sábado, 04 dezembro 2021
domingo, 24 outubro 2021 00:42

Quatro artesãos estremocenses com obras expostas em Vinhais, no distrito de Bragança

Escrito por
Esta exposição integra obras feitas por artesãos de vários pontos do país e que contam a história das suas terras Esta exposição integra obras feitas por artesãos de vários pontos do país e que contam a história das suas terras DR

 
Obras de quatro artesãos estremocenses fazem parte do espólio da exposição “Entre Deus e o Diabo… Arte Popular”, mostra composta por cerca de 170 peças e que se encontra patente ao público, desde o passado dia 15 de Outubro, no Centro Cultural Solar dos Condes, em Vinhais.
 
Ricardo Fonseca, a dupla Irmãs Flores (Perpétua Sousa e Maria Inácia), Carlos Alves e Luís Parente, artesãos que levam cada vez mais longe o Figurado de Barro de Estremoz, Património Cultural Imaterial da Humanidade desde 2017, têm o seu nome associado à colecção particular do vinhaense Roberto Afonso.
 
O coleccionador de arte, e igualmente artesão, explica que a exposição, que resulta do trabalho de perto de 50 artesãos, e que pode ser vista em terras do distrito de Bragança, é a expressão do povo e mostra que o sagrado e o profano não podem ser dissociados.
 
Isto é uma colecção que representa, principalmente, a identidade do povo. A arte feita por artistas que através das suas vivências e do que vão desenvolvendo no imaginário, transformam em peças, em monstros, em figuras, em santos. É um confronto entre o bem e o mal” explicou Roberto Afonso, investigador e ex-vereador da Câmara Municipal de Vinhais.
 
Esta exposição integra obras feitas por artesãos de vários pontos do país, sobretudo em cerâmica, mas onde não faltam peças em madeira, cortiça, pedra ou barro, e que contam a história das suas terras.
 
A exposição “Entre Deus e o Diabo” pode ser vista até 31 de Maio de 2022.
 
 
Modificado em domingo, 24 outubro 2021 01:04

Deixe um comentário