terça, 18 janeiro 2022

A partir da próxima sexta-feira, dia 14 de Janeiro, o Teatro Bernardim Ribeiro, em Estremoz, acolhe a exposição "Aguarelas”, de Paulo Vicente.
 
Paulo Vicente nasceu em Estremoz, em 1926. Por motivos profissionais foi morar para Évora. Após a reforma, aos 66 anos, descobriu uma vocação há muito inata - a pintura.
 
Joaquim Vermelho, seu amigo de há longa data, "descobriu-o" em 1994, como artista plástico "Naif" e logo lhe lançou o convite para expor na Biblioteca Municipal de Estremoz. Essa foi a sua primeira exposição. Depois sucederam-se outras, individuais e colectivas, a nível nacional e internacional. Participou com o entusiasmo que todos lhe reconhecem em diversos concursos, nos quais foi premiado e distinguido diversas vezes. Em 2002, foi distinguido com o prémio do XXIII Salão Internacional de Pintura "Naif" do Estoril, com o quadro "Nos tempos de Feira - Pró Fumeiro".
 
As temáticas nas suas telas passam essencialmente por ambientes urbanos, mormente pequenos recantos das vilas e cidades do Alentejo, ou aspectos mais gerais dessas mesmas povoações. Também pinta, esporadicamente, vilas e cidades do norte de Portugal.
 
Pelo facto de Paulo Vicente ser um artista plástico inquieto, que tem uma apetência natural em experimentar novas técnicas, pinta em aguarela sobre tela, tendo a sua terra natal por referência. Esta nova técnica foi experimentada de um modo muito interessante numa série de pequenas telas, onde representa as portas da zona do Castelo de Estremoz. Desinteressadamente, e de modo a não separar os quadros dessa série que executou, fez a doação das 52 telas que compõem esta exposição ao Museu Municipal de Estremoz, agora patente ao público, no Teatro Bernardim Ribeiro.
 
“Aguarelas” de Paulo Vicente é uma exposição que vai estar patente ao público até ao dia 14 de Fevereiro.
Modificado em quarta, 12 janeiro 2022 17:11

Encenada por Fernando Mora Ramos, a peça de teatro “Pertinho da Torre de Eiffel”, sobe ao palco do Teatro Bernardim Ribeiro, em Estremoz, no dia 29 de Janeiro, sábado, pelas 21:30 horas, pelo Teatro da Rainha.
 
"É normal um gajo ali parado sem saber ao que vai?" pergunta Jasmim, logo no início de “Pertinho da Torre Eiffel”. A questão é dirigida a Jana, cuja presença notamos por lhe escutarmos a voz enquanto trauteia um fado.
 
É assim que começa esta peça escrita por Abel Neves, um dos mais produtivos autores do teatro contemporâneo português, e que o Teatro da Rainha estreou em Novembro, na sua terra natal, Caldas da Rainha. Os actores Fábio Costa e Marta Taveira serão Jasmim e Jana, um jovem casal urbano emparedado numa precariedade ao mesmo tempo material e amorosa, porque ambas as dimensões se interligam e se condicionam.
 
“Pertinho da Torre Eiffel” explora a instabilidade doméstica a partir de duas personagens fisicamente presentes e outras tantas ausentes, num jogo de interacções que excede aquilo que se vê. O visível assume pontos de vista diversos, desde logo, num cenário móvel que oferece diferentes ângulos de observação de uma relação amorosa em busca de equilíbrio na corda bamba existencial. Em cena, tudo parece vacilar e perder-se em hesitações inconsequentes. O que é um casal normal? Poderá a ruptura ser rotina? O que esperam da vida Jana e Jasmim? Têm sonhos? Ambições? São perguntas cujas respostas se estudam a partir de quadros proporcionalmente cómicos e melancólicos, como se estivéssemos a olhar para alguém que patina sem sair do mesmo lugar. Ou talvez como um daqueles globos de neve que os turistas compram para se sentirem “Pertinho da Torre Eiffel”.
 
Em “Pertinho da Torre Eiffel”, Fernando Mora Ramos é ainda responsável pela cenografia do espectáculo, que conta com música de Augusto Lino e iluminação de António Assunção.
 
Este espectáculo é uma organização conjunta da Câmara Municipal de Estremoz e do Teatro da Rainha, tendo os bilhetes o preço unitário de cinco euros.
 
Para mais informações e reserva de bilhetes, devem os interessados contactar o Teatro Bernardim Ribeiro, através do telefone 268339222, os Serviços Culturais da Câmara Municipal de Estremoz, pelo 268339216 ou pelo mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou ainda o Posto de Turismo, através do 268339227.
 
Modificado em terça, 11 janeiro 2022 22:20

Foi inaugurada na tarde do dia de ontem, sábado, 4 de Dezembro, no Salão da Junta de Freguesia de Glória, a exposição “De peças feitas pelos nossos idosos”.
 
