domingo, 25 junho 2017

"Improvável" marca o regresso de José Gonçalez aos discos

Escrito por  Publicado em Entrevistas quarta, 15 março 2017 19:05
"Este disco é dedicado ao meu pai" "Este disco é dedicado ao meu pai" DR
Lançado no passado dia 3 de Março, “Improvável” marca o regresso de José Gonçalez aos discos. Neste que é o seu 11º trabalho discográfico, o fadista estremocense conta com a participação de alguns dos maiores nomes da música portuguesa para interpretarem temas escritos e compostos por si.
 
Jorge Fernando, Cuca Roseta, Sangre Ibérico, FF, José Cid, Gonçalo Salgueiro, Maria da Fé, Filipa Cardoso e Vitorino, são os artistas que cantam em dueto com o fadista nascido em Estremoz.
 
“Improvável”, que tem o selo da Sony Music Portugal, será apresentado a 31 de Maio, no Salão Preto e Prata, no Casino do Estoril, num espectáculo que contará com a presença de todos aqueles que participaram na elaboração deste que é já considerado um dos melhores discos do ano de 2017.
 

A propósito do lançamento de “Improvável”, José Gonçalez concedeu ao Ardina do Alentejo uma breve entrevista onde nos fala das reacções que tem recebido a este seu novo trabalho, da festa de lançamento no Casino do Estoril e, como não podia deixar de ser, da sua Estremoz natal.
 
Ardina do Alentejo - É este o teu melhor disco?
José Gonçalez (JG) - Para mim, sim. É este, indiscutivelmente, o meu melhor disco.
 
Ardina do Alentejo - Se te pedissem para descreveres "Improvável", como o descreverias?
JG - Exactamente como um disco “Improvável”, que nasceu dum encontro entre mim e a Directora-Geral da Sony Music, cujo objectivo seria eu fazer um disco com letras minhas, em “cama” de músicas de fados tradicionais.
Mas eu decidi ir mais longe, e fui também fazer as músicas. Depois decidi convidar amigos, e cada tema teria que ter a ver com cada um desses convidados.
Eu diria que todo o disco é uma improbabilidade. Desde os temas, aos convidados, aos arranjos, aos músicos, à própria editora. Julgo que o nome não poderia estar mais correcto.
 
Ardina do Alentejo - Apesar de estar à venda há pouco tempo, que feedback tens recebido, não só em termos de vendas, mas também em relação ao que as pessoas que já compraram e ouviram, te dizem deste "Improvável"?
JG - As reacções estão a ser muito boas. Tenho recebido bastantes críticas positivas, de pessoas a quem o disco agrada bastante. As vendas ainda é muito cedo, e isso não passa por mim… Nesta altura não faço a mínima ideia.
 
Ardina do Alentejo - Com tantos duetos e tantas colaborações, consegues destacar deste teu novo disco, o tema que mais gostas?
JG - Não, não consigo. Mas consigo escolher um como o meu tema do disco: é a faixa 10 - “Eu tenho tanta pena… Pai!”. De resto, este disco é dedicado ao meu pai.
 
Ardina do Alentejo - E agora 31 de Maio, é a grande festa de lançamento no Salão Preto e Prata do Casino do Estoril... Está tudo preparado?
JG - Ainda está tudo a ser preparado. Vai entrar muita gente, há muitos pormenores por acertar, há ensaios, há promoção… Enfim, há um mar imenso de coisas a tratar, mas se Deus quiser, há-de correr bem. Fico também muito feliz porque tenho tido muita gente de Estremoz, e do Alentejo, a mostrar interesse em vir, o que me deixa muito feliz.
 
Ardina do Alentejo - Em Estremoz, a tua terra, há quem espere que aproveites esta oportunidade para lhes deixares uma mensagem...
JG - Deixo um abraço. Espero que estejam todos bem, que também aí na minha terra possam vir a gostar deste meu disco, que é um disco honesto, que deu muito trabalho, que tem a produção do extraordinário Jorge Fernando… Por fim, lamento o facto de saber que, enquanto a edilidade estremocense tiver à frente a actual gestão, é-me impossível apresentar a minha música, já que faço parte dos proscritos do actual presidente da Câmara Municipal de Estremoz, e da sua côrte!
Agradeço, teres-te lembrado de mim uma vez mais.
Abraços e beijinhos para todos.
 

Deixe um comentário

Mais Populares