quarta, 29 janeiro 2020
Organizada pela Fábrica da Igreja Paroquial de Santa Vitória do Ameixial, realiza-se no próximo sábado, dia 25 de Janeiro, a partir das 21 horas, no Salão da Junta de Freguesia de Santa Vitória do Ameixial, uma Grande Noite de Fados.
 
Na noite em que se vai ouvir o género musical nacional que é Património Cultural Imaterial da Humanidade nesta freguesia do concelho de Estremoz, sobem ao palco os fadistas Rute Belga, Maria dos Santos e Edgar Baleizão, acompanhados à guitarra portuguesa por Tó Rui e na viola de fado por Edgar Baleizão.
 
A edição de 2020 da Grande Noite de Fados de Santa Vitória do Ameixial tem um custo de 10 euros por pessoa, com direito à degustação de uma ementa com Caldo Verde, Chouriço Assado, Sumo, Vinho e Pão. Para além destas iguarias tradicionais numa noite de fados, há ainda à disposição de todos os presentes Febras e Entremeadas grelhadas, Bifanas, Doces e Bolos (pagamento extra).
 
Para assistir a esta Grande Noite de Fados, que conta com o apoio da União de Freguesias do Ameixial (Santa Vitória e São Bento) e do Município de Estremoz, devem os interessados contactar os seguintes números de telefone: 933605461, 964108216, 926133964 e 934521400.
 
Modificado em quinta, 23 janeiro 2020 14:53
No ano de 2020, o fadista estremocense José Gonçalez comemora 30 anos de carreira, ou como o próprio gosta mais de dizer, “30 anos de percurso” no mundo da música.
 
E esses 30 anos completam-se desde a sua participação no programa da RTP, “Selecção de Esperanças”, realizado nos estúdios do Monte da Virgem, na cidade do Porto, e desde a gravação do disco de vinil “Fado Lusitano”, gravado em Outubro de 1990, nos estúdios de Paço de Arcos da EMI - Valentim de Carvalho.
 
E este início de ano trás novidades em relação ao fadista nascido na cidade branca do Alentejo. No programa das manhãs da RTP, “Praça da Alegria”, onde José Gonçalez interpretou o fado “Não me procures” e falou com a apresentadora Sónia Araújo sobre estes seus 30 anos de vida ligados ao fado e à música, o artista estremocense assegurou que o disco novo “está pronto” e há a ideia de que seja lançado “até Março”.
 
José Gonçalez adiantou ainda que “até final de Janeiro será lançado o single, que será um tema que gravei só com o Pedro Jóia à guitarra e que se chama “Plural de um”, um dueto que será o single do disco”.
Modificado em quinta, 23 janeiro 2020 02:44
Irá decorrer na Biblioteca Municipal de Estremoz, na próxima terça-feira, dia 28 de Janeiro, a fase concelhia da 14ª edição do Concurso Nacional de Leitura. Nesta fase irão participar os alunos do 1º, 2º e 3º ciclo do Ensino Básico e alunos do Ensino Secundário.
 
A iniciativa, que está aberta ao público, decorre de acordo com uma prova oral, que será avaliada tendo como parâmetros de avaliação a leitura e a exposição/argumentação.
 
A fase concelhia da 14ª edição do Concurso Nacional de Leitura decorre nos seguintes horários:
10 horas - Prova oral do 1.º e 2.º ciclo;
14:15 horas - Prova oral do 3.º ciclo e Ensino Secundário.
 
Durante esta iniciativa, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz, haverá vários momentos de animação a cargo de Dora Amaro.
 
 
 
Foi de pé, e batendo palmas com um largo sorriso no rosto, que o público que esgotou no passado sábado, 4 de Janeiro, a lotação do Teatro Bernardim Ribeiro, em Estremoz, agradeceu a brilhante actuação da Light Music Orchestra, superiormente dirigida pelo Maestro estremocense Artur Rouquina.
 
Este Concerto de Ano Novo, organizado pelo Município de Estremoz, e com que se iniciou a programação cultural do ano de 2020 na mais emblemática sala de espetáculos da cidade estremocense, contou com a participação das duas bandas filarmónicas da cidade, a Sociedade Filarmónica Artística Estremocense "União", onde o Maestro Rouquina foi aluno e Maestro, e a Sociedade Filarmónica Luzitana. Esta colaboração “a três” aconteceu na interpretação do tema “The Liberty Bell”, de John Philip, tendo as bandas da cidade surpreendido o público, irrompendo pela plateia e 1º balcão, e actuado bem junto a quem assistia a este concerto.
 
Algumas alunas da classe de dança da Academia Sénior de Estremoz também fizeram parte deste concerto, vestindo-se a rigor e dançando ao som da Light Music Orchestra.
 
