros Altos localiza-se na Herdade da Tapada Nova, União de Freguesias de Estremoz (Santa Maria e Santo André), e distingue-se pela produção de vinho através de práticas biológicas, onde se inclui a produção de vinho da talha de acordo com os parâmetros tradicionais.
O Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, esteve ontem, quarta-feira, dia 06 de Setembro, no concelho de Estremoz, mais concretamente em São Bento do Ameixial, onde visitou a Central Solar de Montes Novos, a primeira central a entrar em operação em regime de mercado, sem tarifas subsidiadas que onerem a fatura dos consumidores.
 
Durante esta visita, e em conversa com os jornalistas, Manuel Caldeira Cabral, disse haver "muitos custos" que as pessoas encontram nas facturas de energia que vão desaparecer a prazo, com a "nova política" que o Governo está seguir para o sector.
 
O governante adiantou que "há muitos custos que estão contratados, que vão continuar, são contratos feitos há alguns anos, mas progressivamente o que queremos é ter uma estratégia de aposta no desenvolvimento das energias renováveis".
 
O Ministro da Economia, que se fazia acompanhar pelo Secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, acrescentou que "Portugal tem um enorme potencial", em termos de energias renováveis, por ter "das melhores condições do mundo em termos de horas de sol e de intensidade do sol".
 
"É um país que tem muita produtividade e que dá muita rentabilidade aos investidores de energia solar e não queremos que as energias renováveis continuem a ser um peso para os consumidores e para as empresas", realçou.
 
Manuel Caldeira Cabral indicou que dentro de quatro ou cinco anos a energia solar "vai ter um peso no fornecimento de energia, que hoje claramente não tem e que se vai multiplicar a produção de energia solar por dez, e isto vai ser feito com um potencial grande de redução de custos" para o consumidor.
 
"O que verificamos hoje é que a produção de energia a partir do solar já é mais barata e pode vir a tornar-se ainda mais barato produzir a partir de outras fontes de energias renováveis", adiantou.
 
O ministro salientou ainda que há outros projectos de energia solar que estão em curso, sobretudo no Alentejo e no Algarve.
 
"O sul de Portugal e o Alentejo em particular foram consideradas das zonas do mundo com melhores condições para a produção do solar", realçou.
 
O presidente da Câmara Municipal de Estremoz, Luís Mourinha, congratulou-se com os investimentos que estão a ser feitos no concelho na área da energia solar.
 
A Central Solar de Montes Novos vai entrar em funcionamento dentro de duas semanas, segundo fonte da empresa, e está previsto que a energia eléctrica gerada possa abastecer cerca de 1.500 habitações.
 
c/ LUSA
E será já no próximo Sábado, dia 2 de Setembro, que o Museu Rural da Casa do Povo de Santa Maria vai conhecer uma nova morada. Pelas 11 horas, no Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte, irá ser inaugurada a nova exposição, agora permanente neste novo espaço, do Museu Rural da Casa do Povo de Santa Maria.
 
Fundado no ano de 1951, pela Casa do Povo de Santa Maria, o Museu Rural de Estremoz teve como fundadores Bento Caldas e Cortes Simões, e o auxílio dos artistas Capela e Silva, Alberto Cutileiro e Joaquim Velhinho, entre outros.
 
Inicialmente ficou instalado no antigo Convento das Maltesas de Estremoz, mas com o passar dos anos e com as sucessivas expansões, houve necessidade de mudar de instalações, devido ao aumento do seu acervo, composto por peças ligadas à etnografia da região.
 
Depois de ter encerrado em 2003, é reaberto, com o apoio da Câmara Municipal, a 18 de Maio de 2007, no Centro Cultural Dr. Marques Crespo, com uma exposição de longa duração, que incluía peças de barrística e olaria da autoria do artesão estremocense Mestre Mariano da Conceição.
 
Em 2015 volta a encerrar para nova instalação, desta vez no Palácio dos Marqueses da Praia e Monforte, com nova mostra permanente, de onde se destacam as colecções de Figurado em Barro de Estremoz, Olaria de Estremoz e Arte Popular em madeira, chifre e cortiça. As figuras em madeira de Capela e Silva que representam trabalhadores/as agrícolas estarão igualmente patentes, bem como um conjunto de carros rurais e uma pequena colecção de suportes de espetos em metal. 
 
Filmes realizados pelo Professor Joaquim Vermelho, sobre o mundo rural e artesanato, estarão continuamente a ser exibidos.
 
O Museu estará aberto diariamente, excepto feriados, com entrada gratuita, estando ao dispor das escolas e grupos, com um conjunto de acções educativas.
Realiza-se no próximo dia 9 de Setembro, a segunda recolha de sangue do ano de 2017 do Grupo Benévolo de Dadores de Sangue do Centro Social e Paroquial de Santo André de Estremoz.
 
