sábado, 04 dezembro 2021
segunda, 04 outubro 2021 15:02

Dedicada a José Saramago, Odemira recebe exposição do Festival Sete Sóis, Sete Luas

Escrito por
A exposição pode ser visitada no Espaço CRIAR, entre as 10 e as 13 horas e das 14 às 17 horas A exposição pode ser visitada no Espaço CRIAR, entre as 10 e as 13 horas e das 14 às 17 horas DR

 
A participação de Odemira na edição de 2021 do Festival Sete Sóis, Sete Luas termina com a exposição de artes plásticas “Saramago Mediterrâneo”, uma homenagem artística ao escritor, que estará patente ao público no Espaço CRIAR, entre os dias 4 de Outubro e 16 de Novembro.
 
“Saramago Mediterrâneo” é uma exposição internacional itinerante dedicada a José Saramago e ao romance “Ensaio Sobre a Cegueira”, que conta com a participação de 41 artistas de vários países da rede Sete Sóis, Sete Luas (Marrocos, Cabo Verde, Portugal, Itália, Espanha, França), que colaboraram com o festival durante os seus 29 anos de existência.
 
O Festival Sete Sóis, Sete Luas tem uma ligação especial com o escritor José Saramago, que remonta a 1992, altura em que o escritor cedeu a um grupo de jovens estudantes os direitos da edição italiana do livro “O ano de 1993”. Desde esse momento, e até à sua morte, foi ele o Presidente Honorário do festival, sendo o próprio nome do festival tirado de um dos seus romances, “Memorial do Convento”, a partir das personagens Baltazar (Sete Sóis) e Blimunda (Sete Luas), que se associam ao sonho do Padre Bartolomeu de Gusmão de construir a primeira máquina voadora, a passarola que é o símbolo do festival.
 
Para a organização do festival, esta exposição “partiu do sentimento que liga o festival ao grande escritor português e é uma homenagem ao seu pensamento, às suas ideias, à sua poética. Foi pedido aos artistas (pintores, escultores, fotógrafos) dos vários países da rede cultural, que ao longo destes anos têm participado no projecto Sete Sóis, Sete Luas, que criassem uma obra inspirada em Saramago e, de modo especial, no seu romance “Ensaio sobre a Cegueira”, que se tornou ainda mais actual com o aparecimento nas nossas vidas da emergência originada pela Covid-19. A cegueira de que fala Saramago é uma epidemia contagiosa, um beco sem saída, e nas entrelinhas é revelada uma análise bem lúcida acerca da natureza humana, que nos parece falar sobre nós próprios”.
 
A exposição pode ser visitada no Espaço CRIAR, entre as 10 e as 13 horas e das 14 às 17 horas.
 
 
 
 
 
 
Modificado em segunda, 04 outubro 2021 15:24

Deixe um comentário