Esta mostra, que pode ser visitada até ao dia 29 de Dezembro, é uma organização da AATIGAssociação dos Amigos da Terceira Idade da Glória, e que conta com o apoio da Junta de Freguesia de Glória, da Câmara Municipal de Estremoz, do jornal Brados do Alentejo e do portal de informação Ardina do Alentejo
 
A exposição “De peças feitas pelos nossos idosos” é composta por diversas peças de artesanato, todas elas elaboradas por idosos moradores naquela freguesia do concelho de Estremoz, e nos mais diversos materiais, desde a cortiça ao mármore, passando pela renda e pela madeira.
 
Modificado em domingo, 05 dezembro 2021 01:04

Praticamente 21 meses depois da última sessão, o cinema está de regresso ao Teatro Bernardim Ribeiro, na cidade de Estremoz.
 
No próximo sábado, dia 27 de Novembro, pelas 21:30 horas, a mais emblemática sala de espectáculos estremocense recebe o mais famoso agente secreto ao serviço de Sua Majestade, naquele que é o último filme em que Daniel Craig interpreta o papel de Bond… James Bond.
 
Retirado do serviço activo, 007 tenta levar uma vida calma e pacífica na Jamaica, quando recebe uma visita do seu amigo Felix Leiter, da CIA, que procura ajuda para resgatar um cientista raptado. Mais perigosa do que inicialmente dava a parecer, a missão acaba por levar 007 até um misterioso vilão armado com uma nova e perigosa tecnologia.
 
007 – Sem Tempo para Morrer” foi realizado por Cary Joji Fukunaga, e estreou em Portugal, a 30 de Setembro deste ano.
 
Com um elenco de luxo, o 25º filme com a personagem criada pelo escritor Ian Fleming, conta com as interpretações de Daniel Craig, Rami Malek, Léa Seydoux, Lashana Lynch, Ana de Armas, Ben Whishaw, Ralph Fiennes e Naomie Harris, nos principais papéis.
 
Para mais informações e reserva de bilhetes, devem os interessados contactar o Teatro Bernardim Ribeiro, através do telefone 268339222, os Serviços Culturais da Câmara Municipal de Estremoz, pelo 268339216 ou pelo mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou ainda o Posto de Turismo, através do 268339227.

 

 
Modificado em segunda, 29 novembro 2021 01:00

Construir painéis de azulejos, através de puzzles, é a actividade proposta pelo Museu Berardo Estremoz, durante o mês de Dezembro.
 
O desafio da actividade “Museu às Peças” é montar os sete puzzles, que estarão espalhados pelas várias áreas do museu, fotografar os mesmos, e no final mostrar na recepção. Se todos os puzzles estiverem correctos, recebe uma oferta do Museu Berardo Estremoz.
 
Perfeita para fazer em família, a actividade “Museu às Peças” não tem quaisquer custos adicionais, ou seja, ao pagar o bilhete de entrada no museu tem direito ao jogo, bastando solicitá-lo na recepção, altura em que lhe serão dadas todas as regras e indicações para que jogue convenientemente, e sem batotice, o “Museu às Peças”.
 
Se gosta de desafios, de jogos e de museus, desloque-se até ao Museu Berardo Estremoz, para que peça a peça, possa construir réplicas de obras de arte e, no final, sentir-se um artista recompensado.
Modificado em terça, 23 novembro 2021 17:14

Santo António, uma história de Amor” é o título do catálogo do coleccionador Alexandre Correia, que será lançado em Estremoz, no próximo domingo, dia 21 de Novembro, pelas 15 horas, no Museu Berardo Estremoz.
 
Alexandre Correia é coleccionador de Santos António, um gosto que ganhou como forma de perpetuar a memória do seu avô, tornando-se um coleccionador de amor e afectos.
 
Quando tinha quatro anos, deu-se um milagre: o Santo apareceu ao avô e salvou-o da morte. Um homem agnóstico tornou-se, assim, um profundo e convicto devoto de Santo António.
 
Desde então Alexandre Correia andou de mão dada com o avô e com o Santo - e, assim, tornou-se também ele um devoto de Santo António.
 
Com a morte do seu avô herdou a imagem de Santo António que ele tinha na mesa de cabeceira. Imagem essa que consta do catálogo, assim como umas largas centenas que foi acumulando e que agora fotografou e compilou nesta obra que pretende divulgar e partilhar como a história de amor e o milagre de Santo António que salvou o avô da morte.
 
O lançamento do catálogo “Santo António, uma história de Amor” é uma iniciativa que conta com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz e da Associação de Colecções, sendo a entrada gratuita.
Modificado em quinta, 18 novembro 2021 23:51

 
O palco do Teatro Bernardim Ribeiro, em Estremoz, recebe no próximo dia 13 de Novembro, sábado, pelas 21:30 horas, dois dos mais talentosos artistas nacionais.
 
Os irmãos Feist, Nuno e Henrique, trazem até à mais emblemática sala de espectáculos estremocense o espectáculo “História do Musical Americano da Broadway”.
 
Na zona oeste de Nova Iorque, sensivelmente a partir da rua 42 e quase até Central Park, os teatros sucedem-se, feéricos, com os seus cartazes luminosos… São mais de 20, mais de 30, mais de 40, é a Broadway. Foi nestes teatros que ganhou forma o Musical Americano.
 
