sábado, 29 janeiro 2022
domingo, 14 novembro 2021 12:52

Maria Teresa Passão em entrevista: "Independentemente do que aconteça no programa, eu não vou desistir"

Escrito por
"Não posso revelar muita informação, mas podem esperar, se Deus quiser, mais actuações à medida do que viram" "Não posso revelar muita informação, mas podem esperar, se Deus quiser, mais actuações à medida do que viram" DR

E como hoje é segunda-feira, é dia de balanço em relação a mais uma emissão do “The Voice Portugal”, o programa de talentos da RTP.
 
Mas calma que a frase inicial desta notícia não quer dizer que já esteja a começar a segunda fase do programa, as batalhas, e que possamos voltar a ver a estremocense Maria Teresa Passão no maior palco da televisão nacional. Ainda faltam algumas semanas para que isso aconteça...
 
O que aconteceu mesmo foi a primeira entrevista de Maria Teresa após a sua estreia no programa apresentado por Catarina Furtado e Vasco Palmeirim. E essa entrevista foi dada ao Ardina do Alentejo.
 
Nesta breve conversa com a nossa equipa de reportagem, a mais jovem estrela da música que se faz em Estremoz, falou da sua participação no "The Voice Portugal", do seu futuro no programa, da relação com a mentora Áurea e da forma como recebeu o carinho e afecto por parte de todos aqueles que viram a sua prestação no programa.
 
Ardina do Alentejo - Como é que está a ver todo este carinho recebido, toda esta envolvencia em seu redor, por parte até de pessoas que nem a conhecem, após a sua participação no The Voice?
Maria Teresa Passão (MTP) – Está a ser incrível, sem dúvida. Muita gente tem vindo falar comigo a dizer coisas do género “Não sabia que cantavas”, “Foi uma actuação incrível", “Fizeste-me chorar”, e não há nada melhor que ouvir que tocámos alguém com a nossa arte. 
Fico muito grata que, mesmo sendo um estilo de música pouco explorado em Portugal, ter conseguido transcender isso.
 
Ardina do Alentejo - Porquê o participar agora no The Voice?
MTP – Acredito que tudo tem o seu tempo certo e antes deste momento não me sentia preparada, enquanto cantora e pessoa, para me apresentar num programa de televisão. No entanto, escolhi o The Voice pois tem um conceito que se aproxima mais daquilo em que eu acredito.
 

Não posso dizer que ficou para trás. Londres é um lugar muito especial para mim. Tenho amigos que significam muito para mim, e que se tornaram também família. Só Deus sabe o que o futuro reserva.

Ardina do Alentejo - E o que podem os estremocenses, os seus conterrâneos, e quem segue o seu percurso no concurso, esperar ainda mais da Maria Teresa no The Voice?
MTP – Não posso revelar muita informação, mas podem esperar, se Deus quiser, mais actuações à medida do que viram. A próxima fase serão as batalhas, em que irei competir com outro concorrente, e um de nós sairá da competição.
 
Ardina do Alentejo - Já falou com a Áurea após a Prova Cega? Ela já lhe deu conselhos?
MTP – Sim, falámos. Ela esteve presente nos ensaios que já fizémos, e sempre muito atenta e interessada em dar conselhos e em puxar por mim, respeitando, claro, o meu estilo pessoal.
 
Ardina do Alentejo - E a família? A presença do avô Florêncio e da mãe Isabel em estúdio foi certamente importante, mas todos têm sido um apoio extra em todo este processo...
MTP – Foi muito importante, claro. Ter o apoio certo é também o que gera o sucesso e a confiança. Tenho também recebido mensagens de conhecidos e desconhecidos, que significam muito e me dão força para continuar.
 
Ardina do Alentejo - E Londres ficou definitivamente para trás?
MTP – Não posso dizer que ficou para trás. Londres é um lugar muito especial para mim. Tenho amigos que significam muito para mim, e que se tornaram também família. Só Deus sabe o que o futuro reserva.
 
Ardina do Alentejo - A quem vai ler esta entrevista, e a quem segue o seu percurso, que mensagem lhes deixa?
MTP – Quero dizer que, primeiro que tudo, agradeço o facto de me estarem a acompanhar e a apoiar nesta jornada, e em segundo lugar, que podem esperar que, independentemente do que aconteça no programa, eu não vou desistir, e que me poderão continuar a acompanhar, se assim o desejarem, e eu ficaria de facto muito agradecida.
Modificado em sexta, 19 novembro 2021 19:21

Deixe um comentário