Um concerto memorável dado em Estremoz pela Light Music Orchestra, um conjunto que surgiu com o objetivo de aproximar as populações da orquestra enquanto agrupamento musical, desmitificando o facto de esta formação ser única e exclusivamente associada à música erudita, dita “clássica”, e a toda a sua formalidade envolvente.
 
Nesse sentido, a Light Music Orchestra tenta diminuir o preconceito existente em torno de um género musical, mas também apresentar a orquestra noutros contextos.
 
Constituída por cerca de 30 músicos (cordas, sopros, percussão e cantores), a orquestra interpretou, para além de algumas das obras de referência da música “clássica” de compositores como Bizet, Puccini, Strauss ou Verdi, também outros estilos musicais de diversos compositores.
 
Para a vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Estremoz, Márcia Oliveira, este “Concerto de Ano Novo foi digno da cidade e da sala onde se realizou”. Acrescentou ainda sentir-se “orgulhosa por iniciar o ano cultural com um concerto deste nível, extraordinário, com músicas conhecidas e onde o Artur conseguiu reunir as duas bandas da cidade, para além da Academia Sénior de Estremoz, num espectáculo que teve casa cheia e com uma grande proximidade entre quem estava a assistir e os artistas”.
 

Modificado em quinta, 09 janeiro 2020 09:27
Com a exposição “Arquitetura após Lente”, da jovem fotógrafa Mónica Camacho Serrano, o Museu Municipal de Estremoz inaugura, no próximo sábado, dia 11 de Janeiro, pelas 16 horas, na sua Sala de Exposições Temporárias, o programa expositivo do museu estremocense para o ano de 2020. 
 
Nesta exposição apresenta-se um conjunto de imagens realizadas durante o último ano de curso de fotografia, em diversos locais, e que têm em comum mostrar uma outra visão da arquitectura em Portugal. Mónica Serrano pretende, através da fotografia, colocar-nos sobre a sua perspectiva de relação com o mundo que nos rodeia e transmitir-nos noções de espaço como privacidade, tranquilidade e como visualizar para além de uma objectiva.
 
Desta vivência pessoal, foi permitido captar pormenores que são muitas vezes ignorados e desconhecidos na arquitectura e representar as formas geométricas dos edifícios através da fotografia.
 
Mónica Serrano tem 21 anos de idade, nasceu em Lisboa, mas tem raízes alentejanas, e desde muito nova percebeu que a fotografia podia ser uma realização. Era estudante de Ciências, para seguir Biologia Marinha, quando numas férias de Verão foi convidada para fazer um curso de fotografia, o qual veio a despertar o gosto pela mesma.
 
O seu interesse foi influenciado e estimulado pelos fotógrafos Francisco Nogueira e Fernando Guerra, e o seu percurso na fotografia de arquitectura vem desde o segundo ano do curso, através do módulo de fotografia de arquitectura. 
 
Foi assim que tudo começou e o resultado pode ser visto nesta mostra até 29 de Fevereiro.
Modificado em quarta, 08 janeiro 2020 02:09
O Festival Internacional de Música de Marvão (FIMM) foi excluído dos apoios da Direcção Geral das Artes para o biénio 2020/2021.
 
A organização do FIMM confessa ter sido apanhada de surpresa com esta decisão do Ministério da Cultura, referindo que “o Governo parece ser a única entidade que não reconhece o mérito do festival”.
 
Daniel Boto, porta da voz da organização, e em declarações à Rádio Portalegre, refere que apesar da candidatura ser elegível, a mesma não obteve o apoio do Governo liderado por António Costa devido a “problemas de dotação orçamental”. Por outras palavras, pode dizer-se que “quando chegou a vez de Marvão já não havia dinheiro”.
 
Este elemento do FIMM deixa bem claro que a falta de apoio não coloca em risco a manutenção do festival, lamentando no entanto que o evento saia prejudicado, nomeadamente ao nível do número de concertos gratuitos que a organização oferece, que costuma ser na ordem dos 25 por cento.
 
A edição de 2020 do FIMM, a sétima, será alargada para 17 dias, e terá lugar entre 24 de Julho e 9 de Agosto. A organização espera receber a visita ao evento de cerca de doze mil pessoas, mais duas mil do que na edição do ano de 2019.
 
Esta decisão de não apoio da DG Artes ao FIMM, já levou mesmo os deputados eleitos pelo círculo de Portalegre, ambos eleitos nas listas do PS, a questionarem a Ministra da Cultura, Graça Fonseca, sobre a política de financiamento.
 
Luís Testa e Ricardo Pinheiro pretendem saber porque o Alentejo perdeu apoios, quando a nível nacional se registou um incremento considerável dos apoios estatais às artes.
 
Os deputados pedem ainda à governante para esclarecer quais os critérios objectivos que levaram à exclusão da candidatura do Festival Internacional de Música de Marvão, deixando claro que a resposta “problemas de dotação orçamental” não é muito convincente.
 
c/ Rádio Portalegre
Modificado em quinta, 12 dezembro 2019 04:36
Organizada pela Associação Hípica de Estremoz (APE), e por ocasião das celebrações do dia da Imaculada Conceição, realiza-se no próximo domingo, dia 8 de Dezembro, feriado nacional, mais uma Romaria a Cavalo Estremoz - Vila Viçosa.
 