Acompanhado ao piano pelo seu irmão Nuno Feist, Henrique Feist conta-nos, a cantar, como tudo se passou. Porque é que os teatros se instalaram nesta zona da cidade? Quem foram os primeiros autores? E os primeiros compositores? Que têm de tão especial as canções? Que sonho é este chamado Broadway?
 
Na verdade, a Broadway existe cada vez que uma qualquer pessoa em qualquer parte da terra assobia o “Night and Day” ou trauteia “I’ve got you under my skin”. A Broadway existe quando vemos filmes como “West Side Story“, “Hair” ou “Dreamgirls”. A Broadway existe quando vemos séries como “Will and Grace” e “Glee”. A Broadway existe em muitos dos discos da Ella Fitzgerald, do Frank Sinatra, da Barbra Streisand ou da Liza MInelli. A Broadway existe porque há sonhos que, de tão grandes que são, não cabem em mais lado nenhum. A Broadway, mais que uma zona da cidade de Nova Iorque, é um estado de espírito.
 
“História do Musical Americano da Broadway” é um espectáculo com a chancela Artfeist, e que conta com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz, tendo os bilhetes o preço unitário de cinco euros.
 
Para mais informações e reserva de bilhetes, devem os interessados contactar o Teatro Bernardim Ribeiro, através do telefone 268339222, os Serviços Culturais da Câmara Municipal de Estremoz, pelo 268339216 ou pelo mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou ainda o Posto de Turismo, através do 268339227.
 
 
 
 
 
 
Modificado em terça, 11 janeiro 2022 22:06

 
Obras de quatro artesãos estremocenses fazem parte do espólio da exposição “Entre Deus e o Diabo… Arte Popular”, mostra composta por cerca de 170 peças e que se encontra patente ao público, desde o passado dia 15 de Outubro, no Centro Cultural Solar dos Condes, em Vinhais.
 
Ricardo Fonseca, a dupla Irmãs Flores (Perpétua Sousa e Maria Inácia), Carlos Alves e Luís Parente, artesãos que levam cada vez mais longe o Figurado de Barro de Estremoz, Património Cultural Imaterial da Humanidade desde 2017, têm o seu nome associado à colecção particular do vinhaense Roberto Afonso.
 
O coleccionador de arte, e igualmente artesão, explica que a exposição, que resulta do trabalho de perto de 50 artesãos, e que pode ser vista em terras do distrito de Bragança, é a expressão do povo e mostra que o sagrado e o profano não podem ser dissociados.
 
Isto é uma colecção que representa, principalmente, a identidade do povo. A arte feita por artistas que através das suas vivências e do que vão desenvolvendo no imaginário, transformam em peças, em monstros, em figuras, em santos. É um confronto entre o bem e o mal” explicou Roberto Afonso, investigador e ex-vereador da Câmara Municipal de Vinhais.
 
Esta exposição integra obras feitas por artesãos de vários pontos do país, sobretudo em cerâmica, mas onde não faltam peças em madeira, cortiça, pedra ou barro, e que contam a história das suas terras.
 
A exposição “Entre Deus e o Diabo” pode ser vista até 31 de Maio de 2022.
 
 
Modificado em domingo, 24 outubro 2021 01:04

 
O reconhecido actor Carlos Cunha e a sua filha Érika Mota, fruto do casamento com a actriz Marina Mota, voltam a pisar o palco do Teatro Bernardim Ribeiro, em Estremoz, com a comédia “Ai a minha filha”.
 
Escrita por Roberto Pereira e Eva Jesus, “Ai a minha filha” conta ainda com as participações de Miguel Ribeiro, Lígia Ferreira e Carla Janeiro.
 
No próximo dia 20 de Novembro, a partir das 21:30 horas, o público da região vai poder conhecer Jacinto, um cinquentão a quem a vida sempre correu de feição, até ao momento em que a sua mulher o apanhou, em flagrante, a traí-la.
 
Detentor de uma grande lábia e uma líbido ainda maior, Jacinto sempre teve as mulheres todas a seus pés. Mas a partir desse dia, tudo mudou...
 
De um momento para o outro, tudo lhe passou a correr mal: passou de dono de restaurante a empregado de mesa, de abastado a remediado, de chefe de família a pai solteiro, e de mulherengo a encalhado. E este é o maior dos seus males: estar há dois anos sem ter uma mulher.
 
A viver com a sua filha desde então, Jacinto fará tudo para voltar a viver um (ou mais) grande amor. E, para isso, tentará de tudo. E tudo é mesmo tudo. Até ajuda profissional.
 
Jacinto está longe é de saber que a raiz de todos os seus problemas dorme debaixo do seu tecto: e é nem mais nem menos do que a sua filha.
 
“Ai a minha filha” é uma produção da Carlos Cunha Produções, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz. Em breve serão divulgadas mais informações sobre este espectáculo, nomeadamente o preço dos bilhetes, quando estarão os mesmos à venda e onde poderão ser adquiridos.
 
 
 
 
 
 
Modificado em segunda, 01 novembro 2021 19:11