Entre as 9 e as 13 horas, nas instalações da antiga Casa Inglesa, com entrada na Avenida Condessa da Cuba, em Estremoz, espera-se a presença de todos aqueles que queiram doar um pouco de si, para benefício daqueles que mais precisam.
 
Hoje pelos outros, amanhã por nós!
Faz precisamente hoje, Domingo, uma semana que decorreu em Monsanto, freguesia do concelho de Idanha-a-Nova, a 6ª Gala das 7 Maravilhas Aldeias de Portugal.
 
Num dia quente, com alturas do dia em que a palavra tórrido será a mais indicada, aquela que é considerada a aldeia mais portuguesa de Portugal, eleita num concurso realizado por alturas do Estado Novo, recebeu toda a azáfama de uma produção televisiva.
 
Em disputa por um lugar na final, e na categoria Aldeias Monumento, estavam as freguesias de Almeida (Almeida), Estoi (Faro), Idanha-a-Velha (Idanha-a-Nova), Monsaraz (Reguengos de Monsaraz), Sortelha (Sabugal), Evoramonte (Estremoz) e a anfitriã Monsanto (Idanha-a-Nova).
 
O Vice-Presidente da Câmara Municipal de Estremoz, Francisco Ramos, o padrinho da candidatura, o fadista António Pinto Basto, o Adjunto do Gabinete de Apoio à Presidência da autarquia estremocense, Mariano Dias, e a Presidente da Junta de Freguesia de Evoramonte, Ana Paula Serrano, chefiaram uma comitiva que levou do concelho de Estremoz a esperança de poder ver Evoramonte na final do concurso 7 Maravilhas Aldeias de Portugal.
 
Apresentada por José Carlos Malato e Catarina Furtado, a gala contou com a animação musical de António Zambujo, que durante a emissão referiu ter-se casado em Evoramonte, e das Adufeiras de Monsanto. As actuações musicais contaram igualmente com a participação de Tatanka, coordenador musical das galas, transmitidas na RTP1. José Carlos Malato referiu também durante a emissão que “quando regresso à minha terra, Monforte, quando vejo o Castelo de Evoramonte fico mais contente, porque sei que já estou perto”.

Apesar dos “incentivos ao voto” que as palavras dos alentejanos Zambujo e Malato poderiam dar à candidatura de Evoramonte, a freguesia do concelho de Estremoz não conseguiu passar à final. Monsaraz e Monsanto foram as grandes vencedoras e serão as representantes das Aldeias Monumento, na grande final do concurso 7 Maravilhas Aldeias de Portugal, que se realizará a 3 de Setembro, na aldeia de Piódão, no concelho de Arganil.
 
Alegres e animados à partida e durante toda a viagem, turistas e apreciadores de Monsanto e das outras candidaturas durante a tarde, fervorosos adeptos durante a Gala, desanimados e cansados durante a viagem de regresso, a claque de apoio regressou ao Alentejo e à sua terra natal com o sentimento de dever cumprido e de ter levado bem alto o nome de Evoramonte, das suas gentes e das suas tradições.
 
Para António Serrano, Chefe do Gabinete de Apoio à Presidência e responsável no Município de Estremoz pelo processo de candidatura, em declarações exclusivas ao Ardina do Alentejo, o balanço da participação de Evoramonte no concurso 7 Maravilhas Aldeias de Portugal “é muito positivo, muito embora não tenhamos conseguido chegar à final. De entre 78 candidaturas, Evoramonte foi escolhida, pelo painel de jurados do concurso, para integrar a lista das sete pré-finalistas na categoria Aldeias Monumento e isso deixou-nos muito satisfeitos. Sabíamos que a concorrência era forte e que qualquer uma das pré-finalistas tinha atributos suficientes que lhe permitiam alcançar um lugar na final. Não aconteceu com Evoramonte, mas naturalmente damos os parabéns a Monsanto e Monsaraz por terem conseguido passar esta fase”.
 
António Serrano, também ele natural de Evoramonte, salienta que “seja como for, achamos que Evoramonte já ganhou com esta participação, pela visibilidade que este concurso lhe deu, pela forma como se mostrou Evoramonte ao mundo, pela união das pessoas em torno desta candidatura... Sabemos que logo no dia seguinte à gala várias pessoas visitaram Evoramonte porque tinham acompanhado o concurso na televisão. Isso é muito positivo e deixa-nos muito satisfeitos com o trabalho realizado”.
 
António Serrano concluiu esta breve conversa connosco agradecendo “a todas as pessoas que apoiaram Evoramonte neste processo, a todos os que votaram no dia 13, à claque que esteve presente em Monsanto, aos participantes no vídeo promocional e ao António Pinto Basto que apadrinhou esta candidatura”.

Mais Populares