A edição de 2019 da Romaria a Cavalo Estremoz - Vila Viçosa irá atribuir prémios para o melhor Conjunto à Portuguesa, Cavalo Lusitano e Atrelagem.
 
A concentração para um dia que já se pode considerar uma tradição terá lugar pelas 08:15 horas, no Rossio Marquês de Pombal, em Estremoz, e 15 minutos depois, às 08:30 horas, acontecerá a Benção dos Cavaleiros. O início da romaria acontecerá às 08:45 horas e às 10:15 horas está agendado o muito apreciado Taco. A saída para Borba está marcada para as 10:45 horas, estando prevista a chegada à cidade borbense pelas 12:15 horas. O almoço terá lugar pelas 13 horas, e uma hora depois, às 14 horas, acontecerá a saída para Vila Viçosa. Quando forem 15:30 horas, e à semelhança do que tem acontecido nos últimos anos, os participantes da Romaria a Cavalo Estremoz - Vila Viçosa irão integrar a Procissão, em Vila Viçosa. 
 
Para mais informações sobre esta Romaria a Cavalo, devem os interessados contactar a APE através dos números de telefone 925486381, 966475053 ou 963301009.
Modificado em quarta, 04 dezembro 2019 03:10
O Teatro Bernardim Ribeiro, a mais emblemática sala de espectáculos da cidade de Estremoz, recebe no próximo sábado, dia 7 de Dezembro, pelas 16:30 horas, um concerto pela banda da Sociedade Filarmónica Artística Estremocense - União.
 
As mais maravilhosas bandas sonoras dos mais conceituados filmes, dos grandes êxitos de bilheteira, vão marcar presença num espectáculo que conta com a presença de cerca de 30 músicos em palco, e com a participação de um coro e vozes solistas.
 
Para que quem se desloque ao Teatro Bernardim Ribeiro se sinta “dentro” do filme, o concerto será acompanhado de vídeo-projecção.
 
Ardina do Alentejo levanta-lhe um bocadinho do véu, garantindo-lhe que as bandas sonoras de “O Senhor dos Anéis”, "O Gladiador", “O Rei Leão” e “Os Piratas das Caraíbas” são apenas quatro das muitas músicas que vão ser interpretadas no Teatro Bernardim Ribeiro, numa tarde que certamente ficará na história.
 
O “Concerto de Bandas Sonoras” é uma organização da Sociedade Filarmónica Artística Estremocense - União, com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz, e com entrada livre.
 
Para mais informações, devem os interessados contactar o Teatro Bernardim Ribeiro, através do telefone 268339222, os Serviços Culturais da Câmara Municipal de Estremoz, pelo 268339216 ou pelo mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou ainda o Posto de Turismo, através do 268339227.
 

Modificado em quarta, 04 dezembro 2019 03:04

Teatro Garcia de Resende encerra para obras

terça, 05 novembro 2019 00:40
A empreitada da obra de reabilitação física e funcional do edifício do Teatro Garcia de Resende (TGR), em Évora, foi adjudicada pela Câmara Municipal de Évora, aguardando-se agora o visto do Tribunal de Contas para que os trabalhos possam ter início.
 
A rubrica do contrato de empreitada ocorreu no passado dia 29 de Outubro, tendo sido assinado pelo presidente da Câmara Municipal, Carlos Pinto de Sá e pelo administrador da empresa Teixeira, Pinto e Soares, S. A., Pedro Miguel Soares, e contou com a presença do vereador Eduardo Luciano.
 
A intervenção agora adjudicada tem o propósito de adequar o edifício ao cumprimento da legislação em vigor no que diz respeito à Segurança Contra o Risco de Incêndio. Vai também proceder-se à eliminação de barreiras arquitectónicas de modo a que o imóvel possa ser utilizado por cidadãos com mobilidade condicionada.
 
A reabilitação física e funcional do edifício do TGR implica um investimento superior a 1 milhão e 385 mil euros, com prazo de execução da obra de 450 dias a contar da data da consignação.
 
Este investimento insere-se no PEDU - Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano, no âmbito do programa Alentejo 2020, constituindo-se como mais um passo na valorização dos equipamentos culturais que formam a base da candidatura de Évora a Capital Europeia da Cultura em 2027.
 
O Teatro Garcia de Resende, situado na Praça Joaquim António de Aguiar, foi inaugurado em 1 de Junho de 1892 e encontra-se classificado como Imóvel de Interesse Público, notabilizando-se como um dos mais representativos Teatros à Italiana existentes em Portugal.
 
Modificado em terça, 05 novembro 2019 00:52